Endívia é uma hortaliça versátil e rica em nutrientes

Inicio » Agricultura » Endívia é uma hortaliça versátil e rica em nutrientes
13/06/2019 Por
Endívia é uma hortaliça versátil e rica em nutrientes

A endívia é uma hortaliça nativa do continente asiático pertencente a família da chicória, da qual também fazem parte a escarola e radicchio. Inclusive, há uma pequena confusão entre as folhas da endívia e da escarola sendo que, no caso da primeira, elas mais curvadas e na segunda, mais planas e maiores.

As pessoas conhecem a endívia por seus nutrientes. Vitaminas A, B e C são encontradas na hortaliça, assim como ferro, potássio, ferro e outros sais mineiras. Além de ser uma excelente recomendação para quem pretende cuidar melhor do seu corpo, essa hortaliça confere um sabor diferenciado a diversas receitas.

  1. O que é endívia?
  2. Benefícios da endívia
  3. Como consumir a endívia?
  4. Como cultivar endívia em casa?
  5. Receitas com endívia
  6. Endívia no Brasil
  7. Fases de produção da endívia
  8. Tipos de endívia
  9. Como escolher endívia?
  10. Onde comprar endívia?
  11. Como conservar endívia
  12. História da endívia
  13. A hortaliça endívia

Endívia

O que é endívia?

A endívia é um vegetal com uma história bastante interessante. Essa hortaliça foi encontrada por agricultores belgas no século XVIII. Além disso, ela é conhecida na Bélgica como witloof (folha branca) por causa da sua cor, um verde bem claro.

A hortaliça apresenta um gosto amargo e uma certa crocância. Para quem quer seguir uma dieta saudável ou perder peso, a endívia é ótima opção. Afinal, este vegetal tem pouquíssimas calorias. Essa hortaliça possui ainda algumas folhas doces, na parte interna. No entanto, perdem esse sabor adoçado à medida em que amadurecem.

Benefícios da endívia

O consumo da endívia proporciona muitos benefícios para o nosso organismo. Isso porque ela possui vitamina A, benéfica para olhos, mucosas e pele. Além disso, ajuda a prevenir o câncer de boca e de pulmão.

A hortaliça também é rica em vitamina B, responsável por manter o metabolismo saudável do organismo. Confira outros benefícios da endívia:

  • A endívia colabora com o processo digestivo, por atuar diretamente na vesícula biliar;
  • É ricas em fibras, logo alivia os sintomas de intestino preso;
  • Possui manganês que desempenha serviços essenciais para o organismo, como coagular sangue, absorver cálcio, estabilizar nível de açúcar no sangue;
  • Fora que ajuda na estrutura óssea, de tecido, no sistema nervoso, graças ao manganês;
  • A endívia é diurética e colabora com a limpeza dos rins;
  • É uma hortaliça que possui ação antioxidante, ou seja, elimina impurezas do corpo, sendo assim, protege contra diversos males;
  • Colabora com a redução do colesterol ruim;
  • Ajuda no tratamento de diversas doenças.

Como consumir a endívia?

A endívia é uma grande aliada das dietas. Além disso, combina perfeitamente com as saladas. Entretanto, assim como outros alimentos, há um jeito certo de consumi-las, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa.

Antes de consumir a hortaliças, entretanto, você precisa remover as folhas murchas ou danificadas. É recomendável ainda limpar o lado externo da endívia com pano úmido e, em seguida, a base do vegetal deve ser removida e o miolo, retirado.

Para consumir a endívia crua, a recomendação é picar as folhas. Para o cozimento, por outro lado, o ideal é mantê-las no tamanho original. Saladas com temperos a base de vinagre e azeite, com queijos e castanhas levam a endívia crua como ingrediente. Já pratos que devem ser levados ao fogo, como sopas necessitam que a hortaliça seja cozida.

Como cultivar endívia em casa?

É perfeitamente possível cultivar a endívia em casa, e de uma maneira bem simples! Para começar, compre a semente da endívia em lojas especializadas e plante no solo bem fertilizado, em uma profundidade que não ultrapasse 20 centímetros. O vegetal não gosta do contato com pedras e ervas daninhas, portanto, deixe-o bem longe deles.

O cultivo dará origem a algumas folhas e a uma raiz que deve ser fixada numa profundidade de 0,5 metro. A planta deve ser coberta com um plástico entre 30 e 50 dias para que então floresça os botões brancos. O período ideal para cultivar a endívia é entre o inverno e primavera, quando a temperatura está mais baixa.

Endívia

Receitas com endívia

Salada de endívia com trigo ao molho de tahine, salada de endívia e laranja são algumas das receitas que combinam perfeitamente com essa hortaliça.

Salada de endívia com laranja

Para essa receita, você precisará de:

  • 2 laranjas descascadas e cortadas em rodelas
  • 4 endívias pequenas;
  • 2 colheres (sopa) de suco de laranja
  • Suco de meio limão;
  • ½ xícara (chá) cebolinha;
  • Dente de alho cortado em pedaços pequenos;
  • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva;
  • 1 colher (chá) de vinagre de vinho branco;
  • Sal e pimenta-do-reino, da quantidade que preferir.

Para dar início a essa receita, você deve primeiramente lavar as endívias. Logo, em seguida corte a hortaliça em pedaços bem pequenos e tempere com o suco de limão em uma vasilha. Junte todos os outros ingredientes em outra travessa, misture e jogue sobre a salada de endívia e laranja.

Salada endívia com trigo ao molho de tahine (pasta de gergelim)

Para preparar esse delicioso prato, recorra aos seguintes ingredientes:

  • ½ kg de endívia
  • Grão de bico cozido (a medida é 1 xícara de chá)
  • Trigo cozido (1 xícara de chá)
  • ½ xíc (chá) de cebolinha verde picada, de salsinha picada e de pimentão vermelho fatiado em cubos
  • Radicchio cortado em tiras
  • Azeite à gosto
  • Raspas e suco de limão rosa ou limão siciliano
  • Sal

Inicialmente, em uma travessa, tempere o trigo, cebolinha, salsinha, radicchio, pimentão e grão de bico com sal, azeite, suco e raspas do limão. Coloque a mistura na geladeira pelo prazo de uma hora. Logo em seguida, distribua folhas de endívia em outra tigela e coloque sobre elas a salada.

Esta receita leva ainda um molho em sua composição. Este deve ser preparado com pasta de gergelim (1 colher sopa), dente de alho, suco de limão rosa ou siciliano (2 colheres sopa), água morna (1 colher sopa). Além disso, a receita também conta com iogurte natural ( 4 colheres sopa), uma pitada de pimenta calabresa e sal como ingredientes do molho. O molho deve ser colocado sobre cada folha da hortaliça junto com o trigo.

Endívias recheadas

É comum que as pessoas utilizem a endívida envolta em um recheio, graças à sua textura firme. Feita desta forma, ajuda a embelezar os pratos, além de ficar deliciosa! Confira como fazer uma receita especial dessa verdura que confere um sabor diferente a qualquer prato.

Providencie os seguintes ingredientes para esta receita:

  • 6 endívias;
  • 150 g de ricota;
  • Nozes trituradas;
  • 6 fatias de presunto cortadas em tirinhas;
  • Duas (2) colheres (sopa) de mel;
  • Pimenta do reino e sal

Primeiramente, você deve cortar um pouco do pé da verdura, tirar as folhas externas e separar as demais. Somente depois disso, comece a fazer o recheio, misture as nozes, ricota, o sal, a pimenta e o presunto.

O próximo passo é colocar o recheio nas folhas de hortaliças que já estão separadas. Para finalizar, jogue nozes e mel sobre as endívias recheadas. A endívia é uma hortaliça perfeita para a culinária. Além disso, é aliada da nossa saúde, e principalmente da nossa alimentação.

Endívia

Endívia no Brasil

A produção de endívia no Brasil começou recentemente, pelo ponto de vista histórico. A produção teve início em 1999. Veio da Europa até o território nacional.

A endívia desembarcou na cidade de Holambra, interior de São Paulo. A cidade é a capital nacional das flores. É nela que anualmente ocorre a famosa Expoflora.

A introdução da endívia no Brasil foi por meio da família de Wit. Aliás, família que até hoje permanece como a única produtora nacional da hortaliça, distribuindo para várias regiões do Brasil.

A produção atual é de 40 toneladas/mês.

Fases de produção da endívia

A produção de endívia passa por algumas fases. A primeira delas é colocar as raízes, ou rizomas, em câmaras frias.

Elas são armazenadas em ambiente escuro e frio. Esses ambientes são ligados a um sistema de hidroponia. As raízes, nesse sistema, ficam suspensas em meio líquido, ou seja, de maneira constante em contato com a água.

Cada lote necessita de ao menos 4 semanas de cultivo ou até que os rizomas tenham brotado. Esse “brotar” é produzir as endívias que serão embaladas e consumidas posteriormente.

Porém, antes, vem a terceira fase de produção: a seleção dos rizomas. Nem todos brotam ou se desenvolvem em perfeitas condições. Os rizomas defeituosos são descartados.

Após a fase de seleção vem a quarta fase: a limpeza. Todos são lavados e depois levados para uma estufa. Ficam nesse espaço durante dois meses.

Dica importante para a fase da estufa: procure garantir que dentro dela haja uma boa circulação de ar. Isso ajuda as hortaliças a ficarem mais bonitas e uniformes.

Outra recomendação é manter a temperatura entre 15 °C e 16 ºC.

Os produtores cultivam endívias no escuro, ou seja, elas não recebem adição de agrotóxicos.

Por fim, para manter uma padronização, eles arrancam as folhas externas. Em seguida, uma máquina corta as raízes. Estas são descartadas. Depois, as endívias são pesadas, embaladas e encaminhadas aos postos de vendas.

Tipos de endívia

Existem duas variedades de endívia: de folhas brancas e roxas. Qual a diferença entre as duas?

Além da cor, sem dúvida, a diferença maior se verifica no sabor.

A endívia roxa não é a mais popular, o que significa dizer que não é a mais presente na mesa dos brasileiros. Certamente um dos motivos é o fato de ter um sabor mais forte, amargo. Essa característica a faz ser preferida por grupo mais específico.

Ela costuma aparecer com mais frequência exercendo função decorativa na culinária. No entanto, ela se trata de uma hortaliça comestível.

A endívia branca já é mais popular por ter um sabor menos acentuado. Por isso, é mais presente em pontos de vendas. Tem frequência mais constante na mesa dos brasileiros e em restaurantes.

Contudo, recomendados que experimente as duas variedades para tirar as suas conclusões.

Endívia

Como escolher endívia?

Para comprar, todo mundo sabe o que é necessário, mas a questão aqui é como evitar comprar um produto que não apresente o melhor de suas condições.

Nem sempre é fácil identificar problemas e muitas vezes as pessoas nem sequer sabem como identificá-los.

Nem todos os pontos de vendas passam por controle de qualidade. Além disso, pode ocorrer do produto se deteriorar já estando na prateleira do mercado.

Não importa a causa. Importa saber que há esse risco e certamente será útil descobrir como evitar a compra de um produto de baixa qualidade.

As folhas da endívia se apresentam na cor branca, creme ou amarelo no meio e roxo nas pontas. Se as pontas estiverem verdes, é sinal de que o produto não é fresco. O sabor, portanto, será extremamente amargo.

As melhores endívias são aquelas que se apresentam firmes, de aspecto fresco e crocante. As folhas devem estar bem compactadas e ter as pontas fechadas. Além disso, a cor ideal é branco, com tom levemente amarelado, e brilhante.

Se as folhas estiverem com margens escurecidas, evite comprar a verdura endívia. O mesmo se tiver com pontos enegrecidos e com áreas pegajosas.

O produto em tal condição claramente se encontra deteriorado e não está na sua melhor forma para consumo. Se todas na sessão estiverem nesse aspecto, verifique outros pontos de venda.

Onde comprar endívia?

Aliás, uma dica para não ter erro quanto aos locais de venda é optar pelas endívias que se originam, de maneira comprovada, de produção orgânica.

Nesse tipo de produção, os produtos são cultivados sem o uso de agrotóxicos. Agrotóxicos são componentes químicos usados com frequência na produção industrial de hortaliças.

Alimentos sem agrotóxicos são mais saudáveis. As pequenas cooperativas geralmente conseguem exercer um controle de qualidade maior, pois não trabalham com produção exacerbada cuja administração é mais complexa e falível.

Como conservar endívia?

Essa é uma informação crucial para os compradores de primeira viagem de endívia, pois essa hortaliça requer alguns cuidados para se manter preservada por um bom período.

Atendendo a determinadas condições, é possível manter as endívias frescas por até 2 semanas.

A principal condição para isso é manter a hortaliça em temperatura baixa. Remover as folhas danificadas ou murchas é outra boa opção.

Com um pano de prato limpo ou com papel absorvente, seque bem a endívia. Depois a coloque em um saco ou vasilha de plástico tampada. Mantenha assim, na geladeira, até o momento de consumo.

Se no período que permanecer na geladeira as folhas externas escurecerem, remova-as e continue a utilizar o restante.

É importante manter a vasilha sempre tampada. Uma vez a endívia ficando exposta à luz por tempo prolongado, as pontas das folhas ficam verdes. Como viu acima nas orientações de como comprar, pontas verdes não é bom sinal.

Quando as pontas ficam verdes, o sabor do produto se altera, ficando bem mais amargo. A qualidade do produto como um todo, aliás, perde em qualidade.

A endívia congelada só pode ser consumida refogada ou como ingrediente de pratos cozidos. Consumi-la de outra forma depois de congelada não é perigoso, porém a experiência do consumo se perde em grande medida, pois quando é congelada, perde textura, aroma e sabor.

História da endívia

Sim, já adiantamos um pouco da história da endívia acima. No entanto, há espaço para falarmos mais a respeito de suas origens. A sua trajetória conta com alguns eventos interessantes.

Por exemplo, sabia que a Primeira Guerra Mundial ajudou a popularizar a hortaliça na Europa? Hoje, ela continua sendo cultivada na Europa, mas em alguns países ela se destaca. Quer saber quais?

A endívia veio a ser conhecida no século XVIII. Contudo, é provável que tenha feito parte da culinária de muitos povos antigos, mesmo esses povos não sabendo de sua existência. Quais povos seriam esses?

Percebe como ainda há muitos detalhes interessantes sobre a hortaliça?

Para saber dessas e outras curiosidades, siga na leitura dos próximos tópicos!

Endívia na antiguidade

A endívia pertence à mesma família da chicória. A cozinha dos egípcios, gregos e romanos dos tempos antigos usou chicória selvagem. A chicória não era usada para agradar o paladar de faraós, filósofos e imperadores. Era usada como remédio.

Remédio para quais enfermidades? Ela trata problemas no fígado e possui ação laxante. Ou seja, os antigos usava o chá de chicória selvagem para tratar problemas intestinais.

Aliás, o modo de preparo nem sempre requeria cozer as folhas. Eram também consumidas na forma crua, na forma de salada.

Ela foi introduzida na Europa no século XVIII. Contudo, coube ao camponês belga fazer a descoberta do que veio a se chamar endívia belga.

Ele reparou que nas raízes da chicória selvagem despontavam uns rebentos compridos e brancos. Reparou que tinham textura agradável e se atreveu a experimentá-los. Sempre um risco. E se fosse venenoso? Bem, mas experimentou e descobriu que era doce.

É importante deixar claro que o belga não fez a descoberta ao olhar para as raízes da chicória no ato de retirada do campo. Afinal, muitas pessoas até aquela data já tinham feito essa tarefa e não viram nada. Esses rebentos não são tão pequenos.

Ele identificou esses rebentos estando às raízes na terra e ao abrigo da luz.

Como foi o descobridor, coube batizar sua descoberta. Deu o nome de “witloof”. O termo é traduzido como “folha branca”.

Endívia

A contribuição de Brézier para a cultura de endívia

No entanto, foi outro belga que normatizou a sua cultura. Ou seja, elaborou um padrão para se cultivar os rebentos da chicória selvagem. Ele estudou como se dava o seu desenvolvimento, as condições necessárias para o seu cultivo e elaborou um sistema eficaz de cultura.

Sem esse esforço, dificilmente a endívia teria a popularidade que goza hoje. Esse belga era um botânico e se chamava Brézier.

A endívia na Primeira Guerra Mundial

Agora, talvez, o fato que tenha despertado mais curiosidade. Como a Primeira Guerra Mundial ajudou a popularizar, indiretamente, essa hortaliça?

Em período de guerra, nos grandes conflitos, é normal as pessoas terem dificuldades de sair de casa. Afinal, é um tremendo risco. Há o risco de ser atingido por uma bala perdida, ser alvo de bombardeios e outros horrores de guerra.

O mais seguro é ficar em casa ou se proteger em algum lugar.

Contudo, como fazer para trabalhar e se alimentar?

É nessas horas que se precisa ser criativo. Experimentar. Fazer testes. Sem dúvida, foi o que aqueles que tentavam sobreviver ao período difícil fizeram.

Alguém lembrou: as endívias podem e devem ser cultivadas no escuro. Justamente o ambiente que os sobreviventes da guerra precisavam ficar.

Em locais escondidos, protegidos, principalmente das bombas. Locais fechados e sem iluminação. Eles passaram a fazer cavas, estufas e até estábulos para cultivar a hortaliça no escuro.

A endívia se transformou em um alimento de grande importância na economia de muitos vilarejos e camponeses. Basicamente constituiu a alimentação principal de muitas famílias.

Passou, então, a ser mais cultivada e consumida por toda a Europa.

A endívia na Europa de hoje

E como está a produção desse vegetal na Europa atual? Certamente os belgas se destacam, afinal, foram eles os descobridores e os primeiros agricultores da hortaliça. Contudo, não são os únicos a dispor de uma boa e farta produção de endívia.

A França é outro país que domina bem o seu cultivo. Plantação que se concentra na região norte do país.

O fato de França e Bélgica investirem pesado na produção desse vegetal diz muito de seu prestígio. Os países citados são verdadeiras referências da gastronomia mundial. França e Bélgica têm culinária sofisticada.

A endívia, sem dúvida, é uma verdura símbolo na França e na Bélgica. Símbolo de nacionalidade. Ela representa um traço de união entre flamengos e valões.

A hortaliça endívia

Até o momento, já trouxemos diversas informações importantes acerca da endívia. No entanto, outros dicas ainda são interessantes para concluir o assunto. Então, vale inclui-las como considerações finais sobre o assunto.

Caso você considere o sabor da endívia amargo, existe uma forma de suavizá-lo. Com a endívia do tipo roxo, essa dica será mais útil. O talo é a parte do vegetal considerada mais amarga. Se você retirá-la, certamente suavizará o sabor da endívia.

E se você precisar manter as folhas de endívia em prato quente? Como fazer para preservá-las por tempo prolongado em tal condição? Existe uma maneira? Sim, a dica é adicionar no prato alguns pingos de limão.

Outra dica é não deixar a hortaliça muito tempo na água. E qual seria o problema de deixá-la por muito tempo imersa? O efeito do líquido no vegetal, em longo prazo, retirar seus minerais. Isso, sem dúvida, empobrece as qualidades nutricionais da hortaliça e pode até mesmo afetar o sabor.

Caso tenha dúvida sobre a porção a reservar por pessoa, existem duas medidas:

  • Pratos quentes: de 250g a 300g por pessoa;
  • Pratos frios: 150g por pessoa.

Ainda não experimentou endívia? Não sabe o que está perdendo. É um grande alimento. Delicioso, nutritivo e exótico. Não deixe de experimentar as suas duas variedades: branco e roxo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo