Pimenta Carolina Reaper pode ser cultivada de várias maneiras

Inicio » Agricultura » Pimenta Carolina Reaper pode ser cultivada de várias maneiras
03/12/2020 Por
Pimenta Carolina Reaper pode ser cultivada de várias maneiras

Pimenta Carolina Reaper é um híbrido resultante do cruzamento de duas espécies do gênero Capsicum e uma das mais pungente do planeta. Ela figura na lista das pimentas nucleares e pode atingir 2.200.000 milhões na escala de Scoville.

Pimenta Carolina Reaper já é cultivada no Brasil e necessita da utilização de equipamentos de proteção durante sua manipulação.

Pimenta Carolina Reaper

O que é pimenta?

Pimenta é um fruto da espécie Capsicum, integrante da família Solanaceae e rico em capsaicina, componente ativo responsável por seu ardor.

O cultivo da pimenta é realizado nas Américas Central e do Sul há mais de 500 anos, principalmente no México pela civilização Asteca e Maia.

A princípio, a pimenta era utilizada como um condimento com a finalidade de conservar os alimentos como, por exemplo, as carnes de caça.

Mas, além disso, fornecia aos alimentos um sabor muito especial, sendo bastante apreciada pelos povos nativos da região.

Até então, a pimenta era cultivada apenas nas Américas. Mas, conforme registros, assim que Cristóvão Colombo desembarcou em terras latinas se interessou imediatamente pelo fruto.

Assim que partiu da América Latina, carregou com ele a pimenta, um dos maiores tesouros das antigas civilizações.

Sem dívida, o fruto exótico trazido das Américas, não só pelo seu aspecto, como também pelo seu sabor e aroma, passou a ser cultivado por todos os cantos do mundo.

Pimenta Carolina Reaper

A pimenta Carolina Reaper é um híbrido criado por Ed Currie, cultivador americano do estado da Carolina do Sul e aficionado por pimentas.

Atualmente, o criador da Carolina Reaper é proprietário da Pucker Butt Pepper Company e continua investindo cada ano mais em novos experimentos.

Durante vários anos o cultivador realizou diferentes cruzamos entre espécies de pimentas, resultando, enfim, em um híbrido com elevado ardor.

A Carolina Reaper, também chamada de HP22B, é resultante do cruzamento da Naga But Jolokia e da Habanero, ambas pertencentes à espécie Capsicum chinense.

Tanto a Naga B. Jolokia, também conhecida como Pimenta Fantasma, quanto a Habanero, possuem alto teor de capsaicina.

A capsaicina é o componente ativo presente nas pimentas e que determina seu grau de pungência, ou seja, o seu ardor.

O grau de pungência das pimentas é medido pela escala Scoville (SHU – Scoville Heat Units), criada por Wilbur L. Scoville, em 1912.

Assim, conforme o teor de capsaicina, os variados tipos de pimenta podem apresentar grau de ardência que varia do zero SHU, até 3.180.000 SHU.

Em seguida, descreveremos um pouco sobre as duas espécies de pimentas ardidas que o cultivador utilizou para criar a Carolina Reaper.

Pimenta Carolina Reaper

Pimenta Naga Bhut Jolokia

A pimenta Naga B. Jolokia também é um híbrido criado em Assam, na Índia e resultante do cruzamento de duas espécies: Capsicum frutescens e Capsicum chinense.

O híbrido Bhut Jolokia entrou para o Guinness, livro dos recordes, em 2007, ano em que foi considerada a pimenta mais ardida do mundo.

Além disso, também figura na lista das pimentas nucleares, pois atinge mais de 1.304.000 milhões SHU.

Os frutos da Bhut Jolokia, que também é cultivada no Brasil, são bastante grandes, podendo atingir mais de 8 cm de comprimento e apresentar diâmetro de até 2,5 cm.

Pimenta Habanero

A pimenta Habanero é nativa do Caribe e México e amplamente utilizada na gastronomia mexicana e caribenha.

Sua classificação na escala Scoville pode chegar a mais de 350.000 SHU, portanto, apresenta alto nível de pungência.

Mas, ao mesmo tempo, depois que seus frutos estão amadurecidos, apresentam sabor adocicado, além de serem bastante aromáticos.

Ainda, a Habanero possui um formato bastante singelo que lembra um lampião. Já sua cor sofre alterações durante o crescimento, passando pelo verde, laranja até atingir o vermelho.

Pepper X

A pimenta Carolina Reaper foi durante anos consecutivos eleita a pimenta mais ardida do mundo.

Entretanto, seu criador Ed Currie resolveu ser ainda mais ousado e investiu longos 10 anos em pesquisas para que um novo híbrido fosse ainda mais pungente.

O cruzamento de várias espécies de pimentas resultou no híbrido que batizou com o nome de Pepper X.

A Pepper X chega a atingir 3.180.000 SHU, superando a Carolina Reaper, a Trinidad Moruga Scorpion e a 7 Pot Douglah, as três primeiras maiores pimentas picantes do planeta.

O cultivo da Pepper X, entretanto, ainda é realizado somente por seu criador. Assim, tanto suas sementes quanto seus frutos não podem ser comercializados.

Entretanto, para aqueles que querem experimentar o sabor e o ardor da Pepper X, o molho preparado com ela está disponível para compra.

Pimenta Carolina Reaper

Tipos de pimenta ardida

O cultivo de várias espécies de pimenta, conforme registros históricos, remota há mais de 7.000 séculos a.C.

A princípio, os frutos eram utilizados como conservantes de alimentos, mas, ao mesmo tempo, para dar aroma e sabor.

Além disso, várias espécies também eram utilizadas para tratar determinadas doenças, bem como serviam de analgésico.

Isso porque, a capsaicina, componente ativo responsável pelo ardor da pimenta, quando ingerida pelo homem, libera endorfina, hormônio que reduz as dores.

Além disso, o hormônio também promove sensação de euforia e prazer, melhorando consideravelmente o humor.

Dessa forma, quanto mais alto o nível de capsaicina presente na pimenta, maior será sua pungência e, consequentemente, mais rapidamente o organismo reagirá enviando impulsos ao cérebro.

Aliás, o nível de capsaicina presente nas pimentas está ligado diretamente as condições climáticas e de solo em que são cultivadas.

Mas não só isso, como também o período de exposição ao sol, tipos de adubo, além do processo de colheita e secagem dos frutos.

Listaremos, em seguida, 5 tipos de pimenta ardida, bem como seu grau de pungência dentro da escala Scoville.

Para que seja possível avaliar a ardência dessas pimentas, a malagueta, por exemplo, considerada muito picante para alguns, atinge entre 60.000 a 100.000 SHU.

  • 1ª: Pepper X, 3.180.000 SHU;
  • 2ª: Carolina Reaper, 2.200.000 SHU;
  • 3ª: Trinidad Moruga Scorpion, 2.009.231 SHU;
  • 4ª: 7 Pot Douglah, 1.853.936 SHU;
  • 5ª: Trinidad Scorpion Butch T, 1.463.700 SHU.

A pimenta Carolina Reaper pode ser cultivada em canteiros, além de vasos e jardins. Assim como outras espécies, necessita de luz solar direta, solo fértil e com ótima drenagem. Entretanto, não só para manipular as sementes, como também os frutos, o uso de óculos, máscara e luvas é recomendado para evitar que a ardência das pimentas atinja quem as manipula.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo