ISO é uma certificação que padroniza a qualidade dos produtos

Inicio » Agronegócio » ISO é uma certificação que padroniza a qualidade dos produtos
24/07/2019 Por
ISO é uma certificação que padroniza a qualidade dos produtos

ISO padroniza serviços, processos e produtos

ISO são as iniciais para International Organization of Standardization ou, pelo nosso bom português, a Organização Internacional de Padronização. Trata-se de uma entidade que se responsabiliza por desenvolver normas internacionais de padrões para os processos, serviços, produtos e procedimentos. A sede da organização se localiza na Suíça, na cidade de Genebra, e tem representação no país através da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.

Hoje, a ISO tem uma quantidade de 157 membros-países. Dentre as normas de maior grau de relevância podemos citar a ISO 9000, que fala sobre o funcionamento e implantação de sistemas de qualidade; a ISO 14000, que ressalta normas para gestão ambiental e a de número 26000, que traz normas quanto a responsabilidade social.

ISO

O que é ISO?

ISO é a sigla do inglês que significa Organização Internacional de Padronização. A intenção inicial da ISO é tornar mais fácil os negócios internacionais. A partir disso, quer derrubar quaisquer barreiras de teor técnico, porque o padrão faz a garantia de equipamentos com fabricação diferenciada em países que tenham compatibilidades entre eles. Isso acaba tornando mais simplificada a verificação do teor qualitativo do serviço e dos produtos.

Essas normas fazem a orientação, tanto para empresa pública quanto privada, em relação ao melhor modo de desenvolvimento de um processo específico; produção de um produto; prestação de serviços ou, ainda, a gestão de um negócio de modo eficiente.

Além disso, essas atitudes ajudam a prevenir problemas comuns do ciclo de produção e, consequentemente, aumentam a produtividade, bem como a qualidade de tudo o que está sendo oferecido. O resultado é que, desse modo, é possível monitorar a satisfação do consumidor.

ISO 14000 para a Gestão Ambiental

Essas normas da gestão ambiental tiveram, de forma inicial, elaboração observando todo o seu manejo. Isso quer dizer que elas foram feitas para que a empresa pudesse diminuir os efeitos que causam prejuízos ao ambiente através das próprias atividades – ISO, 2000.

Dessa forma, essas diretrizes são responsáveis, portanto, por fomentar a prevenção dos processos de contaminação do meio ambiente. Isto porque elas fazem a orientação da organização em relação à estrutura, modo de levantamento e operação, bem como:

  • armazenamento;
  • dados disponibilizados;
  • recuperação de dados;
  • resultados.

O intuito geral dessa norma de ISO 14000 é o fornecimento da assistência para que as organizações possam aprimorar ou implantar um Sistema de Gestão Ambiental. A consistência desse objetivo versa o desenvolvimento sustentável e tem compatibilidade com estruturas sociais, culturais e organizacionais diferenciadas.

Ela oferece, portanto, consistência e ordem para que haja o atendimento, portanto, das preocupações com o meio ambiente por meio de recursos alocados, responsabilidades definidas, análises das práticas, processos e procedimentos.

ISO 9000: Normas técnicas

Essa norma específica corresponde a cinco diretrizes. Elas seguem de 9000 a 9004. As normas contemplam o setor de gestão de qualidade. Ao oposto do que muita gente acredita, portanto, essas normas não costumam afetar de forma direta a qualidade do serviço ou a qualidade do produto. Porém, um empreendimento que está de acordo com essas normas guiam ao padrão e regularização de:

  • execução;
  • fabricação;
  • criação;
  • todas as fases do produto ou serviço.

Com isso, há o arquivamento, portanto, de resultados para melhoramentos futuros. Essas diretrizes podem ter aplicação pelos empreendimentos de diversos tamanhos. A seguir, confira os detalhes de cada uma das normas técnicas para o selo de controle 9001, 9002, 9003 e 9004.

ISO

Norma 9001

Este é o modelo de conformidade que padroniza a garantia da qualidade em processos de:

  • produção;
  • desenvolvimento;
  • instalação;
  • assistência técnica.

Norma 9002

Essa norma é,portanto, utilizada pelas empresas responsáveis por produção e instalação. Padroniza a qualidade usada pela empresa que já tem produtos:

  • comercializados;
  • aprimorados;
  • aprovados.

Desse modo, é possível que a qualidade do produto aumente. As empresas mantém o foco para a:

  • conservação;
  • melhoramento de sistemas de qualidade disponíveis.

Norma 9003

Este é o modelo de conformidade que padroniza a garantia de qualidade de:

  • monitoramento;
  • inspeção;
  • revisão;
  • ensaio geral.

Norma 9004

Este é o modelo guia que padroniza o fornecimento de rumo para a empresa implantar o sistema de qualidade, considerando os seguintes aspectos:

  • realidade técnica;
  • realidade econômica;
  • realidade administrativa;
  • realidade humana.

Avaliação de conformidade

Trata-se da demonstração de que as exigências especificadas relativas a determinado produto, sistema, processo ou indivíduo tenham atendimento. Estes programas que avaliam a conformidade são procedidos pelo INMETRO, órgão importante que foca na saúde e segurança dos cidadãos, protegendo, ainda, o meio ambiente.

O INMETRO, por conseguinte, promove o estímulo à busca com continuidade, por fornecedores, de melhoramentos para os produtos, em sentido de fazer a definição de competitivo diferencial e, de forma consequente, fazer a conquista das preferências de seus consumidores.

ISO

Como funciona o selo de qualidade?

O selo de qualidade alimentos, bem como a certificação de uma espécia de autorização concedida por instituições reguladoras com reconhecimento nacional e internacional, indicam que aquele alimento tem segurança ou está apto com todos os seus propósitos.

Significa também que ele está livre de algum tipo específico de componentes. Dessa forma, a fim de que o produto tenha a devida certificação, a indústria necessita de submissão à avaliação com rigor das entidades, em questão.

Em determinadas situações, o certificado é obrigatório para que este produto possa ter comércio no país. Um exemplo disso é a carne de boi, que precisa apresentar o selo SIF, com conferência pelo Ministério da Agricultura e Pecuária – MAPA. Este órgão atestará a conformidade com as normas no setor de saúde, segurança e, principalmente, do meio ambiente.

Ainda, há diversos certificados voluntários, que fazem a segurança de que as normas sejam seguidas, com relação a produtos e processos. Nessa situação, o selo de qualidade ISO é um diferencial para os produtos que têm e os que não têm certificação.

O ISO, portanto, é importante para certificar a idoneidade da empresa que fabrica o produto. Ele colabora, também, para melhorar a reputação da mesma, de modo a ampliar a participação em mercados internacionais e nacionais. Fazer o emprego das normas é capaz de gerar benefícios internos como uma produtividade maior, com desperdícios quase nulos, assim como em relação aos custos. Isso valoriza o produto, dá maior comprometimento e colabora até para que os funcionários estejam mais satisfeitos.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo