Decompositores e a função que exercem no ecossistema

Inicio » Meio Ambiente » Decompositores e a função que exercem no ecossistema
21/02/2019 Por
Decompositores e a função que exercem no ecossistema

Os agentes decompositores estão presentes na atividade decompositora, na alimentação e como auxiliares para equilíbrio ecológico.

Decompositores são responsáveis pela propagação da matéria orgânica adquirida de um corpo em estado de decomposição.

  1. O que são decompositores?
  2. Como os decompositores crescem?
  3. Quem são os decompositores?
  4. Qual a função dos decompositores?
  5. Qual a importância dos decompositores?
  6. Decomposição e a conservação de alimentos
  7. Decompositores no ecossistema
  8. Exemplos de decompositores
  9. Seres detritívoros
  10. A influência da decomposição na paleontologia

Decompositores

O que são decompositores?

Decompositores são agentes que auxiliam no processo de decomposição ao reciclar a matéria orgânica. Fazem parte dos organismos do grupo de heterotróficos. Os micro-organismos mais comuns do grupo de decompositores são as bactérias, os fungos e os protozoários. Eles possuem atuação ativa na cadeia alimentar em todos os níveis tróficos.

Como os decompositores crescem?

A ação dos decompositores se inicia a partir da morte de um organismo. A partir da proliferação e alimentação dos organismos, a matéria orgânica é absorvida.

A maior parte das espécies de plantas é autossuficiente neste processo. Por outro lado, os seres humanos são completamente dependentes dos decompositores. Este é, portanto, um clássico exemplo de ciclo ambiental.

Quem são os decompositores?

Existem três principais agentes decompositores:

  • Bactérias

As bactérias possuem alta taxa de reprodução e facilidade de adaptação em ambientes. Por este motivo, são os maiores agentes decompositores da natureza. Como forma de realizar o processo, se utilizam da luz do sol e energia morfológica, ou seja, adquiridas de outros organismos.

  • Fungos

Os fungos apresentam uma estrutura morfológica adequada para este tipo de atividade; e estas estruturas são chamadas de hifas fúngicas. Além de serem organismos heterotróficos, são aeróbicos – ou seja, necessitam de oxigênio para realizar o processo.

  • Protozoários

Os protozoários são organismos que necessitam de micróbios para obtenção de energia. Fazem parte do processo de ingestão das partículas orgânicas encontradas em sedimentos em estado de decomposição. São responsáveis por manter equilíbrio no momento da decomposição entre os fungos e as bactérias.

Além destes três micro-organismos, as minhocas também são consideradas importantes decompositoras. Entretanto, elas não são consideradas organismos detritívoros.

Comumente utilizadas para a decomposição do solo pelos agricultores, as minhocas são importantes no processo de adubagem e promovem a recuperação da fertilidade.

Decompositores

Qual a função dos decompositores?

Os decompositores tem o papel primário no sistema de decomposição, pois retiram todos os nutrientes do cadáver e devolvem ao meio ambiente como forma de reutilizá-los. É por meio da atividade destes agente que muitos outros organismos se alimentam e obtêm energia.

Os nutrientes reaproveitados são grande fonte de energia morfológica para que as espécies de micro-organismos continuem se proliferando e mantendo o equilíbrio ecológico.

Uma das maiores vantagens na ação dos decompositores para o meio ambiente é a transformação de matéria orgânica em inorgânica. Esta matéria será utilizada como alimento, tanto para o solo como para os organismos vivos presentes nele. Este processo é chamado de ciclagem de nutrientes.

Uma característica negativa sobre os decompositores é a destruição de alimentos e de seres vivos. Apesar de este sistema ser benéfico ao meio ambiente, é precisos utilizar métodos de conservação de alimentos para que processo de decomposição não entre em ação (como a geladeira, por exemplo).

No caso dos seres vivos, os historiadores e cientistas não gostam do fato de os decompositores serem os responsáveis por acabar com os registros históricos. Por isso, muitos dos animais e humanos estudados passaram a ser congelados, evitando o processo de decomposição.

Qual a importância dos decompositores?

A saber, os decompositores são responsáveis por transformar a matéria orgânica em inorgânica, realizando a ciclagem dos nutrientes. Em outras palavras, são esses micro-organismos os responsáveis pela manutenção da matéria na natureza.

Desse modo, os ciclos naturais são realizados em perfeita harmonia, sem que haja impedimentos. Uma forma de perceber qual é a função dos decompositores é observar os resíduos criados pelo homem, mais especificamente, o lixo seletivo.

Quando esses resíduos não são encaminhados da maneira correta, as consequências para o meio ambiente são muito prejudiciais. Ou seja, lixos jogados na natureza podem levar séculos para serem degradados, justamente porque os decompositores não agem sobre eles.

Dessa forma, é possível compreender facilmente qual a função dos decompositores e a sua importância na natureza. Sem esses micro-organismos, a vida no planeta já estaria totalmente comprometida, visto que os recursos naturais seriam limitados.

Por conta disso, é necessário que o homem tenha um cuidado enorme com o destino dos resíduos seletivos, a fim de reciclá-los nos processos industriais. Isso evita que a natureza sofra impactos negativos, como ocorre, principalmente, com a alimentação de animais aquáticos.

Assim sendo, a função dos decompositores pode ser compreendida facilmente sabendo que, sem eles, a matéria orgânica morta já teria tomado conta do planeta. Ainda assim, a função desses micro-organismos vai mais além.

A decomposição faz com que os nutrientes presentes na matéria orgânica sejam transformados, a fim de reutilizá-los na natureza. Dessa maneira, o solo está constantemente sendo fertilizado e enriquecido pela natureza, garantindo a vida de novas plantas e animais.

É através dessa função que a manutenção da matéria no planeta é executada. Todo organismo vivo, principalmente animal, ao morrer, deixa seus nutrientes para serem reutilizados.

Decompositores

Decomposição e conservação de alimentos

Entretanto, conforme mencionado, alguns prejuízos podem ser causados pelos decompositores, como é o caso dos alimentos. Nesse caso, a vida útil é curta, o que acaba apressando o consumo e exigindo cuidados específicos.

Dessa forma, para poder conservar alguns alimentos de origem vegetal e, principalmente, animal, é necessário usar métodos de conservação. O mais conhecido deles é o resfriamento, ou até o congelamento. Ainda assim, existem outros métodos.

Só para exemplificar, podem ser citados a defumação, o vácuo e até o uso de conservantes químicos. Caso esses métodos não sejam incluídos na armazenagem e conservação dos alimentos, os prejuízos podem ser altos.

Esse é o lado negativo dos decompositores, que executam a sua função de forma natural e infalível. Portanto, é necessário estar sempre atento na hora de conservar e armazenar os alimentos, sempre procurando se adequar e evitar que os recursos se percam antes da hora.

Isso porque os decompositores exigem algumas condições para poder atuar de forma mais intensa. Desse modo, conhecendo bem essas condições é possível fazer com que os alimentos sejam conservados por um período maior.

Existem três principais fatores que influenciam na ação dos decompositores: a temperatura, a umidade e o oxigênio. Ou seja, sem controlar e observar esses fatores, a ação dos micro-organismos é muito mais rápida e intensa.

A temperatura deve ser observada justamente pelo fato de que o calor acelera a decomposição, visto que os micro-organismos se reproduzem mais rapidamente. Por conta disso, o uso de geladeiras e freezers é a forma mais conhecida de evitar a decomposição.

Além disso, a presença de oxigênio e umidade também aceleram a decomposição, isso porque o oxigênio é utilizado no processo de respiração celular dos aeróbicos e a umidade facilita a reprodução e germinação de esporos fúngicos.

Decompositores no ecossistema

O ecossistema se beneficia de diferentes formas com a decomposição, conforme mencionado. Isso porque é através da ação dos decompositores que uma série de processos é conduzida, até que a matéria orgânica é transformada em mineral.

Dessa forma, a transformação dos corpos mortos é iniciada, a fim de garantir que o espaço não seja ocupado pela morte, mas sim pela vida. Através da decomposição, a natureza e os recursos naturais são otimizados, garantindo que sempre haja condições para a vida existir.

Para melhor compreender qual é a função dos decompositores, primeiramente, é necessário entender isso. Assim sendo, toda a matéria orgânica morta é transformada em nutrientes minerais que, por sua vez, enriquecem o solo.

Os minerais que são gerados ocupam um espaço infinitamente menor no local, otimizando-o. Ainda assim, depois de serem elaborados ao solo, servem de nutrientes para garantir a fertilidade da terra, fazendo com que a vida vegetal seja possível.

Os vegetais crescem e se utilizam desses nutrientes para se multiplicar, o que garante o ciclo natural. Desse modo, é fácil entender qual a função dos decompositores no ecossistema, já que os vegetais servem de alimento para uma série de animais, inclusive para o homem.

O mesmo acontece na vida aquática, já que as algas e pequenos organismos vivos se utilizam de resíduos microscópicos para alimentarem-se. Ou seja, a reutilização da matéria se dá em diversas esferas da natureza, e os decompositores estão presentes em todas elas.

Em suma, a vida no planeta só pode manter-se, com todos os seus diferentes ciclos, contando com a ação dos decompositores. Por conta disso, pode-se facilmente compreender o que são decompositores e qual a sua função no ecossistema.

Exemplos de decompositores

A saber, existem diversos micro-organismos vivos que compõem os decompositores. Entre eles, conforme já foi mencionado, existem as bactérias, os fungos e alguns protozoários. No entanto, para entender melhor, alguns exemplos serão indicados a seguir.

Alguns exemplos de decompositores são as bactérias e os seres saprófitos, que não conseguem fazer a fotossíntese e precisam extrair matéria orgânica para nutrirem-se. Entre os saprófitos, podem ser citados os cogumelos.

Pela ausência da clorofila, eles absorvem a matéria orgânica, apesar de serem seres macroscópicos, e isso é um fator que causa confusão. Assim sendo, pode-se afirmar que um cogumelo é um fungo macroscópico, não uma planta.

Através da ação dessas bactérias e fungos, os ciclos de carbono e nitrogênio podem ser executados por outros tipos de bactérias, possibilitando que as plantas se nutram dos nitritos e nitratos. Ou seja, existe uma série de reações químicas que só são possíveis pela ação dos decompositores.

Esse processo é chamado de ciclagem de nutrientes e se resume a diversas reações para transformá-los, possibilitando que a vida aconteça no ecossistema. Dessa maneira, pode-se compreender quem são os decompositores.

Além disso, existem outros organismos vivos macroscópicos que colaboram com a ação dos decompositores. Esses seres são alguns animais, como os urubus e pequenos vermes, que são os chamados seres detritívoros.

Decompositores

Seres detritívoros

Os seres detritívoros são seres vivos macroscópicos que colaboram com a manutenção da matéria na natureza, facilitando o trabalho dos decompositores. Ou seja, esses animais fazem com que corpos mortos sejam diluídos mais rapidamente.

Como exemplos desses seres, podem ser citados os urubus, as larvas e as minhocas. Em outras palavras, esses seres se encarregam de comer corpos mortos, fazendo com que a maior parte de suas matérias sejam eliminadas rapidamente.

Isso porque, se dependesse somente dos decompositores, levariam meses, e até anos, para que corpos de animais fossem completamente decompostos. Assim sendo, a ação dos detritívoros faz com que esse processo ocorra em tempo relativamente menor.

Por isso, quando animais morrem na natureza, o processo de decomposição se dá de maneira ágil, o que acaba fazendo com que os ciclos naturais sejam efetivos. Entretanto, para que esses seres possam agir, é necessário que os corpos mortos fiquem em local aberto.

Os urubus possuem faro altamente preciso, apurado e sensível. Por conta disso, são considerados como verdadeiros funcionários da limpeza do meio ambiente, bem como os porcos e hienas.

Em suma, pode-se afirmar que a ação dos seres detritívoros é muito importante para facilitar a função dos decompositores, visto que a maior parte do processo é feita por eles, de forma relativamente rápida e efetiva.

A influência da decomposição na paleontologia

Conforme mencionado, os cientistas podem ter seu trabalho dificultado por conta da ação dos decompositores. Isso porque a preservação de matéria orgânica é fundamental para que estudos sobre o nosso passado e origem sejam feitos.

Dessa forma, a função dos decompositores no ecossistema dificulta o trabalho dos paleontólogos, visto que a datação e identificação de corpos e resíduos é prejudicada. Um exemplo disso são os fósseis, já que se tratam da forma dos corpos decompostos.

A paleontologia estuda a origem e história através dos fósseis, a fim de identificar animais e plantas extintas, bem como as condições e comportamentos decorrentes deles. Entretanto, com a decomposição desses resíduos, o trabalho dos paleontólogos é dificultado.

Caso não existissem os fósseis, seria praticamente impossível a ciência afirmar qualquer teoria sobre a origem do planeta ou da humanidade. Portanto, contar com essa possibilidade é uma ferramenta importante nas mãos dos cientistas.

Um fóssil se forma quando um determinado corpo acaba sendo coberto por uma superfície estranha, e ali acaba entrando em processo de decomposição. Assim sendo, a superfície sofre reações químicas e físicas, como resultado da decomposição.

Desse modo, os fósseis são originados, graças à reação e o contato das superfícies com os corpos mortos de animais e vegetais. Essa é uma das possibilidades que permitem uma série de teorias, como a evolução criada por Charles Darwin.

Em suma, a paleontologia só pode se utilizar dos fósseis pelo resultado das reações causadas pela função dos decompositores. No entanto, os resultados podem ser dificultados, já que esses micro-organismos trabalham transformando e diluindo qualquer corpo morto, seja animal ou vegetal.

Decompositores

As possibilidades

Somente através das possibilidades oriundas dos fósseis é possível criar teorias e estudos que descrevem a origem do planeta. Ou seja, se não houvesse movimentações dos corpos, solos e erupções, a ciência seria muito prejudicada.

Através dos fósseis, é possível identificar uma série de informações, como a datação e a conservação daquele corpo decomposto. Assim sendo, a datação é feita através do processo que utiliza o Carbono 14.

Com o Carbono 14, calcula-se a reação de alguns elementos, a fim de chegar a alguma datação aproximada do fóssil analisado. Ainda assim, a análise de elementos radioativos que possam estar presente no resíduo ajuda nessa datação.

Dessa maneira, não somente são analisados corpos mortos de animais e vegetais, mas também são utilizados fósseis de pegadas, ovos e coprólitos. Esses são os denominados icnofósseis, que não são, necessariamente, os corpos, mas sim indícios desses.

As possibilidades são diversas e isso só é possível por conta da função dos decompositores. Em suma, somente com o resultado de diversas reações químicas é que se pode identificar sinais e vestígios de um passado, até então, desconhecido.

A ciência

Procurando compreender qual é a função dos decompositores, a ciência se utiliza de diversas interpretações em diferentes campos, conforme já foi descrito. Assim sendo, muitos estudos e teorias são embasadas nessas evidências.

Os fósseis permitem que muitos experimentos e teorias sejam elaboradas, e nisso existe a parte positiva e a parte negativa. Dessa forma, é positivo que uma certa quantidade de matéria tenha caído sobre o corpo morto, possibilitando as reações.

É justamente isso que acaba isolando o corpo da atmosfera, e também que possibilita as reações entre o corpo, a superfície e os decompositores, formando ali uma quantidade de matéria diferenciada. Essa superfície adquire, com as reações e o passar do tempo, um aspecto sólido.

Entretanto, a degradação dos corpos mortos acaba dificultando o trabalho da ciência. Isso porque uma série de análises precisa ser realizada. Há casos em que uma certa conservação é causada, como a decorrência do âmbar e da mumificação.

Geralmente, são as incrustações, incarbonizações e silificações nas superfícies que permitem que formas sejam identificadas. No entanto, a extração de informações precisas é dificultada diante de casos assim, já que a conservação é parcial ou nula.

É importante mencionar também que, para saber qual é a função dos decompositores, é necessário levar em conta todo o processo da vida na natureza. Assim sendo, muitos questionamentos são respondidos, principalmente no que se trata da manutenção da matéria.

Em suma, os decompositores desempenham um papel fundamental. Sem eles, a vida no planeta seria impossível. Os recursos nunca se renovariam e isso certamente faria com que o planeta se tornasse um grande caos, sem vida e sem ciclos.

Agro20 | Portal Vida No Campo