Giesta é uma espécie de arbusto nativo de Portugal

Inicio » Agricultura » Giesta é uma espécie de arbusto nativo de Portugal
23/03/2021 Por
Giesta é uma espécie de arbusto nativo de Portugal

Uma espécie de planta cujo principal traço são suas belas flores amarelas. Um arbusto grande e versátil e que possui diversos usos. Estamos falando da giesta, um belo arbusto enfeitado com flores, muito comum na Europa.

Além de ser belíssima, essa planta também garante alguns benefícios. Uma planta selvagem, que possui um aroma fresco e puro, é muito utilizada na fabricação de perfumes. Além disso, alguns produtos de limpeza também utilizam de seu perfume. Em alguns locais, também é comum se deparar com chás preparados com giesta, rendendo diversos benefícios para a saúde.

  1. O que é giesta?
  2. Características da planta e flor giesta
  3. Benefícios e propriedades da planta giesta
  4. Cultivo da giesta
  5. Poda da giesta
  6. Giesta branca
  7. Giesta amarela
  8. Giesta do deserto
  9. Giesta-das-serras
  10. Giesta brava
  11. Mudas de giesta
  12. Como plantar giesta em casa?
  13. Decoração com giesta
  14. Onde encontrar giesta no Brasil?
  15. Quando a giesta floresce?
  16. Giestas têm frutos?
  17. Pragas e doenças da giesta

giesta

O que é giesta?

Giesta é uma espécie de arbusto. Seu nome científico é Spartium junceum, derivando da palavra grega spartion, que é designado às plantas produtoras têxteis e utilizadas para fazer ataduras.

É comumente chamada de giesta das vassouras. É originária da Europa, mais precisamente Portugal e Espanha.

Características da planta e flor giesta

Esse arbusto cresce rapidamente, e é abundantemente inserido como ornamento, além de possuir características de controle de erosão. Acabou se tornando uma espécie daninha em diversas regiões tropicais, subtropicais e temperadas ao redor do mundo.

De maneira idêntica, a planta também é resistente e consegue se adaptar bem em diversos habitats e tipos de solos. Também possui boa tolerância a condições desagradáveis de seca.

Por meio de distúrbios no solo e incêndio, é feita a germinação das suas sementes. Quando se estabelece, torna a mata densa, impenetrável e desagradável para boa parte dos animais selvagens. Os arbustos são capazes de deslocar outras espécies nativas, aumentando a carga de combustível para incêndios.

Em resumo, essa espécie fixa o nitrogênio, sendo capaz de alterar a fertilidade do solo, a ciclagem dos nutrientes e os padrões de sucessão.

Benefícios e propriedades da planta giesta

A planta giesta possui propriedades diuréticas. Desse modo, ela é uma boa parceira para pessoas diagnosticadas com obesidade, já que tem a capacidade de anular e eliminar a retenção de líquidos.

Também tem propriedades que combatem a infecção urinária e doenças cardíacas.

Cultivo de giesta

Se bem cultivada, pode atingir de 1 a 4 metros de altura. Possui diversos ramos finos, que se assemelham a varas, com suas folhas estreitas e retas.

Ao florescer seus cachos delicados, eles se alternam nas cores branco e amarelo, portanto, as espécies mais comuns são as de giesta amarela e giesta branca. Às vezes, também é possível encontrar a planta na cor rosa.

Aconselha-se regar constantemente, principalmente no calor, mas não de maneira excessiva. Do contrário, pode ocorrer de a flor se afogar por encharcamento, deixando de crescer.

Mesmo podendo ser plantada em vasos, trata-se de uma espécie selvagem, portanto, o ideal é cultivar no jardim.

Poda da giesta

Primeiramente, lembre-se que essa planta chega a 4 metros de altura. Portanto, a poda deve ser realizada com suavidade, eliminando apenas os ramos que se encontrem em mau estado, ou seja, aqueles deformados, partidos ou rompidos pelo vento.

Desse modo, você não só ajudará a manter forte o arbusto da giesta, como auxiliará no rejuvenescimento das folhas. E, claro, fazendo isso, a planta também irá se prevenir de algumas pragas e doenças.


Giesta branca

A planta pertence à família Fabaceae e apresenta uma diversidade incrível de flores. Uma delas é a planta do tipo branca, que é bastante popular na jardinagem. O vegetal é comumente usado por ser muito atrativo para as abelhas e, consequentemente, para a produção de mel.

Uma característica muito interessante da giesta branca é que seus arbustos servem para ajudar na fertilidade do solo, em especial, em locais onde se cultiva cereais.

Elas se encaixam perfeitamente para o cultivo em quintais e jardins abertos. Além disso, deixam o ambiente com um aspecto mais campestre e bucólico. A giesta branca auxilia na recuperação do solo que sofre erosão. Ou seja, além de embelezar a flor, também ajuda na manutenção do solo.

Giesta amarela

Dentre as espécies mais conhecidas da flor giesta, podemos citar a flor amarela. Ela possui o nome científico de Giesta sphaerocarp e cresce em forma de moita.

Por essa característica peculiar, ela comumente proporciona a degradação de outras plantas, como é o caso dos conjuntos de pinhais.

Encontramos a giesta amarela com mais facilidade na região da Península Ibérica e, como seu próprio nome denuncia, ela possui lindas flores amarelas.

Giesta do deserto

A flor recebe também o nome de giesta do deserto ou flor do deserto.

Essa denominação é comum porque muitas passagens na Bíblia citam a flor e destacam sua adaptação em um ambiente desértico, árido e muito difícil para o desenvolvimento da maior parte das plantas. Interessante, não é memso?

Giesta-das-serras

A giesta-das-serras é outro nome pelo qual é conhecida a giesta amarela.

Aliás, você sabia que essa variedade de planta era conhecida no passado como uma planta mágica? Pois é! Devido ao seu uso medicinal para auxiliar na cura de problemas respiratórios e febre, ela ganhou essa denominação.

Outro uso bastante peculiar da giesta, no passado, era para fazer vassouras. Além da utilização mais tradicional que é a ornamentação de espaços, ela é ideal quando é necessário fazer a correção da fertilidade e qualidade de um solo.

Giesta brava

Com nome científico de Cytisus scoparius, a giesta brava apresenta uma característica bem peculiar: a toxicidade.

A planta desta variedade possui alcaloides e aminas que podem ser nocivos ao nosso organismo. Portanto, todo cuidado é pouco ao manejar a giesta brava, ok?

No total, são mais de sete espécies na família que abriga a giesta. A maior parte delas é nativa de três continentes, embora predominem na região do Mediterrâneo.


Mudas de giesta

Podemos encontrar as mudas de giesta em lojas especializadas e também em sites que vendem plantas e sementes. Geralmente, os viveiros que cultivam essa espécie no Brasil fazem importação da planta.

Lembramos que existem mais de oitenta espécies diferentes da giesta e muitas vezes os critérios de identificação são bem controversos. Por esse motivo, é bem comum encontrar a mesma flor com denominação diferentes.

Como dito anteriormente, o manejo da giesta deve ser feito com cuidado pois ela apresenta propriedades tóxicas. Ela cresce espontaneamente como erva daninha em terrenos abandonadas. Ela pode, inclusive, invadir naturalmente os jardins e canteiros.

A planta também é conhecida como “maia” em algumas regiões do mundo. Trata-se se um vegetal que é popular há muito tempo e que tem muitas lendas ao seu respeito. Dentre elas, a lenda que diz que a giesta é capaz de acabar com feitiços e, portanto, é uma planta com poderes mágicos.

Ademais, vale lembrar que essa espécie tem ciclo perene. Os ramos são bem fininhos e podem chegar a medir quase três metros. Jás as folhas ficam dispostas exatamente nessa ramagem mais rala.

No passado, era bastante comum a utilização dela na medicina popular, especialmente, por meio do seu chá. A indicação era a melhoria para emagrecer, infecções urinárias e até mesmo para evitar a constipação.

Lembramos que as plantas medicinais devem ser sempre usadas com cautela e que um médico deve ser consultado na persistência dos sintomas. Afinal, você nunca deve fazer automedicação, nem mesmo quando se trata de soluções naturais.

Como plantar giesta em casa?

Depois de conhecer as principais características da giesta, vamos conhecer um pouco mais sobre a melhor forma de plantá-la? Esta é uma árvore que podemos cultivar dentro de casa de forma muito simples.

O primeiro passo é observar com cuidado as condições de clima que você dispõe para o seu cultivo. Neste sentido, essa condição é determinante para o sucesso do crescimento saudável da planta giesta.

Procure deixar as mudas de giesta próximas de um local que receba muitos raios solares. Portanto, ela é uma planta que se adapta com mais sucesso em ambientes externos. Ela pode até resistir alguns tempos em uma área com semi sombra, mas a longo prazo o vegetal vai acabar morrendo pela falta de luminosidade.

As melhores épocas para plantar a flor são o verão ou primavera. Outro ponto importante é que, quanto mais luminosidade a plantar receber, mais imponente será a sua floração.

Vale a pena plantá-la em vasos? Sim! A flor se adapta muito bem tanto em vasos quanto em canteiros no chão. Entretanto, lembre-se de deixar a terra sempre úmida, ok?

Porém, é necessário entender que rega nem sempre significa encharcamento. Afinal, água de forma excessiva pode causar muitos danos para o vegetal. Fique atento para períodos do ano mais quentes e capriche na rega, mas sempre analisando a quantidade ideal para não afogar a giesta.

De forma geral, esta não é uma planta que vive muito e dura, em média, cerca de dois anos se cultivada de forma correta.

Decoração com giesta

Podemos usar a giesta em composições internas, mas a indicação mais adequada é o uso em áreas externas. Afinal, ela é uma planta silvestre e, portanto, precisa de determinadas condições de luminosidade e clima para se desenvolver plenamente.

Quanto ao solo, não existe nenhuma indicação específica para o cultivo da giesta. Ela apenas exige uma terra drenada e rica em areia. Entretanto, consegue se desenvolver tranquilamente em períodos sem chuvas e em solos com menos matéria orgânica.

Como já dito, a flor pode crescer bastante e precisa de podas. Realize o corte com cautela e procure retirar a menor quantidade de galhos possíveis. Procure priorizar os ramos que estão com algum problema como deformações, secos, quebrados ou danificados pela ação da natureza.

Os cuidados com a poda são importantes para manter a planta jovem e evitar que o vegetal gaste energia à toa com folhagens secas e mortas. Além disso, essa é uma ação que ajuda a prevenir também o aparecimento de doenças na flor.

Com flores saudáveis e bonitas, você poderá fazer arranjos decorados com as touceiras que as plantas formam. Quer uma dica incrível de decoração com essa planta? Junte diversos maços e coloque-os distribuídos em uma área ampla como os quintais e gramados.

Outra maneira de utilizar a flor giesta na decoração é em vasos grandes. Quer uma dica de ouro? Que tal fazer o plantio do vegetal atrás de arbustos de porte mais baixo? O truque é simples! Assim, eles podem cobrir a parte inferior da flor que não é tão bonita quanto as suas flores.


Onde encontrar a giesta no Brasil?

A giesta é uma planta arbustiva frequentemente usada em projetos de paisagismo. Burle Marx, um dos maiores paisagistas do mundo, utiliza bastante o gênero em suas composições.

Entretanto, nem sempre é simples encontrar a giesta e algumas pessoas sequer conhecem a flor. Os jardins de Marx estão presentes em várias cidades brasileiras, dentre elas, Brasília e Belo Horizonte. A parceria do paisagista com o arquiteto Oscar Niemeyer rendeu muitos projetos que dão um lugar de destaque à planta nativa da região ibérica.

Na hora de pensar no paisagismo de uma área ampla, seja comercial ou residencial, é muito importante escolher os vegetais corretos. Lembramos que essa não é uma questão apenas estética, mas, em função da adaptação das plantas no ambiente.

Desta forma, é fundamental conhecer bem o solo e as condições de clima da região para fazer a melhor escolha. No caso do Brasil, boa parte das regiões do país recebe grande quantidade de sol durante boa parte do ano.

Assim, se você objetiva cultivar flores, o ideal é optar por espécies mais resistentes como é o caso da giesta.

Quando a giesta floresce?

A flor giesta floresce geralmente na estação da primavera. As espécies da planta geram flores de cores diferentes que formam uma combinação incrível na natureza. Podemos encontrar giesta nas cores amarelo, lilás, laranja, branca, vermelho e até mesmo uma variedade na cor dourado que é típica em Portugal.

Geralmente, a floração das plantas sempre gera diversos questionamentos porque é onde conseguimos visualizar como está, de fato, o cultivo das plantas. É como se as flores fossem o indicativo de que os cuidados com os vegetais estão sendo realizados de forma satisfatório, não é mesmo?

Portanto, é bom sempre ficar atento àqueles fatores e ações que podem influenciar ou retardar o florescimento da sua planta.

Nutrientes como o potássio, nitrogênio, cálcio e magnésio devem estar presentes no solo do cultivo. Além disso, é sempre bom checar se os vegetais estão servidos de outros nutrientes como zinco, cobre, boro e manganês.

Caso a sua plantinha tenha chegado ao período da floração com saúde, é sinal de que ela possui quantidade suficiente destes nutrientes. Mesmo sendo exigidos em menores quantidades, eles são essenciais para o desenvolvimento das plantas e sua deficiência pode, inclusive, contribuir para que as árvores não apresentem flores.

Não podemos esquecer que a capacidade de uma planta captar nutrientes pode diminuir com a inadequação do pH do solo. Portanto, esse é um ponto que também merece toda a sua atenção na hora de cuidar do seu jardim.

Giestas têm frutos?

Sim! A giesta apresenta pequenos frutos que têm o formato achatado e apresentam cor preta quando estão amadurecendo. Em geral, eles aparecem entre o verão e o outono.

Mesmo com frutos vistosos, você deve manter as crianças e os animais domésticos distantes da árvore por causa da sua grande quantidade de componentes tóxicos como a cistina, alcaloides e esparteína. Portanto, bastante atenção ao cultivar essa espécie em sua casa.

O vegetal tem uma capacidade enorme de reprodução e, assim, ele invade espaço inoportunamente. Essa característica é valorizada pelos paisagistas pois permite que eles moldem os arranjos e, desta forma, tenha uma infinidade de possibilidades na hora da criação. A combinação de cores das flores também desperta o apreço dos profissionais.

A espécie é bastante cultivada nos Estados Unidos. Os jardins americanos possuem conjuntos de touceiras que se juntam e se transformam em uma imensidão de lindas flores amarelas. Uma vantagem no cultivo desta planta é que ela é bem resistente ao ataque de pragas e dispensa um cuidado mais apurado por parte do jardineiro.


Pragas e doenças da giesta

Mesmo tendo muita resistência, a giesta é uma planta que pode ficar suscetível a doenças e pragas. O ataque de alguns animais é uma das condições mais prejudiciais ao desenvolvimento da planta.

Dentre os insetos que adoram a giesta, podemos citar os pulgões. Eles são responsáveis por manchas amarelas nas folhas das plantas e sugam os nutrientes e a seiva necessária para que o vegetal se desenvolva bem.

Portanto, fique atento ao seu jardim e procure soluções naturais para combate às pragas. O alho, a camomila, o absinto e a cebola são exemplos de ótimos remédios naturais para acabar com os pulgões.

Ainda no início da estação da primavera, escolha um composto orgânico para adubar a sua giesta. Siga as orientações do fabricante do composto para aplicação e procure molhar a planta antes de iniciar a fertilização. Esse cuidado é importantíssimo para evitar a queima das raízes da planta.

Esperamos que você tenha aprendido um pouco mais sobre as características da giesta e sobre como plantar, cuidar e utilizá-la no paisagismo. Se você tem bastante espaço no quintal e deseja introduzir uma planta silvestre bastante simples de cuidar, a giesta é uma excelente opção.

One Reply to “Giesta é uma espécie de arbusto nativo de Portugal”

  • Conceição disse:

    Olá,boa tarde. Está flor me lembra a infância, procuro sementes da Giesta branca amarela e outras cores se tiver. Gosto muito desta flor. Obrigada. Conceição

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo