Recria é a fase que vai da desmama até a fase de engorda

Inicio » Pecuária » Recria é a fase que vai da desmama até a fase de engorda
02/12/2020 Por
Recria é a fase que vai da desmama até a fase de engorda

A recria é o ciclo mais extenso do gado de corte. Na pecuária nacional, existem três tipos de fases na criação bovina: a cria, a recria e a engorda. Da mesma forma, essas fases citadas existem na criação suína. Em cada tipo de criação, esse período possui as suas particularidades, sendo a dos suínos relativamente menor.

Assim como a cria, a recria é uma fase de grande importância na criação dos animais, visto que um animal mal cuidado nas fases iniciais certamente poderá apresentar dificuldades na fase da engorda e até mesmo na sua saúde de um modo geral.

Recria

O que é recria?

Recria é a segunda fase da criação e produção pecuária, sendo que compreende o período entre a cria e a engorda. Entretanto, na recria de gado, esse período pode ser de 12 meses, e dependendo da espécie pode exigir um tempo superior aos 24 meses.

Dessa forma, o tempo dessa fase pode ser relativamente inferior no caso dos suínos, já que pode ter uma duração menor do que 30 dias, compreendendo o período entre 2 a 3 meses de vida do animal. Essa fase na criação suína também é chamada de “creche”.

As fases de cria e recria possuem grande importância na pecuária – isso porque é justamente nessas fases que os animais se desenvolvem. Assim sendo, os cuidados aplicados nessas duas fases vão impactar diretamente na fase de engorda, e isso influencia diretamente na produtividade.

Um animal bem cuidado na cria e também na fase de recria certamente apresentará uma engorda mais efetiva, além de ter uma saúde mais forte e maior resistência a doenças. Da mesma forma, um animal que deixa essa fase com um peso bem desenvolvido alcançará o peso ideal na engorda facilmente.

Existem algumas medidas que devem ser tomadas visando garantir o maior desenvolvimento do animal nessa fase. Para melhor compreender o que é recria, é necessário observar os detalhes desse processo, inclusive lembrando que entre gados, novilhos e suínos existem pontos particulares. Esse é basicamente o significado de recria.

Recria a pasto

Essa é uma maneira de recria que pode apresentar uma forma mais lucrativa na criação e produção de animais. Isso porque com a recria a pasto é possível que o pecuarista possa aumentar e antecipar o fluxo e giro de caixa.

Dessa forma, é eliminada uma fase na criação, possibilitando que a recria seja o período final e a partir dela se possa comercializar diretamente ou encaminhar o animal para um processo de engorda confinado. Tal processo pode ser conduzido pelo próprio comprador.

No entanto, essa forma de recria pode diminuir o lucro por animal, já que a venda acontece antes do alcance de um determinado peso. Em contrapartida, os lucros podem ser maiores, visto que isso aumenta o giro de estoque.

É necessário que o produtor analise muito bem as variáveis de mercado. Desse modo, será possível tomar a melhor decisão, levando em consideração a área disponível, a produtividade alcançada e até a demanda de mercado.

Com um estudo de viabilidade financeira, será possível saber se essa é uma boa opção para a recria de bovinos de corte.

Recria

Veja agora algumas das possíveis vantagens de se utilizar da recria a pasto:

  • Aumento do giro de estoque;
  • Maior capacidade de alimentação com o pasto;
  • Diminuição da carga em secas;
  • Possibilidade de foco e aumento dos resultados.

Conforme mencionado acima, a recria de bezerros pode demandar uma quantidade menor de alimento quando se utiliza dessa modalidade a pasto. Isso porque um animal mais jovem irá consumir menos alimento, já que o animal consome diariamente 2,5% de seu peso.

Tal alternativa pode aumentar a capacidade de criação do pecuarista em até 28%, já que seu rebanho irá comer menos do que na fase da engorda. Além disso, o produtor poderá estocar menos massa de forragem e consumir menos água nas secas.

Observações sobre a recria

Essas vantagens citadas acima são exclusivas para o caso de recria de bovinos, visto que esses consomem maior quantidade de alimentos que os suínos. Os suínos possuem uma alimentação mais vasta, seja com rações, milho, farelo de soja e até outros grãos.

Por conta disso, a recria e engorda suína não sobrecarregam o solo e a produção de pasto, tal qual acontece com os bovinos. Além disso, esse período no caso dos suínos é relativamente menor, durando cerca de 20 a 25 dias.

Dessa forma, a recria de novilhas é que se beneficia com a modalidade a pasto. O foco de um pecuarista na recria a pasto irá favorecer o controle e a maior autonomia de seus recursos naturais e físicos, fazendo com que a produtividade atinja uma margem de lucro maior.

Na recria suína, as três fases também são encontradas. A fase de cria é igualmente chamada de Unidade de Produção, a fase de recria é conhecida como Unidade de Creche e a fase de engorda é chamada de Unidade de Terminação.

Na recria de gado de corte, os animais só são encaminhados para a fase final de engorda quando atingem um peso médio de 350 quilos vivos. Do mesmo modo, essa fase tem como objetivo fortalecer o animal e, para isso, se utiliza de suplementos alimentícios.

Recria

Parasitas e doenças

É na importante fase da recria que se protege o animal de eventuais enfermidades que podem prejudicar muito a produção. Para isso, os suplementos como o sal mineral, o sal proteinado e também a virginiamicina são utilizados.

Além de outros suplementos disponíveis no mercado, o objetivo é livrar o rebanho de uma possível perda de peso na fase de engorda, de ataques de parasitas como o carrapato, a mosca de chifre e os bernes. A saúde do animal é impactada diretamente nessa fase.

Vale lembrar que, nesse período, os animais também podem ser acometidos pela diarreia. Essa doença pode ocorrer por conta de um ambiente inadequado e mal higienizado. Da mesma forma, a imunidade baixa dos animais pode favorecer o aparecimento dessa doença.

Os sintomas podem ser percebidos facilmente, sendo as fezes como maior indicativo. Além disso, sinais físicos como rabo levantado, focinho seco e até cólicas, por exemplo, podem ser percebidos no animal. Essa é uma doença com alta taxa de mortalidade no período da recria.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo