Lepidoptera, ordem de insetos, abriga mariposas e borboletas

Inicio » Meio Ambiente » Lepidoptera, ordem de insetos, abriga mariposas e borboletas
04/12/2020 Por
Lepidoptera, ordem de insetos, abriga mariposas e borboletas

Lepidoptera é ordem de grande importância. Muitas pessoas conhecer as borboletas e mariposas, mas pouquíssimas sabem a sua origem. A ordem lepidoptera é conhecida por ser a responsável por carregar esses insetos belos e tão conhecidos por seres humanos.

Em suma, a ordem lepidoptera desempenha importante papel na natureza. Por conta disso, saber suas características e informações relevantes é fundamental para agregar um conhecimento interessante e profundo sobre o assunto.

Lepidoptera

O que é lepidoptera?

Lepidoptera é a segunda maior ordem de espécies do mundo. Isso significa que o lepidóptero, inseto holometábolo, ocupa a segunda maior diversidade de insetos encontrados em todo o planeta. Para se ter noção da imensa quantidade desses insetos, somente no Brasil já foram constatadas mais de 5 mil espécies.

De qualquer forma, a ordem lepidoptera desempenha um papel de enorme importância para a economia. O motivo é que, mesmo que muitas larvas sejam consideravas pragas de cultivos, os insetos adultos são ótimos e importantes agentes polinizadores.

Assim, garantem um equilíbrio agradável e adequado de ecossistemas. Isso tudo faz com que sirvam como ótimos indicadores na hora de monitorar a diversidade biológica. Dentro da ordem lepidoptera, os insetos realizam a metamorfose completa e geralmente apresentam dimorfismo sexual.

Características das lepidopteras

Entre os insetos lepidópteros, é comum encontrar uma série de características comuns de outras famílias de insetos. No entanto, esses indivíduos possuem características como:

  • Três tagmas;
  • Seis pernas articuladas;
  • Dois olhos compostos;
  • Quatro asas grandes;
  • Garras no fim das pernas.

Para caracterizar a evolução e identificar se é de uma larva lepidoptera já adulta, analisa-se características como as asas, antenas e espirotromba.

Em relação às asas, os lepidópteros apresentam asas relativamente grandes quando comparadas com o corpo do animal. Além disso, as asas somam quatro e são caracterizadas por membranas muito finas e frágeis, porém, recobertas com escamas.

De fato, é comum que muitas pessoas não saibam disso, já que as escamas protetoras são microscópicas e impossíveis de serem observadas a olho nu. O pó que solta da asa desses insetos é, na verdade, as escamas. Importante frisar que elas não causam cegueira, mesmo que o dito popular insista em afirmar tal coisa.

Já em relação às antenas, em geral os insetos da ordem lepidoptera apresentam duas. No entanto, as borboletas apresentam antenas que são caracterizadas por possuir um certo inchaço em suas extremidades. Nas mariposas, a antena não apresenta inchaço.

Além disso, a espirotromba também é uma característica. A espirotromba é uma peça bucal de sucção. Em suma, estão presentes nos lepidópteros adultos.

Lepidoptera

O ciclo de vida da lepidoptera

O ciclo de vida dos insetos membros da ordem lepidoptera caracteriza-se por iniciar com a fecundação. Em seguida, os ovos são sempre colocados de maneira estratégica próximo a uma fonte de alimentos.

Dependendo da espécie, é comum encontrar os ovos sendo colocados de forma espalhada ou individualmente. No entanto, outras espécies preferem colocá-los todos juntos e protegidos por uma cobertura derivada da secreção que sai das glândulas abdominais da fêmea.

Após os ovos serem depositados e ocorrer a eclosão, inicia-se o estado larval. Nesse estado, como é possível deduzir, o inseto se apresenta em forma de larva e geralmente consome uma quantidade consideravelmente grande de alimento. Em relação aos alimentos, é comum:

  • Casca de ovo;
  • Pedaços de vegetal.

As larvas, no entanto, apresentam aparência diferente umas das outras. Após um determinado tempo se apresentando como larva, o inseto passa pelo processo de pupa. De forma prática, a pupa é o momento em que se inicia, de fato, a transformação corporal.

Nesse momento, é comum notar os tecidos sendo perfeitamente reconstruídos, para que a larva entre na fase adulta. Esse período pode variar de sete dias até meses de duração, a depender da hibernação e evolução do inseto.

Por fim, já na fase adulta, o inseto resulta em uma borboleta ou mariposa. Às vezes, é comum que, mesmo depois de formado, o inseto adulto se mantenha dentro do casulo. A intenção deste ato, é justamente esperar o momento ideal para a eclosão, podendo ser pelas condições climáticas ou outros fatores.

A partir do momento em que sai do casulo, o inseto já está pronto para copular e dar início ao mesmo ciclo de evolução, porém, para os ovos que coloca.

Lepidoptera

Diferença entre mariposa e borboleta

É muito difícil detectar as diferenças a olho nu. No entanto, as borboletas e mariposas, mesmo que sejam da ordem lepidoptera, apresentam traços diferentes, porém sutis. Em suma, as mariposas possuem hábitos noturnos e pousam com as asas estendidas sobre o corpo.

Além disso, quando em repouso, é possível notar que possuem cores escuras, corpo robusto e com um aspecto de possuir pelos corpóreos. Além disso, as suas asas são mais abertas e largas do que a borboleta, outra característica que colabora para a identificação.

No entanto, as borboletas possuem hábitos diurnos. Isso significa que é muito difícil vê-las voando à noite, já que preferem repousar e somente buscar alimentos durante o dia. Entre suas principais características, estão as cores vibrantes e alegres, como azul, amarelo, rosa, laranja ou, em alguns casos, o branco ou preto.

Ademais, também se caracterizam por pousar com as asas levantadas e fechadas no sentido vertical ao corpo. Quando em repouso, permitem notar seu corpo fino, com poucas cerdas e com antenas cavadas.

Atenção com os acidentes

Mesmo que sejam animais belos e pequenos, os lepidópteros possuem instintos de defesa que podem se tornar um grande e dolorido problema para os possíveis predadores. Em geral, os acidentes ocorrem quando há o contato com as cerdas das larvas.

Em suma, costumam provocar reações inflamatórias intensas e até mesmo hemorragias, dependendo da espécie da lagarta. Por conta disso, ao observar uma larva, seja ela de borboleta, lagarta ou, até mesmo, o famoso bicho-cabeludo, o mais indicado é sempre retirá-lo com cuidado e colocá-lo na natureza.

Dessa forma, é possível evitar sérios problemas cutâneos e internos, além de alergias e demais complicações que podem ocorrer. Em caso de contato com alguma das larvas da ordem lepidoptera, é indicado se dirigir imediatamente ao pronto-socorro.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo