Agricultura intensiva: o uso de tecnologias e a alta produtividade no campo

Inicio » Agricultura » Agricultura intensiva: o uso de tecnologias e a alta produtividade no campo
12/03/2019 Por
Agricultura intensiva: o uso de tecnologias e a alta produtividade no campo

Tecnologias aplicadas à agricultura intensiva têm auxiliado os grandes produtores. A agricultura intensiva está relacionada diretamente com a divisão dos sistemas de produção. As atividades produzidas fazem uso de novas tecnologias, métodos e maquinário para garantir maior produtividade.

Praticada entre agricultores que possuem maior possibilidade de investimentos, a agricultura intensiva tem grande importância para o meio rural. Além disso, suas práticas e atividades dão suporte à comercialização externa.

  1. O que é agricultura intensiva?
  2. Quais as principais características da agricultura intensiva?
  3. Impactos da agricultura intensiva no meio ambiente
  4. Implementação da agricultura intensiva
  5. Como é a mão de obra da agricultura intensiva?
  6. Qual a diferença entre agricultura intensiva e extensiva?
  7. Valor de investimento na agricultura intensiva
  8. Produtividade da agricultura intensiva
  9. O que é agricultura extensiva?
  10. Principais características da agricultura extensiva
  11. Principais tipos de agricultura
  12. Agricultura familiar
  13. Agricultura comercial
  14. Permacultura
  15. Agricultura orgânica
  16. Maiores vantagens da agricultura intensiva

Agricultura intensiva: uso de maquinário nas produções

O que é agricultura intensiva?

Agricultura intensiva é um dos sistemas agrícolas que consiste no uso de maquinário, insumos agrícolas, equipamentos e novas técnicas, com o intuito de ampliar a produtividade e otimizar o tempo gasto na produção.

Este tipo de agricultura acontece principalmente em países desenvolvidos, em que produtores e agricultores possuem maiores recursos e possibilidades de investimentos nas produções. Em alguns casos, pode ser encontrada em países subdesenvolvidos, em que produtores dirigem-se ao mercado externo.

Na agricultura intensiva a produção de monoculturas é frequentemente utilizada, ou seja, opta-se por plantações  em alta escala de somente um produto, como o milho, trigo, soja, etc. Diferente da agricultura extensiva, que pratica principalmente a policultura, ou seja, diversas culturas no mesmo espaço de plantação.

Quais as principais características da agricultura intensiva?

As principais características da agricultura intensiva são, basicamente:

  • Alta produtividade por hectare, ou seja, plantios realizados no mesmo espaço;
  • Otimização do tempo de produtividade, principalmente no tempo gasto para preparar o solo até a realização da colheita;
  • Realizada em latifúndios, ou seja, em grandes propriedades;
  • Uso intensivo de mecanização, como tratores, ceifeiras, plantadeiras, aradeiras, caminhões, etc;
  • Pouca utilização da mão de obra, e, quando há, é especializada e qualificada;
  • Uso de fertilizantes, defensores agrícolas, herbicidas e inseticidas;
  • Alto investimento financeiro;
  • Investimento em tecnologia na agricultura, como terraceamento, drenagem dos solos, modificação genética de produtos (transgênicos), etc;
  • Seleção de sementes e mudas adequadas ao tipo de clima e solo;
  • Produções voltadas para o mercado externo, ou seja, para exportações.

Além disso, o sistema agrícola intensivo na pecuária conta com condições naturais favoráveis a região, como o clima, a temperatura, o índice de chuva, etc. Nas atividades da agropecuária intensiva o gado é criado confinado, faz-se a utilização de sistemas de irrigação e estufas que proporcionam temperaturas adequadas para os animais.

Agricultura intensiva: incremento de novas tecnologias

Impactos da agricultura intensiva no meio ambiente

Uma das principais preocupações dos ambientalistas está no fato da agricultura intensiva prejudicar ao poucos a saúde do meio ambiente. Sabe-se que este tipo de sistema agrícola faz uso intensivo de maquinário e combustíveis fósseis danosos, prejudicando o solos e seus nutrientes, além de contaminar o ar, a água, os rios, lagos, etc.

O plantio de monoculturas presente nas atividades da agricultura intensiva, são prejudiciais ao solo no que diz respeito ao esgotamento dos nutrientes e organismos presentes nele. Assim, por não haver rotatividade, o plantio único acaba com o nutrientes já que necessita deles para desenvolver-se.

Quando o solo é prejudicado, acaba sendo trocado por outro e, consequentemente, cresce o nível de desmatamento. Além disso, o uso intensivo de produtos modificados geneticamente – os transgênicos – impacta diretamente na produtividade devido a presença de insumos agrícolas específicos.

Portanto, um dos desafios da agricultura intensiva é a redução de elementos prejudiciais ao meio ambiente. O intuito central é a diminuição dos impactos ambientais. Então, práticas associadas à sustentabilidade são benéficas tanto para a saúde do meio ambiente quanto para a qualidade e quantidade das produções.

A agricultura intensiva possui suas particularidades e isso causa uma grande curiosidade em empreendedores que possuem o desejo de investir em algo diferenciado para continuar dentro do agronegócio.

De fato, a agricultura intensiva pode ser muito benéfica para aqueles que procuram expansão. Afinal, colabora para uma visão diferenciada do mercado e faz com que seja possível estar sempre em evidência de maneira positiva.

Entretanto, é sempre muito importante saber como conduzi-la, já que é preciso ter conhecimento sobre o assunto.

Implementação da agricultura intensiva

Muitas pessoas se perguntam como dar início a esse tipo de agricultura. Dessa forma, primeiramente é preciso ter mente que, assim como qualquer outra expansão e tipo de empreendimento, é preciso ter planejamento.

Se a intenção é optar por algo barato, a agricultura intensiva não é a melhor opção. Porém, seguindo alguns passos simples torna-se possível realizá-la de maneira adequada e segura dentro do campo de atuação de cada produtor de alto nível. Veja:

  • Coloque tudo na ponta do lápis;
  • Observe as suas maiores necessidades;
  • Pesquise sobre as tecnologias disponíveis;
  • Procure mão de obra qualificada.

Antes de dar início a qualquer tipo de implementação, é preciso sempre levar em conta a quantidade de dinheiro que será investido. Aliás, a agricultura intensiva é um mercado que visa altos índices de produtividade e por isso é fácil de encontrar grandes concorrentes no caminho.

Por isso, preparar o bolso para montar uma estrutura forte e adequada é um ótimo início. Em seguida, observe quais as maiores necessidades presentes. A tecnologia intensiva dentro da agricultura pode ser implementada aos poucos como forma de suprir as necessidades e também melhorar os rendimentos.

Porém, para isso é muito importante pesquisar sobre todas as tecnologias disponíveis. Logo, é um erro pedir qualquer informação e comprar equipamentos tecnológicos que nem mesmo serão utilizados para a finalidade necessária.

Por fim, esse tipo de agricultura exige mão de obra específica e qualificada, já que é preciso ter determinados conhecimentos para saber como atuar com eficácia dentro desse segmento.

Agricultura intensiva

Como é a mão de obra da agricultura intensiva?

Uma das características presentes na agricultura intensiva e que reforça a tese de que ela é o foco de agricultores que possuem maiores possibilidades de investimento, é que necessita de uma mão de obra especializada para que possa ser levada adiante.

Ou seja, para contratar colaboradores para atuar com a agricultura intensiva, é preciso que eles tenham o conhecimento necessário para isso. Por tal motivo, é comum notar que os empreendimentos que utilizam-se da agricultura intensiva, possuem um quadro de funcionários reduzido.

Qual a diferença entre agricultura intensiva e extensiva?

É claro para todos que a agricultura é uma das profissões mais antigas e mais praticadas por grande parte das pessoas desde os primórdios. No entanto, essa atividade foi se desenvolvendo com o passar do tempo.

Atualmente, é possível notar uma grande presença da tecnologia na agricultura. Por conta disso, além de ela ser também indispensável para a sobrevivência humana, também se mostra apta a se desenvolver cada vez mais.

Porém, com os sistemas agrícolas presentes e mesmo sabendo o que significa a agricultura intensiva, muitas pessoas ainda se questionam sobre a diferença entre agricultura intensiva e extensiva.

Como dito anteriormente, a agricultura intensiva é aquela caracterizada por utilizar, em seu dia a dia, as maiores e melhores tecnologias presentes no mercado. Dessa forma, consegue obter uma produtividade muito maior dentro de campo.

Porém, é importante ressaltar que, como ela é utilizada em países mais desenvolvidos e também por empreendedores com maiores possibilidades de realizar investimentos maiores, pode se tornar algo um pouco distante da realidade de alguns empreendedores brasileiros.

Em contrapartida, a agricultura extensiva é aquela que se utiliza de métodos agrícolas mais tradicionais. Ou seja, ela é a mais comum presente em território brasileiro e também a mais conhecida por grande parte dos indivíduos. Confira maiores características da agricultura intensiva e extensiva em seguida.

Valor de investimento na agricultura intensiva

Sem dúvidas, o valor de investimento depositado na agricultura intensiva é alto. Afinal, é utilizada uma grande quantidade de tecnologias para que tudo ocorra da forma mais profissional e eficaz possível.

Tudo isso demanda tempo e dinheiro. Até mesmo porque, mesmo que seja algo que pregue a naturalidade em grande parte de seus processos, ainda assim utiliza-se de métodos extremamente diferenciados e que necessitam estar atrelados à alta produtividade para fazer com que o investimento seja recompensado.

Produtividade da agricultura intensiva

Como na agricultura intensiva utiliza-se de profissionais com experiência no segmento, além das tecnologias implementadas, é comum notar que a produtividade seja extremamente alta e quase que imparável.

Em suma, esse é o principal objetivo de implementar a agricultura intensiva. Afinal, o empreendedor que decide investir determinada quantia de dinheiro nesse tipo de agricultura, espera conseguir o máximo nível de eficiência produtiva e operacional. Dessa maneira, consegue obter mais lucros.

Agricultura intensiva

Quantidade de terra ocupada

Na intenção de garantir maior eficiência, a agricultura intensiva ocupa uma grande parte do solo. Afinal, por conta dos maquinários, todos os processos acabam sendo otimizados e por isso não há a grande necessidade de haver espaço de terra em abundância.

No entanto, para isso, é preciso que haja técnicas muito bem elaboradas para que todo o espaço seja ocupado de forma estratégica e funcional.

O que é agricultura extensiva?

Além das características que já citamos, entre as principais características da agricultura extensiva, pode-se citar, além da produção agrícola tradicional e a baixa ou nenhuma utilização de tecnologia, outros pontos como:

  • Dispõe de poucos recursos para investimento;
  • Utiliza-se o arado animal, em grande maioria das vezes;
  • Não possui sementes selecionadas;
  • Baixa competitividade no mercado;
  • Planta de acordo com a época do ano.

Uma das maiores vantagens da agricultura extensiva é que ela respeita de forma muito regrada o ciclo natural da terra e da natureza como um todo. Afinal, como o plantio é realizado de acordo com a época do ano, é muito comum que os profissionais permitam que o ciclo natural ocorra.

Principais características da agricultura extensiva

Uma das maiores características presentes na agricultura extensiva está o fato de que a mão de obra humana é predominante. Logo, nesse momento, já é possível observar uma das primeiras diferenças em relação à agricultura intensiva.

Como a agricultura intensiva possui maior modernidade agregada, os funcionários precisam ter conhecimentos mais apropriados para compreendê-la e também colaborar para o seu funcionamento. Por isso, a quantidade de mão de obra é mais reduzida, já que há tecnologias presentes para também trabalhar.

Portanto, na agricultura extensiva, é possível notar que, por se tratarem de processos que utilizam em grande escala o auxílio humano, não há uma grande quantidade de tecnologias, já que os processos realizados são os mais tradicionais e comuns, porém não menos eficazes.

Ocupação de terra na agricultura extensiva

Diferente da agricultura intensiva, a agricultura extensiva tem uma enorme quantidade de terras. Entretanto, elas possuem baixa utilização, já que os processos são realizados de forma humana. Por conta disso, mesmo com uma grande quantidade de terras disponíveis para uso, acaba não sendo algo tão eficiente.

Produtividade da agricultura extensiva

Dentro da agricultura extensiva, os índices de produtividade não conseguem alcançar os mesmos índices da agricultura intensiva. Afinal, como possui um baixo índice de mão de obra e também de tecnologias, não há como elevar os resultados de maneira grandiosa.

Porém, isso não quer necessariamente dizer que a produção é baixa, mas somente que ela não possui forças o suficiente para atingir um índice produtivo como a modalidade intensiva.

Mão de obra na agricultura extensiva

Na agricultura extensiva, é muito comum encontrar uma quantidade menor de mão de obra. Isso se deve ao fato de grande maioria dos trabalhadores apresentaram qualificações técnicas para atuar na área. Portanto, contam, a grande maioria, com a experiência de vida e aprendizados do campo.

Mesmo que a agricultura intensiva também tenha pouca mão de obra, a tecnologia que foi investida consegue repor esse aspecto que seria uma perda, por exemplo. No entanto, a agricultura extensiva não faz o mesmo uso das tecnologias e por isso apresenta quebras de produtividade.

Principais tipos de agricultura

Os tipos de agricultura estão presentes desde os tempos mais primórdios do período colonial. Além disso, é um dos setores que possui maior importância econômica e atividade ativa em todo o território brasileiro.

Tudo isso faz com que o Brasil seja uma enorme potência dentro da produção agrícola em todo o território mundial, sendo visto como referência para muitos países. Entre os produtos de maior foco, se encontram:

  • Café;
  • Soja;
  • Laranja;
  • Milho.

Além da agricultura intensiva e da agricultura extensiva, também é possível encontrar outros tipos de agriculturas presentes no Brasil. São eles:

Agricultura intensiva

  • Agricultura familiar

Um exemplo claro de agricultura familiar, é a agricultura extensiva. Dentro desse tipo de agricultura, é possível encontrar modos rudimentares e totalmente tradicionais de realizar os processos produtivos.

Ademais, não incluem quase nenhum ou de fato nenhum recurso tecnológico. Por conta disso, desde o momento de arar a terra até o momento da colheita, é muito comum encontrar a agricultura familiar utilizando a mão de obra familiar durante todo o processo produtivo.

  • Agricultura comercial

Entre os tipos de agricultura, uma das mais comuns é a agricultura comercial. Nessa modalidade, é muito comum encontrar produções feitas em grande escala e utilizando produtos como adubos, fertilizantes químicos, agrotóxicos, etc.

Possivelmente, entre todos os tipos de agricultura, com exceção da agricultura familiar, é uma das mais comuns e vistas dentro do território brasileiro. Ainda assim, as pessoas que praticam a agricultura comercial utilizam-se, geralmente, de técnicas modernas de cultivo.

Afinal, como o próprio nome sugere, a intenção é comercializar. Para isso, é preciso contar com fatores que acelerem o processo e garantam o resultado esperado.

  • Permacultura

A permacultura é caracterizada pela produção integrada ao meio ambiente. Logo, tem a intenção de desenvolver plantas que sejam semipermanentes e permanentes. Além disso, considera também aspectos como energia e paisagem.

  • Agricultura orgânica

Um dos tipos de agricultura que tem ganhado espaço e cada dia mais popularidade é a agricultura orgânica. Isso porque esse tipo de agricultura tem como principal objetivo realizar uma produção que seja sustentável e que respeito o meio ambiente como um todo.

Portanto, pode-se considerar muito mais saudável para o consumo humano, já que não possui agrotóxicos, agroquímicos e nenhuma outra categoria de produtos que possam alterar a saúde humana e também mexer no DNA natural dos produtos plantados.

Além disso, em relação ao controle biológico, só é possível tomar alguma atitude mais severa caso haja contaminação de pragas. Caso contrário, nada pode interferir durante o processo produtivo.

Maiores vantagens da agricultura intensiva

Após entender o que é agricultura intensiva, a diferença entre os sistemas agrícolas e quais os tipos de agricultura presentes no mercado, fica muito mais fácil de reconhecer as imensas vantagens que ela oferece para aqueles que possuem condições de investir.

Como é algo que envolve tecnologias extremamente eficazes, a agricultura intensiva tem, entre seus maiores benefícios, a grande possibilidade de aumentar os lucros de forma significativa. Dessa maneira, colabora para que o empreendimento agro tenha maior visibilidade e maior interesse por parte de compradores.

Isso faz com que seja muito mais fácil vender os produtos, ter qualidade e um nível máximo de produtividade. Além disso, como dito anteriormente, também faz com que seja possível se manter no mercado de maneira competitiva.

Assim, é possível estar sempre um passo a frente dos concorrentes e garantir ótimos resultados. Com isso, é possível perceber que a agricultura intensiva agrega ótimos retornos do investimento feito em suas tecnologias e colabora para uma nova percepção de mercado.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo