Mamangava ou mamangaba é uma abelha importante para polinização

Inicio » Meio Ambiente » Mamangava ou mamangaba é uma abelha importante para polinização
16/07/2019 Por
Mamangava ou mamangaba é uma abelha importante para polinização

Mais que um inseto exótico, reconhecer o papel da mamangava na agricultura é de suma importância

Neste artigo, você vai conferir que a grande importância ecológica das abelhas está relacionada à polinização, o ato de transferir pólen entre as flores. Se a mamangava estiver presente na sua lavoura, pode ter a certeza de que o processo será benéfico para a criação de animais e plantas.

Mesmo pelo seu tamanho grande e capacidade de carregar muito pólen, a mamangava ainda tem a facilidade de se deslocar entre grandes distâncias. Ou seja, além de plantas dependerem do processo para produzir sementes e frutos, ela também tem relação direta com a agricultura. Boa leitura!

Mamangava

O que é mamangava?

Mamangava é uma abelha solitária, embora consiga viver em sociedade. Apesar de seu grande tamanho e presença de pelos, ela tem importantes funções ambientais, econômicas e até sociais.

Afinal, a mamangava é vital aos processos de polinização de várias flores. Com ninhos geralmente feitos em paus podres e madeira amolecidas, a mamangava tem a designação comum, sendo classificada como inseto himenóptero.

Mesmo produzindo pouco mel e de baixa qualidade, seu valor na área econômica está relacionado principalmente à produção de maracujá. Além da ferroada bem dolorosa, outro fato bem curioso é sobre sua anatomia. Pela aerodinâmica ela é pesada, enorme e tem asas pequenas, o que impossibilitaria seu voo.

A origem da palavra

Embora apresente várias grafias diferentes, o termo “mamangaba” tem suas origens na língua indígena tupi, significando “abelha de porte grande”.

Presente em praticamente todos os estados brasileiros, esse inseto também tem uma série de denominações conhecidas e usadas por quem vive no campo. Confira as mais usuais:

  • Mangango;
  • Mangangá;
  • Mamangaba;
  • Mamangava;
  • Mangava;
  • Mangangava;
  • Mangangaba;
  • Mata-cavalo;
  • Abelhão.

Tipos comuns de mamangava no Brasil

Em terras brasileiras, os tipos mais comuns são a “mamangava de toco”, a “mamangava de pau-podre” e a “mamangava de chão”. Como referência, saiba que elas são vitais na polinização e auxílio na produção de maracujá.

Como são abelhas distribuídas por toda a América do Sul, a mamangava é dividida em seis espécies apenas no território brasileiro. De acordo com especialistas, ela chega a ocorrer em cerca de doze estados, com distribuição uniforme.

Como singularidade dessas espécies, a mamangava costuma ser bem agressiva. Mas, embora seja famosa a dolorosa picada de mamangava, a presença humana tem levado a uma destruição de seus ninhos. Ou seja, sua população tem diminuído ano a ano.

As mamangavas dentro da criação de insetos

Com políticas modernas, vários países estão preocupados em renovar a presença desses polinizadores no meio ambiente. Isso porque a mamangava é vital para toda a cadeia agrícola produtiva, mesmo que seja afetada pelos inseticidas no campo.

Sendo um dos maiores produtores de maracujá, no Brasil a presença dessas abelhas é essencial. Tudo porque as flores precisam ser polinizadas para gerarem frutos. Assim sendo, sua escassez exige uma demanda renovada de processos de polinização.

Como solução prática dessa renovação, os produtores e negociantes do campo podem até adquirir ninhos e colônias já com as abelhas recém-emergidas, podendo ser soltas em épocas de florescimento dos cultivos e lavouras.

Mamangava

Condições e tecnologia para criar mamangavas

Um primeiro fato que você precisa saber é que a abelha mamangava costuma reutilizar seus antigos ninhos, podendo permanecer em áreas de cultivo e lavouras por gerações. Entretanto, são necessárias algumas condições para uma sobrevivência longeva e segura, como a presença de plantas ricas em pólen, fontes de proteína e néctar, como as flores de maracujá.

Com a meta de desenvolver tecnologias avançadas para a criação de ninhos de mamangava, pesquisadores e especialistas estudam a reprodução dessas abelhas e as chances de gerar números maiores de descendentes.

Além do mais, seu período de incubação está em fase de testes para manipular e prever o surgimento de novas colônias com temperaturas distintas. Isso quer dizer que, em breve, a técnica de multiplicação de ninhos será aperfeiçoada, assim como a instalação e o transporte de cultivos.

As colônias de mamangava

O ninho de uma mamangava, em geral, é encontrado na superfície do solo, sem uma entrada definida. Ou seja, mesmo com ou sem cobertura de cera, esses insetos voadores podem entrar e sair por vários locais diferentes.

Como todo ninho novo é sempre iniciado de forma solitária pela rainha, é até comum a presença de detritos vegetais, visando esconder a entrada. Depois de início da construção, essa rainha ainda constrói um pote que irá armazenar todo o néctar coletado de flores, dando origem à primeira célula para depositar seus ovos.

O ciclo da mamangava

Para saber as etapas e a importância de um ciclo de vida da mamangava, basta ficar de olho nas larvas. Ou seja, a partir do nascimento, a rainha as alimentarão, nutrindo-as com alimentos como pólen e néctar.

A partir do surgimento das operárias, é hora de a rainha abandonar suas atividades de campo. A partir de então, a nova colônia começa lentamente o seu desenvolvimento, ao tempo em que a rainha continua a postar novos ovos entre dois e onze dias.

Com o passar do tempo, claro que a população da colônia irá crescer e a postura da rainha irá diminuir. Entretanto, saiba que num pico de colocação de ovos, a rainha pode completar até duas células distintas num dia.

Mamangava

A relação mamangava e maracujá

O Brasil é um dos maiores consumidores e produtores de maracujá do mundo. Apesar disso, ainda há o uso indiscriminado de inseticidas na agricultura e a destruição de florestas e matas. Isso resulta no desaparecimento da mamangava, o grande polinizador dos maracujazeiros.

Tudo porque sua anatomia facilita que, enquanto ela busca o néctar, o abdômen entre em contato com a flor. Dessa forma, o pólen é transferido, na medida em que a movimentação da abelha em diferentes flores faz com que o contato efetive a polinização. Ou seja, é o processo de reprodução das plantas.

A relação entre estas duas espécies, o inseto e a fruta, permite a produção de semente da árvore. Ou seja, além de obter seu alimento, a mamangava perpetua sua espécie, garantindo o sustento de futuras gerações caso as sementes do maracujá cheguem a germinar.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo