Queixada é um porco silvestre que vive em florestas

Inicio » Pecuária » Queixada é um porco silvestre que vive em florestas
14/08/2020 Por
Queixada é um porco silvestre que vive em florestas

O queixada é um animal que não exige muitos cuidados da parte dos produtos, que tampouco precisam investir muito em cada indivíduo.

Em contrapartida, seu custo benefício vale a pena, pois é possível obter renda com matriz, couro e venda de carne por meio da criação de queixada.

Queixada

O que é queixada?

Queixada é um tipo de mamífero (Tayassu pecari) pertencente à família Tayassuidae. Sem dúvida, a espécie é facilmente identificada por conta de seu topete marcante e seu característico bater de queixo / bater de dentes.

Além disso, entre os mamíferos neotropicais de porte grande, o queixada é o único a formar rebanhos maiores. Assim, o papel desempenhado pelo mamífero tem um impacto ecológico significativo para as regiões.

Hábitos do porco queixada

O queixada é um animal de hábitos diurnos, que tende a ser mais ativo no início da manhã e no final da tarde. Eles vivem em grandes rebanhos, portanto, precisam de grandes territórios – cerca de 19 a 200 km² para um único rebanho.

Em suma, a movimentação do rebanho é ditada pela disponibilidade de frutas na área. Grupos grandes podem se dividir em vários subgrupos menores, que compartilham o mesmo território de origem, mas se alimentam em áreas diferentes.

Em média, um rebanho de queixadas pode viajar dez quilômetros em um dia, passando aproximadamente dois terços do dia viajando ou se alimentando. Além disso, os queixadas têm uma glândula de cheiro nas costas que parece ajudar a formar um vínculo entre os membros de um rebanho.

Eles também são animais muito vocais, emitindo sons para manter contato e para acionar o alarme de perigo. Durante os conflitos, eles costumam bater os dentes, característica responsável pelo nome “queixada”.

Eles podem nadar bem, tendendo a gostar de mergulhar na lama.

Significado de porco queixada

O porco queixada, como observado acima, leve esse nome devido ao hábito de bater o queixo / bater os dentes – como se sentisse frio – quando se sente ameaçado e acuado.

Habitat do queixada

O habitat dessa espécie de mamífero é bastante amplo, pois sua distribuição geográfica é expressiva. Em suma, há ocorrências do animal desde Oaxaca e Veracruz, no México, até a província argentina de Entre Rios. Além disso, a costa do Equador, especificamente Pichincha e Esmeraldas, também conta com a presença do animal.

No Brasil, a princípio, a espécie tinha incidência por toda a extensão do território. Entretanto, esses mamíferos exigem territórios amplos, além de serem muito suscetíveis à caça. Por isso, é provável que em alguns lugares já esteja extinto como, por exemplo, no Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas e Pernambuco.

Queixada

Porco Cateto

Embora muitos achem que queixada e cateto são o mesmo animal, isso está equivocado. De fato, eles pertencem à mesma família, sendo praticamente irmãos. Porém, ocorrem algumas diferenças significativas entre ambos os animais.

Por exemplo, a ocorrência do cateto está concentrada do norte argentino até o sudoeste estadunidense (especificamente no Arizona, New Mexico e Texas).

Há uma variedade ampla de habitats no decorrer das áreas de distribuição do cateto, que pode habitar florestas tropicais, florestas de carvalhos, caatingas, chacos, florestas espinhosas e desertos.

Além disso, o porco queixada vive em bandos tipicamente maiores quando comparados aos do porco cateto. Por exemplo, quando o habitat é uma floresta de clima tropical, os bandos de queixadas alcançam a marca de cinquenta até trezentos indivíduos. Enquanto isso, catetos andam em grupos bem menores, somando cerca de seis a nove indivíduos.

Outra diferença notável entre as espécies é que os queixadas podem ser encontrados em áreas amplas e não demonstram comportamento territorial. Já os catetos habitam áreas mais modestas e tendem a defender seu território.

Não menos importante, o queixada é uma espécie maior, com um peso superior a um terço. O cateto também é mais tolerante à caça humana e às alterações de habitat desempenhadas pelo homem. Isto é, os catetos têm um instinto de sobrevivência mais “aguçado”, por assim dizer, quando comparados aos queixadas.

Conservação do porco queixada

Como destacado acima, apesar de viverem em bandos sociáveis, os queixadas são vítimas regulares da caça humana. Além disso, outros fatores implicam na ameaça de extinção da espécie na maior parte do território, tais como:

  • Criação de gado;
  • Construção de obras grandes;
  • Incêndios;
  • Destruição e fragmentação do ambiente;
  • Introduções de espécies exóticas (como, por exemplo, o javali);
  • Aumento da densidade populacional humana;
  • Monocultura.

Queixada

Como criar queixada?

De fato, apesar do que aparenta à primeira vista, o queixada não exige grandes cuidados por parte do produtor em espaços com vegetações naturais. Além disso, a criação é vantajosa e rentável, pois possibilita a matriz de criação e a venda dos subprodutos derivados do animal.

Sem dúvida, essa espécie silvestre possui muitas características apropriadas para os produtores que desejam criá-la com o propósito de impulsionar o rendimento da propriedade rural.

No comércio brasileiro, o manejo de queixada possui lucros provindos da venda de carne magra, com um sabor suave muito valorizado pelos restaurantes mais requintados.

Os subprodutos derivados, como o couro do animal, são destinados às fábricas de acessórios e vestuários de luxo, além das matrizes para a produção de demais plantéis.

O preço do animal também não é elevado para produtores que pretender iniciar ou ampliar a criação de queixada. Afinal, o valor médio de um mamífero da espécie é de novecentos reais.

Se a atividade de criação for destinada ao abate, no entanto, o rendimento por cada exemplar diminuiu pela metade. Apesar da queda de valor, o abate ainda é considerado como uma atividade vantajosa para cobrir os custos envolvidos na criação de cada cabeça.

Estimadamente 70% da alimentação da espécie consiste em qualquer variedade de hortaliças e frutas, além de capim, cana de açúcar, soro de leite e outros animais eviscerados. A ração de choco corresponde aos 30% restantes e também pode ser produzida de modo caseiro usando soja, farelo de trigo e milho.

De fato, o queixada não é uma espécie dócil, contudo, é possível manejá-la com a estrutura adequada e em um ambiente próximo do habitat do animal, isto é, uma área formada com água fresca, sombra e vegetação.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo