Matrinxã é peixe agressivo e popular na pesca esportiva

Inicio » Pecuária » Matrinxã é peixe agressivo e popular na pesca esportiva
16/04/2019 Por
Foto: matrinxa
Matrinxã é peixe agressivo e popular na pesca esportiva

Agressivo e com um rápido crescimento, o matrinxã é demandado tanto para a pesca esportiva quanto para a criação.

Dentre os peixes de água doce do Brasil, podemos destacar o matrinxã, popularmente conhecido como jatuarana. Sua espécie faz parte da fauna aquática da Amazônia e é de grande interesse para a piscicultura comercial local; e sua criação também é amplamente requisitada por piscicultores, já que esse peixe faz parte do cardápio dos consumidores da região.

Além disso, o matrinxã também é uma ótima opção para a pesca esportiva. Leia o artigo e descubra suas características e o porquê desse peixe ser tão demandado.

Matrinxã

O que é matrinxã?

O matrinxã, de nome científico Brycon cephalus, é um peixe de escamas com corpo comprido, alongado e alto. Possui coloração prateada, sendo as nadadeiras alaranjadas e a sua nadadeira caudal de cor mais escura.

Na região umeral (logo acima da sua nadadeira peitoral), há uma grande concentração de pigmento, formando uma mancha escura e arredondada. Seus dentes são multicuspidados e fortes, sendo enfileirados em sua maxila superior.

Além disso, o peixe matrinxã pode apresentar crescimento rápido, inclusive, ao se alimentar de rações artificiais. Em cativeiro, o peixe consegue alcançar 1,5 quilos em cerca de um ano, um ótimo tamanho para a sua comercialização.

No geral, o peixe pode atingir 80 centímetros de comprimento e pesar 5 quilos.

Alimentação, habitat e criação

O peixe matrinxã é onívoro, consumindo tanto alimentos de origem animal quanto de origem vegetal. Por isso, ele se alimenta de:

  • sementes;
  • frutos;
  • flores;
  • pequenos peixes e
  • insetos.

O peixe pode se alimentar, inclusive, de pequenos peixes de sua mesma espécie. Ou seja, apresenta canibalismo.

Caso haja criação de matrinxã, sua alimentação pode ser artificial, ou seja, através de ração. Mesmo nesse caso, há um bom crescimento do peixe. Assim, como explicado no artigo, em um ano o peixe pode pesar cerca de 1,5 quilos, tornando a sua criação uma ótima opção para comercialização e agricultura familiar.

Devido ao seu sabor, o peixe é bem aceito na culinária da população local, e pode ser encontrado para pesca no Tocantins e em bacias amazônicas. Seu consumo é comum, também, por população ribeirinha, bem como em comunidades indígenas.

Com a piscicultura e o aumento da criação em cativeiro, o peixe passou a ser comercializado, também, em outras regiões do país. Já o seu habitat natural são os rios e lagos com água clara e limpa. O matrinxã consegue, ainda, resistir a águas frias e ácidas. Ele costuma ficar próximo a estruturas em que possa espreitar presas, como troncos submersos.

Matrinxã

Pescaria de matrinxã

A pescaria de matrinxã é bem comum, tanto na pesca esportiva quanto para comercialização. Devido a sua agressividade, o peixe torna-se atração para a pesca esportiva e, devido ao seu rápido crescimento e sua carne saborosa, torna-se uma ótima opção para a criação e comercialização.

O matrinxã ataca facilmente as iscas na superfície, porém o peixe é desconfiado. Portanto, tenha preferência por locais com pouca movimentação.

Como seus dentes são afiados, podem cortar as linhas. Assim, para ajudar, você pode utilizar um shock leader de fluorcabono, ou pode encastoar seu anzol. Caso utilize iscas artificiais,  prefira as que imitem peixes pequenos ou insetos. Você também pode utilizar miçanga para simular sementes e frutos.

Como o matrinxã é onívoro, é possível utilizar, como isca natural, frutinhas, massinhas (de preferência colorida e que imite algum fruto ou semente da região) e lambari (peixe que o matrinxã costuma comer, quando não encontra muitas frutas e sementes).

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo