A policultura e a sua influência nas questões ambientais

Inicio » Agricultura » A policultura e a sua influência nas questões ambientais
20/02/2019 Por
A policultura e a sua influência nas questões ambientais

Como a produtividade da policultura auxilia os aspectos ambientais

Com o intuito de não limitar-se somente a um tipo de produção, a policultura foi desenvolvida para que houvesse maior diversidade nas atividades da agricultura e da pecuária.

A policultura, voltada para a agricultura de subsistência, também é fator importante para a economia regional e nacional, além de permitir o sustento e renda dos pequenos produtores.

Policultura: plantação de algodão

O que é policultura?

O significado de policultura consiste na produção agrícola de vários tipos de vegetais e na criação de diferentes espécies de animais em uma mesma área. Esta prática é feita principalmente por pequenos agricultores em minifúndios (pequenas propriedades rurais), de forma simultânea ou fazendo o uso da técnica de rotação de culturas. É encontrada geralmente nas atividades da agricultura extensiva, como, por exemplo, agricultura de subsistência ou familiar.

As primeiras práticas da policultura foram realizadas por imigrantes europeus – da Alemanha, em especial -, nas regiões ocupadas pelas matas e florestas. Além disso, foi praticada principalmente por índios, durante o período de descobrimento do Brasil.

Os produtos mais cultivados são:

  • Feijão;
  • Milho;
  • Algodão;
  • Abóbora;
  • Mandioca;
  • Batata;
  • Fumo;
  • Frutas.

Vantagens e desvantagens da policultura

Esta forma de produção agrícola é praticada principalmente por pequenos agricultores e mini latifundiários em pequenas áreas rurais. Ela é usada como forma de obter sustento e renda. Dessa forma, possui vantagens e desvantagens particulares.

As principais vantagens da policultura são:

  • Necessita de um espaço menor para as produções;
  • Utiliza pouca tecnologia, principalmente para as irrigações;
  • Fortalece as plantas, fornecendo maiores nutrientes ao solo;
  • Possibilita estabilidade econômica aos produtores e familiares;
  • Maior variedade de culturas;
  • Combate natural e sustentável de pragas e doenças, ou seja, sem o uso de fertilizantes e agrotóxicos;
  • Não realiza desmatamento, protegendo a fauna, flora e os rios próximos;
  • Fornece descanso ao solo ao dar preferência a rotação de culturas.

Por outro lado, há algumas desvantagens:

  • Corre o risco de ter a lucratividade afetada por conta da cotação de produtos no mercado, já que a rotação de cultura é regra para a troca o plantio;
  • Custo relativamente alto de produção, devido a demanda da utilização de certos equipamentos em diferentes tipos de culturas;
  • Requer maior planejamento, análise e desenvolvimento das lavouras e da área a ser utilizada.

Policultura: plantação de abóbora

Contribuição ambiental da policultura

Entretanto, diferente da monocultura, a policultura permite o descanso do solo e o previne contra o esgotamento e o empobrecimento nutricional. Há alguns lugares do mundo, como os Estados Unidos, por exemplo, estão optando pela policultura uma vez que ela auxilia na recuperação do solo. Além disso, permite maior lucratividade e produtividade aos produtores, auxiliando no desenvolvimento da economia nacional.

Um exemplo disso é a cultura do milho e da cana-de-açúcar, sendo substituídos por outras culturas em determinado tempo para que o solo descanse, recupere seus nutrientes, tenha maior fertilidade e rápida produtividade.

Por ser praticada principalmente em agriculturas familiares, a policultura tem grande contribuição para a economia regional e, consequentemente, para a nacional. São adotadas práticas ecológicas que garantem a qualidade de vida da população em torno e do ambiente em que é realizada.

Dessa forma, a policultura coopera para a diminuição dos impactos ambientais, tanto da agricultura quanto da pecuária, evitando ao máximo a contaminação das produções. Por exemplo, abster-se do uso de substâncias químicas nocivas a saúde dos homens, das plantas e dos bichos.

Agro20 | Portal Vida No Campo