Cabrito ganha espaço na produção leiteira e como animal de estimação

Inicio » Pecuária » Cabrito ganha espaço na produção leiteira e como animal de estimação
11/03/2019 Por
Cabrito ganha espaço na produção leiteira e como animal de estimação

O cabrito é um mamífero que tem ganhado muito destaque nos últimos anos. De fato, por ter uma carne saborosa e produzir um dos leites considerados mais saudáveis, os caprinos vem chamando atenção dos consumidores do mercado brasileiro. Além disso, por ser um animal extremamente dócil, o cabrito é um excelente animal para ter de estimação. Por isso, a procura pela espécie vem crescendo muito nos últimos anos.

Então, para te ajudar a conhecer mais sobre o assunto, nesse artigo, falaremos sobre o cabrito selvagem, sobre a espécie que pode ser domesticada e comercializada com mais facilidade e quais as melhoras práticas para sua alimentação. Também, explicaremos um pouco sobre os benefícios do leite de cabra e a da sua carne, bem como sobre o consumo mundial desse alimentos. Confira a seguir e boa leitura!

  1. O que é cabrito?
  2. Cabrito filhote
  3. Características dos caprinos
  4. Criação de cabras
  5. Raças de cabras
  6. Saanen
  7. Toogenburg
  8. Anglo-nubiana
  9. Parda
  10. Qual a diferença entre cabrito e cordeiro?
  11. Qual a diferença entre bode e cabrito?
  12. Cabrito montês
  13. Caprino Boer
  14. Cabritos de estimação
  15. Hábitos alimentares dos caprinos
  16. Benefícios do leite de cabra
  17. Carne de cabrito
  18. Consumo da carne de cabrito
  19. Mercado dos caprinos

Cabrito no pasto

O que é cabrito?

O cabrito é conhecido no mundo agro pelo caráter dócil e boa produção de leite. A fase do cabrito é mais essencial na criação dos caprinos. Isso porque é nela que o animal melhor se desenvolve, podendo crescer com saúde para que ofereça uma produção de qualidade.

O cabrito apresenta vantagem na criação, pois é facilmente domesticado além de produz leite de alta qualidade. Dessa forma, o animal se torna cada vez mais popular no Brasil, principalmente no âmbito comercial.

Cabrito filhote

Os cabritos são fruto do cruzamento da cabra e do bode. Quando ainda estão na fase de filhotes, estes animais são denominados por este termo específico. Ao se desenvolverem e terem o sexo demarcado, são classificados de acordo com o gênero.

A cabra é um animal de origem asiática e européia-ocidental. Faz parte da família dos animais Bovidae. No masculino é chamado de bode e no feminino de cabra. O peso máximo dos bodes pode chegar até 140 kg em raças maiores, e 27 kg nas cabras menores.

Os caprinos são considerados um dos menores animais ruminantes domesticados. A partir de 7000 a.c, na região do Oriente Médio, as cabras selvagens eram utilizadas na criação dos povos, além de ser muito adaptável ao clima e local.

Os caprinos possuem diferentes denominações em suas fases da vida. Ao nascer, se inicia a fase da lactação, ou seja, o período da amamentação, eles são chamados de cabriteiros. A próxima fase se inicia no término da lactação até o início do período fértil, onde são chamados de cabritos. A última fase é maturidade adulta em que seus sexos estão bem definidos e recebem a nomenclatura de cabra ou bode.

Em muitos locais do país, a criação como animal doméstico do cabrito é muito comum. Em locais afastados dos centros metropolitanos, os animais ganham destaque nas fazendas e são criados junto aos cachorros em fazendas.

Características dos caprinos

Entre as características marcantes desse animal, podemos evidenciar a presença de cornos e barba em ambos os sexos. O corno possui uma leve curvatura, no formato espiral e sua ponta é bastante afiada. A barba possui diferentes variações dependendo do lugar em que o animal for criado, pode apresentar pelos curtos ou longe, textura macia ou áspera.

Um dos principais produtos adquiridos na criação das cabras e dos bodes são o couro do animal, a carne e o leite. Há algumas raças que é possível produzir lã a partir de sua pelagem, e em alguns casos os agricultores utilizam seu esterco para adubação do solo.

Os habitats naturais de preferência para estes animais são em regiões montanhosas, em especial em zonas de clima temperado. A altitude do local auxilia no melhor funcionamento dos pulmões do animal, da mesma maneira que sua grossa pelagem é responsável por permitir proteção em baixas temperaturas.

A gestação da cabra dura em torno de 150 dias e seus filhotes, os cabritos, possuem alta expectativa de vida. Os animais podem viver por mais de anos em bons cuidados e são facilmente domesticados.

Na produção leiteira, seu leite não é muito recomendado para consumo pois contém algumas toxinas prejudiciais aos seres humanos. No líquido pode conter o protozoário denominado toxoplasma que ao se contaminar se apresenta sintomas gripais nos humanos.

Cabrito no pasto

Criação de cabras

A criação de caprinos é considerada um ingresso fácil no mundo da pecuária. Para formar o rebanho desses animais é importante planejar qual o objetivo da criação para que consiga retirar o máximo possível de benefícios do animal.

Na hora da compra dos cabriteiros, é importante verificar a saúde do animal. Certificar que o aparelho reprodutivo está perfeito estado, do mesmo modo se vacinação dos animais se encontra em dia.

Na hora de escolher a raça de caprino a ser criada, é importante se atentar aos seguintes fatores:

  • Mercado produtor;
  • A aptidão da raça em relação ao objetivo com a criação;
  • Adaptação ao clima e solo em que será criado;
  • Verificar se os filhotes não são fruto de cruzamento industrial pois influencia nos traços e aptidões desses animais.

Raças de cabras

Existem quatro raças caprinas leiteiras principais no Brasil, cada uma com suas características bem demarcadas e voltada para um tipo de mercado.

  • Saanen

São cabras de pelagem branca, de caráter altivo, ou seja, apático ao seu dono. São os maiores na produção leiteira e se alimentam cereais finos. Seu período de amamentação pode chegar até 10 meses, com uma base de 3 litros de leite por dia.

A fêmea saanen possuem longa vida útil de gestação além de serem bastante férteis. A cada gestação uma cabra carrega até três cabritos, os filhotes exigem diversos cuidados como o sistema de confinamento por exemplo.

  • Toogenburg

Esta raça de caprino é caracterizada pela pelagem castanho-acinzentada e possui marcas brancas em seu rosto. Na produção leiteira, chega a produzir até 2 litros por dia.

Na gestação, as cabras toogenburg costuma ter filhotes gêmeos e os animais podem ser criados em ambientes abertos ou em sistema de confinamento.

  • Anglo-nubiana

Este caprino possui pelagem malhada, orelhas grandes e seu nariz é similar ao do carneiro. As fêmeas podem produzir 2 litros de leite por dia e possuem ótima habilidade materna.

São cabras prematura, os cabritos desta raça estão prontos para o abate em menos de 3 meses, pesando aproximadamente 21 kg.

  • Parda

São caprinos de pelagem malhada (castanho e preto), são uma das menores raças e as mais rústicas também. A vida útil da cabra é muito pequena, produzem 2 litros de leite por dia por até 9 meses.

Qual a diferença entre cabrito e cordeiro?

Muitas pessoas confundem os dois animais ou mesmo não sabem diferenciar os dois. Este fato acontece pela semelhança física entre as raças, contudo há muitas diferenças fisiológicas.

O carneiro é o masculino da ovelha, ou seja, produz grande quantidade de pelo que mais tarde é utilizada na indústria têxtil. Enquanto o cabrito é a cria da cabra e do bode, tendo pelagem rasa e produtos voltados ao mercado da carne e produção leiteira.

No mercado da carne, o cordeiro possui maior índice de gordura, fator que promove a maciez na peça. Enquanto os cabritos possuem uma das carnes mais magras e nutritivas do mercado. Apesar da vantagem da carne do cabrito, seu consumo no Brasil não é tão comum quanto do gado bovino, por exemplo.

Qual a diferença entre bode e cabrito?

O cabrito é o mesmo animal que o bode, mas recebe esse nome em sua fase de filhote.

Cabrito

O cabrito montês

Em primeiro lugar, devemos lembrar que existem diversas espécies de caprinos e cada uma delas deve ser tratada de uma forma específica.

Por exemplo, o cabrito montês é uma espécie selvagem de caprino que vive nas montanhas da Espanha e no Norte de Portugal.

Semelhante aos cabritos que estamos costumados a ver em fazendas, essa espécie tem cerca de 120 cm de comprimento a pode pesar até 110 kg, dependendo do gênero. Além disso, as fêmeas têm chifres curtos, enquanto os machos têm chifres grandes e grossos, bem como barba abaixo da mandíbula.

Apesar de ser considerado um animal selvagem, os cabritos do tipo montês são animais sociáveis entre si e mudam de manada com frequência. Contudo, quando chega a época de reprodução, os machos lutam entre si para terem o direito de acasalar. Geralmente, a época do cio ocorre entre os meses de novembro e dezembro, e os filhotes nascem entre os meses de abril e maio.

Apenas alguns dias após o nascimento, o cabrito montês filhote já é capaz de andar e seguir sua mãe mesmo em caminhos mais complicados. Então, no fim do período de lactação, os filhotes machos passam a viver em pequenas manadas independentes e as fêmeas se unem à manada de progenitoras.

Contudo, devido à caça humana, o cabrito montês é considerado uma espécie em extinção. De fato, estima-se que existam somente 50 mil desses animais no mundo inteiro, distribuídoss em apenas dois países da Europa. Por isso, na maioria dos lugares, a caça é proibida.

Caprino Boer

Outra espécie de caprino bastante conhecida é o cabrito Boer. Essa raça é original da América do Sul e é o resultado do cruzamento de caprinos indígenas e europeus.

Diferente da maioria dos cabritos, essa espécie tem um desenvolvimento físico acelerado, chegando a pesar até 170 kg. Além disso, a taxa de mortalidade dos filhotes de cabra Boer é bem baixa.

Apesar de o cabrito Boer ser encontrado em diversos países e ser adaptável aos mais diferentes climas, no Brasil a espécie encontrou condições favoráveis para o seu desenvolvimento. Assim, de acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Caprinos, essa raça é a que tem maior número de exemplares registrados no país.

Por esses motivos, e pelo fato do cabrito Boer ser ótimo para produção de carne e de leite, a espécie é a mais procurada pelos criadores de caprinos. Os principais benefícios dessa raça são:

  • Bom rendimento da carcaça;
  • Puberdade precoce;
  • Baixo custo de manutenção;
  • Fácil adaptação;
  • Boa fertilidade;
  • Ganho rápido de peso.

Contudo, para que a criação de cabritos seja lucrativa, é preciso selecionar bem exemplares. De acordo com o CPT (Centro de Produções Técnicas), comercialmente, existem 5 tipos de caprinos da raça Boer.

De forma resumida, o Boer de Pelo Longo, o Boer Mocho e Boer Nativo são os menos procurados pelos criadores. Isso acontece porque as suas características físicas, como excesso de pele e falta de chifres, bem como a qualidade inferior da sua carne, são desfavoráveis para comercialização.

Por outro lado, o cabrito Boer Comum, por apresentar desenvolvimento corporal rápido e uniforme, pode ser mais apreciado pelos criadores.

Entretanto, o tipo mais desejado para criação é o cabrito Boer Melhorado, pois os seus filhotes se desenvolvem rápido e têm alta taxa de fertilidade, além de pelagem uniforme e excelente forma física.

Cabritos de estimação

Por outro lado, a criação de cabrito tem crescido nos últimos anos graças à popularidade que a espécie vem ganhando como animal de estimação. De fato, os caprinos são dóceis e se adaptam com facilidade aos humanos!

Essa prática começou com nos Estados Unidos com aulas de Yoga que usavam as cabras anãs nigerianas como terapia complementar. Assim, as aulas em conjunto com as cabras ajudavam na redução do estresse, além de melhorar o seu aproveitamento, o que se espalhou rapidamente pelo mundo.

Entretanto, embora os cabritos sejam animais resistentes, alguns cuidados devem ser tomados para garantir a boa saúde deles. Independente da espécie que for escolhida como animal de estimação, os caprinos precisam de um espaço com gramado e abrigo da chuva e do frio. Além disso, é necessário fazer vermifugação regularmente e manter o local higienizado.

Em contrapartida, é preciso ter um lugar onde o animal possa correr e brincar. Assim como os cachorros, os cabritos gostam de brincar e se manter ativos. Porém, eles fazem bastante barulho e não gostam de ficar sozinhos. Por isso, não é recomendado que eles sejam criados em áreas com casas muito próximas umas das outras.

Por fim, também é importante que os animais sejam adquiridos de criadores confiáveis. Para saber onde comprar, você pode entrar em contato com a Associação Brasileira dos Criadores de Caprinos. Eles informarão os locais com registro legal mais próximos de você!

Cabrito

Hábitos alimentares dos caprinos

De acordo com o CPT (Centro de Produções Técnicas), os caprinos se alimentam com uma boa variedade de vegetais, desde que tenham boa qualidade nutricional e palatabilidade. Como essa espécie tem o hábito de pastar e andar o tempo todo para encontrar alimentos, é importante que eles tenham comida disponível em abundância.

Via de regra, os cabritos se alimentam principalmente de plantas forrageiras, como ramos, brotos ou folhas, preferindo sempre as mais largas. Ademais, eles também comem capim, silagens e tubérculos.

Contudo, em cada fase da sua vida, o animal tem exigências nutricionais diferentes. Além disso, o seu estado fisiológico e nível de produção pretendido também influenciam na escolha de uma dieta adequada.

De fato, mesmo que as cabras e bodes tenham uma boa genética e sejam manejados em instalações de qualidade, se eles não forem alimentados de forma correta, sua saúde e capacidade produtiva serão afetados. Por isso, podemos dizer que a alimentação (em conjunto à genética, manejo e conforto) é um dos pilares da criação de cabritos.

Com relação ao horário de pastejo, o mais comum é que os cabritos prefiram se alimentar de manhã (entre 7h30 e 11h30) e à tarde (entre 14h30 e 17h30). Contudo, isso dependerá da umidade e temperatura da região.

Em locais onde há mais umidade e a temperatura é mais baixa, é comum que os cabritos comecem a pastar mais tarde, quando a vegetação está menos úmida, por volta das 9h00. Por outro lado, em regiões quentes e com pouca umidade, os animais começarão o pastejo mais cedo a fim de aproveitar um pouco da umidade das plantas.

Benefícios do leite de cabra

Decerto, a criação de cabritos ainda tem como objetivo a produção de leite. Além de ter textura e gosto mais agradável em comparação com outros leites animais, o leite de cabra é considerado um dos mais saudáveis.

Em primeiro lugar, um dos maiores benefícios do leite de cabra está relacionado à sua digestibilidade. Como ele tem mais ácidos graxos de cadeia curta e média, bem como glóbulos de gordura menores, é digerido com mais facilidade pelo corpo humano.

Além disso, por ter menos caseína, o leite de cabra é uma boa opção para alérgicos ao leite, tendo resultados positivos em 40% dos casos.

O segundo benefício do leite de cabra está relacionado à sua composição. Em média, esse leite contém 87% de água, 4% de lipídeos, 4% de lactose, 3,5% de proteínas e 1% de cinzas, com pH em torno de 6,5.

Além do mais, esse leite também tem níveis importantes de vitaminas do complexo A e B, cálcio, manganês, cobre, selênio e zinco. Por isso, ele tem efeito anti-inflamatório, antigênico, antimicrobiano, imunomodulador e antioxidante.

Em contrapartida, alguns estudos mostraram que o leite de cabra pode ajudar a reduzir a pressão arterial, prevenir alguns tipos de câncer e melhorar a imunidade.

Além de consumir esse leite puro, é possível produzir também uma grande variedade de derivados, como sorvete, queijo e manteiga, bem como produtos funcionais, como os probióticos. Assim, pode ser mais fácil incluir o leite de cabra em nossa dieta e aproveitar seus benefícios.

Carne de cabrito

Tão nutritivo quanto o leite, a carne de cabrito vem ganhando cada vez mais espaço mais espaço na culinária brasileira. Em uma pesquisa recente, ela foi eleita o terceiro alimento mais saudável do mundo. O motivo disso se deve principalmente aos seus valores nutricionais que, quando comparados com outras carnes, são muito mais benéficos.

Entre as principais vantagens de incluir a carne de cabrito na nossa alimentação, podemos mencionar o seu baixo teor de gordura, colesterol e calorias, além dos altos níveis de ferro, proteína e sua boa digestibilidade. Aparentemente, o nosso sistema digestivo metaboliza essa carne em até duas horas.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade Federal do Paraná, a carne de cabrito é um ótimo alimento para diabéticos e cardíacos, pois tem muitos nutrientes e baixo índice de colesterol e gordura.

Além disso, a pesquisa também verificou que a porcentagem de gordura saturada é inferior à de outras carnes. Por exemplo, em comparação à carne de galinha, a carne caprina tem 40% menos gordura saturada. Já no caso da carne suína, essa diferença pode chegar a 1.100%.

Em relação aos nutrientes, a carne caprina também traz benefícios. Por ser rica em proteínas, cálcio e ômegas 3 e 6, ela tem propriedades anti-inflamatórias e ajuda a melhorar a resistência imunológica. Ademais, o consumo constante pode ser benéfico para a saúde dos ossos e dos músculos.

Cabrito

Consumo de carne de cabrito

Embora a carne de cabrito seja considerada uma das mais saudáveis, a verdade é que ela é pouco consumida no Brasil.

Em São Paulo, por exemplo, ela é consumida em sua maioria por comunidades árabes, portuguesas, italianas e judaicas. Já no Nordeste, como os caprinos são abatidos na fase adulta, é mais comum encontrarmos as carnes de cabra e de bode.

Por outro lado, a carne de cabrito é a carne vermelha magra mais consumida no mundo. Decerto, o maior consumidor desse alimento é o Sudão, onde cada pessoa come cerca de 4 kg por ano. Em segundo lugar, representando os países industrializados, os chineses comem, em média, 1,6 kg anualmente.

Mercado dos caprinos

De fato, a criação de caprinos tem ganhado espaço em vários ramos no mercado nacional. Embora a produção de leite de cabra ainda seja a principal atividade relacionada à espécie, a tendência é que a sua carne se torne cada vez mais popular entre os brasileiros.

Por outro lado, criar cabritos como animal de estimação também está ficando mais comum. Porém, é preciso lembrar que essa espécie precisa de espaço, companhia e cuidados especiais para que os animais possam viver felizes e saudáveis.

Em relação à alimentação, tanto para caprinos domésticos como para os de criadouros, é importante que o cabrito tenha vegetação de qualidade para pastar. De fato, é a boa alimentação que determinará se ele se desenvolverá bem, terá boa taxa de reprodução e produzirá boas quantidades de leite.

Gostou de saber mais sobre o cabrito? Então, acesse a página inicial do blog Agro 2.0 e saiba tudo sobre o mundo do agronegócio e do campo!

Agro20 | Portal Vida No Campo