Champignon tem sabor e aspecto requintado e é apreciado no mundo todo

Inicio » Agricultura » Champignon tem sabor e aspecto requintado e é apreciado no mundo todo
22/08/2019 Por
Champignon tem sabor e aspecto requintado e é apreciado no mundo todo

Champignon pode promover tanta saciedade quanto a carne. No início, o champignon era considerado um alimento exclusivo e disponível apenas para a elite. No entanto, no decorrer do tempo, o cogumelo se tornou mais acessível à população.

Métodos melhores e mais eficazes foram desenvolvidos. Atualmente, tem havido um aumento enorme no cultivo de champignon, facilitando assim o seu consumo.

  1. O que é champignon?
  2. Origem do champignon
  3. Como comer champignon?
  4. Quais as vantagens de comer cogumelos?
  5. Quais são os tipos de champignon?
  6. Cogumelo Paris
  7. Portobello
  8. Como plantar champignon?
  9. Receitas com champignon
  10. Sopa de champignon
  11. Estrogonofe de cogumelo
  12. Risoto de champignon
  13. Consumo de champignon no Brasil
  14. Cultivo de cogumelos

Champignon

O que é champignon?

Champignon é um cogumelo comestível. O termo champignon é derivado do idioma francês e se refere ao fungo.

Por volta do ano de 1650, um produtor dos arredores de Paris descobriu cogumelos crescendo em seu fertilizante de melões. O produtor decidiu então cultivar a mais nova e exótica iguaria, comercializando e introduzindo-a nos mais exclusivos restaurantes parisienses. Foi nessa época que o cogumelo recebeu o apelido de “champignon de Paris“.

Mais tarde, um jardineiro francês descobriu que as cavernas consistiam em um ambiente adequado para o cultivo de cogumelos. Isto é, um ambiente fresco e úmido, onde os champignons pudessem se disseminar.

Após a descoberta, o cultivo de cogumelos se desenvolveu em larga escala nas cavernas de Paris.

Origem do champignon

Acredita-se que os champignons foram cultivados pela primeira vez em torno do ano 600, na Ásia. Já na Europa, o primeiro fungo cultivado foi introduzido no século XVII.

Na Holanda, por sua vez, o champignon foi introduzido pela primeira vez no início do século XIX. Contudo, foi apenas após a década de 1900 que os fungos foram cultivados em grande escala. Além disso, ainda demoraria cerca de cinquenta anos para que os holandeses se familiarizassem com o cogumelo.

Afinal de contas, foi a partir do ano de 1950 que o fungo passou a se tornar popular entre produtores e consumidores da Holanda.

Este fato foi decisivo principalmente nos últimos cinquenta anos. Em outras palavras, a Holanda se tornou o maior produtor de cogumelos da União Europeia, com uma produção anual de 270 milhões de quilos e mais de 10.000 empregos.

Ao lado da China e dos Estados Unidos, a Holanda ocupa hoje o terceiro lugar no mercado. Atualmente, a China está em primeiro lugar em escala global, contabilizando 70% da produção mundial.

De fato, pode-se dizer que o cultivo de champignon é uma febre. Todos os anos, milhões de toneladas de cogumelos são cultivadas em todo o mundo.

Como comer champignon?

Champignon – também conhecido como champignon de Paris – é um cogumelo comestível de sabor suave. Por isso, o fungo pode ser facilmente misturado a diversos pratos e sabores.

De acordo com especialistas, os cogumelos comestíveis contam com quantidades significativas de minerais e oligoelementos.

São inúmeras as receitas com champignon como, por exemplo, saladas, guisados, carnes, molhos e demais misturas. Contudo, para manter o champignon fresco, é recomendado embrulhá-lo em uma toalha de papel úmida. Em seguida, é indicado que o cogumelo seja guardado em sacos, até que ganhe utilidade.

Já para o preparo do cogumelo comestível, são indicados alguns passos essenciais. Você pode conferi-los a seguir:

  1. Limpe cada champignon com um pano úmido ou toalha de papel umedecida. Remova toda a sujeira e detrito da parte superior e de dentro da tampa.
  2. Coloque os cogumelos em uma tábua limpa. Corte no topo de cada caule e em seguida descarte-os.
  3. Pique os champignons em fatias médias com uma faca afiada.
  4. Em uma panela, pré aqueça 1 colher de sopa de azeite extra virgem e 1 colher de manteiga. Refogue.
  5. Adicione os champignons e cozinhe até ficarem macios. Em seguida, retire-os do fogo.
  6. Tempere-os a gosto com sal, pimenta e demais temperos, se desejar.

Champignon

Quais as vantagens de comer cogumelos?

Os benefícios do champignon para a saúde incluem perda de peso, redução dos níveis elevados de colesterol e diminuição do diabetes.

Além disso, eles são uma rica fonte de fibras, selênio, vitamina C e vitamina D. Isto é, estes fungos ajudam a aumentar o bom funcionamento e resistência do sistema imunológico.

Abaixo, você confere cinco benefícios do champignon à saúde do organismo.

  • Auxilia na perda de peso

Estima-se que uma porção de champignon cru contenha apenas vinte calorias. Além disso, como se não bastasse, o cogumelo também contém zero de gordura, possuindo baixo teor de sódio.

Se você está de dieta, vai gostar de saber que os cogumelos podem oferecer tanta saciedade quanto a carne. Isto é, o champignon de Paris é um ótimo ingrediente para compor refeições se você está tentando uma dieta saudável.

  • Apresentam propriedades anti-inflamatórias

Estes fungos são capazes de reduzir a inflamação no corpo graças à presença de antioxidantes em sua composição como, por exemplo, ergothioneine e selênio.

De acordo com nutricionistas, os cogumelos são um alimento super indicado para consumo quando você sofre uma pequena inflamação, tal como uma lesão.

Além disso, ele é um aliado de pacientes com doenças auto imunes, como esclerose múltipla, artrite reumatoide ou lúpus.

  • Reforçam a saúde dos ossos

Uma única porção de cogumelo cozido pode fornecer até um terço da quantidade diária recomendada de cobre. Ou seja, um terço do mineral essencial quando o assunto é manter os ossos saudáveis.

Quando se trata de alimentos, os cogumelos são também uma fonte em vitamina D. Essa propriedade D fortalece os ossos, promovendo a absorção de cálcio.

Tal como os humanos, o champignon absorve vitamina C ao ser exposto ao sol. Para tanto, lembre-se de cultivá-los sob a luz do sol.

  • Podem compor uma dieta vegana

Falando de vitamina D, sabe-se que os veganos precisam fazer mais esforços para obter o nutriente. Minerais como ferro, selênio, potássio, cobre e fósforo também são fáceis de perder em uma dieta vegana.

A boa notícia é que os cogumelos são uma fonte de todos os nutrientes citados acima. Isto é, um componente muito útil em padrões alimentares restritos como dos veganos.

Os cogumelos também são ricos em vitaminas do complexo B, sendo o folato particularmente importante durante a gravidez.

Champignon

  • Retardam o envelhecimento

No ano de 2017, 13 variedades de cogumelos foram examinadas. Os pesquisadores descobriram que todas as espécies analisadas possuíam grandes quantidades de dois importantes antioxidantes. Eram estes a ergotioneína e a glutationa, ambos com propriedades anti-envelhecimento.

Além disso, os países com maior ocorrência de champignon em suas dietas têm menor incidência de doenças neurodegenerativas.

Quais são os tipos de champignon?

De fato, existem diversos tipos de cogumelos comestíveis disponíveis no mercado brasileiro. Os principais são:

  • Shitake;
  • Shimeji;
  • Funghi secchi;
  • Maitake;
  • Hiratake;
  • Morchella;
  • Cantarelo.

Contudo, o cogumelo mais conhecido e utilizado no Brasil ainda é o champignon. Até o momento, existem dois tipos de champignon: Paris e marrom (também chamado de Portobello).

Cogumelo Paris

Também conhecido como cogumelo Paris, o champignon tem a superfície lisa, de cor marrom claro e interior branco e uniforme. Ele tem sabor bem suave e agradável, além de textura interessante. Geralmente ele é comercializado fresco ou em conserva.

Além de muito versátil, o cogumelo Paris é rico em cálcio, fósforo, vitaminas B5 e B12 e fibras do tipo beta-glucanos. Assim, eles são uma excelente opção para quem não consume produtos de origem animal.

Contudo, assim como qualquer cogumelo, não é recomendado que ele seja consumido cru.

Portobello

Por outro lado, o champignon marrom (mais conhecido como Portobello) é o cogumelo Paris mais maduro. Por isso, ele é um pouco menor e mais escuro do que o champignon tradicional. Além disso, sua textura é mais firme, bastante parecida com a carne.

Em comparação com outros cogumelos maduros, o Portobello é o que tem um sabor bem suave. Por isso, ele pode ser consumido com outros alimentos de sabor forte.

Diferente do cogumelo Paris, o champignon marrom é rico em vitaminas B2 e B3.

Como plantar champignon?

Por se tratar de um fungo, o champignon se adapta bem a ambientes úmidos e com temperatura amena. De forma geral, o ideal é que a temperatura do ambiente do cultivo varie entre 12 °C e 25 °C.

Embora a estrutura (que envolve a água, o galpão e o sistema de refrigeração) precise ser adaptada à condição financeira do produtor, a verdade é que quanto mais tecnologia estiver disponível, maior será o rendimento do cultivo. Assim, o champignon pode ser plantado em condições distintas.

Como a produção de sementes de cogumelos exige uma infraestrutura especializada e conhecimento técnico avançado, a melhor forma de iniciar a plantação é a partir de sementes prontas para o cultivo. Isso também vale para o composto, já que a sua produção exige muito espaço.

O plantio de champignon é feito em esterco e palha em decomposição avançada. Antes de plantar as sementes, é preciso deixar a mistura exposta ao vapor por quatro horas, pois isso ajudará a umedecer o composto e eliminar os microorganismos prejudiciais.

Então, depois que a mistura esfriar, deve-se plantar as sementes e fechar o recipiente com um plástico, fazer alguns furos e mantê-lo longe da luz. Depois de trinta dias, é preciso colocar uma camada de terra.

De forma geral, o ciclo de cultivo do champignon dura em média noventa dias. Durante todo esse período, é preciso manter a ventilação do cultivo moderada, com temperatura entre 15 °C e 18 °C, além de garantir que a terra esteja sempre úmida (de preferência com água gelada) e que o ambiente não receba luz.

Por fim, assim como no plantio de qualquer tipo de cogumelo, o produtor deve estrar muito atento à higiene do local. Afinal, trata-se da produção de fungos que podem ser contaminados por outros fungos e pragas quando não manejados de forma adequada.

Champignon

Receitas com champignon

Sem dúvida, é possível fazer uma infinidade de receitas diferentes com o champignon. Eles podem ser fritos, assados, grelhados, refogados e combinados com queijos, carnes, vegetais, grãos, macarrão ou o que mais você gostar.

Contudo, alguns cuidados são essenciais na hora de escolher e consumir cogumelos. Por exemplo:

  • Jamais coma cogumelo cru, pois eles podem ter toxinas;
  • Sempre pesquise como cada tipo de cogumelo comestível deve ser preparado, porque cada tipo um requer um cuidado diferente;
  • Não compre cogumelos frescos que estejam manchados ou com água na bandeja, pois isso é um sinal de que eles não estão próprios para consumo;
  • Via de regra, os cogumelos duram até uma semana depois de colhidos. Então, fique atento à data da colheita e validade.

Ademais, como os cogumelos têm muita água em sua composição, é normal que eles percam volume no cozimento. Por isso, sempre leve isso em consideração ao dosar a sua quantidade nas receitas. Além disso, quando cortados em pedaços menores, o champignon solta mais sabor e aroma durante a refoga.

Geralmente, os cogumelos são consumidos refogados e em saladas ou risotos. Para fugir um pouco do tradicional, confira agora algumas receitas com champignon.

Sopa de champignon

No inverno, a maioria das pessoas gosta de fazer sopas e cremes de legumes. Já pensou em fazer uma sopa de champignon? Veja a seguir!

Ingredientes:

  • Quatrocentos gramas de champignon fresco fatiado;
  • Três dentes de alho picados;
  • Um litro de leite integral, leite de amêndoa ou de castanha de caju;
  • Uma dose de conhaque (opcional);
  • Meia cebola picada em cubos;
  • Cem gramas de bacon ou tofu defumado picado em cubos;
  • Três colheres de sopa de farinha de trigo ou amido de milho (sem glúten);
  • Uma colher de sopa de manteiga ou azeite;
  • Duas colheres de sopa de creme de leite fresco ou vegetal;
  • Meio limão;
  • Salsinha e cebolinha a gosto;
  • Sal e pimenta a gosto.

Modo de preparo:

Antes de mais nada, corte os cogumelos em fatias e respingue o suco de limão. Depois disso, em uma panela grande e funda, refogue o bacon (ou tofu defumado), a cebola e o alho até que comecem a murchar.

Então, acrescente o champignon e refogue até dourar. Em seguida, junte o conhaque e mexa até que tudo desgrude da panela e o álcool evapore.

Depois disso, polvilhe a farinha sobre a mistura e refogue um pouco. Então, desligue o fogo e acrescente o leite aos poucos, mexendo sempre para não empelotar.

Quando estiver tudo bem dissolvido, ligue o fogo novamente e deixe cozinhar por cerca de sete minutos, mexendo sempre.

Em seguida, leve metade da sopa ao liquidificador, ou utilize um mixer na função pulsar. O objetivo é intensificar o sabor, mas sem transformar a sopa em um creme.

Por último, cozinhe a receita por mais ou menos oito minutos para engrossar mais um pouco. Então, desligue o fogo, acrescente o creme de leite, acerte o sal e a pimenta e acrescente a salsinha e a cebolinha.

Sirva ainda quente.

Estrogonofe de cogumelo

Outra receita bastante amada pelos brasileiros é o estrogonofe. Embora seja comum incluir o champignon na receita, também é possível substituir a carne pelo cogumelo Portobello e fazer uma receita vegetariana.

Confira!

Ingredientes:

  • Duzentos gramas de cogumelo Portobello em tiras;
  • Um quarto de xícara de água;
  • Duzentos gramas de creme de leite;
  • Duas colheres de sopa de azeite;
  • Duzentos gramas de palmitos picados;
  • Uma cebola média picada em cubos;
  • Dois dentes de alho picados;
  • Uma dose de conhaque (opcional);
  • Três colheres de sopa de extrato de tomate;
  • Uma colher de sopa de mostarda;
  • Duas colheres de sopa de molho inglês;
  • Sal e pimenta do reino gosto;
  • Salsinha e cebolinha a gosto.

Modo de preparo:

Depois de limpar bem os cogumelos e picá-lo em tiras, refogue a cebola o alho no azeite até que eles murchem. Em seguida, acrescente o cogumelo e o palmito, tempere com sal e pimenta a gosto e refogue até que champignon marrom murche.

Logo após, acrescente o conhaque e cozinhe até que todo o álcool evapore. Então, junte a água, o molho inglês, o extrato de tomate e a mostarda e cozinhe por 5 minutos.

Por último, acrescente o creme de leite e polvilhe com salsinha e cebolinha para servir.

Caso você seja vegano, é possível substituir o creme de leite por um creme de castanha de caju.

Ele é bem simples de fazer: basta deixar uma xícara de castanha de caju crua e sem sal de molho por pelo menos duas horas. Então, descarte a água do molho e bata as castanhas com meia xícara de água filtrada.

Logo após, acrescente ao estrogonofe e cozinhe por alguns minutos.

Além disso, se quiser fazer uma receita vegana, lembre-se de escolher um molho inglês que não tenha ingredientes de origem animal.

Champignon

Risoto de champignon

Outra receita bastante apreciada pelos brasileiros é o risoto. Embora esse prato seja vendido por um valor elevado, a verdade é que prepará-lo em casa é bem mais barato. Confira a receita!

Ingredientes:

  • Quatrocentos gramas de champignon fresco;
  • Uma cebola média picadinha;
  • Uma xícara e meia de arroz arbóreo;
  • Meia xícara de chá de vinho branco seco;
  • Seis xícaras de chá de caldo de legumes;
  • Seis colheres de sopa de parmesão ralado;
  • Azeite de oliva para refogar;
  • Quatro dentes de alho picado;
  • Salsinha e cebolinha a gosto;
  • Sal e pimenta a gosto.

Modo de preparo:

Depois de higienizar os cogumelos, corte-os em fatias médias. Em seguida, refogue o champignon com o azeite, o alho, a cebola, a salsinha e a cebolinha. Então, quando o cogumelo soltar sua água, deixe cozinhando por mais 10 minutos.

Depois disso, acrescente o arroz, o sal e a pimenta e refogue por alguns minutos. Então, adicione o caldo de legumes e o vinho aos poucos, mexendo com delicadeza para que o champignon não desmanche.

Para fazer o caldo de legumes, você pode dissolver um cubo e meio de caldo de legumes industrializado. Nesse caso, é importante adicionar menos sal no início da receita, já que esse produto já é salgado.

Outra opção é fazer um caldo de legumes caseiro. Para isso, basta cozinhar alguns legumes e temperos por aproximadamente trinta minutos e usar o seu caldo!

Por último, deixe o risoto cozinhando por aproximadamente vinte e cinco minutos. Então, quando estiver seco, mas com textura cremosa, desligue o fogo e misture o parmesão. Sirva ainda quente.

Se você for vegano ou tiver alguma restrição alimentar, escolha um queijo ralado vegetal.

Consumo de champignon no Brasil

Embora o custo do champignon tenha diminuído nos últimos anos, o mercado de cultivo de fungos ainda está longe de atingir a média mundial. Atualmente, 80% dos fungicultores são pequenos e médios agricultores que fornecem para feiras municipais, supermercados, rotisseries e restaurantes de culinária japonesa e natural.

Em relação ao consumo de cogumelos, naturalmente o Brasil também está bem abaixo da média quando comparado com os países europeus.

Por exemplo, na Alemanha, o consumo médio de cogumelos é de 4 kg por ano. Por outro lado, na França e na Itália, o consumo é de 2 kg e 1 kg por ano, respectivamente. Enquanto isso, a média brasileira anual é de apenas 160 g.

Contudo, a expectativa é que esse número aumente nos próximos anos, pois o cultivo de fungos está em crescimento no Brasil, o que resultará no aumento da popularização do champignon. Além disso, os cogumelos estão ganhando mais notoriedade por causa do seu valor nutricional.

Um estudo conduzido pela APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), em parceria com a SAA (Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo), mostrou que os fungicultores da região leste de São Paulo tiveram um aumento de 40% nos lucros com a utilização de novas tecnologias e venda de cogumelos frescos.

Embora a produção de champignon em conserva seja mais prática, a venda de cogumelos frescos é bem mais lucrativa, pois dispensa os custos com conservantes e com o cozimento. Além disso, o produtor não precisa concorrer com marcas importadas do alimento em conserva.

Cultivo de cogumelos

Como vimos, desde que o plantio de champignon seja feito em um ambiente úmido, sem luz e com temperatura amena, ele pode ser cultivado em diversos lugares. Contudo, devemos ter em mente que quanto mais tecnologia for usada na sua produção, mais rentável será o seu negócio.

Entretanto, o mercado de cultivo de fungos comestíveis ainda tem muito o que crescer no Brasil. Como o champignon está se tornando cada vez mais popular na culinária brasileira, a tendência é que o seu consumo aumente nos próximos anos.

De fato, esse alimento é muito nutritivo, versátil e saboroso, podendo suprir as necessidades nutricionais de quem não consome produtos de origem animal. Na verdade, o champignon faz bem para a saúde de todos.

Gostou de conhecer mais sobre o champignon? Então, continue acompanhando os conteúdos do portal Agro 2.0 e deixe um comentário abaixo. Sua opinião é muito importante para nós!

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo