Putrefação é a decomposição biológica de matéria orgânica

Inicio » Agronegócio » Putrefação é a decomposição biológica de matéria orgânica
12/06/2020 Por
Putrefação é a decomposição biológica de matéria orgânica

Egípcios inventaram modos extraordinários de retardar a putrefação

A putrefação envolve a decomposição das proteínas, a liquefação da maioria dos órgãos e a quebra de coesão entre os tecidos.

O corpo é decomposto pela ação de bactérias e fungos em putrefação, que liberam certos gases. Estes gases, por sua vez, se infiltram e deterioram os tecidos e órgãos do corpo. Entenda mais sobre esse processo e tire suas dúvidas a seguir!

Putrefação

O que é putrefação?

Putrefação é a decomposição da matéria orgânica pela ação de microrganismos. Resulta, assim, na produção de um odor desagradável. Em geral, ocorre entre 10 a 20 dias após a morte de um organismo.

Além disso, as bactérias em putrefação desempenham um papel importante na reciclagem de nitrogênio do organismo morto.

O tempo necessário para a putrefação depende de vários fatores como, por exemplo, temperatura, umidade, luz, idade, causa da morte, entre outros.

Significado de putrefação

O significado de putrefação no dicionário é “decomposição da matéria orgânica”. A principal decomposição é a divisão tipicamente anaeróbica de proteínas por bactérias e fungos, formando, por consequência, produtos oxidados.

Também é definida como a decomposição de compostos orgânicos complexos contendo nitrogênio causada ​​pela ação de microorganismos putrefativos. A putrefação é acompanhada principalmente pela evolução da amônia gasosa. Por essa razão, é também é chamada de amonificação.

Os microrganismos envolvidos no processo são chamados de amonificadores. Além disso, as putrefações são processos bioquímicos complexos e de várias etapas.

Elas se desenvolvem de várias maneiras e têm vários resultados. Afinal, dependem da natureza química do substrato, da disponibilidade de oxigênio e da composição microfloral.

Processo da putrefação

Em suma, todos os tecidos orgânicos são compostos de energia química. Quando não é mantida pela constante manutenção bioquímica, ela começa a hidrolisar. Ou seja, as bactérias anaeróbicas no trato digestivo começam a digerir as proteínas do corpo.

Isso enfraquece os tecidos do corpo. Com o colapso das proteínas, certos gases e compostos orgânicos são excretados pelas bactérias. Estes gases e compostos são responsáveis por emitir um cheiro desagradável, semelhante ao da carne podre.

Durante esse processo, os tecidos da pele do corpo se rompem liberando o gás bacteriano. Com o processo contínuo de decomposição, o corpo finalmente chega a um estágio conhecido como esqueletização, ou seja, onde apenas resta o esqueleto.

Putrefação

1 a 2 dias

Livor mortis, rigor mortis, algor mortis e pallor mortis são os passos iniciais no processo de decomposição antes do processo de putrefação.

2 a 3 dias

Aparece descoloração na pele abdominal. Além disso, a formação de gás forma um inchaço na área do abdômen.

3 a 4 dias

A descoloração se espalha e as veias descoloridas ficam visíveis.

5 a 6 dias

O abdômen incha visivelmente e a pele fica com bolhas.

10 a 20 dias

Os odores nocivos são liberados do corpo e as partes do corpo.

2 semanas

O abdômen está inchado e a pressão interna do gás se aproxima da capacidade máxima.

3 semanas

Os tecidos amolecem. Órgãos e cáries começam a estourar, enquanto as unhas começam a cair.

4 semanas

Tecidos moles, como os órgãos internos, passam a liquefazer e a face fica irreconhecível. Leva à esqueletização, onde a pele, músculos, tendões e ligamentos se degradam, expondo o esqueleto.

Putrefação de alimentos

O crescimento microbiano pode resultar na putrefação de alimentos. Além disso, pode ocasionar a fermentação de produtos e doenças transmitidas por alimentos. Também pode ocorrer a liberação de enzimas extracelulares e intracelulares.

Em suma, tipos microbianos, tipos de alimentos e ambientes determinam a microflora de deterioração predominante em um alimento.

Putrefação humana

Sem dúvida, são vários os fatores que afetam a putrefação humana. Entre eles estão:

Fatores externos

Meio ambiente

A taxa de decomposição aumenta com o aumento da temperatura. A temperatura ideal que auxilia no processo de putrefação é de 21℃ a 38℃.

Umidade

Se um corpo está submerso na água ou não é exposto ao ar, o processo de putrefação diminui. De fato, a umidade e o ar ajudam no desenvolvimento de micróbios, acelerando a degradação.

Roupas

As roupas folgadas ajudam a reter o calor do corpo e agilizam o processo de putrefação. Roupas apertadas reduzem o suprimento de sangue para os tecidos. Além disso, as bactérias também são desprovidas de nutrientes para se alimentar.

Luz

A luz inibe o processo de decomposição. Ou seja, os insetos preferem pôr ovos nas áreas escuras. Portanto, as áreas expostas à luz se decompõem lentamente em comparação com as áreas expostas ao escuro.

Putrefação

Fatores internos

Idade

O corpo de uma pessoa que morreu em idade avançada apodrece mais rapidamente. Os fetos e os bebês, por exemplo, apodrecem mais lentamente, pois eles são estéreis.

Condição corporal

De fato, um corpo gordo apodrece mais rapidamente que um corpo magro. Isso ocorre porque o corpo gordo retém mais calor e transporta mais líquidos nos tecidos.

Causa da morte

Os corpos de pessoas que morrem de doenças infecciosas apodrecem mais rapidamente do que aqueles que morreram de acidentes ou violência.

Lesões externas

As lesões no corpo antes da morte ou durante a morte são mais propensas a invasões bacterianas. Portanto, aceleraram o processo de decomposição.

Bactérias da decomposição

Entre os microrganismos putrefativos, os mais importantes são os anaeróbios e os anaeróbios facultativos. Ambos contêm poderosas enzimas proteolíticas, além de bactérias esporogênicas aeróbias do gênero Bacillus e bactérias não-esporogênicas do gênero Pseudomonas.

Os fungos de mofo também estão envolvidos na decomposição, mas o papel dos actinomicetos é insignificante.

A maioria das bactérias putrefativas são saprófitas, algumas das quais são capazes de hidrolisar tecidos vivos, dando origem, assim, a várias doenças. Alguns exemplos: gangrena gasosa em animais e seres humanos e apodrecimento de plantas.

Putrefação na história

Sem dúvida, a morte e as mudanças que se seguem estão arraigadas na sociedade desde o início da história. Os egípcios antigos tomaram medidas extraordinárias para retardar a decomposição, com alguns bons resultados.

As sociedades posteriores reconheceram a necessidade de sequestrar os mortos dentre os vivos para conter a propagação de doenças. Nos tempos modernos, as famílias enlutadas devem escolher entre cremação e embalsamamento para os que partiram. Portanto, a morte faz parte da vida e a putrefação faz parte da morte.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo