Baby beef é um corte popular e valorizado na culinária brasileira

Inicio » Pecuária » Baby beef é um corte popular e valorizado na culinária brasileira
28/06/2019 Por
Baby beef é um corte popular e valorizado na culinária brasileira

Diversos são os pratos feitos a partir da carne bovina. Entre eles, podemos citar o baby beef. O corte foi idealizado no início do século XXI e se popularizou bastante desde então.

Apesar de ser consumido no mundo todo, o baby beef se popularizou principalmente na América do Sul, em países como Argentina, Brasil e Uruguai. Baby beef é um tipo de corte de carne bovina bastante famoso. Geralmente, a peça utilizada no corte é o miolo da alcatra e o pedaço pesa em torno de 800 gramas.

  1. Baby beef ou vitela?
  2. O corte baby beef
  3. Alcatra
  4. Qual o preço do baby beef?
  5. Baby beef na culinária
  6. Cortes bovinos do Brasil
  7. Comercialização do baby beef
  8. Baby beef brasileiro versus baby beef americano
  9. Baby beef brasileiro ou americano: qual o melhor?
  10. Principais cortes bovinos do Brasil
  11. Quais as principais características do baby beef
  12. Como armazenar o baby beef?
  13. Como escolher o baby beef?

Baby beef é um corte extremamente popular na culinária Brasileira

Baby beef ou vitela?

Agora que você já sabe o que é baby beef, está na hora de esclarecermos uma pequena controvérsia que ronda este corte. Isso porque, em países de língua inglesa, é comum que o nome seja utilizado para definir carnes de bois extremamente jovens.

Entretanto, na América Latina, a situação é outra. Por aqui, o nome define apenas de um corte retirado da alcatra. Inclusive, algumas publicações relacionadas aos direitos dos animais estabelecem esta relação de maneira incorreta.

Portanto, o ideal é saber de onde vem o baby beef. É bacana que essa informação fique bem clara na cabeça das pessoas para que não ocorra nenhum desentendimento desnecessário.

O corte baby beef

Trata-se de um dos cortes bovinos mais macios que existem. O baby beef é muito suculento e está localizado no grupo das carnes nobres.

Além disso, o corte é considerado protegido. Isso porque as suas fibras são pouco expostas a esforço e movimentação, o que proporciona a sua notável maciez.

A carne ainda é qualificada como magra, ou seja, apresenta um baixíssimo índice de gordura em toda a sua extensão. Assim, é recomendada principalmente para quem está de dieta mas não quer abrir mão de comer uma deliciosa carne vermelha.

Ela é retirada do músculo central da alcatra e pode ser obtido após a separação da maminha, do bombom e do bife do açougueiro. A região fica localizada na parte traseira do animal, entre o lombo e a coxa.

O ideal é que o açougueiro corte bifes grandes e grossos. Ainda, uma vez que a carne é flexível, o profissional pode avaliar o melhor jeito de cortar a peça.

As receitas com baby beef são as mais variadas e podem ser utilizadas em diversos pratos. Porém, é importante ressaltar que o corte baby beef precisa ser feito da forma correta para ter a qualidade desejada.

Um dos maiores erros atualmente, é quando o produtor acredita que o consumidor não saberá diferenciar o corte baby beef tradicional para outros semelhantes e de menor valor. Logo, corre-se o grande risco de perder a mais fiel clientela.

Por conta disso, antes de tudo é preciso estudar sobre esse tipo de carne, de onde ele vem, seu tamanho ideal, como deve ser sua textura, etc. Isso porque, para comercializá-lo, por exemplo, é preciso que o produtor tenha pleno conhecimento sobre o produto.

Alcatra

Para entender um pouquinho mais sobre o baby beef, nada melhor do que analisar a carne que dá origem ao corte. Então, que tal conhecermos um pouquinho mais sobre a alcatra?

Trata-se de uma das carnes mais consumidas na culinária brasileira. Como já foi citado, ela fica localizada na parte traseira do animal, representando, aproximadamente, 9% de sua carcaça.

Geralmente, uma peça inteira de alcatra costuma medir 80 centímetros, um tamanho considerado médio. E, além do baby beef, ela ainda pode gerar uma série de outros cortes, como por exemplo:

  • Picanha: um dos cortes mais conhecidos e aclamados quando falamos sobre churrasco;
  • Maminha: um corte extremamente popular, principalmente na preparação da carne de panela, devido a maciez e suculência;
  • Tender steak: pesa 150 gramas e só há um a cada peça de alcatra;
  • Bombom de alcatra: fica localizada muito próxima à região de onde é retirado o baby beef;
  • Rolha de alcatra: carne com fibras curtas e pouquíssima gordura.

Qual é o preço do baby beef?

Ele pode variar, de acordo com a região em que está sendo comercializado, e  até mesmo a raça do boi pode interferir diretamente no preço do corte. No entanto, geralmente o preço do quilo gira em torno de R$ 75.

Uma vez que estamos falando de um dos mais suculentos e macios cortes bovinos, é normal dizer que o preço do baby beef pode ser considerado regular.

Entretanto, vale dizer que o seu custo benefício é muito bom. Além da carne ser muito saborosa, ela ainda é muito saudável, uma vez que possui pouca gordura.

Baby beef é um corte extremamente popular na culinária Brasileira

Baby beef na culinária

Conhecido como versátil, o corte é de fácil manipulação e há uma série de receitas com baby beef possíveis. Assim, a partir dela é possível realizar uma diversidade enorme de pratos como, por exemplo, bifes e churrasco combinados com diversos acompanhamentos, simples ou sofisticados.

A dica é que, quando feito na brasa, os cortes sejam altos e grossos. Isso serve para que a peça não resseque, o que implicaria na perda de sua suculência.

Em nosso paladar, a carne de baby beef é delicada e pouco acentuada. Com já foi dito, ela contém pouca gordura entremeada nas fibras. Todavia, ainda assim, pode render preparos com umidade e suculência, devido às suas fibras curtas e muito bem irrigadas.

Agora que você já entendeu algumas características da carne, que tal aprender uma receita de baby beef? Para isso, você vai precisar de 1,5 kg de miolo de alcatra, sal e pimenta do reino. Para a realização da receita, o ideal é que você peça ao seu açougueiro que corte o miolo da alcatra em medalhões de aproximadamente 2 centímetros de espessura.

Assim, você deve temperar as peças à gosto, com sal e pimenta do reino. Em seguida, após deixar o tempero agir na carne, você deve colocá-la em uma grelha quente, preferencialmente com fogo alto.

O ponto da carne fica ao seu critério. Ela pode ser servida com uma diversidade enorme de guarnições, como arroz, salada ou batatas, por exemplo. Você deve escolher uma de sua preferência e depois é só se deliciar!

Cortes bovinos do Brasil

De acordo com dados do IBGE,  o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil é o maior exportador de cortes bovinos do mundo. Assim, essa prática é uma das principais atividades da economia brasileira. Consequentemente, o país acaba ficando em evidencia e se desenvolvendo cada vez mais nesse aspecto.

Um exemplo é que em 2016, a receita do segmento no país atingiu cerca de US$ 5,3 bilhões. Em fazendas e frigoríficos, a pecuária de corte – como é originalmente conhecida – emprega 1,6 milhões de pessoas.

Portanto, podemos concluir que a atividade contribui demais para o crescimento da economia em nosso país.  Ainda em nota, o IBGE afirmou que a popularidade dos cortes bovinos só ocorre por conta do grande rebanho do país.

A quantidade de cabeças de gado no país é de aproximadamente 215 milhões. O número é maior que o da própria população brasileira, que em 2017 passou dos 200 milhões de habitantes.

Dessa maneira, o país também acaba sendo um dos consumidores de carne do mundo. Isso mostra que além do baby beef, o brasileiro ainda consome uma variedade imensa de cortes de carne.

Esse tipo de corte sempre conquista muitos admiradores a partir do momento em que sabem o que é baby beef. Afinal, esse corte desperta água na boca e muita vontade de provar. No entanto, ele vai muito além de pratos deliciosos.

O baby beef está no meio das carnes nobres. Dessa maneira, possui um valor um pouco mais agregado do que os outros tipos de corte. Logicamente, isso oferece muitos benefícios para quem o comercializa.

Baby beef é um corte extremamente popular na culinária Brasileira

Comercialização do baby beef

Como dito anteriormente, o preço do baby beef é um pouco mais agregado que outros tipos de carne. Afinal, de onde vem o baby beef é algo considerado uma área extremamente saborosa e macia. Dessa maneira, o seu valor sobe.

Mesmo que ainda tenho um preço um pouco mais alto, o baby beef ainda conquista diariamente diversos admiradores. Afinal, todo tempero que é colocado na carne acaba destacando o sabor extremamente agradável.

Porém, muito além disso, a comercialização dessa carne é algo que não para. Por conta do seu preço, mesmo uma porção pequena já rende um valor agradável para o produtor. Dessa forma, é considerada uma carne com bom rendimento financeiro.

Baby beef brasileiro versus baby beef americano

O baby beef produzido e comercializado no Brasil é muito diferente do baby beef estrangeiro. Em geral, todos os cortes feitos nos EUA apresentam um certo grau de diferença quando comparados com as carnes brasileiras.

É importante deixar muito claro que cada país possui um modo de produção diferente do outro. Afinal, é preciso que cada um siga as exigências do mercado e do consumidor. Dessa maneira, características específicas acabam se diferenciando de grande forma.

Não somente com o baby beef, mas também com outras cortes, a diferença principal entre os países está relacionada com o custo de mão de obra.

Os frigoríficos brasileiros costumam realizar os cortes de forma manual, fazendo com que haja uma precisão muito maior. Além disso, também processam menos carcaças por dia.

Já nos EUA, é comum notar que os cortes são feitos a partir da utilização de máquinas e, assim, fazem com que os cortes sejam menos precisos e apresentem alguns erros na visão do brasileiro.

Baby beef

Baby beef brasileiro ou americano: qual é melhor?

É muito complicado dizer qual dos dois métodos de produção é melhor. Afinal, cada pessoa deve tirar suas próprias conclusões, além de ser necessário levar em conta que os métodos de preparo são completamente diferentes.

Ademais, existem pessoas que apenas acreditam que a unificação dos cortes seria a melhor forma de facilitar o comércio internacional e fazer com que a comunicação entre exportadores e importadores se tornasse mais fácil e descomplicada.

Logicamente, isso não é algo que se muda do dia para a noite, já que cada país possui um método muito diferente de produção. Além dos métodos de cortes diferentes, também é muito comum que cada país apresente dificuldades particulares em relação à produção.

A produção, aliás, é algo que pode ser uma peça-chave para determinar se um produto é caro ou é barato. Logo, se o brasileiro decidir chegar nos EUA e procurar o baby beef, o encontrará de uma forma um pouco diferente do que o baby beef feito no Brasil.

Além disso, outras carnes nobres, como a picanha, também podem ser encontradas. Entretanto, igualmente apresentarão uma forma muito diferente, além de serem vendidas por um preço muito mais alto do que o preço brasileiro.

De qualquer maneira, é válido frisar que, como o brasileiro tem o costume de preparar suas carnes de forma manual, é normal encontrar pessoas que prefiram essa forma de cortar o baby beef. Afinal, é um método muito mais preciso e que garante uma qualidade sem igual.

Assim, o profissional que realiza os cortes consegue, de fato, ter um controle muito maior sobre a espessura da carne, peso, tamanho, precisão de local de corte e demais características que seriam muito difíceis de serem controladas a partir de uma máquina.

Principais cortes bovinos do Brasil

Muito presente na mesa e no gosto do consumidor brasileiro, os cortes bovinos são os responsáveis por determinar o modo de preparo que cada carne terá. Além do mais, a carne bovina possui uma ótima qualidade – quando é bem produzida – e tal qualidade pode ser ampliada a partir do tipo de corte que é feito.

  • Acém

O acém é um dos tipos de cortes mais consumidos por grande parte dos apreciadores da carne. Com um valor mais em conta que o baby beef, se apresenta também como uma carne magra. Além disso, é muito utilizada para o preparo de receitas refogadas, assadas ou cozidas.

Uma das maiores vantagens do acém é que esse corte, por ser considerado uma carne de segunda, pode ser utilizado como carne moída ou bife.

  • Fraldinha

Outra carne muito popular em território brasileiro é a fraldinha. Em suma, essa carne se localiza na lateral do corpo do animal. Nela, inclusive, nota-se uma grande quantidade de longas fibras, nervos e gordura.

Para quem aprecia tais características, ela é uma ótima escolha. Porém, para os indivíduos que preferem a carne magra e enjoam facilmente com nervos, fibras e gorduras, o melhor é evitá-la. Ainda assim, pode ser considerada um corte macio, suculento e extremamente utilizado em churrascos tradicionais.

  • Ponta de agulha

A ponta de agulha é uma das melhores alternativas para quem deseja consumir carne, mas sem gastar tanto. Afinal, ela é considerada uma carne de terceira e por isso seu valor se mostra mais em conta do que as carnes nobres, como baby beef.

Em geral, pode ser consumida inteira, em pedaços ou como carne moída. Porém, é importante ressaltar que esse tipo de corte exige muito tempo de cozimento.

  • Filé mignon

Símbolo de requinte e status social em muitos restaurantes, o filé mignon é uma das carnes nobres mais disputadas em um buffet. Entre suas características, por exemplo, é facilmente percebida a enorme maciez que ela oferece.

Ademais, essa carne tende a ser muito suculenta, fazendo com que tenha a umidade certa para quem procura algo de grande sabor. Porém, ela necessita de bons acompanhamentos e temperos. Em algumas vezes, pode se mostrar um pouco mais fina que um baby beef.

  • Alcatra

Outro tipo de corte muito consumido no Brasil é a alcatra. Em muitas regiões ela é conhecida como a rainha das carnes. O motivo desse título é por conta de suas fibras muito macias, sabor marcante e fácil cozimento.

Como possui cerca de 80 cm, é justamente de uma dessas partes que é retirado o baby beef. Além dele, também saem da alcatra a maminha, a picanha, o tender steak e o top sirloin. Esses cinco tipos de carnes são muito procurados para consumo.

Dessa maneira, a alcatra é um corte muito requisitado para ser utilizado em assados, refogados, ensopados, etc.

Quais as principais características do baby beef?

Como é considerado uma das mais desejadas carnes nobres, o baby beef é um tipo de carne que permite uma série de receitas deliciosas. No entanto, as receitas com esse corte específico acabam sendo somente um detalhe perto das características que essa carne possui.

Após muitas pessoas descobrirem de onde vem o baby beef, a procura por ele aumenta de forma considerável, já que é oriundo da chamada “rainha das carnes” – como acabamos de ver, a alcatra.

De qualquer maneira, ele apresenta uma série de características que colaboram para seu preço agregado, valor de mercado e também versatilidade. Por exemplo:

  • Maciez;
  • Sabor acentuado;
  • Versatilidade;
  • Durabilidade.

Sem dúvidas, falar das características do baby beef e não citar a maciez é algo muito errado. Afinal, o corte é conhecido por agradar até mesmo o paladar mais exigente. Por conta da maciez, os temperos acabam ficando com um sabor muito melhor que o esperado.

Assim, o sabor torna-se acentuado e essa vira mais uma das características marcantes do baby beef. Esse corte por si só é considerado uma das carnes nobres com o melhor sabor, fazendo com que, mesmo sem tempero, tenha algo de diferente no seu gosto.

Além do mais, a versatilidade que oferece é algo muito interessante. Afinal, ele pode ser utilizado para uma série de receitas, mesmo que seja mais comumente consumido assado ou frito.

Por fim, quando bem cuidado, o baby beef pode apresentar uma durabilidade agradável.

Baby beef

Como armazenar o baby beef?

Assim como todos os outros tipos de carne, o baby beef precisa ser congelado caso a intenção seja uma durabilidade adequada. Além do mais, por conta de ser uma carne cara, é muito melhor que se faça valer a pena e armazene-a da forma correta.

Logo, para isso não há mistérios. Basta colocá-la no congelador e mantê-la em uma temperatura agradável. Mesmo que precise ser congelada para tenha durabilidade maior, ainda assim não é necessário colocar a uma temperatura tão baixa a ponto de tornar quase impossível descongelar.

De qualquer maneira, para consumir a carne, o indicado é retirá-la do congelador e armazenar na geladeira até que fique em temperatura ideal. Preferencialmente, coloque-a na última prateleira.

Colocar o baby beef na última prateleira, a mais inferior possível, faz com que ele pegue menos gelo do armazenamento e vá descongelando de maneira tranquila. Além disso, o fato de deixá-lo descongelando lentamente é uma ótima forma de garantir que não haja grande quantidade de água na hora do preparo.

Isso porque, caso a intenção seja fritar o baby beef, por exemplo, uma grande quantidade de água do degelo pode fazer com que ele não fique com a textura desejada e menos ainda no ponto correto. Dessa maneira, quanto menos água se apresentar na hora do preparo, melhor será o resultado.

Como escolher o baby beef?

Em geral, é difícil dizer que um baby beef não possui qualidade. No entanto, infelizmente encontra-se, em alguns locais, o corte com uma qualidade inferior.

Outro tipo de problema que ocorre comumente é encontrar outras carnes sendo vendidas como baby beef. Portanto, saber identificá-lo e diferenciá-lo das demais carnes é algo fundamental.

Para isso, seguir algumas dicas simples, porém eficazes, pode ajudar de grande forma nesse passo.

  • Nervos exagerados

É comum que as carnes apresentem alguns pequenos nervos, já que isso é comum do corpo do animal. Porém o baby beef quase não possui essas ramificações nervosas. Dessa maneira, é importante que a carne esteja praticamente lisa e livre dessas ramificações.

  • Coloração

O baby beef possui cor vermelha saudável e típica da carne. Em casos onde a sua cor se apresenta de outra maneira, o melhor é não comprá-lo.

Pode ocorrer, seja por acidente ou não, que alguns locais o disponibilizem um pouco passado do tempo de consumo. Dessa maneira, é preciso ter em mente de que a carne é um dos alimentos mais perigosos de ser consumidor após o tempo indicado. Dessa forma, é importante ficar atento.

  • Textura

Uma textura macia é uma das principais características do baby beef, já que é uma das carnes nobres mais populares. Dessa maneira, se ele apresentar uma textura diferente daquela que realmente é para ser, é indicado que a carne não seja adquirida.

Dessa forma, sabendo de onde vem o baby beef e quais suas principais características, é possível comprar a carne com maior segurança ou até mesmo comercializá-la da maneira correta!

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo