Pó de rocha é ótimo substituto para adubação química

Inicio » Agronegócio » Pó de rocha é ótimo substituto para adubação química
29/10/2020 Por
Pó de rocha é ótimo substituto para adubação química

O uso do pó de rocha reduz custos e gera renda. No ano de 2016, foi feita a regulamentação do seu uso como substituto dos adubos químicos. Assim sendo, esse novo método além de gerar novas fontes de renda, contribui para o aproveitamento de um subproduto das pedreiras.

Além disso, o pó de rocha ainda reduz custos, o que traz uma série de benefícios tanto para o produtor rural como para a indústria pedreira. Por conta disso, esse novo produto vem ganhando cada vez mais popularidade entre o meio agrícola.

Pó de rocha

O que é pó de rocha?

Pó de rocha é um subproduto das pedreiras, ou seja, é o material que sobra na produção de pedras e que teria que ser descartado ou reaproveitado. Dessa maneira, o uso do pó de rocha como adubo otimiza ainda mais o processo da produção pedreira.

Além disso, esse uso do pó de rocha também diminui custos para o produtor agrícola, que, se usar de maneira correta, pode diminuir os custos de adubação em até 20%. Nesse caso, tanto a indústria pedreira quando o produtor agrícola ganham.

Para melhor compreender o que é este pó, é necessário saber que não basta pegar o subproduto de qualquer produção e lançar no solo de qualquer maneira. Assim sendo, para que o uso seja realmente benéfico para o solo, é necessário que alguns pontos sejam observados.

É preciso ter conhecimento e informação sobre esse produto e sua aplicação para que se possa ter resultados positivos. Dessa forma, é preciso saber se o pó de rocha em questão possui os minerais que o solo necessita que sejam repostos, contando com o trabalho de fungos e bactérias.

Segundo os dados da ANDA (Associação Nacional para Difusão de Adubos), cerca de 54% do fósforo e mais de 90% do potássio usados em nosso país foram importados. Em síntese, esse é o motivo que faz o pó de rocha ser uma boa alternativa.

O uso do pó de rocha

Para entender para que serve o pó de rocha, é necessário compreender melhor as necessidades dos produtores e a forma mais efetiva do seu uso. Visto que os solos brasileiros, em maior parte, são considerados ácidos e possuem escassez de nutrientes.

Por conta disso, minerais como potássio, magnésio, fósforo e cálcio são raros em solo brasileiro; e isso faz com que seja necessário o uso de fertilizantes químicos e corretivos. Grande parte desses minerais faltantes precisam ser trazido de outros países, conforme mencionado anteriormente.

O uso do pó de rocha na agricultura veio como uma alternativa, oferecendo possibilidades de diminuir custos e fomentar o mercado interno. As FAN (Fontes Alternativas de Nutrientes) são consideradas uma opção extra na mão do produtor.

Nesses casos, minerais como o enxofre, o potássio e também o fosfato são subprodutos da mineração, e podem ser aproveitados. Da mesma forma, o calcário dolomítico resulta desses processos e pode ser usado na agricultura como corretivo para a acidez do solo.

Para que o pó de rocha para agricultura demonstre resultados positivos, é necessário que o produtor conheça bem a formação do seu solo. Desse modo, será possível saber qual exatamente o pó de rocha que deverá ser usado em determinada plantação.

Pó de rocha

Conhecimento sobre o pó de rocha

É necessário contar com o apoio da Embrapa na hora de analisar esse pó. Nesse sentido, a amostra do material deve ser enviada ao Canadá para uma análise científica, garantindo que o pó de rocha não está contaminado com metais pesados e é próprio para uso.

Além disso, é necessário que o produtor contate pesquisadores para uma consultoria sobre o uso desse material. Dessa forma, serão incluídos exatamente os minerais que o solo precisa para uma produção efetiva e permanente.

O pó de rocha fosfatada é um belo exemplo de mistura entre pó de rocha e adubo fosfatado. Dessa forma, obtém-se um produto mais completo para o tratamento do solo. As possibilidades são infinitas, apesar de faltarem pesquisas no mercado brasileiro.

Com o uso do pó de rocha, além de valorizar o mercado nacional e cortar custos para o produtor rural, ainda assim se está contribuindo para a preservação do meio ambiente. Além disso, a presença do silício no produto também fortalece a resistência das plantas a pragas e enfermidades.

O produtor que pretende iniciar o uso de pó em sua produção deve inicialmente entrar em contato com a Embrapa, já que esse é o órgão responsável por informar a formação geológica. Assim sendo, o produtor precisará investir em pesquisas sobre a sua necessidade.

Inicialmente o investimento é alto, mas na medida que esse uso for se popularizando, o retorno será mais rápido e o custo menor. Portanto, é preciso que o produtor brasileiro queira expandir os horizontes caso queira se beneficiar desse novo produto na sua produção.

Pó de rocha

Para que serve o pó de rocha?

O uso de pó, além de ser benéfico economicamente, também é positivo para o meio ambiente, visto que esse método se utiliza da terra para fertilizar a própria terra. Dessa forma, torna-se viável o equilíbrio de todos os ecossistemas presentes.

Alguns minerais como o dacito são ricos em potássio, o xisto é um potencializador da disposição de nutrientes encontrados em outras rochas e o fonolito, que contém igualmente cloreto de potássio são exemplos de rochas que podem ser aproveitadas nesse processo.

Segundo alguns produtores que já utilizam o pó, o ponto mais marcante é a redução de custos. Isso porque inicialmente o pó de rocha tem um custo similar ao dos fertilizantes químicos, porém esse novo produto não necessita de adubações recorrentes.

Após estar no solo, o pó de rocha pode levar alguns anos para se diluir completamente, e assim sendo; apresenta uma duração e rentabilidade maior se comparado com os químicos. Além disso, a terra vai se tornando mais “vívida”, já que o produto é natural.

Isso também afeta a conservação das sementes, já que o solo fertilizado naturalmente permite que bactérias e fungos naturais voltem equilibrar a qualidade do solo. O pó de rocha possui inúmeras vantagens, e a projeção é que seu uso se expanda mais nos próximos anos.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo