Lagarta preta é uma ameaça para as lavouras, árvores, flores e frutas

Home » Agricultura » Lagarta preta é uma ameaça para as lavouras, árvores, flores e frutas
18/12/2019 by
Lagarta preta é uma ameaça para as lavouras, árvores, flores e frutas

Mais destrutiva que a lagarta comum, a lagarta preta pode matar a planta em até uma semana

Uma velha conhecida dos agricultores, Spodoptera cosmioides, a popular lagarta preta, se alimenta de plantas, gramíneas e leguminosas, como a soja. Outras lagartas do mesmo gênero podem atacar a soja, mas com menor intensidade e, consequentemente, causando menos estragos.

Além da soja, a lagarta preta também ataca cultivos como cebola, pimentão, berinjela, arroz, árvores como o eucalipto e até flores, como a begônia.

lagarta preta ataca diversos cutlivos

O que é a lagarta preta?

Na cultura da soja, a lagarta preta é uma das lagartas mais comuns, que se alimenta das folhas e também das vagens da leguminosa. Um dos fatores determinantes para o desenvolvimento dessa praga são as condições climáticas.

A lagarta se desenvolve, em geral, com temperaturas numa faixa entre 15°C e 38°C e pode ocorrer em vários momentos desde o surgimento das culturas.

No caso da soja, a lagarta preta ataca principalmente nas fases vegetativa e reprodutiva, ficando nas partes mais próximas do solo quando a soja fecha as ruas, o que dificulta sua localização.

Em sua fase larval, apresenta variação de cor, dificultando ainda mais sua identificação, já que inicialmente apresentam coloração marrom, só depois mudando para a cor preta.

Entretanto, diferenciar as várias espécies do gênero Spodoptera é difícil devido a semelhança na coloração padrão. Em geral, essas lagartas apresentam uma cor cinza escura, com listras mais claras, levemente esbranquiçadas e alaranjadas.

Especificamente o gênero Spodoptera cosmioides, inicia marrom e se torna preta com leves listras douradas no dorso, com listras alaranjada.

lagarta preta adulta torna-se mariposa

Controle da lagarta preta da soja

O primeiro passo para o controle de qualquer praga que se instale na lavoura é a identificação da espécie, pois muitas vezes o manejo para uma praga pode não ser eficiente para outra espécie.

A principal cultura do país, a soja, é vulnerável ao ataque de pragas e doenças desde sua semeadura. Por isso, a importância de se observar a área antes do plantio para verificar se há indícios de problemas deixados por restos de culturas anteriores.

Um manejo adequado após a instalação da lavoura também é essencial para evitar ou, ao menos, minimizar as possibilidades de infestações.

Investir em sementes tratadas industrialmente é uma boa opção dentro do Manejo Integrado de Pragas, que é um conjunto de medidas adotadas para minimizar os problemas na lavoura.

Todavia, o controle da lagarta preta da soja apenas com inseticida se torna difícil quando a praga ataca após o desenvolvimento da soja, quando a planta já está com um porte maior. Isso porque o inseticida, aplicado na parte superior das folhas, não atinge a lagarta, que ataca da metade de baixo.

Especialistas indicam que uma possível causa que pode trazer a lagarta da soja em grande número em determinadas regiões, é a aplicação de inseticidas que eliminam ou afastam os predadores naturais que mantém a população da lagarta sob controle.

Então, quanto antes for detectada sua presença, mais fácil será o controle. Uma boa dica também é ficar e olho nas boas práticas de manejo, para evitar o desequilíbrio e perdas na lavoura em função da lagarta preta.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo