Gordura trans e os riscos escondidos por trás da substância

Inicio » Agronegócio » Gordura trans e os riscos escondidos por trás da substância
08/04/2019 Por
Gordura trans e os riscos escondidos por trás da substância

Gordura trans pode ser encontrada em alimentos industrializados dos mais variados

A gordura trans é encontrada facilmente em supermercados e até mesmo na dispensa de casa. Com grande quantidade em alimentos industriais, esse tipo de gordura faz parte da alimentação diária tanto de adultos quanto de crianças.

No entanto, a gordura trans quando consumida em excesso pode ocasionar diversos prejuízos à saúde. Estudos e pesquisas comprovam que seu consumo excessivo pode acarretar em doenças altamente perigosas à vida, por isso é necessários alguns cuidados.

Gordura trans: bolinhos industriais

O que é gordura trans?

Gordura trans é um tipo de gordura feito a partir do processo de hidrogenação natural – que ocorre em parte do estômago de animais – ou por hidrogenação industrial. Em outras palavras, ela consiste na transformação do óleo vegetal em gordura sólida. Ou seja, é um óleo hidrogenado encontrado, principalmente, nos alimentos industrializados. Seu principal papel nesses alimentos é possibilitar consistência e aspecto crocante a eles.

Este tipo de gordura originou-se no século XX, por meio da substituição da gordura animal. Por possibilitar maior durabilidade, aparência e conservação dos alimentos, a gordura trans é muito utilizada pelos setores alimentícios industriais. Alimentos que a contêm pode ficar muito mais tempo em exposição nos mercados, sem perderem a qualidade ou estragarem. Além disso, é muito usada na confeitaria pois é mais barata do que a banha e do que a manteiga. Por outro lado, seu excesso traz muitos prejuízos à saúde.

Consumo diário de gordura trans

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a gordura trans pode representar 1% do consumo das calorias durante um dia. Um adulto, por exemplo, pode consumir aproximadamente 30% de gorduras diariamente, então, 1% de gordura trans equivale a 0,8 gramas da substância durante um dia. Já as crianças, que devem consumir menor quantidade de gordura diariamente, podem consumir cerca de 0,6 gramas de gordura trans diariamente.

No entanto, alguns produtos possuem muito mais do que 1% desta gordura, o que resulta em maior consumo diário da substância. Por outro lado, algumas indústrias já estão se conscientizando sobre os prejuízos ocasionados pelo excesso dela, reduzindo a quantidade presente nos alimentos e retirando das prateleiras os produtos que possuem maior quantidade.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), desde o ano de 2006 obrigou que os fabricante indiquem nos rótulos dos alimentos a quantidade presente de gordura trans. Entretanto, o Ministério da Saúde também se responsabiliza em acabar com o uso dessa gordura, assim como na Dinamarca e na Suíça, países em que sua utilização é proibida.

A proibição do uso da gordura é dada pois estudos e pesquisas já comprovaram que ela é altamente danosa à saúde, pois reduz a taxa de colesterol bom (o HDL) e aumenta a taxa de colesterol ruim (o LDL). Além disso, ela é capaz de ocasionar inúmeros problemas como acidente vascular cerebral (AVC) e infarto.

Tipos de gordura trans: natural e industrial

Gordura trans: doces

Há dois tipos de gorduras trans presente nos alimentos: a gordura natural e a gordura artificial ou industrial. O intestino de alguns animais produz ácidos trans naturalmente. Os alimentos que são produzidos destes mesmos animais, como o leite, derivados e produtos à base de carne, podem apresentar quantidade mínima de gordura trans.

Porém , ainda não há uma quantidade significativa de estudos que esse tipo de gordura natural traz os mesmos prejuízos sobre o aumento e a redução de colesterol assim como as gorduras fabricadas em indústrias. Os rótulos das embalagens de alimentos que apresentam escrito “óleos parcialmente hidrogenados” são alimentos que possuem gordura trans ou óleos vegetais com adição de hidrogênio em sua composição e em seus ingredientes.

Alimentos com gordura trans

Os alimentos com gordura trans são facilmente encontrados no mercado. Qualquer alimento que tenha escrito em seu rótulo “gordura parcialmente hidrogenada” é um alimento que contém a gordura. Os produtos a seguir contêm gordura trans, porém há alguns com versões livres desta substância. Os principais alimentos com este tipo de gordura são:

  • Vitaminas prontas e achocolatados: a gordura trans permite que eles tenham maior durabilidade mesmo sem refrigeração. Ela age como espessante e conservante. Meio litro dessas bebidas podem conter aproximadamente de 9 a 15 gramas deste tipo de gordura;
  • Biscoitos de água e sal: a gordura serve para que eles sejam mantidos frescos por muito mais tempo e também crocantes;
  • Bolachas recheadas: o uso de óleos parcialmente hidrogenados permite que essas bolachas permaneçam com qualidade e sabor, mesmo sem refrigeração;
  • Pipoca de microondas: principalmente as que possuem sabor de manteiga, pois é utilizado óleo hidrogenado com aroma artificial. Possui cerca de 15 gramas de gordura trans em cada saquinho;
  • Pudins embalados e iogurtes: possuem pequenas quantidade de gordura trans natural pois são derivados de leite. No entanto, se tiverem calda possuem maior concentração e quantidade da gordura;
  • Macarrão instantâneo (miojo): são alimentos fritos em gordura trans para adquirirem maior tempo de duração. Também tem alto teor desta gordura, por isso são capazes de dar sabor e conservar o produto por mais tempo;
  • Pizza congelada: a gordura possibilita que a crocância deste alimento dure e aumenta a textura dos recheios. Além de conter cerca de 1 grama por fatia;
  • Mistura para bolachas e bolos: a gordura utilizada garante maior conservação e textura leve aos produtos (bolachas, pudins, bolos e panquecas). Contêm cerca de 1,5 gramas de gordura em cada porção;
  • Chicletes e balas (principalmente os recheados): contêm aproximadamente 0,5 gramas de gordura;
  • Sorvete: há cerca de 0,5 gramas de gordura trans, principalmente nos sabores de passas ao rum, baunilha, chá verde, café e nozes.
  • Comida pronta congelada: a gordura está principalmente nos molhos, sopas, temperos, carnes, massas e ensopadas congelados. Ela auxilia no realce do sabor e na conservação por muito mais tempo;

Alimentos com gordura trans: óleo, margarina e gordura vegetal

  • Margarina: ela é um óleo vegetal convertido em estado sólido a partir do processo de hidrogenação. Devido isso, possui quantidade significativa da gordura;
  • Frituras: utiliza-se óleo hidrogenado para fritar alimentos, pois este apresenta maior tempo de duração;
  • Óleos vegetais: contêm aproximadamente 4% de gordura trans em sua composição, principalmente os de canola e de soja;
  • Gordura vegetal: ela foi criada em substituição à gordura animal, mas ainda assim traz malefícios à saúde.

Malefícios da gordura trans

Gordura trans: donuts e coberturas

Como citado anteriormente, o excesso de gordura trans traz inúmeros malefícios e prejuízos à saúde. Ela é responsável por reduzir o colesterol bom no sangue e aumentar tanto o colesterol total quanto o colesterol ruim. É caracterizada por acumular-se principalmente na região abdominal (barriga), além de aumentar os riscos de derrames e infartos.

Ela é também um tipo de gordura capaz de trazer complicações ao coração. Além de aumentar os processos inflamatórios, principalmente em pessoas obesas. Veias e artérias também sofrem risco de serem danificadas.

Portanto, deve-se estar atento ao consumo excessivo de gordura trans. É importante criar o hábito de ler os rótulos dos alimentos e verificar se há ou não este tipo de gordura. Além disso, o mais recomendado é que opte-se por produtos mais saudáveis que sejam livres dessa substância.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo