Almeirão é hortaliça ideal para quem gosta de sabores amargos

Inicio » Agricultura » Almeirão é hortaliça ideal para quem gosta de sabores amargos
23/03/2021 Por
Almeirão é hortaliça ideal para quem gosta de sabores amargos

O almeirão é uma folha da família das alfaces e das serralhas cujo nome científico Asteraceae. Embora se pareça com a chicória comum, ele se diferencia porque tem as folhas mais estreitas e alongadas, além do sabor amargo mais forte. Outra diferença é que as raízes da chicória são usadas e as do almeirão, não.

As raízes do almeirão são usadas para fazer o chamado “café de chicória”, bebida indicada para diabéticos e pessoas que não podem consumir o café normal por razões médicas. Esse tipo de “café” pode ser encontrado em entrepostos de produtos naturais e em algumas redes de supermercados.

  1. O que é almeirão?
  2. Cultivo do almeirão
  3. Benefícios do almeirão
  4. Nutrientes do almeirão
  5. Receitas com almeirão
  6. Sucos detox de almeirão
  7. Almeirão refogado
  8. Salada de almeirão
  9. Tipos de almeirão
  10. Qual a diferença entre almeirão e chicória?
  11. Pode comer almeirão cru?
  12. Como tirar o amargo do almeirão?
  13. Qual é o significado da palavra almeirão?
  14. Como plantar almeirão em casa?
  15. Horticultura no Brasil

almeirão

O que é almeirão?

O almeirão é uma planta de tom verde escuro e sabor amargo, também conhecida como chicória amarga. Nativa da Europa, se adaptou ao solo do Brasil.

Às vezes, chamado de “chicória amarga” o almeirão pertence ao grupo dos “Cichorium”. Por exemplo, trata-se de uma planta herbácea e perene, nativa do continente europeu, sendo muito cultivada e apreciada em diversos países.

Depois que os cientistas o incluíram na família “Asteraceae”, o almeirão passou a ser um “parente” das serralhas e das alfaces. Afinal, suas características biológicas são semelhantes, embora o almeirão seja uma hortaliça mais nutritiva.

Em resumo, as folhas são fontes excelentes das vitaminas C, A e as do complexo B. Sob o mesmo ponto de vista, elas contêm altas doses de ferro, fósforo e, inclusive, de cálcio.

Pelo contrário do que possa parecer, em um primeiro momento, aos consumidores brasileiros, seu sabor amargo é muito apreciado na composição de vários pratos da gastronomia.

Quanto à classificação científica, o almeirão se enquadra da seguinte forma:

  • Espécie: Cichorium intybus;
  • Gênero: Cichorium;
  • Família: Asteraceae;
  • Ordem: Asterales;
  • Classe: Magnoliopsida;
  • Divisão: Magnoliophyta;
  • Reino: Plantae.

Conquanto seja uma planta resistente e forte, o almeirão tem um melhor desenvolvimento em localidades com alta incidência de luz solar. Uma de suas características são as folhas verdes robustas, recobertas de pelos.

Assim também, suas folhas apresentam formatos lanceolados, raízes longas de formatos cônicos, caules eretos e duros com ramificações, além de inflorescências compostas por flores liguladas, possuindo tonalidades que variam do roxo ao azul.

Posto que atinge até um metro de altura, o fruto é indeiscente e seco (aquênio). Por menos que se cultive com esmero, a verdura se desenvolve satisfatoriamente em solos drenados e férteis.

Por fim, as condições ideais incluem a presença de matérias orgânicas e temperaturas de 19 °C a 29 °C.

Cultivo do almeirão

A planta tem sabor amargo, como já foi dito, e folhas lisas que saem do centro do vegetal. As de fora são as mais velhas e as do centro são menores e, por causa disso, mais macias. A incidência de luz, contudo, é o que determina o formato das folhas e o grau de amargor. As folhas do almeirão são viçosas e têm um verde intenso devido à profundidade que as raízes alcançam em busca de umidade.

A hortaliça é resistente à seca e pode ser facilmente cultivada em hortas, jardineiras e vasos caseiros. Você planta uma vez e ela vai durar um bom tempo, pois cada vez que as folhas são colhidas, novas brotam no mesmo local.

O cultivo do almeirão em casa é relativamente fácil. No entanto, é recomendável comprar sementes somente em casas especializadas. Coloque uma camada de areia no vaso ou jardineira, depois o composto orgânico e por último a terra adubada. As folhas brotam em 35 dias e aí é hora de replantar, dando um espaço de 15 cm entre um pé e outro.

Em 50 a 79 dias já é possível colher. O desenvolvimento da hortaliça, entretanto, depende da luminosidade e da qualidade das sementes. A dica para o pé de almeirão durar mais é retirar sempre as folhas de fora para que as do interior sigam brotando e crescendo. O almeirão precisa de sol e uma temperatura entre 20º e 28º.

Benefícios do almeirão

O vegetal tem propriedades terapêuticas e nutricionais. Ele é rico em nutrientes como as vitaminas do Complexo B, A, C além de minerais como: cálcio, sódio, potássio, ferro, fósforo, cloro e silício. O almeirão tem ainda duas substâncias com potencialidades analgésicas: a lactucina e a lactupicrina.

A planta é usada desde o império romano no tratamento de problemas no fígado e, mais recentemente, para limpar os rins graças a sua ação diurética. A hortaliça remove gordura das células e também combate o colesterol ruim. Outros benefícios do almeirão, que também é rico em antioxidantes, são:

  • Ação antiinflamatória
  • Combate o câncer
  • Cicatrizante
  • Protege o fígado
  • Laxante
  • Diurético
  • Desintoxicante
  • Atua em dores musculares
  • Combate o reumatismo
  • Previne envelhecimento precoce
  • Ameniza a gastroenterite

almeirão

Nutrientes do almeirão

O almeirão é um poderoso aliado nas dietas de emagrecimento porque tem baixas calorias e atua como inibidor de apetite. Isso porque a hortaliça é rica em elementos como inulina e oligofrutose, substâncias que dão a sensação de saciedade.

Para exemplificar, cada 100 gramas de almeirão tem apenas 20 calorias. A inulina também auxilia no combate à ansiedade, ao estresse e facilita a digestão. Além disso, as vitaminas presentes na planta ajudam a manter o organismo saudável.

Comum nos lares brasileiros pela versatilidade de preparos, a verdura pode ser usada em saladas dos mais variados tipos. Vai bem cortada em fatias finas com tomate e pepino, por exemplo. Os temperos dão o toque diferencial: azeite, salsinha, cebolinha e alecrim são básicos. Depois para incrementar a receita há quem use açafrão e pimenta calabresa.

As folhas de almeirão devem ser lavadas com cuidado para evitar parasitoses. Após limpar uma a uma, elas devem ser colocadas em água sanitária, vinagre ou produto específico para matar organismos nocivos. Em seguida, as folhas devem ser lavadas em água corrente filtrada para então serem servidas.

Receitas com almeirão

A planta também pode refogada com alho e cebola ou alho e óleo. De um jeito ou outro, o almeirão refogado acompanha, bem carnes, peixes ou frango. O almeirão pode figurar ainda em:

  • Sopas
  • Receitas de ensopados
  • Como recheio para substituir a escarola em empadas e tortas
  • Acompanhando o tradicional arroz com feijão como o componente vegetal da refeição

Outras combinações podem ser feitas com o agrião e grãos como lentilha, feijão, e grão de bico. Uma receita de sucesso entre os italianos, por exemplo, é o frango ao molho de tomate com almeirão e polenta. A verdura entra no final, picada, como se fosse uma salsinha enfeitando o prato.

Sucos detox de almeirão

O almeirão pode ser um dos ingredientes daqueles sucos feitos para limpar o organismo, os chamados sucos detox. Uma receita clássica é a que mistura a verdura com o suco de duas laranjas e uma pitada de gengibre. Se o produto for in natura, rale o equivalente a uma colher de café. Bata tudo no liquidificador e sirva rapidamente.

Outra receita com almeirão que tem o efeito diurético e desintoxicante mistura 1 folha de hortaliçã, outra de couve, 1 pepino pequeno sem casca, 1 fatia de abacaxi e uma maçã. Passar no liquidificador e servir com pedras de gelo. Quem se interessar pode pesquisar que encontrará o suco refrescante de sua preferência para servir aos convidados num jantar ou recepção. O segredo é sempre bater e servir em seguida.

Almeirão refogado

De fato, o almeirão é uma verdura crocante, com folhas verde escuras e sabor característico, acentuadamente amargo. Certamente, quando refogado, torna-se uma alternativa perfeita para acompanhar um prato com carne, feijão e arroz.

Por analogia, o sabor dessa verdura não se sobrepõe ao dos outros elementos. Uma vez que pode ser facilmente encontrado em “sacolões”, hortifrutis e feiras livres, é altamente recomendável procurar pelas folhas mais novas.

No momento em que passar a preparar seus refogados com essas folhas de coloração mais clara, notará que são menos amargas sem, no entanto, perder a crocância. Principalmente, lembre-se de que o almeirão refogado, tal como outras verduras, murcha nesse processo.

Por isso, fique atento ao cálculo das quantidades. Apesar desses cuidados, valerá a pena incluí-lo em sua dieta, pois o almeirão é rico em ferro, vitaminas, proteínas e fibras, colaborando para o correto funcionamento do organismo.

Não apenas a saúde importa nesse contexto: em decorrência de seu sabor amargo, o almeirão tende a ser subestimado na culinária. Com o intuito de evitar esse equívoco, aproveite para ousar, indo além dos simples refogados.

Salada de almeirão

É provável que a preparação de saladas seja uma das formas mais inteligentes de usufruir todos os benefícios do almeirão. Com a finalidade de assegurar a obtenção dos nutrientes imprescindíveis para o seu bem-estar, verifique a quantidade de calorias presentes em sua salada crua.

Inegavelmente, cada grama de carboidrato ou de proteína possui quatro calorias, ao passo que cada g de gordura apresenta nove calorias e, ainda, há sete calorias em cada mililitro de álcool.

Nesse sentido, ao escolher o almeirão cru para a sua salada de almeirão, verifique a quantidade de gorduras (principalmente as trans, nocivas à saúde), carboidratos, minerais, vitaminas, fibras e sódio.

Como se sabe, ao analisar as informações nutricionais dos alimentos, comparando-as com seus similares, fica mais fácil fazer escolhas cada vez mais saudáveis.

almeirão

Tipos de almeirão

Com toda a certeza, são as substâncias lactupicrina e actucina que produzem a tão conhecida ação anti-inflamatória do almeirão. Logo que passar a consumi-lo regularmente, você sentirá melhoras substanciais em quaisquer dores articulares ou musculares.

Por consequência, todos os tipos de almeirão possuem inulina, que é essencial para a digestão, inibindo o refluxo e melhorando a insuficiência hepática. Assim que, além da inulina, o almeirão possui oligofrutose e substâncias capazes de equilibrar os níveis do hormônio grelina, relacionado à sensação de fome.

Desde que tenham um fluxo menstrual mais intenso, as mulheres devem evitar essa verdura, já que ela estimula a menstruação. Em outras palavras, dentre os principais tipos de almeirão, destacam-se:

  • Almeirão do mato: é a variedade mais popular. Salvo o fato de que suas folhas podem ser tanto recortadas e lisas, é difícil diferenciá-lo dos outros tipos. Porque envelhecem, as folhas podem se tornar ainda mais amargas que de costume (o mesmo fenômeno ocorre logo após florirem);
  • Almeirão japonês: também conhecido como “almeirão comum”;
  • Almeirão roxo: é mais difícil de encontrar e um pouco menos amargo que os demais.

Qual a diferença entre almeirão e chicória?

Logo depois de conhecermos um pouco mais sobre a estrutura biológica do almeirão, chegou a hora de abordarmos um dos temas mais recorrentes: a confusão que muitas pessoas fazem entre ele e a chicória.

Enquanto a chicória também é uma erva amarga, é mais indicada como um depurativo renal, diurético, vermífugo, tônico e para o fígado. Aliás, o almeirão também é um tipo de chicória. Por causa disso, nas feiras, as reconhecemos como plantas distintas.

Porquanto sejam da mesma espécie, são duas variedades diferentes, com propriedades medicinais similares. Desse modo, a chicória passou por melhoramentos genéticos ao longo do tempo.

Visto que essas intervenções a deixaram bastante diferenciada de outras plantas de sua mesma família, ela tem disponibilizado, na atualidade, folhas abertas, fechadas e justapostas (ou “de cabeça”) raízes mais grossas.

Antes de mais nada, nas tradições populares, as pessoas utilizavam a chicória como depurativa do fígado, rins e do sangue; como anti-inflamatória, digestiva e vermífuga. Logo após, a planta passou a ser amplamente utilizada para tratar casos como diabetes, tromboses, dentre outros.

Eventualmente, as fibras vegetais da chicória, diferentemente do almeirão, provocam um suave efeito laxativo, contribuindo para a melhoria de quadros de atonia intestinal. Portanto, ela também é útil em situações de obstrução dos ovários e amenorreia.

Igualmente, sua utilização medicinal vem sendo estudada nas universidades, pois, ainda que não existam comprovações científicas, o costume (sobretudo, pelas populações mediterrâneas) justifica análises mais aprofundadas.

Pode comer almeirão cru?

A resposta óbvia é “sim”. Acima de tudo, a quantidade existente de fibras em cada 100 g de almeirão é quase 3 vezes maior do que a presente na mesma porção, por exemplo, da alface americana.

Com o propósito de obter auxílio para regular o intestino, além das fibras, os minerais que estão em sua composição (ferro, fósforo, magnésio e cálcio), as vitaminas (C, B5, B2, B1 e A) e os aminoácidos também colaboram para o correto funcionamento das células.

Em contrapartida, isso é crucial para a manutenção da saúde do sistema imunológico, do sistema cardiovascular, do intestino, do cérebro, do fígado e dos ossos. Do mesmo modo, essa série de antioxidantes e vitaminas do almeirão faz com que a planta ajude no fortalecimento da imunidade, prevenindo resfriados, gripes e outras enfermidades.

Primeiramente, para que o seu organismo esteja sempre fortalecido, prepare sucos energéticos utilizando o almeirão, frutas (laranja e limão, principalmente), além de outros vegetais (como cenoura e couve) que sejam boas fontes de antioxidantes.

A saber, você poderá variar em suas receitas com almeirão, utilizando-o para fazer sucos, propiciando cafés da manhã muito nutritivos. Em princípio, devido ao elevado teor de água presente em sua composição, essa verdura age, ainda, como diurético natural.

Antes que perceba, você evitará reter líquidos, eliminará toxinas (propiciando um potente “detox” no organismo) e otimizará sua hidratação. Em conclusão, o almeirão cru é fonte de muitas fibras alimentares.

Seja como for, esses nutrientes do almeirão auxiliaram no seu processo digestivo, concedendo maior sensação de saciedade. A propósito, esse alimento é altamente recomendável a quem necessita perder peso e aprimorar o funcionamento de seu aparelho gastrointestinal.

almeirão

Como tirar o amargo do almeirão?

Embora muitas pessoas apreciem o almeirão justamente pelo seu amargor, há quem não coma a verdura devido ao seu sabor. Só para exemplificar, se você se enquadra nesta categoria, gostará de saber que pode aproveitar tranquilamente de todos os benefícios da planta, tirando o gosto amargo de um modo fácil e simples.

Sem dúvida, algumas dicas ajudam a reduzir esse gosto amargo. Confira, a seguir:

  • Corte as folhas em parte bem finas, temperando-as com limão e azeite. Sem dúvida, a combinação desses dois elementos ajuda a reduzir um pouco o gosto amargo;
  • Deixe as folhas, em uma mistura com vinagre de álcool e água, de molho. Nesse ínterim, reserve, ao menos, 1 hora antes de iniciar a preparação de uma salada ou refogado;
  • Corte as folhas em tiras bem finas, deixando de molho, em água, junto a uma rodela de cebola por cerca de 2 horas.

Ademais, se for preparar um refogado, a melhor dica consiste em deixar as folhas em uma panela de água fervente. Só que, depois, troque essa água quente por outra fria. No momento de comer, misture as folhas com outros alimentos em seu prato.

Qual é o significado da palavra almeirão?

Precipuamente, o termo “almeirão” é derivado do radical grego “ámuron” (transliterado), que pode ser traduzido, aproximadamente, para o português, como “aquilo que não tem perfume”.

De maneira idêntica, a medicina dos romanos se inspirou, em grande parte, nos estudos da antiga medicina grega. Assim sendo, a dominação exercida sobre os territórios helênicos abriu, para os romanos, as portas para um mundo desconhecido de novas ideias e descobertas.

Como resultado, diferentemente dos helênicos, que buscavam as origens e os efeitos das plantas, os romanos não estavam interessados pelo viés dos estudos médicos.

Se bem que a medicina romana se debruçou sobre os ensinamentos hipocráticos, o Grande Império já havia aprendido, dos etruscos, outras formas de garantir a drenagem de pântanos, a irrigação de campos cultiváveis e a manutenção da higiene pública.

Ainda assim, o conhecimento de maior destaque, sem dúvidas, recaiu sobre a relevância da água potável.

Como plantar almeirão em casa?

Mesmo que seja relativamente fácil plantar almeirão em casa, há vários fatores que têm elevado o interesse dos indivíduos em cultivá-lo. Contudo, dentre esses elementos, podemos citar:

  • A indisponibilidade de cultivares em algumas regiões;
  • O alto preço dos produtos nas feiras livres e no mercado;
  • A utilização exagerada de agrotóxicos na produção alimentícia.

Conforme os novos contextos, um estilo mais saudável de vida e o crescimento do veganismo e do vegetarianismo aumenta a procura por essa atividade. A horticultura caseira tem ganhado um número cada vez maior de adeptos.

De conformidade com isso, há certos cuidados essenciais para obter sucesso ao plantar almeirão em casa. Isto é, considerando que você deseja uma maneira simples de começar, sem necessitar de muito espaço ou de adotar medidas complexas.

Com efeito, você deve assegurar o bom andamento de 4 fatores: clima, solo, luminosidade e irrigação. Veja mais detalhes em seguida:

  • Clima: a melhor temperatura deve ser, como mencionado, entre 19 °C e 29 °C. De tal forma que há cultivadores que tolerem temperaturas inferiores, existem outros que se adaptam a temperaturas mais elevadas. Inesperadamente para muitos iniciantes, porém, quaisquer temperaturas que excedam os 25 °C podem induzir as plantas a florescer precocemente e a produzir folhas menos desenvolvidas;
  • Luminosidade: o almeirão pode crescer sob sombra parcial ou sol direto. Além disso, o indispensável é a existência de uma boa luminosidade;
  • Solo: o almeirão requer solos bem drenados, férteis e ricos em matérias orgânicas. Em virtude disso, o pH do solo deve ficar entre 5 e 7. Não é preciso que os solos sejam ricos em nitrogênio;
  • Irrigação: o almeirão deverá ser irrigado frequentemente, a fim de evitar o ressecamento do solo.

almeirão

Horticultura no Brasil

A horticultura no Brasil apresenta resultados que giram em torno de vinte milhões de toneladas produzidas anualmente. Para que você tenha uma ideia, são quase 3 milhões de trabalhadores ocupados no setor, movimentando cerca de R$ 100 bilhões por ano.

É interessante também observar o que mudou no cenário com a pandemia da COVID-19. Felizmente, o setor do agronegócio tem obtido benefícios, funcionando a todo vapor, principalmente porque as pessoas estão passando mais tempo em casa e, com isso, tendo mais tempo para preparar alimentos naturais, como hortaliças.

Outro grande apelo que impulsiona a horticultura no Brasil é a maior preocupação com uma alimentação mais saudável. A onda do vegetarianismo e do veganismo, dietas que favorecem o consumo de alimentos naturais sem origem animal, também ajudam a elevar os números da horticultura brasileira mesmo em meio à pandemia.

Por fim, essa produtividade evidencia que, apesar dos problemas eventuais de sazonalidade, a horticultura brasileira é capaz de gerar bons negócios aos envolvidos. Mas, para citar apenas o almeirão, o hectare plantado tende a render de R$ 2 mil a R$ 20 mil em campo aberto.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo