Ômega 3 faz bem para a saúde do coração e para o cérebro

Inicio » Agronegócio » Ômega 3 faz bem para a saúde do coração e para o cérebro
03/10/2020 Por
Ômega 3 faz bem para a saúde do coração e para o cérebro

Importante para a saúde, ômega 3 passou a ser reconhecido no mundo inteiro. Apontado pelos especialistas como um agente muito importante para evitar problemas de saúde, o ômega 3 ganha cada vez mais espaço no Brasil e no mundo. A substância removida do óleo de peixe é considerada uma “gordura boa” e pode auxiliar o corpo em uma série de necessidades. É importante conhecer todos os benefícios que os alimentos que contam com este elemento podem oferecer.

O ômega 3 começou a ser reconhecido por suas qualidades ainda na década de 1970, quando foram realizadas as primeiras análises de estudiosos. O elemento se mostrou extremamente eficaz no controle de doenças cardíacas e na saúde do cérebro, já que os pacientes analisados que mais ingeriam este item tinham uma dieta baseada em peixes.

Ômega 3

O que é ômega 3?

Ômega 3 é um ácido graxo essencial para o corpo humano, mas que não pode ser produzido por ele. Por isso, só pode ser consumido por meio da alimentação e da suplementação. Hoje, é um dos itens mais estudados, somando cerca de 30 mil publicações científicas. Boa parte delas discute o número de benefícios que esta gordura gera para a saúde.

Considerado um dos elementos mais importantes para o equilíbrio do organismo e o desenvolvimento das membranas celulares, o ômega 3 trabalha diretamente com as enzimas, fazendo com que toda a composição das células possa receber os nutrientes necessários. Dessa forma, o ácido graxo aparece como importante para a saúde dos olhos, do cérebro, do coração e do desenvolvimento do corpo.

Normalmente, o ômega 3 é dividido em três categorias. Os chamados ácidos eicosapentaenoico (EPA) e docosahexaenoico (DHA) possuem uma cadeia longa e costumam ser localizados nos peixes que habitam nas águas mais frias. É o caso do salmão, da anchova, do atum e do arenque. Algas marinhas e mariscos também podem apresentar a gordura na composição.

Já o ácido alfa-linolênico (ALA) está concentrado em elementos de origem vegetal, já que o corpo humano também não possui a capacidade de produzi-lo. Hoje, linhaça e chia são os alimentos mais conhecidos que possuem este adicional na composição. O ALA é um dos principais responsáveis na redução do risco de doenças cardiovasculares, controlando o risco de arritmias.

Ômega 3 na economia

Por se tratar de um elemento que atrai a atenção de todo o planeta, o ômega 3 também passou a ser extremamente valorizado no mercado. Mas é importante destacar que, hoje em dia, o ácido graxo não é encontrado somente em alimentos. Os comprimidos com a substância concentrada podem ser encontrados em várias lojas especializadas, sendo vendidos com um preço que varia entre R$ 25,00 e R$ 50,00.

A cápsula de ômega 3 está atraindo o interesse dos Estados Unidos para a realização de tratamentos. Segundo pesquisa da agência americana FDA, a substância pode ser importante na prevenção de problemas cardiovasculares. Mas para quem já apresenta problemas, o consumo do ácido graxo pode fazer com que os níveis de triglicérides possam ser controlados de forma eficiente.

Com o crescimento deste nicho, alguns alimentos passaram a ser extremamente valorizados no mercado. No entanto, o brasileiro continua consumindo alimentos ricos em ômega 3 por meio das opções mais acessíveis no mercado, capazes de trazer ganhos significativos para a saúde. Entre eles, podemos destacar a linhaça, a planta chia, a manteiga ghee, a sardinha, o atum, o salmão e as nozes.

Ômega 3

Benefícios do ômega 3

Entre os benefícios do ômega 3, é importante destacar a eficiência o item como bom anti-inflamatório, além de todo o suporte que traz para as células do organismo. O ácido é famoso por gerar um excelente funcionamento do cérebro, preservando a rapidez de raciocínio e a memória. Também é excelente para evitar doenças relacionadas ao cérebro e ainda potencializa a capacidade do aprendizado.

A capacidade de regular a corrente sanguínea também é um dos benefícios do ômega 3. Esse efeito é sentido na prevenção de doenças cardiovasculares e no controle da pressão arterial, fazendo com que todo o sistema funcione de maneira regular. Com o consumo constante, também é menor o risco do desenvolvimento de células cancerígenas.

Além disso, para que serve o ômega 3? Para reforçar a coagulação sanguínea, reduzir inflamações no corpo, combater a artrite, melhorar o sistema respiratório contra asma e alergias, diminuir os níveis de colesterol no organismo, tornar o sistema imunológico ainda mais eficiente e regular todos os níveis de testosterona, tornando o desenvolvimento muscular possível.

Pelo último motivo citado, os atletas recorrem ao ômega 3 enquanto investem na musculação. O consumo regular do ácido graxo faz com que o corpo apresente maiores condições de reforçar os músculos, além de trazer uma dose se disposição extra ao dia a dia de treinos. Ademais, é importante dizer que o elemento é muito eficiente no combate à depressão, o que também traz a necessidade de movimentação.

Ômega 3

Como tomar o ômega 3?

Ao passar em um nutricionista, ele poderá indicar se os alimentos ricos em ômega 3 não são suficientes para o seu desenvolvimento. Se houver a necessidade, ele poderá passar uma suplementação equilibrada para o seu organismo. É fundamental destacar que os níveis e quantidades devem ser prescritas pelo profissional, que vai avaliar as condições para que não aconteça uma sobrecarga.

Entre os critérios avaliados, citamos a estrutura corporal e a necessidade do organismo. Consumir em excesso pode trazer danos graves para a saúde. Por isso, também é importante citar que pessoas focadas no emagrecimento e que usam o ômega 3 para este fim não podem exagerar na dose. Apesar de auxiliar o organismo na queima de gordura, a presença também precisa de avaliação profissional.

Procure sempre consumir o ômega 3 intercalando as refeições, entre o café da manhã e o almoço, por exemplo. Também é importante que o consumo aconteça quatro horas antes ou quatro horas depois de um exercício físico. Dependendo da quantidade que o seu organismo necessita, as doses de ômega 3 podem fazer grande diferença durante o dia.

Fique sempre atento à periodicidade apontada pelo nutricionista. É por meio dela que você poderá equilibrar o consumo das cápsulas juntamente às refeições, sempre respeitando os horários. As atividades físicas também serão importantes para que os efeitos do ômega 3 possam ser notados no organismo. Tudo vai depender da sua disciplina.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo