Manancial é uma extensão de água utilizada para abastecimentos diversos

Inicio » Meio Ambiente » Manancial é uma extensão de água utilizada para abastecimentos diversos
16/07/2019 Por
Manancial é uma extensão de água utilizada para abastecimentos diversos

Manancial é essencial para a população

Manancial, exsurgência, fonte, olho d’água, mina de água, cabeceira ou nascente. Não importa o nome que ele leva, o manancial e sua preservação são muito importantes para o planeta.

É no manancial que se iniciam os cursos de água, sejam eles pequenos ou grandes. À água nativa ou nascente também é dado o nome de água de pé. Mas o que são mananciais? Vejamos a seguir.

Manancial

O que é manancial?

Manancial é toda e qualquer fonte de água, sendo ela subterrânea ou superficial, com potencial para ser utilizada no abastecimento público; como, por exemplo, lagos, rios, lençóis freáticos e represas.

Para que um manancial seja considerado assim e cumpra sua função, são necessários alguns cuidados especiais voltados para os mananciais de água. Tais cuidados devem ser certificados de acordo com as devidas leis estaduais de proteção aos mananciais.

Neste modelo de normas, a questão principal é preservar a água, impedindo sua poluição. De fato, uma tarefa um bocado difícil de cumprir em um país feito o Brasil.

Afinal de contas, no Brasil, a expansão das cidades grandes ocorreu de um modo desordenado e sem muitas regras. Isto é, sem a devida preocupação em proteger as fontes nos arredores metropolitanos, comprometendo, assim, as suas águas.

O exemplo de manancial mais conhecido e divulgado, devido à sua dimensão, é sem dúvidas do manancial do Tietê. O Tietê é o rio que percorre pela capital do estado de São Paulo e por uma parte considerável do interior. É dito que se o Tietê não fosse malogrado pela poluição, o famoso rio paulista serviria hoje como um manancial que abasteceria milhões de habitantes.

Todavia, seu processo centenário de interferência e poluição ininterrupta transformou o que seria um manancial em um esgoto a plena vista e céu aberto.

Esse fato alerta o Brasil sobre a urgência e importância da preservação aos mananciais. Afinal de contas, sem poder contar com o outrora prodigioso Tietê, as principais reservas de água paulistas estão se tornando cada vez mais comprometidas.

Significado de manancial

Como visto, manancial é o nome dado a um curso de água que decorre por entre a terra. Etimologicamente falando, o significado de manancial se relaciona com manans, um vocábulo do latim que significa mana, brota ou flui.

O fluxo dos mananciais de água flui de zonas montanhosas, local onde a água pluvial (derivada da chuva) é filtrada sobre a terra. Esse filtro é responsável por produzir os “olhos de água”, como são chamados, que consistem em buracos dos quais a água escorre. Esse seguimento é o que chamamos de manancial.

No caso dos mananciais de águas termais, estes resultam de uma combinação. Eles ocorrem quando as águas localizadas no interior rochoso entram em contato com as rochas ígneas. Em outras instâncias, as águas de um manancial também podem manar através de um aquífero subterrâneo.

Mananciais e o abastecimento público

O processo de transformação tem início quando as águas de um manancial atingem uma estação.

Em primeiro caso, as partículas de tamanho maior são eliminadas por intermédio de um filtro de areia. Na segunda etapa, é a vez da água passar por meio de um filtro de carbono. É nesse estágio que o método de absorção remove o cloro, resultando em uma água mais limpa e pura.

Manancial

Por último, mas não menos importante, vem o processo de limpeza. Nesse, a água passa por uma desinfectação atingida através da ativação de um processo com luz ultravioleta. Assim, são enfim eliminadas todos as bactérias e microrganismos presentes na água.

Manancial do Brasil

Para preservar e compreender a importância de um manancial, é preciso conhecer as consequências de sua poluição na vida da população. Primordialmente, é possível listar quatro mananciais que sofreram com a poluição e cujo preço a população paga hoje. Veja a seguir.

São Paulo, SP – Represa de Guarapiranga

A Represa de Guarapiranga foi uma das vítimas das consequências de um mau cuidado dispensado às fontes. Esta sofreu com a poluição causada pelos esgotos, favelas e loteamentos acidentados. Além disso, o local passou por uma explosão demográfica. Se nos anos 80 contava com 330 mil habitantes, duas décadas depois já estourava os 750 mil.

O resultado disso foi um aumento nos custos dos tratamentos de água.

Belo Horizonte, MG – Represa Vargem das Flores e Rio das Velhas

Represa Vargem das Flores e Rio das Velhas: esses são os nomes dos dois mananciais que abastecem a capital de Minas Gerais. Infelizmente, ambos passam por problemas de poluição.

A represa de Vargem das Flores é banhada pelo esgoto que escorre das casas nos arredores. Enquanto isso, os metais pesados, dispensados pelas usinas siderúrgicas erguidas sobre suas margens, acabaram por contaminar a água do Rio das Velhas.

Interior do estado de São Paulo – Bacia do Rio Piracicaba

Após correr pelas áreas de cidades grandes, tal como Limeira e Campinas, as águas do Rio Piracicaba acabam carregando poluentes para si e seus afluentes principais. Antes dessa passagem e modificação na qualidade da água, estimadamente metade do potencial de abastecimento desse sistema é “desviado” para a capital de São Paulo.

Manancial

Esse desvio acaba prejudicando as populosas cidades de interior que dependem desse manancial. Afinal, rios poluídos trazem escassez de água potável. Em algumas partes da região, a situação é tão alarmante que está sendo emendada por meio de racionamentos e rodízios de água.

Recife, PE – Águas Subterrâneas

A situação da capital de Pernambuco é bastante crítica. Visto que Recife não conta com um rio permanente e com capacidade de oferecer água para seu 1 milhão e meio de habitantes, a alternativa é extrair água dos lençóis subterrâneos.

O grande problema nisso é que uma parcela considerável dessa reserva está, infelizmente, comprometida. Afinal, existe uma quantidade grande de esgoto não coletado se infiltrando no solo – poluindo, assim, os lençóis. Além disso, o nível dos reservatórios está baixando em função da super exploração.

O resultado disso é um manancial com alto teor de sal e consumo prejudicado. Por essas e outras consequências, o conhecimento e conscientização são essenciais quando falamos dos mananciais.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo