Silvicultura e a sua importância para a conservação ambiental

Inicio » Meio Ambiente » Silvicultura e a sua importância para a conservação ambiental
13/03/2019 Por
Silvicultura e a sua importância para a conservação ambiental

O papel da silvicultura na preservação florestal

A silvicultura engloba atividades voltadas para a conservação e preservação ambiental, visando o crescimento florestal e produtivo das espécies plantadas.

Sendo praticada de forma sustentável, a silvicultura faz parte das atividades com maior destaque dentro da economia brasileira.

Silvicultura: florestas

O que é silvicultura?

Silvicultura é o nome dado ao estudo de técnicas artificiais e naturais de melhoramento e regeneração das florestas, fazendo parte da engenharia florestal. Ela tem como intuito suprir as necessidades do mercado, destacando métodos de conservação, aplicação e uso consciente de florestas. Esta ciência também está diretamente relacionada à cultura madeireira. A silvicultura utiliza o plantio de mudas para que a recuperação florestal seja feita.

Em geral, o intuito central é acompanhar o crescimento e desenvolvimento das árvores, para que haja uma produção precisa e adequada de produtos ou serviços – sem impactar o ecossistema florestal. Alguns dos principais esforços e produtos envolvidos nessa cadeia são:

  • Lenha;
  • Madeira;
  • Madeira industrial;
  • Estoque de carbono;
  • Hospitalidade;
  • Lazer
  • Proteção do solo;
  • Qualidade e boas condições de paisagem.

Assim, plantas regionais são cultivadas, visando a ampliação de conservação dos biomas presentes; além da restauração dos recursos hídricos e da biodiversidade. Quando relacionada à cultura madeireira, a silvicultura é chamada de megassilvicultura, e está voltada para a exploração da madeira visando o comércio.

Em outras palavras, a prática da silvicultura é aplicada para o plantio de espécies de plantas ou florestas para que, depois, aconteça a venda dos produtos plantados. Ou seja, ela está relacionada tanto aos objetivos comerciais quanto com as atividades de passatempo (ou hobby) ou ativismo ambiental. Além disso, ela pode ser divida em:

  • Silvicultura clássica: refere-se ao manuseio de florestas naturais, visando estímulos de produção que não danifiquem o ecossistema;
  • Silvicultura moderna: refere-se ao manuseio de florestas plantadas de forma artificial.

Os pontos mais influentes da prática são, basicamente:

  • Determinação das espécies;
  • Fatores climáticos;
  • Determinação do material genético;
  • Produção de mudas;
  • Preparação do solo;
  • Tratamento de culturas;
  • Planejamento da colheita;
  • Controle de pragas e invasores indesejados, como as ervas daninhas.

Silvicultura sustentável

O manejo florestal sustentável é extremamente importante para que as florestas sejam recuperadas, principalmente por meio do plantio de espécies de mudas. Dessa forma, as atividades de silvicultura estão voltadas para esta recuperação, focada principalmente em áreas já degradadas.

Os biomas locais e o recursos naturais afetados pela degradação do meio ambiente são cuidados pelas técnicas de restauração vegetal. Ou seja, são plantadas espécies que, anteriormente, haviam sido retiradas daquela região.

Para que a silvicultura sustentável seja realizada, é preciso planejamento com base em estudos sobre a região a ser trabalhada. O objetivo é, por exemplo, saber as condições da área, a quantidade de árvores danificadas, a porcentagem de desmatamento, os recursos naturais impactados e qualidade do solo.

Assim, encontrar espécies adequadas, propícias e eficientes para o reflorestamento é um dos principais desafios. O importante é fazer a escolha levando em conta as necessidades do mercado e a preservação do meio ambiente.

Um dos grandes benefícios desta prática é a administração adequada das espécies a serem cultivadas e, futuramente, utilizadas como matéria prima. Além disso, a população em torno da região também acaba sendo favorecida devido ao reflorestamento local, que contribui para a qualidade de vida dos seres, da fauna e da flora regional.

Dessa forma, a atividade é sustentável, pois as indústrias e empresas que farão uso dos produtos estarão utilizando matéria prima que não impactará a natureza, diminuindo os riscos de desequilíbrio ambiental.

Silvicultura de precisão

Silvicultura: plantio de árvores

As indústrias estão optando pelo uso de máquinas, serviços e tecnologias que auxiliam no aumento da produtividade, diminuem os custos operacionais e têm maior disponibilidade. O uso destes implementos propicia uma administração melhor das florestas. Por exemplo, a inserção da silvicultura de precisão possibilita o uso de:

  • Fotogrametria;
  • Fotointerpretação;
  • Cartografia;
  • Sistemas de informações geográficas;
  • Sensoriamento remoto;
  • Videografia;
  • Sistemas de posicionamento global.

Este tipo de silvicultura auxilia em maior nível de ganhos, principalmente por possibilitar o controle dos dados, permitindo selecionar um local adequado e fazer o planejamento da produtividade por cada espécie. São práticas semelhantes às da agricultura de precisão.

Minimizar os impactos ambientais e obter maior rendimento do solo são pontos realizados por meio da administração e acompanhamento das informações regionais. Sendo assim, o principal objetivo é focar nos recursos naturais mais importantes para as atividades.

Portanto, a silvicultura de precisão conta com variações na produtividade e no desenvolvimento tecnológico, que servem de auxílio para realizar as atividades de manejo dos plantios florestais.

Silvicultura no Brasil

Assim que os portugueses chegaram no Brasil, as atividades de exploração tiveram início, principalmente, com a descoberta do pau-brasil. Desde então, estas atividades vêm tendo destaque dentro da economia brasileira.

O desenvolvimento da silvicultura brasileira é baseado na inserção do eucalipto e na produção de madeira, destacada pelo grande crescimento de produtos e indústrias. Dessa forma, a madeira industrial é um dos principais produtos, sendo responsável pela fabricação de:

  • Celulose;
  • Papel;
  • Painéis;
  • Serragem;
  • Compensados;
  • Cavaco;
  • Lenha;
  • Carvão vegetal.

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), atualmente a silvicultura corresponde a 79% de toda a produção madeireira do Brasil. Porém, a região Norte não está inclusa, pois a Floresta Amazônica ainda engloba a maior parte de produtos do segmento.

No entanto, a Floresta Amazônica corre o risco de grandes impactos, podendo não mais ter a grande quantidade de recursos madeireiros. Por mais que o manejo florestal sustentável tenha o intuito de assegurar as condições do meio ambiente, isso ainda não garante a manutenção do nível de desenvolvimento e crescimento das árvores e demais espécies.

As principais espécies plantadas no Brasil são:

  • Eucalipto;
  • Pau de balsa;
  • Sumaúma;
  • Taxi branco;
  • Ipê;
  • Tauari;
  • Teca;
  • Acácia mangium;
  • Paricá.

Essas são as espécies mais utilizadas nos plantios, pois evitam o despejo das árvores remanescentes e garantem o fornecimento de diversos produtos, seja para a comercialização interna ou para exportação.

Silvicultura: cultura madeireira

A silvicultura no Brasil faz uso de algumas espécies, principalmente, por possuírem uma madeira com boa qualidade e com valor alto no mercado. Outras árvores contribuem para a fixação de nitrogênio na atmosfera, tornando-se importantes nas áreas já degradadas.

Além disso, há no país uma Sociedade Brasileira de Silvicultura (SBS), responsável por cuidar e representar todo o setor florestal. Pública e sem fins lucrativos, tem como intuito a maior preservação e conservação ambiental.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo