Mata ciliar é a vegetação que acompanha margens de cursos de água

Inicio » Meio Ambiente » Mata ciliar é a vegetação que acompanha margens de cursos de água
11/07/2019 Por
Mata ciliar é a vegetação que acompanha margens de cursos de água

Mata ciliar é fundamental para a conservação da biodiversidade

A mata ciliar pode apresentar aspectos florestais ou campestres. Encontradas ainda sob os nomes de mata de várzea e mata de galeria, estas matas são consideradas áreas de preservação permanente pelo Código Florestal Federal.

A mata ciliar assume variadas funções no meio ambiente, respeitando proporções específicas em conformidade com a extensão de nascentes, rios, lagos, córregos e represas.

Mas, afinal, o que são matas ciliares? Vejamos a seguir!

Mata ciliar

O que é mata ciliar?

Mata ciliar é uma espécie de manto vegetal nativo das margens de represas, nascentes, igarapés, lagos ou rios. Também é conhecida como vegetação ribeirinha ou vegetação ripária.

O termo “ciliar” que carrega em seu nome diz respeito a esta característica, isto é, por circunvizinhar as águas. O paralelo é feito com os cílios humanos, tão importantes para a proteção dos olhos quanto as ciliares são para a conservação das águas.

Sendo assim, é de suma importância que sejam preservadas todas as vegetações naturais presentes no decorrer das beiradas de reservatórios, nascentes e rios.

Segundo artigo 2° da lei de preservação da vegetação ciliar, a extensão de preservação da faixa ciliar deve ser equivalente à do curso de água.

Importância da mata ciliar

Como apontado, a preservação da mata ciliar é de suma importância para o equilíbrio ambiental. Por quê?

As matas ciliares desempenham funções ambientais fundamentais e indispensáveis para a conservação da biodiversidade. Além disso, são encarregadas pela estabilidade do solo, regularização do ciclo hidrológico e manutenção na qualidade das águas.

No que diz respeito a esta última, a mata ciliar é substancial naquilo que tange à redução do assoreamento e da força aquática que chega às represas, lagos e rios. Em outras palavras, esta manutenção é crucial para evitar o acesso e ingresso de poluentes na água, preservando, desse modo, a qualidade aquática.

De modo idêntico, a vegetação ciliar é responsável por produzir corredores que favorecem e colaboram com a conservação da biodiversidade. É por intermédio dela que são fornecidos abrigos e alimentos à fauna, estabelecendo bloqueios naturais contra a dispersão de doenças e pragas agrícolas.

Por outro lado, conforme seu crescimento avança, os dióxidos de carbono são absorvidos e fixados. Ou seja, a mata ciliar é incumbida de absorver um dos gases principais quando o assunto é mudança climática.

Mata ciliar

Onde são encontradas as matas ciliares?

As matas ciliares podem ser encontradas em todos os biomas do território brasileiro. Entre eles, podemos citar o pampa, o cerrado, a caatinga, o pantanal, as florestas amazônicas e a mata atlântica.

Devido a esta variedade de ambientes, a mata ciliar constitui uma vasta diversidade de flora e fauna.

O que causa a degradação nas matas ciliares?

A razão primária para a degradação nas matas ciliares são as pastagens. Em suma, nas estações mais secas, a umidade presente na beira de rios e várzeas é maior. Ou seja, suas pastagens são melhor desenvolvidas, apresentando uma opção muito procurada por fazendeiros.

De outro modo, podemos dizer que o desmatamento inconsequente é também uma causa preocupante na degradação da mata ciliar.

A região amazônica sofre continuamente com um processo de redução em sua vegetação. A causa disto está, em parte, na cultura de exportação e nas políticas de incentivo à pecuária.

O desmatamento das matas ciliares também conta com a participação de produtores. Em períodos de estiagem de chuva, de modo a aumentar a produção de água dos igarapés, produtores interferem na vegetação ciliar. Contudo, é importante realçar que pesquisas demonstram que, a longo prazo, essa prática sai pela culatra.

Com a redução da mata, ao invés de aumentar, o nível do lençol freático sofre reduções cada vez maiores. Ou seja, ao interferirem, os produtores estarão causando problemas à natureza e aos seus negócios através do rebaixamento no nível de água.

Por último, mas não menos importante, não podemos ignorar um fator de grande urgência que acarreta o desmatamento ciliar. No que tange às queimadas, as consequências são ainda mais críticas para o meio ambiente.

Afinal de contas, as queimadas não somente devastam a vegetação ciliar, como também causam o empobrecimento na qualidade do solo. É importante respeitar a natureza e preservar as matas ciliares, pois as consequências de seu desaparecimento seriam prejudiciais para todo o mundo.

Quais as consequências da redução de mata ciliar?

Infelizmente, o uso de solo e de áreas naturais para construções de hidrelétricas e loteamentos, bem como para pecuária e agricultura, contribui para a diminuição da vegetação natural.

Em alguns casos, o uso excessivo, desenfreado e irresponsável resulta na ausência completa de matas ciliares.

A maioria desconhece, entretanto, o que aconteceria se as matas ciliares fossem degradadas. Algumas das consequências dessa ausência estão listadas a seguir.

Mata ciliar

  • Água escassa

A ausência da vegetação ciliar promoveria a redução dos rios, córregos, riachos e nascentes.

Esse efeito seria consequência do escoamento da água pluvial (água da chuva) na superfície, impedindo a infiltração e a retenção de água no lençol freático. Logo, teríamos a escassez de água como consequência da falta de vegetação ao redor os rios, riachos, etc.

  • Assoreamento e erosão

A mata ciliar é uma barreira natural que retém a entrada de terra, ou seja, que detém o assoreamento. Sem a vegetação ao redor da água, nada haveria para bloquear a erosão das beiradas.

Em outras palavras, a terra seria carregada para o interior do rio, dificultando a entrada de luz solar e tornando as águas sujas e barrentas.

  • Disseminação de pragas

O desaparecimento ou diminuição das matas ciliares causariam enorme prejuízo para a economia das propriedades rurais. Isto porque a consequência da redução de vegetação protetora provocaria o aparecimento de doenças e pragas na lavoura.

  • Poluição nas águas

Como observado acima, o assoreamento dos rios é bloqueado pelas matas ao seu redor. Sem elas, a água não teria o efeito “ciliar” na limpeza. Com águas mais sujas, a qualidade das vidas aquáticas cairia drasticamente.

  • Queda na biodiversidade

Sem a formação natural de corredores da mata ciliar, ocorreria uma queda na biodiversidade. Afinal de contas, tanto a fauna quanto a flora seriam impedidas de se deslocarem e se reproduzirem, reduzindo, assim, a diversidade de animais e plantas na região.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo