Queijo estepe e suas mil e uma utilidades na culinária

Inicio » Agronegócio » Queijo estepe e suas mil e uma utilidades na culinária
18/12/2019 Por
Queijo estepe e suas mil e uma utilidades na culinária

A arte milenar de fabricar e apreciar bons queijos evoluiu com a humanidade, assim como o desenvolvimento do queijo estepe. O homem aprendeu a dominar as técnicas de cultivar a terra e domesticar os animais para obter sua fonte de alimentação. Com o surgimento das indústrias, a produção artesanal, inclusive dos queijos, teve que dividir espaço com a produção em escala.

Assim, foi-se descobrindo variedades, e hoje já é possível encontrar mais de 700 tipos de queijos ao redor do mundo. Um deles é o queijo estepe, descoberto nas estepes russas.

  1. O que é queijo estepe?
  2. Receitas com queijo estepe
  3. Queijo estepe na culinária
  4. Origem do queijo estepe
  5. A legislação do queijo estepe
  6. O queijo estepe na economia
  7. Como armazenar queijo estepe?
  8. Propriedades do queijo estepe
  9. Benefícios do queijo estepe
  10. Investir no queijo estepe é uma boa ideia?
  11. Queijo estepe combina com o que?

Queijo estepe

O que é queijo estepe?

Feito a partir do leite de vaca, o queijo estepe é levemente amarelado, composto por um sabor frutado e ao mesmo tempo suave, com toque adocicado.

Entretanto, sua maturação é uma das mais longas, podendo chegar a dois meses até atingir o ponto ideal para ser apreciado com todas as suas qualidades. Sua textura, com uma massa semi-cozida, é firme e também macia por dentro, com as olhaduras – aqueles furinhos, que dão um toque especial.

Receitas com queijo estepe

Com o surgimento de diferentes variedades de queijos, o produto ganhou de vez a mesa dos brasileiros, estando presente em pelo menos uma refeição ao longo do dia. No café da manhã, entre sanduíches, almoços e jantares, até petiscos.

Dessa forma, esse queijo também combina com molhos, como o 4 queijos para massas e lasanhas. Sua consistência o torna ideal também para ser servido com tábuas de queijos e harmonizado com vinhos brancos e cervejas, como Blonde Ale, American Pale Ale, IPA, dentre outras opções.

No dia a dia, também combina, contrastando um pouco, com sabores salgados como presuntos, geleias e pães.

Abaixo, deixamos uma receita de bruschetta com queijo estepe. Você vai precisar de:

  • 400 g de queijo tipo estepe ralado;
  • aspargos (cerca de 200 g);
  • ½ colher (sopa) de sal/
  • 1 filão de pão italiano em fatias de 1 cm;
  • 3 colheres (sopa) de azeite;
  • folhas de ½ maço de tomilho;
  • 300 g de presunto cru em fatias;
  • 2 dentes de alho.

Como fazer bruschetta com queijo estepe?

Os aspargos precisam ser descascados, retirando a parte verde abaixo da cabeça. Cada aspargo deve ser dobrado, pela extremidade, com uma dobra a 4 centímetros da ponta para quebrá-la.

Em seguida, cortar os aspargos ao meio, na vertical, e corte-os em pedaços de 2 cm. Ferva 2 xícaras de água com o sal para cozinhar os aspargos até que eles fiquem macios e resfrie em seguida. É preciso descascar o alho e cortá-los ao meio, passando a parte interna do alho sobre as fatias de pão. Após, coloque-os em uma forma e regue com o azeite.

Por fim, leve ao forno com temperatura média de 80°C por cerca de 10 minutos, até ficarem crocantes.Retire o pão do forno e coloque os aspargos sobre as fatias. Por fim, distribua o protagonista da receita, o queijo estepe juntamente com o tomilho. Leve ao forno por alguns minutos, até o queijo derreter.

Então, é só retirar do forno e acrescentar fatias de presunto por cima e sirva. A bruschetta de queijo estepe rende cerca de 25 porções.

Queijo estepe

Queijo estepe na culinária

Esse é um queijo bastante versátil, pois o estepe oferece muitas formas de consumo. Trata-se de um queijo relativamente firme. Isso possibilita que ele seja fatiado e incluído em sanduíches e pizzas, por exemplo.

Existem muitas receitas com queijo estepe. Dentro disso, é possível preparar pizzas, massas, tortas e outros pratos. Além disso, esse queijo é ótimo em várias receitas, o que ocorre graças à textura e capacidade de derreter com o calor. Além, é claro, do sabor bastante agradável.

Para elaborar alguma receita com queijo estepe, basta usar a criatividade. Ou, então, fazer uma busca pela internet. Você pode encontrar qualquer receita que possa ser feita com queijo prato, pois ficará uma boa combinação com o estepe, sem dúvida.

Uma receita com queijo estepe muito saborosa que pode ser preparada é a mandioca com queijo. Assim, basta fazer mandioca cozida e frita no óleo quente. Se preferir, pode colocar fatias de bacon para complementar.

Depois de fritar a mandioca e o bacon, basta colocar tudo em uma vasilha. Com os ingredientes ainda quentes, polvilhe o queijo estepe ralado. Além disso, é possível incluir outros temperos. Coloque sal a gosto e acrescente páprica se preferir.

Esse preparo é bastante simples e muito saboroso. Portanto, é um ótimo prato para ser feito aos finais de semana. Isso porque o estepe é realmente muito versátil, basta o cozinheiro usar criatividade para criar a receita que preferir.

Muitas pessoas acabam se perguntando: queijo estepe combina com o que? Basta seguir a leitura desse artigo para saber.

Origem do queijo estepe

Para entender melhor o que é queijo estepe, é fundamental conhecer a história desse produto. A origem desse queijo é russa. Exatamente das estepes daquela região. E esse queijo foi trazido ao Brasil pelos queijeiros dinamarqueses.

Através dos produtores da Dinamarca, o queijo estepe começou a ser produzido aqui. Mais precisamente na região de Minas Gerais, no sul do estado. Assim, esses queijeiros se inspiraram no Danbo dinamarquês. Outra curiosidade é que até o ano de 1952, esse queijo era chamado de Steppeost.

Já o queijo Steppeost também foi criado através de uma inspiração. Foi inspirado no Steppenkäse, da Alemanha. Esse nome alemão significa “queijo da estepe”. Esse é o verdadeiro inspirador do nosso conhecido queijo estepe.

Assim sendo, esse queijo não foi uma criação russa. Conforme se tem notícia, o Steppenkäse foi criado pelos imigrantes alemães. Eles o produziam nos arredores do rio Volga que ficava na conhecida estepe russa. Ou seja, tudo tem ligação com o nome que o queijo recebeu.

Em resumo, o queijo estepe foi criado por alemães. Posteriormente, foi adaptado por dinamarqueses. Depois, o trouxeram para a região de Minas Gerais. Então, a produção desse queijo acabou se espalhando pelas regiões Sudeste e Sul do país.

Hoje, esse queijo é produzido em diversos estados, visto que o seu sabor e textura são muito agradáveis ao consumidor. Por isso, esse produto se tornou um importante item na economia brasileira. Além de ser muito versátil na cozinha.

Queijo estepe

A legislação do queijo estepe

O queijo estepe possui suas características fixadas na lei brasileira. Existem requisitos para que o queijo seja considerado desse tipo.

Isso acontece com diversos produtos que precisam de classificação para produção. Tais requisitos estão inclusos na Instrução Normativa MAPA n° 68 de 12/12/2006.

Assim sendo, o queijo estepe precisa ser produzido de acordo com as regras abaixo:

  • Consistência compacta, semirrígida, elástica e de untura manteigosa;
  • Coloração em tom amarelo-palha;
  • Crosta grossa, bem formada, textura lisa e amarelada, com ou sem parafina;
  • Odor similar ao queijo prato, porém, mais pronunciado;
  • Sabor suave e não picante, adocicado;
  • Textura com olhadura redonda ou oval. É distribuída com regularidade e em baixa quantidade. Olhos com 3 a 5 mm, com fundo raso e brilhante.

O peso do queijo estepe, segundo a legislação, precisa ter entre 5,5 e 6,5 kg. O formato das peças precisa ser retangular, além de ter ângulos vivos. A massa desse queijo precisa ser semidura, prensada e semi-cozida.

Outra exigência é que a casca precisa ser natural e as peças precisam passar por maturação. De modo geral, o queijo estepe possui sabor suave e amendoado. Além disso, ele não possui acidez e o seu aroma é suave e similar ao queijo prato. A massa é firme e apresenta pequenas olhaduras, como bolhas de ar.

Apesar de muito parecido, a maturação do queijo estepe é superior ao queijo prato. Para esse tipo de queijo, se exige uma cura de 60 dias. Geralmente, nas peças produzidas industrialmente, esse queijo não possui casca. Mas, é embalado em película de plástico, sob vácuo do tipo cry-o-vac.

O queijo estepe na economia

Por ser diferenciado, é natural que tenha um bom valor de mercado. O gosto até pode ser parecido com o prato, mas o queijo estepe possui valor mais agregado. Pode custar, portanto, o dobro do valor do queijo prato.

Assim, é possível perceber que o queijo estepe tende a ser mais caro. Por consequência, pode ter uma demanda de mercado inferior. Isso demonstra que esse produto é mais procurado por pessoas que têm gosto especial por queijos. Acaba que não é uma opção tão popular quanto outros tipos de queijos conhecidos no país.

Apesar disso, o consumo desse produto apresentou um aumento nos últimos anos. Isso levou empresas do ramo laticínio a investirem no queijo estepe. Algumas empresas passaram a comercializar esse produto na versão fatiada.

Com esse aumento do investimento, o queijo ganhou mais admiradores. Principalmente pela facilidade de consumo, pois é possível que ele seja elaborado em sanduíches e receitas simples. Por isso, esse produto é visto com bons olhos pelos produtores.

Novas possibilidades estão surgindo. Isso demonstra que o queijo estepe está em uma crescente de mercado, principalmente nos estados da região Sul e Sudeste. Afinal, o produto possui garantia de autenticidade, o que sempre será bem visto entre os consumidores.

Queijo estepe

Como armazenar queijo estepe?

O estepe também possui algumas formas ideais para o seu armazenamento. Inicialmente, é preciso observar a embalagem. Assim, se for industrializado, o ideal é deixá-lo na película de plástico.

Dessa forma, o produto precisa ser mantido sob refrigeração. Principalmente em uma temperatura entre 2 °C e 8 °C. Depois de ser aberto, os fabricantes indicam que o produto seja consumido completamente em um prazo de 7 dias.

Porém, é possível mantê-lo por um período médio de 12 dias sob refrigeração, desde que ele seja embalado corretamente. Para isso, aconselha-se envolver a peça em plástico filme. É preciso também mantê-la sob refrigeração, sem qualquer contato com o ar.

Desse modo, é possível conservar o produto por mais tempo. Vale sempre observar o fabricante e a data de validade. Peças artesanais exigem ainda mais cuidados com a conservação e armazenamento.

Um queijo produzido de forma industrial contará com adição de conservantes. No entanto, um queijo artesanal é livre dessas substâncias. Por isso, o armazenamento deve ser feito de forma cuidadosa.

Propriedades do queijo estepe

O queijo estepe é fabricado com leite e boa quantidade de sal. O que não é exclusividade desse tipo de queijo, mas faz com que seja preciso cuidado nas porções ingeridas. Isso porque há uma boa quantidade de gorduras e sódio, o que pode fazer mal à saúde se consumido em exagero.

Para ter uma base, uma fatia de 30 gramas pode ter 6 gramas de gorduras saturadas. Além disso, 9,6 gramas de gorduras totais, 8 gramas de proteínas e 111 miligramas de sódio. Ademais, o valor energético é de 118 kcal.

Essas informações são de um fabricante em específico. Portanto, existem outros produtos que podem ter valores diferentes.

Algumas empresas possuem cerca de 160 miligramas de sódio, considerando uma fatia de 30 gramas. Nesse caso, exige mais cuidado no consumo.

Além disso, é possível encontrar também uma média de 382 miligramas de cálcio em uma única fatia. Isso corresponde a 38% do valor diário indicado para uma dieta. Pessoas com problemas cardíacos precisam consumir esse queijo com prudência.

Por isso, o ideal é que um nutricionista oriente de forma adequada. Principalmente em pessoas com restrições. Isso evita uma série de problemas indesejados.

Ademais, pessoas que possuam intolerância à lactose também precisam prestar atenção. Nesse caso, devem evitar o consumo desse produto.

Benefícios do queijo estepe

O queijo estepe possui suas informações nutricionais. Assim, também oferece benefícios à saúde, desde que seja consumido de forma adequada. Dessa forma, é possível perceber que o produto é rico em cálcio, mineral muito importante para os ossos e dentes.

Além disso, o queijo estepe também é rico em vitamina A. Trata-se de um antioxidante natural. Possui também vitamina D e vitamina B. Com essas vitaminas, o produto ajuda a melhorar a imunidade. Também contribui para a saúde da pele, olhos e do cabelo.

A presença abundante de cálcio também pode ser benéfica ao metabolismo. Isso contribui em dietas de redução de peso. O cálcio também é um ótimo aliado no combate à osteoporose, além de ajudar na saúde bucal. Nesse caso, atua preservando os dentes e evitando cáries.

O produto também possui outros minerais em sua composição. Por exemplo, o zinco e o selênio. Tais minerais contribuem para o bom funcionamento do sistema nervoso. Com isso, consumir quantidades moderadas faz muito bem à saúde.

Portanto, acrescentar esse produto à dieta cotidiana pode ser uma boa opção. Porém, desde que isso seja feito da maneira correta, ou seja, evitando-se excessos. Consumindo de forma adequada, ele pode ser um grande aliado à saúde.

Queijo estepe

Investir no queijo estepe é uma boa ideia?

É um produto bastante promissor. Por isso, muitos produtores acabam se perguntando se vale a pena investir. E, sem dúvida, esse produto pode ser muito lucrativo, mas é preciso considerar todas as variáveis.

A legislação brasileira precisa ser respeitada. Ela possui requisitos para que um queijo possa ser classificado como estepe, como vimos anteriormente. Por isso, é necessário avaliar a estrutura necessária. Caso o produtor já fabrique outro tipos menos comuns, será mais fácil incluir o tipo estepe.

Se a estrutura já é pré-existente, pode ser simples e muito interessante apostar no estepe. Além disso, esse tipo de queijo está apresentando uma crescente em sua demanda. Isso por conta da versatilidade para o preparo de vários tipos de receita.

Esse produto é bastante similar ao queijo prato. Entretanto, apresenta maior qualidade de mercado. Por isso, apostar nesse produto pode ser interessante. É possível identificar se esse tipo de investimento trará resultados bons. Para isso, é preciso uma análise de mercado.

Além disso, é bom realizar uma análise de mercado da região. Com isso, avalia-se a demanda por esse produto, bem como se existe mercado em potencial. Vale analisar se já há produtores nas proximidades. Assim, fica fácil definir se vale a pena o investimento.

Ademais, cada produtor precisa levar em conta as características e variáveis do seu cenário local. Caso não haja nenhum produtor próximo, o investimento é uma boa ideia.

Queijo estepe combina com o que?

Se tratando de queijos, é normal que surjam alguns questionamentos. Perguntas sobre o uso na culinária e a harmonização são comuns. Com esse produto, não é diferente. Muitas pessoas acabam tendo a mesma pergunta. Queijo estepe combina com o que?

Essa é uma pergunta bastante simples de responder. Basta pensar nesse produto como um similar ao queijo prato. Evidentemente, o estepe possui maiores requisitos. Por consequência, é um produto mais refinado e de maior valor agregado.

Em resumo, o queijo estepe combina com qualquer receita ou preparo. Se o queijo prato cairia bem, ele também vai. Inclusive, combina muito com presunto. Além de outros frios, é claro. E puro também é ótimo. Isso demonstra como o queijo é realmente um produto muito fácil de usar.

Com isso, você consegue inovar na cozinha, sempre com receitas diferentes, mas que sabe que darão certo. Você já conhece bem o queijo prato, portanto, possui ótima base.

E o estepe harmoniza com vários vinhos, o que é ótimo para jantares. Com isso, ocasiões formais também combinam com esse queijo.

Então, sempre que surgir dúvidas sobre combinações, lembre do seguinte. Trata-se de um queijo versátil. Ele é similar ao queijo prato. Isso demonstra que o estepe pode ser consumido em sanduíches, inclusive. Além disso, é muito bem-vindo em torradas.

Sopas também caem muito bem com esse queijo, assim como massas e tortas.

Além disso, o queijo estepe também pode ser harmonizado com vinhos brancos ou tintos frutados leves. Como exemplos, o Barbera e o Dolcetto. Para ver mais harmonizações, basta voltar ao início desse artigo. O estepe é literalmente um coringa da cozinha, sendo um ótimo substituto para o prato.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo