Micose, doença causada por fungo, acomete várias partes do corpo

Inicio » Veterinária » Micose, doença causada por fungo, acomete várias partes do corpo
02/10/2020 Por
Micose, doença causada por fungo, acomete várias partes do corpo

Micose pode atingir tanto humanos quanto animais e ocorre em pessoas de todas as idades, mas é particularmente comum em crianças. Além disso, ocorre com mais frequência em climas quentes e úmidos, como o Brasil. A infecção de pele também pode afetar cães, gatos, cavalos e gado. Os animais, por sua vez, podem transmitir a infecção aos seres humanos.

Ademais, a micose é uma doença contagiosa e pode ser transmitida através do contato pele a pele ou pelo compartilhamento de pentes, roupas e outros itens de cuidados e higiene pessoais. Também é possível ser infectado com micose após entrar em contato com banheiros públicos ou superfícies de piscinas.

Micose

O que é micose?

Micose é uma infecção na pele causada por fungos semelhantes a bolores, que vivem nos tecidos mortos da pele, cabelos e unhas. Em suma, a micose pode atingir qualquer um desses lugares – chegando até mesmo ao couro cabeludo. Além disso, a doença atinge tanto humanos quanto animais como, por exemplo, vacas, touros e cavalos.

Sintomas da micose

De fato, os sintomas da micose são bastante perceptíveis. Em geral, o sinal revelador é uma mancha vermelha ou escamosa que coça. Com o tempo, a protuberância ganha a forma de um anel ou círculo. O interior da micose geralmente é claro ou escamoso. Além disso, a parte externa pode ser levemente elevada e irregular.

A micose no couro cabeludo tende a começar como uma protuberância ou ferida pequena. Conforme ganha uma textura escamosa, seu couro cabeludo pode ficar sensível e dolorido ao toque. Nesse caso, os cabelos costumam cair nos locais afetados.

Entenda melhor sobre os tipos de micose e seus sintomas a seguir.

Tipos de micose

  • Micose de unha

A micose de unha é uma infecção fúngica. Quando afeta as unhas, a infecção tende a ser chamada de “onicomicose”. A infecção fúngica das unhas as torna grossas, quebradiças, irregulares e mal cheirosas. Além disso, as unhas afetadas podem ser brancas, amarelas ou marrons.

Certas condições médicas que afetam a circulação aumentam o risco de onicomicose. Diabetes, doença vascular e obesidade são apenas algumas condições que aumentam o risco de infecção por fungos nas unhas.

Por exemplo, o uso de unhas postiças também está associado a um maior risco de onicomicose porque a superfície da unha é frequentemente raspada e preparada, tornando a unha suscetível à infecção.

  • Micose de pele

A micose de pele é uma erupção cutânea causada por uma infecção fúngica. Geralmente é uma erupção cutânea avermelhada, escamosa e circular, com a pele mais clara no meio. Um dos sintomas que acompanham a aparência da micose é a coceira.

Em suma, a micose leve geralmente responde a medicamentos antifúngicos aplicados diretamente na pele. Contudo, para as infecções mais graves, pode ser necessário tomar pílulas antifúngicas por várias semanas.

Micose

Micose em animais

A micose em animais também pode ocorrer em diversas espécies. Como exemplo, podemos citar cães, gatos, gado, ovelhas, cavalos, cabras, porcos, roedores, coelhos e pássaros.

Confira a seguir como é a infecção em cavalos e gado e como combatê-la.

Micose no gado

Micose no gado é uma das doenças de pele mais comuns em bovinos. Em resumo, essa infecção fúngica é uma doença de pele infecciosa e transmissível, causada com mais frequência por Trichophyton verrucosum, um fungo que forma esporos.

Os esporos podem permanecer vivos por anos e anos em um ambiente seco. Assim, ocorre em todas as espécies de mamíferos, incluindo gado e homem. Embora feias, as infecções por fungos causam poucos danos permanentes ou perdas econômicas. O contato direto com animais infectados é o método mais comum de espalhar a infecção.

Sintomas

  • Áreas cinzentas e esbranquiçadas na pele, com superfície acinzentada;
  • Contorno geralmente circular e levemente elevado;
  • Tamanho das lesões variáveis, pode ser discreto ou ganhar tamanhos maiores;
  • Nos bezerros, a infecção fúngica é mais comumente encontrada ao redor dos olhos, nas orelhas e nas costas;
  • No gado adulto, infecções que se concentram no peito e nas pernas são mais comuns.

Tratamento

Micose geralmente se cura sem tratamento, no entanto, isso pode levar até nove meses. Assim, o tratamento tópico, isto é, a aplicação do medicamento diretamente na lesão, é o procedimento usual.

Contudo, a medicação não pode penetrar nas crostas. Portanto, as crostas (escamas) devem ser removidas raspando ou lixando com uma escova de dentes. As lesões devem ser tratadas com pelo menos duas aplicações, com três a cinco dias de intervalo.

Prevenção

O local é uma importante fonte de fungos infecciosos. Ou seja, o controle eficaz da doença no gado só ocorrerá se o ambiente estiver adequadamente limpo e desinfetado. Isso deve ser feito em cada um dos alojamentos de animais.

Reduzir a densidade dos animais e o contato direto, além de aumentar a exposição à luz solar e manter estábulos secos, ajuda a impedir a propagação entre os animais.

Micose

Micose em cavalos

A micose em cavalos é transmitida de cavalo para cavalo pelo contato direto entre os animais, pelos equipamentos de tosa, pelos estábulos infectados e por outros itens compartilhados.

Os fungos podem permanecer na pele por até três semanas antes do desenvolvimento dos sinais clínicos, para que a doença possa se espalhar antes que haja sinais de infecção.

Muitas vezes, é um cavalo novo que introduz a condição. Animais mais jovens são mais propensos a serem afetados do que os mais velhos, embora animais muito velhos ou debilitados também sejam suscetíveis.

Como é tratada a micose em cavalos?

Se não tratada, a maioria dos casos de infecção fúngica cura “automaticamente” dentro de seis a doze semanas. Na maioria dos casos, é muito tempo para esperar, devido ao risco de se espalhar para outros cavalos.

Assim, o tratamento geralmente consiste em lavar ou enxaguar as áreas afetadas com soluções antifúngicas específicas. Existem várias disponíveis, mas nenhum produto curará com sucesso todos os casos. Por isso, pode ser necessário tentar dois ou mais tratamentos diferentes antes que um seja bem-sucedido.

A maioria dessas soluções é aplicada em duas ou mais ocasiões, separadas por uma semana ou mais. Além disso, é importante que todas as crostas e camadas escamosas sejam removidas antes da aplicação do tratamento para micose.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo