Solo humoso contém muito material orgânico em decomposição

Inicio » Meio Ambiente » Solo humoso contém muito material orgânico em decomposição
28/03/2020 Por
Solo humoso contém muito material orgânico em decomposição

O solo humoso é altamente fértil, contendo muitos materiais orgânicos

O solo, de modo geral, é formado como a consequência de fragmentações e alterações químicas de rochas e o subsequente estabelecimento de certos microrganismos responsáveis por colonizar os minerais. Dessa forma, eles liberam os nutrientes que precisam para o seu crescimento, viabilizando a formação de vegetais. Com o solo humoso, isso não é diferente.

Segundo a composição dos materiais das rochas de origem e das ações exercidas pelos organismos e pelo clima sobre esses materiais, os solos são formados com diferentes características. Enquanto uns são mais férteis – caso do solo humoso – outros não se mostram ricos em nutrientes.

Solo humoso

O que é solo humoso?

Solo humoso é também chamado de “solo orgânico”. A categoria dos solos humosos inclui aqueles que demonstram aparências mais escuras, indicando a vasta presença de matérias orgânicas (ou “húmus”), sobretudo nutrientes e o nitrogênio.

Solo humoso e o húmus

A atuação do húmus liga os minerais presentes do solo, modificando sua porosidade, logo, elevando sua capacidade de reter as águas. Uma das mais importantes características do solo humoso pode ser encontrada em seus altos índices de fertilidade que, via de regra, viabilizam condições excelentes para o crescimento saudável das plantas.

Quais são os tipos de solo, além do solo humoso?

Os solos são as mais superficiais camadas da crosta terrestre, conhecida popularmente como “terra”. Eles possuem enorme importância para os seres humanos, à medida que se trata de um elemento crucial para o adequado desenvolvimento de inúmeras ações, principalmente, de natureza agropecuária.

Os solos se formam com a decomposição de distintos tipos de rochas que, ao longo do tempo a atuação de diferentes influências externas (como as exercidas pela argila, silte, areia fina, areia grossa e cascalhos) que se acumulam junto à superfície da terra, acrescidas de matérias orgânicas.

Uma vez que são formados tendo por base diferentes condições naturais (vegetação, umidade, relevo e clima), processos e rochas, há variados tipos de solo, cada qual apresentando variações quanto à quantidade de matérias orgânicas, porosidade, coloração, textura e demais aspectos.

Há solos que são mais arenosos (isto é, com altas quantidades de areia), siltosos (altas quantidades de silte), argilosos (altas concentrações de argila), orgânicos (como o solo humoso, isto é, com altas quantidades de matéria orgânica), entre outros.

Nosso país, devido à sua vasta extensão territorial, conta com diferentes tipos de solo. Caso observarmos as diferentes paisagens do Brasil, notaremos que os nossos solos têm texturas e cores diferentes em cada local observado. Entre os principais tipos, destacam-se:

  • Espodossolos;
  • Latossolos;
  • Argissolos;
  • Neossolos;
  • Plintossolos;
  • Gleissolos;
  • Planossolos;
  • Organossolos;
  • Vertissolos;
  • Cambissolos.

Vejamos, em seguida, mais detalhes sobre cada um deles.

Solo humoso

10 tipos de solo, além do solo humoso

Espodossolos

Os espodossolos são arenosos, sem muitos nutrientes e geralmente ácidos (o que é prejudicial às plantas existentes em sua camada superficial). Afinal de contas, o horizonte mais rico em matérias orgânicas nesses tipos de solo é o B.

Eles são muito encontrados nos estados do Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Bahia, Sergipe e Alagoas, bem como certas regiões litorâneas, no Centro-Sul de Roraima e na Amazônia Ocidental.

Latossolos

Estes são os mais abundantes solos no Brasil, atingindo por volta de metade da extensão territorial do país. Além de intemperizados e muito antigos, apresentam grande profundidade, porosidade e permeabilidade.
São mais comuns em regiões planas que passam pelo processo de calagem (a aplicação de cal nos solos para controlar a acidez) e práticas de adubação. A realização desses procedimentos permite que os latossolos sejam muito produtivos.

Argissolos

Caracterizando-se pelo acúmulo de argila em uma de suas camadas (chamada de “horizonte B”), os argissolos contam com certas variações de cor (entre amarelo e vermelho), bem como baixas concentrações de matérias orgânicas.

Após os latossolos, este é o tipo mais encontrado no Brasil, ocorrendo em praticamente todos os estados, principalmente em vertentes (áreas inclinadas) e áreas planas. A depender dos materiais de origem, os argissolos podem ser pobres ou ricos para a agricultura. São muito suscetíveis às erosões, especialmente em regiões mais inclinadas.

Neossolos

São pouco profundos, com baixas concentrações de matérias orgânicas e jovens. Ademais, apresentam grande quantidade de rochas não intemperizadas e cascalhos.

Os neossolos são bastante comuns em áreas de grande inclinação, possuindo baixo potencial agrícola, devido aos altos declives e as mencionadas grandes concentrações de cascalho.

Plintossolos

Os plintossolos têm grandes concentrações de ácido e ferro, características típicas de zonas muito úmidas e quentes. Esse solo é encontrado, geralmente, nas regiões norte e central do Brasil, no Maranhão e no Piauí.

Solo humoso

Gleissolos

Muito presente em regiões de planícies pluviais e áreas costeiras de todo o país, além de Cáceres, no Mato Grosso, localidade banhada pelo célebre Rio Paraguai, o gleissolo destaca-se por sua coloração acinzentada. Essa peculiaridade deve-se ao fenômeno da lixiviação (ou lavagem) dos minerais, devido ao contato permanente com as águas da chuva, dos lagos e dos rios.

Planossolos

Os planossolos são pouco profundos e possuem camada superficial (o horizonte A) bastante arenosa. O horizonte B (ou seja, seu interior) é muito rico em argilas compactadas.

Eles são comuns em várzeas, em depressões ou em áreas planas. Esse solo, no Brasil, é muito encontrado no Nordeste, no Pantanal e no Rio Grande do Sul.

Organossolos

Geralmente ácidos, os organossolos possuem altas concentrações de matérias orgânicas e saturação de água (pode ser encontrado facilmente em regiões que permaneçam alagadas durante o ano ou nas épocas chuvosas).

Dada a alta concentração de matérias orgânicas, a coloração desse solo poder variar entre marrom, cinza escuro ou preto. No Brasil, os organossolos são muito encontrados em regiões alagadas, como banhados e várzeas.

Vertissolos

Estes solos contam com altos teores de argila, sendo pouco permeáveis e demonstrando altas concentrações de nutrientes essenciais para as plantas. Sua incidência é maior em regiões com baixa disponibilidade de água, caracterizando-se pela existência de rachaduras.

Portanto, os vertissolos são comuns em áreas com relevo de ondulado a plano do Nordeste, algumas regiões do Pantanal e Rio Grande do Sul (sobretudo, em seu Sudeste).

Cambissolos

Os cambissolos são aqueles que ainda não finalizaram seus estágios formativos. Por esse motivo, tendem a ser mais rasos e terem seus horizontes B pouco desenvolvidos, por exemplo. Muito comum em quase todas as regiões brasileiras, esse tipo de solo é mais presente em regiões inclinadas.

Ademais, por serem rasos, também são altamente suscetíveis às erosões – algo que não ocorre no solo humoso.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo