Mamangava ou mamangaba é uma abelha importante para polinização

Inicio » Meio Ambiente » Mamangava ou mamangaba é uma abelha importante para polinização
16/07/2019 Por
Mamangava ou mamangaba é uma abelha importante para polinização

Mais que um inseto exótico, reconhecer o papel da mamangava na agricultura é de suma importância. Neste artigo, você vai conferir que a grande importância ecológica das abelhas está relacionada à polinização, o ato de transferir pólen entre as flores. Se a mamangava estiver presente na sua lavoura, pode ter a certeza de que o processo será benéfico para a criação de animais e plantas.

Mesmo pelo seu tamanho grande e capacidade de carregar muito pólen, a mamangava ainda tem a facilidade de se deslocar entre grandes distâncias. Ou seja, além de plantas dependerem do processo para produzir sementes e frutos, ela também tem relação direta com a agricultura. Boa leitura!

  1. O que é mamangava?
  2. Origem da palavra mamangava
  3. Tipos de mamangava no Brasil
  4. A mamangava dentro da criação de insetos
  5. Tecnologia para a criação de mamangava
  6. As colônias de mamangava
  7. O ciclo da mamangava
  8. A relação mamangava e maracujá
  9. A mamangava de toco
  10. Mata-cavalo
  11. Picada de mamangava
  12. A picada de mamangava é perigosa?
  13. Picada de mamangava dói muito?
  14. Curiosidades sobre a mamangava
  15. Mamangava é agressiva?
  16. Bombua terrestris
  17. O que a mamangava come?
  18. Importância da mamangava
  19. Mamangaba

Mamangava

O que é mamangava?

Mamangava é uma abelha solitária, embora consiga viver em sociedade. Apesar de seu grande tamanho e presença de pelos, ela tem importantes funções ambientais, econômicas e até sociais.

Afinal, a mamangava é vital aos processos de polinização de várias flores. Com ninhos geralmente feitos em paus podres e madeira amolecidas, essa abelha tem a designação comum, sendo classificada como inseto himenóptero.

Mesmo produzindo pouco mel e de baixa qualidade, seu valor na área econômica está relacionado principalmente à produção de maracujá. Além da ferroada bem dolorosa, outro fato bem curioso é sobre sua anatomia. Pela aerodinâmica ela é pesada, enorme e tem asas pequenas, o que impossibilitaria seu voo.

A origem da palavra mamangava

Embora apresente várias grafias diferentes, o termo “mamangaba” tem suas origens na língua indígena tupi, significando “abelha de porte grande”.

Presente em praticamente todos os estados brasileiros, esse inseto também tem uma série de denominações conhecidas e usadas por quem vive no campo. Confira as mais usuais:

  • Mangango;
  • Mangangá;
  • Mamangaba;
  • Mangava;
  • Mangangava;
  • Mangangaba;
  • Mata-cavalo;
  • Abelhão.

Tipos de mamangava no Brasil

Em terras brasileiras, os tipos mais comuns são a “mamangava de toco”, a “mamangava de pau-podre” e a “mamangava de chão”. Como referência, saiba que elas são vitais na polinização e auxílio na produção de maracujá.

Como são abelhas distribuídas por toda a América do Sul, a mamangava é dividida em seis espécies apenas no território brasileiro. De acordo com especialistas, ela chega a ocorrer em cerca de doze estados, com distribuição uniforme.

Como singularidade dessas espécies, elas costumam ser bem agressiva. Mas, embora seja famosa a dolorosa picada de mamangava, a presença humana tem levado a uma destruição de seus ninhos. Ou seja, sua população tem diminuído ano a ano.

A mamangava dentro da criação de insetos

Com políticas modernas, vários países estão preocupados em renovar a presença desses polinizadores no meio ambiente. Isso porque a mamangava é vital para toda a cadeia agrícola produtiva, mesmo que seja afetada pelos inseticidas no campo.

Sendo um dos maiores produtores de maracujá, no Brasil a presença dessas abelhas é essencial. Tudo porque as flores precisam ser polinizadas para gerarem frutos. Assim sendo, sua escassez exige uma demanda renovada de processos de polinização.

Como solução prática dessa renovação, os produtores e negociantes do campo podem até adquirir ninhos e colônias já com as abelhas recém-emergidas, podendo ser soltas em épocas de florescimento dos cultivos e lavouras.

Mamangava

Tecnologia para criação de mamangava

Um primeiro fato que você precisa saber é que a abelha mamangava costuma reutilizar seus antigos ninhos, podendo permanecer em áreas de cultivo e lavouras por gerações. Entretanto, são necessárias algumas condições para uma sobrevivência longeva e segura, como a presença de plantas ricas em pólen, fontes de proteína e néctar, como as flores de maracujá.

Com a meta de desenvolver tecnologias avançadas para a criação de ninhos de mamangava, pesquisadores e especialistas estudam a reprodução dessas abelhas e as chances de gerar números maiores de descendentes.

Além do mais, seu período de incubação está em fase de testes para manipular e prever o surgimento de novas colônias com temperaturas distintas. Isso quer dizer que, em breve, a técnica de multiplicação de ninhos será aperfeiçoada, assim como a instalação e o transporte de cultivos.

As colônias de mamangava

O ninho de uma mamangava, em geral, é encontrado na superfície do solo, sem uma entrada definida. Ou seja, mesmo com ou sem cobertura de cera, esses insetos voadores podem entrar e sair por vários locais diferentes.

Como todo ninho novo é sempre iniciado de forma solitária pela rainha, é até comum a presença de detritos vegetais, visando esconder a entrada. Depois de início da construção, essa rainha ainda constrói um pote que irá armazenar todo o néctar coletado de flores, dando origem à primeira célula para depositar seus ovos.

O ciclo da mamangava

Para saber as etapas e a importância de um ciclo de vida da mamangava, basta ficar de olho nas larvas. Ou seja, a partir do nascimento, a rainha as alimentarão, nutrindo-as com alimentos como pólen e néctar.

A partir do surgimento das operárias, é hora de a rainha abandonar suas atividades de campo. A partir de então, a nova colônia começa lentamente o seu desenvolvimento, ao tempo em que a rainha continua a postar novos ovos entre dois e onze dias.

Com o passar do tempo, claro que a população da colônia irá crescer e a postura da rainha irá diminuir. Entretanto, saiba que num pico de colocação de ovos, a rainha pode completar até duas células distintas num dia.

A relação mamangava e maracujá

O Brasil é um dos maiores consumidores e produtores de maracujá do mundo. Apesar disso, ainda há o uso indiscriminado de inseticidas na agricultura e a destruição de florestas e matas. Isso resulta no desaparecimento da mamangava, o grande polinizador dos maracujazeiros.

Tudo porque sua anatomia facilita que, enquanto ela busca o néctar, o abdômen entre em contato com a flor. Dessa forma, o pólen é transferido, na medida em que a movimentação da abelha em diferentes flores faz com que o contato efetive a polinização. Ou seja, é o processo de reprodução das plantas.

A relação entre estas duas espécies, o inseto e a fruta, permite a produção de semente da árvore. Ou seja, além de obter seu alimento, a mamangava perpetua sua espécie, garantindo o sustento de futuras gerações caso as sementes do maracujá cheguem a germinar.

Mamangava de toco

Não existe somente um tipo de mamangava. Em geral, são mais de 250 tipos, e no país podem ser encontrados 50 desses 250. Entre esses tipos, está a mamangava de toco.

Entre as diferenças que existem nos tipos, a mais comum é o tipo de picada. Cada espécie de mamangava vai ter picada mais ou menos dolorosa, por exemplo. Além disso, a mamangava de toco pode ser mais peluda que as outras.

Em geral, todas elas são grandes, o que acaba dificultando a identificação por quem não é um especialista em abelhas.

Mamangava

Mata-cavalo

Mata-cavalo, como vimos, é um dos nomes dados a essa abelha, principalmente em Portugal. No Brasil também existe o costume de chamar a mamangava de mata-cavalo. Depende muito da região em que o inseto é encontrado.

Outros nomes muito comuns que a mamangava possui são vespa de rodeio e mangango. Existem muitos nomes populares, como já foi possível observar na lista feita mais acima.

Picada de mamangava

Entrando no assunto da picada de mamangava, existem diferentes tipos de ferrões. Cada tipo específico vai ter um ferrão diferente.

A mamangava de toco, por exemplo, tem um ferrão extremamente dolorido. Quando uma pessoa recebe uma picada de abelha mamangava dessa espécie, o ferrão fura a pele como se fosse uma agulha.

O nível de dor também vai variar muito de acordo com o local em que a abelha depositou o ferrão. Em partes do corpo que são mais sensíveis, a possiblidade de dor mais é muito maior.

Além disso, o local da picada fica com uma marca escura do tamanho de um alfinete. Geralmente, a cicatrização desse tipo de picada é lenta.

Uma curiosidade sobre a picada de mamangava é que uma mesma abelha pode ferroar várias vezes. Isso é muito diferente de outros tipos de abelha. A maioria só possui um ferrão, como é o caso das abelhas comuns que estamos mais acostumados a ver. Então, se ela ferroa uma pessoa uma vez, não ferroa mais, diferente da mamangava.

  • A picada de mamangava é perigosa?

Como acabamos de ver, a picada da mamangava pode variar de acordo com a espécie em questão. Mas, em geral, a picada pode sim ser perigosa quando acontece com pessoas alérgicas.

Além disso, a picada de várias abelhas ao mesmo tempo pode ser perigosa, pois acontece uma somatória da quantidade de veneno depositado.

Se isso acontecer, alguns dos sintomas são:

  • Taquicardia;
  • Hipotensão;
  • Calor generalizado;
  • Náusea;
  • Vômito;
  • Cólica abdominal;
  • Cefaleia.

Ou seja, se você for picado por uma ou várias mamangavas, precisa ficar alerta. Se começar a sentir algum desses sintomas, procure um médico para evitar qualquer tipo de problema mais grave.

Além disso, se você souber que é alérgico à picada de abelhas e for picado por uma mamangava, tenha cuidado redobrado. Para quem tem alergia, uma única picada pode desencadear vários sintomas e ser potencialmente perigosa.

E essa é a grande questão de saber por qual inseto foi picado. É importante localizar a mamangava ou qualquer outro inseto que tenha provocado a picada. Com isso, é possível identificar o tipo de ferrão e verificar se há riscos de aparecerem complicações.

No entanto, não há motivo para pânico. A maioria das pessoas não é alérgica a abelhas e uma simples picada de uma mamangava não causará problemas, muito provavelmente.

  • Picada de mamangava dói muito?

Existem estudos sobre picadas de diversos insetos. E o resultado dessas picadas é escalonado em diferentes níveis de dor. A escala vai de 1 a 4.

Pois bem, é importante dizer, então, que a picada da mamangava pode chegar ao nível 4. Ou seja, o nível 1 é o considerado fácil de lidar, que não causa muita dor. Já o nível 4 é conhecido por ter a capacidade de deixar um ser humano literalmente no chão de dor.

Quem já levou ferroadas desse tipo relata que não conseguiu nem pensar enquanto a dor estava presente. Ainda mais quando a pessoa havia recebido mais de uma picada de uma só vez.

No entanto, o período de dor não é muito longe. Isso pode ser um bom sinal, pois a dor some após cerca de 3 minutos.

Dessa forma, por via das dúvidas, o ideal é sempre ficar longe e não provocar uma abelha, seja de qual espécie for. Até porque ela não faz mal algum. Está onde está apenas procurando por pólen.

Mamangava

Curiosidades sobre a mamangava

A abelha mamangava normalmente vive de forma solitária. É mais comum que esse gênero de abelha não tenha um comportamento muito sociável quanto os outros.

No entanto, quando vivem em colmeias, normalmente vivem em quantidade de 10 até 200.

Uma outra curiosidade interessante é a altura do zumbido que a mamangava emite. Todos os tipos de abelhas emitem um zumbido típico, que é possível identificar logo de primeira. No entanto, essa espécie emite um som bem mais alto, de forma que é uma das maneiras mais simples de diferenciar.

Além disso, apesar de poder ferroar várias vezes, a mamangava não tem o costume de picar as pessoas. Para que isso aconteça, é preciso que ela seja provocada. Em outras palavras, se você não fizer nada que possa fazê-la se sentir ameaçada, provavelmente não será picado.

Outra curiosidade sobre essa espécie de abelha é que ela pode criar ninhos embaixo de pisos ou até em jardins de casas.

Ademais, a produção de mel dessa abelha é consideravelmente baixa. Não é esse o foco da mamangava, diferente de outras abelhas. E o mel produzido por ela não fica armazenado em favos, como outros tipos.

Além disso, uma curiosidade muito interessante e importante é que a caça, destruição ou apanha da mamangava é proibida no Brasil. Essa proibição existe desde 1998 e tem a motivação da importância que a espécie possui para a polinização.

A mamangava consegue, inclusive, estimular as flores a florirem mais cedo. Isso ocorre quando a abelha percebe que a flor está atrasada em seu processo de florir. Então, para estimular esse processo, a mamangava mordisca as folhas para furar.

Com isso, elas conseguem obter o néctar das flores já floridas e sabem que depois de um tempo podem voltar nas que foram mordiscadas para recolher o néctar.

Mamangava é agressiva?

Como vimos, a mamangava não é um inseto muito agressivo. No entanto, o ferrão tem grande capacidade de garantir sua defesa. Com isso, na maioria das disputas com outros insetos ou animais pequenos, a mamangava ganha.

É o caso da disputa entre a mangava e a tarântula. Existe um estudo que relata que em quase todas as vezes em que uma disputa como essa ocorre, a mamangava vence.

E, para fazer isso, ela faz com que a aranha fique de pernas para cima para poder ferroar a barriga. Essa é a parte mais sensível da aranha. Assim, com uma só picada, a mangava mata a tarântula.

E em muitos casos, depois de fazer isso, a abelha deposita seus ovos na tarântula. Eles, então, permanecem no local por algumas semanas até que possam sair.

Bombus terrestris

Uma das espécies de mamangava que existem é a Bombus terrestris. Essa é a espécie mais encontrada no território do Brasil, sendo uma das 50 que vivem aqui no nosso país.

A coloração dela é distinta de outras abelhas e é mais fácil de identificar do que a mamangava de toco, por exemplo.

A mamangaba Bombus terrestris também é chamada de mamangava de cauda amarela. Em Portugal, essa espécie é muito conhecida pelo nome de abelhão.

Além disso, na Europa, essa é uma das espécies mais numerosas também.

O nome vem da coloração do pelo dessa mamangaba. Na ponta do corpo, justamente na cauda, a coloração é branca. Com isso, fica mais fácil identificar mesmo que não esteja tão perto.

A rainha da Bombus terrestris mede cerca de 2,7 cm de comprimento. A aparência dessa espécie parece um pouco com a mamangava de cauda branca. Isso por conta da faixa branca no final do abdôme.

Além disso, ela possui algumas faixas amarelas ao longo do corpo, o que lembra outras espécies de abelhas.

Uma das características desse gênero de abelhas é a capacidade de voar longos percursos. E essa espécie não é diferente. A Bombus terrestris pode conseguir voar até 13km da colmeia. Isso acontece quando é preciso encontrar comida.

No entanto, não é muito comum que elas percorram toda essa distância. Em geral, ficam voando a uma distância de 5km da colmeia.

O que a mamangava come?

A mamangava está presente o ano inteiro, o que faz com que ela tenha uma dieta bem variada. Isso porque estão acostumadas a encontrarem uma série de tipos diferentes de flores.

Então, a dieta da mamangava ocorre em uma grande diversidade de flores. Só assim elas conseguem ter a necessidade alimentar suprida.

Essa capacidade de se alimentar de vários tipos de plantas é muito benéfica à natureza. Afinal, isso possibilita que plantas que não são muito visitadas por insetos também tenham o pólen colhido.

Com isso, até as plantas mais difíceis de serem polinizadas são presenteadas pela mamangava.

Além do maracujá, que já foi mencionado, o tomate, o pimentão e a berinjela são igualmente muito beneficiados por essa espécie de abelha.

Isso acontece porque o processo de polinização dela é diferente. Ela consegue liberar pólen fazendo com que seu abdôme vibre.

Mamangava

Importância da mamangava

Por ser capaz de fazer essa polinização e por gostar de flores diferentes, a importância da mamangava é enorme.

Já falamos do maracujá, mas muitas outras espécies precisam da polinização da mamangava para existirem.

No caso do maracujá, por exemplo, uma semente de maracujá só consegue se desenvolver por conta de um grão de pólen.

Ou seja, se a abelha não for até o maracujá e entrar pelo menos um grão de pólen nela, a semente não se torna um maracujá.

Nas regiões onde a mamangava não é tão expressiva em quantidade, muitas plantações acabam fazendo o trabalho de polinização de forma manual.

Obviamente não é a mesma coisa e pode levar muito mais tempo. Mas, de qualquer forma, é a alternativa quando não há abelhas suficientes.

Por isso é que a lei que proíbe matar a mamangava é tão importante. Enquanto está buscando seu próprio alimento e o de sua colmeia, ela possibilita o crescimento do nosso alimento.

Mamangaba

A maior informação que precisa ser extraída sobre a mamangava e as abelhas em geral, sem dúvida, é a importância delas para a polinização.

Com técnica diferenciada de polinização e uma dieta bem vasta, esse gênero de abelha é crucial para o equilíbrio.

Além disso, é uma abelha protegida e que pode conviver muito bem em locais em que humanos estejam presentes. Não é um inseto agressivo, portanto, a fama de perigosa que a mamagava possui precisa desaparecer. O mesmo ocorre com as outras abelhas.

Assim, é perfeitamente possível que a espécie humana conviva com mamangavas e outras abelhas, sem que isso se apresente como um grande risco. Pelo contrário, essa abelha é muito importante para o desenvolvimento da espécie humana e de muitas outras espécies vivas.

Sem elas, as flores, frutos e demais espécies não conseguem o desenvolvimento de que necessitam. Com isso, a mão de obra humana necessitaria intervir. Porém, seria um trabalho árduo e impossível em grande escala.

A natureza fez com que essa espécie fosse muito resistente. Além disso, conseguem se defender de uma série de predadores e podem se alimentar de muitos tipos de flores. Ou seja, se o ser humano preserva a espécie, elas por si só já se preservarão. O que é a maior parte do trabalho, sem dúvida.

Por isso, tenha sempre em mente o tamanho da importância e da contribuição que a mamangava possui. Assim, você pode ajudar a proteger essa espécie de abelha. Além disso, pode criar esse inseto e auxiliar no aumento do número de indivíduos de mamangava no Brasil e no mundo. Com isso, todos só têm a ganhar!

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo