Romã é comum no Mediterrâneo Oriental e no Oriente Médio

Inicio » Agricultura » Romã é comum no Mediterrâneo Oriental e no Oriente Médio
16/06/2020 Por
Romã é comum no Mediterrâneo Oriental e no Oriente Médio

Fruta que pertence à várias superstições, a romã tem sabor incrível

A romã é uma fruta de origens antigas que cresce no Oriente Médio, Ásia, região mediterrânea dos EUA e no Brasil. Foi introduzida no Egito pela Síria e por Israel por volta de 1600 a.c. Na Bíblia, a túnica do sumo sacerdote era adornada com romãs.

Na mitologia grega, a romã é chamada “fruto dos mortos”. Foi ela quem levou Perséfone a passar sete meses por ano no submundo. Hoje, o fruto é consumido em uma ampla variedade de formas doces e salgadas, incluindo fresco, seco e suco.

Romã

O que é romã?

Romã é uma fruta redonda, marrom-avermelhada, com a casca exterior dura. Ela cresce em árvores semelhantes a arbustos e é tipicamente similar em tamanho a uma laranja.

O interior de uma romã consiste em um mesocarpo branco e polpudo que envolve pequenas sementes. As sementes são do tamanho de grãos de milho e contêm um suco vermelho brilhante. Elas são a única parte comestível da fruta, com cada romã contendo centenas de sementes.

As romãs tendem a ser caras quando comparadas em peso a outras frutas, como maçãs e bananas. Tanto a fruta quanto o suco são usados ​​para uma longa lista de pratos, sendo também um ótimo corante natural eficaz.

A fruta romã

A fruta romã é uma das mais saudáveis ​​do mundo. Ela contém muitos benefícios para a saúde, não sendo à toa que foi apelidada de fruto divino.

Essa fruta tem propriedades antivirais, antioxidantes e antitumorais e é considerada uma boa fonte de vitaminas, especialmente Vitaminas A, C e E e ácido fólico.

Consumir uma fruta romã também reduz os riscos de todos os tipos de doenças.

Como plantar romã?

As sementes de romã geralmente germinam com bastante facilidade. Siga as dicas abaixo para saber como plantar romã:

  • Para obter melhores resultados, plante as sementes em ambientes fechados durante o inverno. Assim, elas terão alguns meses para crescer antes da estação de plantio na primavera;
  • Retire algumas sementes e lave-as em água fria, depois esfregue-as com uma toalha de papel para remover a polpa;
  • Deixe as sementes secarem por alguns dias para evitar que apodreçam;
  • Plante as sementes com profundidade não muito grande;
  • Coloque o vaso em uma janela quente e ensolarada;
  • Mantenha o solo úmido à medida que suas sementes vão germinando e crescendo;
  • Para aumentar a umidade e o calor durante o inverno, é possível cobrir o vaso com um saco plástico transparente até as sementes germinarem;
  • Quando o clima esquentar na primavera, mova as mudas permanentemente para o exterior.

Romã

As propriedades do chá de romã

O chá de romã é uma bebida rica em antioxidantes e nutrientes, por isso é altamente recomendável para melhorar a saúde.

Sendo um fruto com importantes propriedades curativas, o chá contém flavonoides que ajudam a prevenir:

  • Doenças cardiovasculares;
  • Envelhecimento;
  • Alguns tipos de câncer.

Além disso, o chá de romã possui potássio, que protege o sistema circulatório, e pequenas quantidades de fósforo, magnésio e cálcio.

Seu baixo teor de sódio o torna aconselhável em casos de pressão alta e retenção de líquidos. Da mesma forma, sua ingestão é aconselhável em dietas de emagrecimento, devido à baixa ingestão calórica.

Em suma, seu consumo regular trata inflamações da mucosa no sistema digestivo e intestinal.  Nesta linha, a raiz, em infusão, também é um poderoso vermífugo.

Para fazer o chá, é preciso:

  • 10 gramas de casca da romã;
  • 200 ml de água.

O preparo é simples. Deve-se colocar a água para ferver e acrescentar a casca. Em seguida, é preciso abafar o chá e desligar o fogo, deixando assim por cerca de 10 minutos. Logo após, deve-se coar e tomar morno por até 3 vezes ao dia.

Os benefícios da romã

Os benefícios da romã são inúmeros. Esta fruta incrível contém três vezes mais antioxidantes que o vinho ou o chá verde. Consumir romã regularmente pode auxiliar com:

  • proteção dos radicais livres: como já citado, a fruta é rica em antioxidantes, portanto, protege nosso corpo dos radicais livres, responsáveis ​​pelo envelhecimento prematuro;
  • diluição do sangue: os antioxidantes presentes na romã atuam como um “refinamento para o sangue”. Assim, as sementes impedem que as plaquetas formem coágulos;
  • prevenção da aterosclerose: com o aumento da idade, bem como do tipo de estilo de vida, as paredes das artérias ficam mais duras devido ao colesterol, resultando em bloqueios. A propriedade antioxidante da romã impede a oxidação do colesterol ruim;
  • prevenção da artrite: a fruta pode reduzir os danos da cartilagem, combatendo a enzima que o faz. A romã também tem a capacidade de reduzir a inflamação;
  • combate doenças cardíacas e câncer de próstata: estudos afirmam que o suco de romã tem a capacidade de combater o câncer de próstata. Um experimento mostrou também a capacidade de diminuir o crescimento e até matar células cancerígenas;
  • baixa na pressão sanguínea: o ácido púnico é um dos principais constituintes da romã. Ele auxilia na diminuição do colesterol, triglicerídeos, assim como na pressão sanguínea;
  • digestão: adicionar a fruta à dieta diária pode ser uma das melhores maneiras de incluir fibras na rotina de alimentação. Uma romã contém 45% de sua ingestão necessária recomendada de fibra;
  • aumento da imunidade: por serem ricas em compostos anti-inflamatórios, as romãs são extremamente saudáveis ​​para aqueles que sofrem de distúrbios relacionados ao sistema imunológico, como artrite reumatoide e osteoartrites;
  • redução dos níveis de estresse: além de reduzir o estresse oxidativo interno do corpo, essa fruta também ajuda a diminuir o estresse psicológico da vida pessoal e profissional.

Romã

Os perigos da romã

Comumente, não há maiores problemas, mas pode ser que os perigos da romã venham a surgir quando consumida em excesso. A maioria das pessoas não experimenta efeitos colaterais, mas pode ser que um indivíduo ou outro tenha reações alérgicas.

O extrato, usado topicamente, pode proporcionar sensibilidade não só na pele, mas também respiratória, incluindo:

  • Coceira,
  • Inchaço,
  • Coriza;
  • Dificuldade em respirar.

Já a raiz pode ser mais perigosa que suas outras partes, pois contém pequenas quantidades de veneno.

Para mulheres grávidas, bem como lactantes, não existem informações confiáveis ​​suficientes sobre a segurança do uso. A recomendação é que seja comunicado com o médico antes de qualquer ingestão da romã.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo