Carrapato é agente responsável pela transmissão da babesiose bovina

Inicio » Veterinária » Carrapato é agente responsável pela transmissão da babesiose bovina
01/07/2019 Por
Carrapato é agente responsável pela transmissão da babesiose bovina

Carrapato pode provocar doenças graves em animais e humanos

O carrapato é um inseto pequeno e chato, capaz de transmitir uma doença infecciosa provocada pelos hemoparasitas que promovem o ataque sanguíneo dos animais e levam à morte. Estes insetos, de forma rara, fazem a contaminação de gatos e humanos, porém não se trata de algo impossível.

A doença do carrapato pode surgir de duas maneiras: a erliquiose que é o elemento bacteriano; e a babesiose, uma substância protozoária. Estes dois micro-organismos diferenciados costumam atacar os elementos celulares distintos. Geralmente, eles provocam condições similares. É muito comum que o problema infeccioso acometa as juntas. Isso significa que o inseto fará a transmissão de ambos os problemas para o animal doméstico.

Carrapato

O que é a doença do carrapato?

A doença do carrapato mais conhecida é a erliquiose; que tem os cães como principais vítimas e ainda não disponibiliza qualquer tipo de vacina. Contudo, existem modos de preveni-la. Esse problema está associado a hábitos higiênicos em que o animal está transitando.

Os principais sintomas da erliquiose aparecem posteriormente ao ataque dos glóbulos brancos do animal, que tem, então, seu sistema de defesa destruído. Eles são os seguintes:

  • febre;
  • perda do peso;
  • falta de apetite;
  • ou assintomática.

Já em relação a babesiose, o que acontece é que o protozoário promove o ataque dos glóbulos vermelhos, que fazem o oxigênio circular pelo sangue. Os sintomas são os mesmos que os da erliquiose.

Babesiose bovina

Trata-se da TPB, tristeza parasitária bovina, que se caracteriza por ser um complexo de doenças que corresponde a dois tipos de doenças:

  • babesiose, provocada pelo Babesia bovis e o Babesia bigemia;
  • anaplasmose, provocada pela Anaplasma marginale.

Estes elementos nocivos causam imensos prejuízos à economia, fazendo com que o rebanho se perda, refletindo em produção leiteira que decai, a redução do aumento do peso dos animais, bem como gastos maiores com profilaxia e controle.

Essa transmissão acontece de forma biológica pelo inseto Rhipichephalus microplus, e de forma mecânica, no caso da anaplasmose, pelos insetos hematófagos e a contaminação de fômites.

Mesmo que essas condições se caracterizem parasitas de mesmo elemento celular do sangue e, em diversos casos, possibilitem a apresentação da infecção concomitante, é imprescindível lembrar que ambas são patologias distintas. O que acontece é que a infecção é provocada pela multiplicação e desenvolvimento das babesias, bem como anaplasmas em elementos celulares do sangue.

Carrapato

Tipos de carrapato

Existem, pelo menos, uns seis tipos de carrapato que se destacam dentre a natureza. Veja a definição de alguns dos principais para a agricultura e as principais doenças que causam.

Carrapato estrela

Essa versão do inseto é responsável pela febre maculosa do Brasil. A transmissão acontece por este ou, ainda, pelo carrapato micuim que tenha infecção pelo elemento bacteriano Rickettsia rickettsii. O inseto hematófago pode estar disponível em animais de grande porta como cavalos e bois, bem como aves, cães e roedores.

Para que exista a transmissão desse problema, o inseto com a infecção necessita estar, no mínimo, 4h em fixação na pele dos indivíduos.

Carrapato marrom

Nos cães, o tipo mais comum do inseto é o carrapato marrom. Ele é capaz de subir no animal, fixar-se e fazer a transmissão da doença. Logo que isso acontece, é preciso ir atrás de tratamento o quanto antes. Ele se adapta a ambientes urbanos e pode estar disponível dentro de casas.

Quando abandona o hospedeiro, o carrapato fêmea necessita de apenas uns dias para depositar seus ovos. Eles se escondem em lugares altos, com pouca luz e sem umidade, como rodapé, frestas, quadros e estrados.

Carrapato vermelho

O carrapato vermelho é bem comum entre gatos e cachorros. Têm fixação nesses bichos domésticos e transmitem doenças. O inseto também se adapta a regiões urbanas e em casas. Por isso, para tratar efetivamente a praga, o essencial é fazer o controle do local e dos bichos de estimação.

As substâncias utilizadas para limpeza não têm a capacidade de exterminação desses insetos e, portanto, a infestação do animal não significa que o local está mal higienizado, por exemplo.

Como eliminar carrapatos?

Existem outras patologias muito graves que têm transmissão pelo inseto, em questão. Elas prejudicam de forma grave os animais e as pessoas. Ela se chama doença de Lyme. Os sinais fazem a inclusão de manchas em tom vermelho pela pele, dores nas juntas e modificações no sistema neurológico. Além dessa, como citado anteriormente, a febre maculosa, que provoca dores de cabeça, no corpo e febre, bem como inchaço dos pés e das mãos.

Para se livrar dessa praga, é preciso fazer uso de algumas alternativas como o uso de sabonetes e shampoos. Estes produtos têm elementos antiparasitas que precisam ter uso doméstico.

Pipetas

Um modo efetivo de eliminar o carrapato são as pipetas. Elas são caracterizadas por bisnagas pequenas com inseticida que, após contatar a pele dos animais, espalham-se pelo corpo inteiro. São capazes de matar carrapatos e pulgas que estejam ali, e impedem que os ovos tenham desenvolvimento.  Eles agem em até 48h e sua ação tem duração, de modo geral, por 30 dias.

Drágeas

Existem tipos diferenciados dos comprimidos. Alguns podem ser mastigados e demoram aproximadamente 12h para surtir a ação. O tempo do efeito tem variação de 30 a 60 dias. Há, ainda, uma versão das drágeas para tratar situações emergenciais, que duram 24h. Portanto, precisa ter associação a demais tratamento a longo prazo: coleiras, pipetas ou comprimidos.

Carrapato

Carrapato prejudica o agronegócio

Em relação à agropecuária, por exemplo, os carrapatos que mais prejudicam bovinos e equinos são os da espécie Dermacentor nitens, que dá preferência a fixação na região das narinas, cauda, crinas e orelhas dos bichos.

O carrapato estrela mencionado anteriormente, que acaba se distribuindo pelo corpo inteiro dos bichos, é também responsável pela associação a doenças de babesia e demais problemas nocivos ao universo agro.

O carrapato da espécie A. Cajennense dá preferência aos cavalos e éguas, mas pode, também acometer outros animais, bem como humanos. É possível que sobreviva por muitos meses e tem necessidade de obter 3 hospedeiros para completar o ciclo de sua vida. Desse modo, é capaz da disseminação de elementos que causam as patologias da febre maculosa e demais, que fazem parte das zoonoses mais pesquisadas no país.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo