Queijo gouda agrada apreciadores de produtos nobres devido a sabor intenso

Inicio » Agronegócio » Queijo gouda agrada apreciadores de produtos nobres devido a sabor intenso
23/05/2019 Por
Queijo gouda agrada apreciadores de produtos nobres devido a sabor intenso

O queijo gouda é o queijo mais popular da Holanda, responsável por dois terços do consumo no país. Mas não é só na Europa que esta iguaria de sabor frutado e intenso conquista apreciadores. No Brasil, entra na categoria de produtos finos, mas é muito conhecido pelo tom amarelo vivo e a casca rosa.

O queijo gouda é sucesso em qualquer confraternização, mesa de queijos e vinhos, risotos e fondues. Normalmente, é fabricado em forma cilíndrica, com peso variado, podendo ter até 20 kg. No entanto, a indústria brasileira comercializa o gouda com 3,0 kg, de maneira similar ao queijo prato.

  1. O que é queijo tipo gouda?
  2. Qual a origem do queijo gouda?
  3. Pode comer a casca do queijo gouda?
  4. Receitas com queijo gouda
  5. Benefícios do queijo
  6. Tipos de queijo
  7. Quais são os tipos de queijo gouda?
  8. Como é feito o queijo gouda?
  9. Tipos de queijos holandeses
  10. Maasdammer
  11. Queijo de cabra
  12. Boerenkaas
  13. Queijo defumado
  14. Queijo de cravo da Frísia
  15. O que comer com queijo gouda?
  16. Como comprar queijo gouda?
  17. Onde encontrar o queijo gouda?
  18. Qual o preço do queijo gouda?
  19. Como armazenar o queijo gouda?
  20. Quem pode consumir o queijo gouda?
  21. Quanto queijo consumir por dia?
  22. Como comercializar o queijo gouda?

Queijo gouda

O que é queijo tipo gouda?

O gouda é um queijo de massa firme e prensada, textura lisa, pequenas brechas regulares e sabor tendendo ao avelã. Além disso, é feito com leite de vaca integral e pode ser maturado por 4 meses e até 3 anos. Quanto mais envelhecido mais intenso seu sabor e mais dura e seca sua massa.

Tem textura elástica, envolvido em cera que pode ser amarela, preta ou rosa, como é comum no Brasil. Também no país, o tipo mais popular é o que tem pouca maturação. Pode ser temperado com ervas, cominho, kummel/alcarávia, mostarda ou defumado.

É um excelente substituto para o queijo prato e, quando maturado, pode substituir substituir o parmesão e outros queijos para ralar.

Qual é a origem do queijo gouda?

O queijo gouda holandês foi criado em 1668, justamente na cidade de Gouda, nos Países Baixos. Porém, queijos produzidos em outros países com o nome de gouda são vendidos ao redor do mundo.

Pode comer a casca do queijo gouda?

Embora haja diferentes tipos de queijo que permitem o seu consumo com a casca, o gouda não é um exemplo disso. Por sua casca ser formada por uma espécie de camada plástica, o mais indicado é que ela seja descartada antes do seu consumo.

Receitas com queijo gouda

É um queijo bem gorduroso. Por isso, o queijo gouda derrete bem, podendo ser incorporado a molhos e sopas. Mas também pode ser degustado como aperitivo, usado em saladas, quiches e pizzas e onde mais você quiser. Além disso, acompanha bem frutas e doces. Harmoniza muito bem em risotos, acompanhado de um bom vinho.

Risoto de queijo gouda

Ingredientes

  • 2 copos americanos de arroz arbóreo (de cozinha italiana)
  • 1 e 1/2 litro de água fervendo
  • 1/2 cebola picadinha
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 100 ml de vinho branco seco
  • 2 cubos de caldo de galinha
  • 250 g queijo gouda em cubinhos
  • 100 g mussarela ralada ou em cubinhos

Modo de Preparo

Em uma panela, aqueça a água e dissolva os cubos de caldo de galinha. Mantenha aquecido.
Em outra panela refogue 2 colheres (sopa) de manteiga com a cebola , adicione o arroz e o vinho e mexa até que o líquido seque. Então, adicione o caldo aos poucos, sempre mexendo. Quando o arroz estiver al dente acrescente os queijos gouda e mussarela e desligue o fogo.

Benefícios do queijo

De acordo com o Associação Brasileira das Indústrias de Queijo (Abiq), recomenda-se consumir queijo diariamente para alimentação saudável e balanceada. Para adultos, o ideal são três porções de 50 gramas por dia. Mas, para as crianças, deve-se consumir três porções, mas de 30 gramas.

No entanto, alguns tipos de queijo possuem altas concentrações de gorduras saturadas e o excesso pode levar a doença vascular. Há ainda a possibilidade de comprometer o coração, os rins e o cérebro no futuro. O excesso de sódio também pode causar o aumento da pressão arterial.

No caso específico do Gouda, o consumo moderado é ótimo para a saúde. Mas recomenda-se uma quantidade menor do que o padrão, uma vez que é rico em gordura e sódio.

Queijo gouda

Tipos de queijo

No Brasil, é fabricada uma grande variedade de tipos de queijo. Enquanto os queijos muçarela, prato, parmesão e provolone ganham destaque entre os mais vistos na mesa dos brasileiros; cada vez mais pessoas se interessam pelos tipos mais exóticos do alimento – apostando em sabores mais fortes e marcantes com cada vez mais frequência.

Há os tipicamente brasileiros e outros inspirados nos conhecimentos queijeiros trazidos ao país pelos europeus – como o gouda. Versões originais foram adaptadas às condições e à oferta de leite nas diferentes bacias leiteiras. Enquanto isso, tipos de leite se adequaram às preferências do consumidor brasileiro.

O brasileiro consome cerca de cinco quilos de queijo ao ano, segundo a Associação Brasileira de Indústrias de Queijo (Abiq).

Quais são os tipos de queijo gouda?

  • Mild Gouda: levemente maturado, tem alguma cremosidade, textura ainda rígida e elástica.um pouo elástica. Seu sabor é suave, com toque frutado, notas aciduladas e derrete bem quando aquecido. Ideal para uma degustação leve.
  • Medium Gouda: maturado ao ponto, leva de 4 a 6 meses de fabricado. Apresenta um sabor mais intenso que o mild gouda. Além disso, percebe-se melhor as notas frutadas e o aroma é mais intenso. A textura já está menos elástica e mais pastosa.
  • Aged Gouda: extra maturado, este queijo, leva um ano de maturação . O sabor é bem forte e picante. A textura é mais quebradiça no corte e derrete na boca. É forte e bem diferenciado dos demais, que são consumidos até 6 meses de maturação.
  • Queijos perfumados: o queijo gouda é adicionado de ervas e especiarias, como pimenta, cuminho e páprica. Quando misturados à massa do queijo, estes condimentos evoluem na maturação, em uma mistura de sabores diferentes e equilibrados.

Como é feito o queijo gouda?

No processo de produção, o Gouda leva alguns meses para maturar. Depois desse tempo, já tem consistência firme e textura lisa e flexível. Para preparar o queijo gouda, utiliza-se leite integral de vaca, pasteurização entre 63ºC e 65ºC, por 30 min. Depois, resfria-se até atingir 38ºC, adiciona-se cultura láctea e pré-fermentação.

Ao término da fase de pré-fermentação, o gouda recebe também corante e coalho para a coagulação. Depois, a massa é cortada, lavada e o soro removido. Com a prensagem e o corte das bordas, o queijo está quase pronto. Posteriormente, o produto passa pela salga. A fase final da preparação do queijo também é a mais saborosa: a maturação.

O queijo gouda, então, passa para a fase de maturação. Este período depende do tamanho do queijo e sabor desejado. No entanto, é importante lembrar que quanto mais maturado o queijo, mais duro o queijo ficará e mais acentuado será seu sabor. O gouda recebe um acabamento final quando se alcança a maturação desejada. Além disso, uma resina plástica é aplicada depois que a casca está formada e seca ao toque.

Tipos de queijos holandeses

Depois de conhecer o gouda, muitas pessoas adquiriram interesse em saber mais sobre os tipos de queijo holandeses. Dessa forma, muitas pessoas apresentaram grande apreço pelos queijos holandeses, já que eles possuem um sabor diferenciado e são populares em todo o mundo.

É sabido que os queijos possuem os mais variados locais de origem, fazendo com que se tornem extremamente diversificados e versáteis. Dessa maneira, torna-se até mesmo divertido experimentar queijos de diferentes localidades, como o queijo gouda, tendo uma melhor ideia sobre cada tipo e cada local de origem.

De qualquer maneira, os queijos holandeses acabaram se destacando de grande forma. Afinal, assim como a Itália e seus produtos, a Holanda e os queijos também mantêm um costume muito correto e minucioso de manter as raízes do preparo de cada queijo.

Assim, os que mais se destacam, além do queijo gouda holandês, são:

  • Maasdammer;
  • Queijo de cabra;
  • Boerenkaas;
  • Queijo defumado;
  • Queijo cravo da Frísia.

Em suma, todos os queijos citados possuem características bem distintas entre si. No entanto, uma questão muito forte que todos os holandeses possuem é em relação à comercialização e também à forma de produção.

Pode-se notar que muitos comerciantes holandeses seguem exatamente as formas de produção mais primitivas do queijo gouda. Ou seja, muitos ainda possuem animais para ordenhar, espaços feitos de pedra para produção, entre outros.

Segundo os produtores, o motivo de seguir tão a risca a forma de produção, preparo, descanso, maturação e todos os demais passos do queijo gouda holandês, é que assim é possível manter o sabor original, fazendo com que todos saibam exatamente o gosto desse queijo.

Queijo gouda

Maasdammer

Esse queijo se caracteriza pelo incrível sabor de nozes que possui. Além disso, também é possível notar enormes buracos em formato arredondado. Em geral, existem uma série de variedades desse queijo e todos eles podem ser facilmente encontrados na Holanda.

Entretanto, encontrá-los no Brasil é uma dificuldade um pouco maior. Afinal, não são todos os tipos que fizeram grande nome e popularidade no país. Isso, lógico, devido a diversos fatores, como o paladar dos brasileiros, data de validade até chegar ao país, entre outros.

Ainda assim, os maiores apreciadores de queijo conseguem encomendá-lo da Holanda ou encontrá-lo através de fornecedores na internet. Atualmente, na verdade, grande parte dos queijos e demais produtos originais e importados podem ser encontrados através de redes sociais.

Queijo de cabra

Muito semelhante ao queijo de cabra, esse queijo é o mais parecido com o gouda. Em geral, ele se apresenta em duas formas: fresco ou mole. Porém, dependendo da região onde é adquirido, pode apresentar uma textura semidura e curada.

Nessa versão semidura e curada, inclusive, é onde ele é comparado com o gouda. Entretanto, ele apresenta uma cor pálida, com sabor forte e uma textura que derrete facilmente, não necessitando de muito tempo no calor.

Boerenkaas

O Boerenkaas é um dos tipos de queijo considerado natural. Afinal, ele é feito com base no leite natural e por isso, segundo a lei da Holanda, deve e pode ser considerado artesanal.

Em suma, ele possui uma textura bem diferenciada, podendo se apresentar muitas vezes como um queijo fofo e diferente, características que o tornam ótimo para combinar com torradas, por exemplo.

Queijo defumado

Os alimentos defumados apresentam uma certa qualidade diferenciada de sabor e aroma. Muito utilizados para molhos, carnes, sanduíches e demais acompanhamentos, o queijo defumado é fabricado, depois é derretido e somente então é defumado. Após esse processo, ele é remodelado na forma de uma linguiça.

Na Holanda e em algumas queijarias do Brasil, ele se apresenta sendo vendido por fatias. Logo, até onde se sabe, não é comum que seja comprado em tamanho inteiro.

Queijo de cravo da Frísia

Como o próprio nome sugere, esse queijo é feito com cravo. Essa característica, como se pode observar, é muito diferente. Afinal, não são todos os queijos que levam cravo junto ao cominho em seu preparo, mesmo que apresentem temperos diversificados.

De qualquer maneira, ele apresenta um sabor forte, seco, adstringente e muito marcante. A partir dessas características, é possível notar que o queijo de cravo é um tipo que dificilmente harmoniza com outros alimentos.

O que comer com queijo gouda?

Uma dúvida muito constante em meio aos consumidores do queijo gouda é se o queijo gouda derrete. De fato, ele derrete. Porém, quando derretido, pode apresentar um sabor muito mais acentuado, efeito que o calor oferece a ele.

De qualquer maneira, há diversas formas de comer o queijo gouda. Em suma, ele pode ser consumido das seguintes formas:

  • Fatiado;
  • Ralado;
  • Em cubos.

Todas essas formas se fazem presentes em tábuas de queijarias e ele também pode ser encontrado para consumo em cafés coloniais. Dessa maneira, apresenta uma ótima variedade de alimentos junto a ele, como salames, azeitonas, ovo de codorna, pão, pão torrado, etc.

Porém, uma das melhores características de consumo que ele oferece é o sabor suave e a facilidade de combinar com grande parte dos alimentos. O queijo gouda, entretanto, não é o melhor queijo para consumir com alimentos como arroz, carnes de panela, entre outros.

Queijo gouda

Como comprar um queijo gouda?

Em suma, comprar queijos é uma tarefa que exige um pouco de conhecimento sobre o tipo favorito que, nesse caso, é o gouda. Diferente de comprar queijos fatiados no mercado, comprar um queijo importado e diferenciado para consumo é um dos feitos que precisa de atenção e dedicação.

Afinal, como esse produto será consumido, estima-se que quase diariamente, é necessário saber escolher um queijo que se adapte bem ao paladar. Algo que muitas pessoas não sabem é que o queijo gouda possui variações.

Logo, pode ser considerado um tipo de queijo versátil e que apresenta ótimas qualidades. Isso, de fato, colabora para que ele seja utilizado em uma gama muito maior de receitas com queijo gouda.

Identifique o seu gosto

Antes de comprar o queijo gouda, é preciso saber identificar qual o sabor e intensidade do queijo. Existem queijos gouda que se apresentam defumados, mais apimentados, moles, semiduros, com sabor suave, mais claros, etc.

Em geral, a base de sabor para comprar um queijo é muito semelhante à base de sabor para outros alimentos. Por exemplo, pessoas que gostam de alimentos bem temperados e fortes costumam gostar também de queijos temperados e fortes. Logo, é possível ter um direcionamento melhor para escolher o gouda.

Finalidade

A finalidade para qual ele será consumido também é algo que pode ajudar. Já que os consumidores geralmente procuram queijos para comer separado do alimento, o queijo gouda pode ser uma boa opção. Porém, se a intenção é fazer algum tipo de molho ou outra receita, talvez outros tipos de queijo fiquem melhores.

No entanto, se a intenção é consumi-lo com vinhos e demais especiarias como temperos e outros tipos de aperitivo, o gouda é uma boa opção.

Textura

A textura de um queijo é também muito importante na hora de consumi-lo. Mesmo que isso seja algo muito ligado ao gosto de cada pessoa, é possível encontrar um queijo gouda com a textura mais suave, mole ou outro tipo que preferir.

Essa etapa é muito importante para não se arrepender de comprar o produto e não consumi-lo. Afinal, grande parte dos queijos holandeses, bem como outros queijos importados, possui um valor um pouco mais agregado que o normal.

Isso faz com que seja necessário consumi-los de maneira correta para fazer com que o investimento valha a pena. Além disso, essa questão também se refere à quantidade que será ingerida. Nem sempre comprar um queijo muito grande é vantagem.

Faixa de preço

Uma das questões de maior tabu que rondam os queijos importados é em relação à faixa de preço que possuem. A origem do queijo gouda, por exemplo, faz com que ele tenha um valor e um preço mais agregado.

Porém, é possível encontrar, a depender da região e de demais características do queijo e local de comércio, por um preço mais acessível e vantajoso dentro daquilo que será realmente consumido.

Onde encontrar o queijo gouda?

A indicação é sempre procurar o queijo gouda holandês em casas específicas de queijo. Esses locais proporcionam maiores vantagens em relação aos outros locais.

Um estabelecimento especializado na venda de queijos oferece maior possibilidade em adquirir um gouda original, novo e dentro dos padrões estabelecidos de consumo. Entre outras vantagens, também oferece:

  • Amplo conhecimento do queijo;
  • Indicações sobre a melhor opção;
  • Preços mais vantajosos;
  • Grande variedade de queijos.

Qual o preço do queijo gouda?

Como dito, o valor a ser pago pelo queijo gouda é algo muito relativo. Em muitos casos, ele apresenta um valor mais acessível que outros. Afinal, também é preciso levar em consideração que algumas vezes ele é trazido direto da Holanda para ser comercializado em território brasileiro.

Já em outros casos, é mais provável que ele tenha sido produzido no Brasil, porém levando em consideração os mesmos ingredientes e formas de preparo. Independente do tipo, o queijo gouda geralmente pode ser encontrado em fatias de aproximadamente 160 g cada, por um valor de R$ 60,00.

Entretanto, em outras ocasiões, o queijo gouda é vendido por R$ 40,00 um queijo inteiro de 550 g. Como é possível perceber, o valor pode mudar conforme o comércio em que é vendido.

Como armazenar o queijo gouda?

Diferente de outros tipos de queijo, o queijo gouda deve ser envolto em um plástico filme preferencialmente mais de uma vez. Além disso, ele também deve ser armazenado na geladeira para evitar que o calor do ambiente altere suas características originais. Quando for necessário consumi-lo, aconselha-se retirá-lo da geladeira até 1 hora antes.

Quem pode consumir o queijo gouda?

Em geral, toda pessoa pode consumir o queijo gouda. Porém, ele pode se mostrar um pouco forte para crianças, por exemplo. Mesmo que não tenha um sabor extremamente acentuado como outros queijos, ele ainda assim possui componentes que o tornam um queijo forte.

Além disso, é aconselhado também que pessoas com altos índices de intolerância à lactose evitem o consumo desse queijo. Até então, não se sabe se existe no mercado uma opção de queijo gouda sem lactose.

Até mesmo porque, fazê-lo sem a lactose talvez agregaria um resultado diferente do que o queijo original e feito da forma tradicional.

Queijo gouda

Quanto queijo consumir por dia?

Mesmo que ele seja um queijo relativamente calórico, o queijo gouda pode ser consumido pelas pessoas que estão em uma dieta um tanto quanto restritiva, com a finalidade de perder peso. Afinal, como possui uma série de componentes, ele tem o poder de oferecer uma saciedade agradável.

Ainda assim, é recomendado que o seu consumo seja moderado. Por conta disso, uma fatia ou duas já são o suficiente para um dia. Caso contrário, há grandes probabilidades desse queijo alterar o colesterol de quem o consome.

Logicamente, esse não é um problema somente do queijo gouda, já que grande parte dos alimentos, quando consumidos em excesso, causam algum problema na saúde do indivíduo. Portanto, é um equívoco afirmar que ele é prejudicial. Porém, é sempre preciso dosar as quantidades certas.

Como comercializar o queijo gouda?

A comercialização do queijo gouda é algo que pode render ótimos lucros. Porém, assim como qualquer queijo importado, é preciso saber como produzi-lo de maneira fiel para evitar qualquer alteração de sabor.

Além disso, o queijo também se torna mais agradável quando é seguida a tradição de produzir o alimento. De qualquer maneira, independente de revendê-lo para alguma empresa, importá-lo do exterior ou fabricá-lo, é preciso ter estrutura e planejamento adequados.

Esse queijo tem, de fato, um ótimo público para consumi-lo. Entretanto, é preciso estar atento em relação à região em que ele será comercializado. Isso porque vender exige divulgação para que as pessoas saibam da existência do produto. Logo, quanto mais próximo do público-alvo ele estiver, melhor.

Para isso, é válido observar a cidade em que será instalada a comercialização do queijo gouda holandês. Caso contrário, corre-se o risco de não haver demanda o suficiente para obter lucros satisfatórios ao vendê-lo.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo