Maria fedida é inseto responsável por danos a cultura de soja

Inicio » Agricultura » Maria fedida é inseto responsável por danos a cultura de soja
27/09/2019 Por
Maria fedida é inseto responsável por danos a cultura de soja

Maria fedida é o nome do inseto que exala um odor desagradável. Maria fedida, percevejo verde, fede fede, percevejo da soja ou Nezara viridula, todas essas nomenclaturas dizem respeito a um inseto de coloração verde e com odor desagradável.

Apesar do cheiro não muito agradável, a maria fedida é inofensiva para seres humanos. No entanto, algumas culturas, dentre elas, soja e girassol podem sofrer danos devido a presença do parasita.

  1. O que é maria fedida?
  2. Por quê a maria fedida é fedida?
  3. Danos da maria fedida na cultura de soja
  4. Como controlar a maria fedida?
  5. Maria fedida é venenosa?
  6. Maria fedida transmite doenças?
  7. Perigos da maria fedida
  8. Maria fedida queima?
  9. Como o cheiro da maria fedida a protege?
  10. Principais pragas da agricultura brasileira
  11. Lagarta-do-cartucho
  12. Lagarta da Helicoverpa Armigera
  13. Percevejo marrom
  14. Insetos mais perigosos do mundo

Maria fedida

O que é maria fedida?

A maria fedida é um percevejo da família dos pentatomídeos. Eles são conhecidos assim por apresentarem cinco segmentos em sua antena. O percevejo ataca, principalmente as culturas de soja, por isso, as vezes é chamado de percevejo da soja. Mas, o parasita tem provocado danos às lavouras de algodão.

O percevejo verde pode ser encontrado em todo o país, contudo, devido a adaptação, ele se encontra em maior abundância em regiões mais frias. Durante os meses de outubro a dezembro e entre março e abril é mais fácil encontrar a Nezara viridula.

Além da soja, do algodão e do girassol que já citamos acima, a fede fede pode ser encontrada também em jardins, isso porque se alimenta das seivas de plantas.

Por quê a maria fedida é fedida?

O odor desagradável que a maria fedida solta ao se sentir ameaçada funciona como um mecanismo de defesa. A maria fedida produz um líquido fétido em suas glândulas do tórax ou abdômen, graças aos hidrocarbonetos presentes nestes órgãos.

Os hidrocarbonetos, por sua vez, irão se acumular em um tipo de reservatório que é ligado as glândulas. Ao se sentirem ameaçados, os percevejos-verde liberam o cheiro desagradável para se proteger de predadores ou de outros perigos.

Danos da maria fedida na cultura de soja

A maria fedida provoca prejuízos a cultura de soja, isso porque ataca vagem, grãos e folhas. Dentre os danos causados pelo ataque do inseto também conhecido como percevejo da soja temos a produção de grãos atrofiados e pequenos, além da transmissão de doenças a semente da planta, o que reduz sua germinação.

Outro prejuízo causado pela manifestação é o fenômeno conhecido como soja louca, que acontece quando as vagens da cultura amadurecem, no entanto, as folhas ficam esverdeadas e acabam caindo.

Como controlar a maria fedida?

Para fazer o controle correto do inseto é de suma importância estar atento a sua manifestação nas culturas. Uma das melhores soluções para afastar a maria fedida é a realização de um controle químico. No entanto, antes de adotar qualquer método, busque identificar qual tipo de percevejo atacou a lavoura; visto que existem:

  • maria fedida verde
  • maria fedida marrom
  • e a maria fedida preta 

Geralmente, o controle deste percevejo é feito com o uso de pulverizadores não tóxicos a saúde humana. De preferência, utilize produtos de carência curta, principalmente se a cultura for consumida verde. Mas, além do controle químico, existem ainda métodos caseiros para se livrar da praga.

Misturar água e sabão, aplicar spray de cabelo no inseto, fazer uma mistura de água e alho, além de usar óleo de citronela são só alguns exemplos para se livrar do inseto. Hortelã, detergente e pó de fumo misturado a água também são dicas caseiras para afastar a maria fedida.

Maria fedida

Maria fedida é venenosa?

Uma dúvida recorrente e cabível, considerando as características desse inseto, é se maria fedida é venenosa.

Como bem viu acima, o inseto expele um líquido fétido quando se sente ameaçado para espantar seu potencial agressor.

Esse líquido, entrando em contato com outros seres, principalmente seres humanos, é capaz de provocar danos severos? Um ataque de maria fedida pode matar uma pessoa?

Caso veja uma na sua frente, não precisa se espantar: maria fedida não é venenosa. Seu líquido apenas causa desconforto por ter odor desagradável, no entanto, não é capaz de provocar grandes avarias em um organismo, seja interna ou externamente.

Seu único transtorno é o de afetar irreversivelmente plantações, por isso todo cuidado é pouco para os agricultores que se deparam com o inseto em suas propriedades.

Maria fedida transmite doenças?

Sem dúvida, é um alívio saber que esse inseto não é venenoso e nem capaz de causar algum mal aos humanos ao lançar sua arma de defesa.

No entanto, isso não descarta a possibilidade da maria fedida transmitir doenças a longo prazo, mesmo que não intencionalmente.

O risco do contato com animais, principalmente insetos, é o fato de eles conviverem com bactérias às quais os humanos não estão acostumados ou evitam a todo custo.

Quando eles passam a frequentar o mesmo ambiente que o nosso ou simplesmente entram em contato, mesmo que involuntário, nos colocam na condição de sujeição a esses agentes externos que podem ser nocivos.

Essa é uma das causas, por exemplo, de ser restritiva a domesticação de determinados animais silvestres.

Também é o motivo para limparmos as nossas casas e locais de trabalho: evitar a aglomeração de insetos que podem espalhar bactérias pelo espaço e, assim, transmitir doenças aos frequentadores.

Contudo, esse contato nocivo de insetos e animais com humanos não é um caso sem exceções. Ora, convivemos com os nossos cachorros, gatos e até papagaios, mesmo sendo um animal silvestre, e permanecemos saudáveis.

Insetos como pernilongos adoram passar noites quentes junto aos humanos, a nos irritando com seu atrevimento e até sugando nosso sangue, mas não vamos parar no hospital por causa disso. Portanto, há casos e casos.

Perigos da maria fedida

Afinal, maria fedida transmite doença?

Mais uma vez, uma boa notícia. A maria fedida é do time dos pernilongos nesses aspecto, ou seja, não transmite doença aos humanos. Ela provavelmente oferece menos riscos do que o inseto chato das noites de verão, pois não se alimenta de sangue, mas apenas da seiva de plantas.

Isso responde outra dúvida que se costuma ter sobre o inseto: maria fedida morde?

Como vimos acima, sangue não faz parte de sua dieta.

Maria fedida

Exceções

Sempre há suas exceções, afinal, as pessoas definitivamente não são iguais, apesar de se comportarem de modo semelhante.

Há indivíduos com organismos diferentes, peles diferentes, características hereditárias muito particulares, distúrbios genéticos diferentes e contexto ambiental e social distintos, enfim, variedade não falta quando o assunto é a espécie humana.

Algumas pessoas podem manifestar reação alérgica ao ter contato com qualquer tipo de inseto ou animal, mas representam um grupo pequeno, comparado ao grosso da população que não sofre nenhum tipo de reação adversa.

Há pessoas que têm rinite ou alergia a pelos e não podem ficar perto de gatos, por exemplo, mas nem por isso pode-se afirmar que gatos fazem mal aos humanos.

De modo geral, maria fedida não causa mal-estar.

Maria fedida queima?

A julgar pelas últimas respostas, apostará que é uma pergunta sem cabimento e que não há motivo para qualquer tipo de preocupação. Contudo, não é bem assim.

Em algumas pessoas, de fato, o contato com maria fedida pode causar a sensação de “pele queimando”, mesmo que anteriormente não tenha manifestado alergia a insetos.

Essa situação ocorre, principalmente, com pessoas de pele sensível que têm contato com o líquido fétido. Aquele que é expelido pela maria fedida quando se sente ameaçada.

Tal situação pode ocorrer se, por acidente, ela entrar em sua roupa ou cair sobre você. Para sair da região estranha, ela usa seu recurso de segurança. Assim, o seu líquido fétido será expelido para obter algum resultado.

Nesse momento, a substância que produz entra em contato com a pele. Se esta for muito sensível, a pessoa pode sentir um incômodo conhecido como queimação. Mas não chega a provocar uma queimadura grave, de fato.

A pele chega a ficar marcada, mas em pouco tempo se recupera sem a necessidade de remédios ou pomadas.

O uso de pomadas com corticosteroides é recomendado para aliviar a sensação incômoda e acelerar o processo de recuperação da pele. Há relatos de casos em que a mancha na pele desapareceu em 2 dias com o uso de tal tipo de produto.

No caso em que não se aplica qualquer tipo de substância sobre a área afetada, a cura total costuma ocorrer em até 10 dias.

Maria fedida

Como o cheiro da maria fedida a protege?

Entendemos que a maria fedida produz o líquido fétido para lançar contra possíveis predadores e que, sem dúvida, o odor desagradável deve causar transtorno.

Mas apenas um líquido mal cheiroso é capaz de vencer a resistência dos adversários? Como isso é possível?

Imagine o seguinte: se o cheiro é ruim, pense no seu gosto. Deve ser péssimo, horrível. Agora imagine que a maria fedida é engolida ou fique entre as presas de seu algoz, na língua.

Sem dúvida, se trata de uma ocasião que precisará contar com todos os seus recursos para tentar sobreviver. É quando ela libera a substância de hidrocarbonetos.

Esse líquido acaba entrando em contato com o paladar do predador e o estimula a abrir a boca, a cuspir tudo que está dentro dela em razão do gosto horrível gerado pela substância. É o momento que a maria fedida se salva.

Há outras situações em que ela não está tão vulnerável, mas está sob ameaça. Para evitar aproximação perigosa de seus inimigos, ela espalha o líquido fétido pela área, ao redor de si, para afastar os predadores.

Os de olfato sensível logo entram em confusão e acabam se afastando instintivamente da área atingida pelo líquido.

Principais pragas da agricultura brasileira

Maria fedida não causas riscos à saúde humana e nem provoca transtornos graves, no entanto, você viu que é uma ameaça séria nas plantações, pois como se alimenta da seiva das plantas, tem potencial muito destrutivo.

Contudo, maria fedida não se trata da única praga a se temer no campo. Há outras mais complicadas para deter. Isso porque podem ser resistentes a alguns defensores agrícolas.

Veja quais são as principais pragas que atacam a zona rural brasileira e as estratégias para se livrar desses insetos.

  • Lagarta-do-cartucho

Uma das pragas mais famosas, destrutivas e resistentes do campo brasileiro, e um verdadeiro pesadelo para os que cultivam milho, é a Spodoptera frugiperda, nome científico da lagarta-do-cartucho.

Esse inseto chega a gerar prejuízos de até 500 milhões de dólares anualmente.

Para complicar a situação, não é uma espécie fácil de se livrar, pois já se mostrou resistente ao inseticida muito usado no campo para combater o problema de pragas: o metomil.

Sendo assim, qual é a melhor estratégia e recursos para se combater a lagarta-do-cartucho?

Não existe um método ou somente um recurso eficaz para erradicar esse inseto completamente ou em grande parte do campo de plantação.

A melhor estratégia, verificada em estudos sobre o comportamento do animal no campo, é se valer de vários métodos, simultânea ou quase simultaneamente.

Alguns desses métodos:

  • Rotação de culturas;
  • Controle biológico;
  • Uso de variedades resistentes ou mais tolerantes ao inseto (garantindo sempre uma área de refúgio);
  • Inseticidas.

Quanto ao uso de inseticidas, é recomendado aplicá-los ao se fazer a rotação dos mecanismos de ação.

  • Lagarta da Helicoverpa armigera

Uma praga que gera prejuízo de mais de um bilhão de reais na agricultura brasileira. Isso já demonstra que a voracidade da Helicoverpa armigera é tamanha, pois se alimenta de várias culturas, destaque para a soja, milho, feijão, café, algodão, citros, etc.

Novamente, a adoção de vários métodos para manejo desse inseto, uma lagarta, é a escolha mais eficaz.

Recomenda-se plantio de plantas resistentes, sempre garantindo uma área de refúgio, manejo de inimigos naturais, rotação de culturas e vazio sanitário.

Fazendo rotação de mecanismos de ação, o uso de controle químico pode ser utilizado.

Recomenda-se, no entanto, nesse caso, evitar a aplicação de piretróides e inseticidas no início da cultura. Essas substâncias são de alta toxidade até mesmo para os inimigos naturais.

  • Percevejo marrom

É o principal inimigo dos plantadores de soja, a Euschistus heros, mais popularmente conhecida como percevejo marrom.

Esse inseto já demonstrou resistência a produtos que contêm ciclodienos e organofosforados, poderosos ingredientes ativos.

A resistência ocorre, muito provavelmente, em áreas com histórico de aplicações desses produtos, já que o percevejo marrom é o inseto de baixa dispersão.

Insetos mais perigosos do mundo

Ficou mais do que evidente que a maria fedida, apesar de causar transtorno com o seu cheirinho desagradável e comprometer plantações inteiras, não oferece grande ameaça aos humanos.

Infelizmente não é o caso de todos os insetos. Há tipos que fazem muito mal, podendo levar a óbito, alguns em questão de minutos. Quais seriam esses insetos que, ao cruzarem seu caminho, devem fazê-lo sair correndo sem olhar para trás?

Vamos listar os tipos mais perigosos para te ajudar a evitar grandes apuros, seja no campo ou em qualquer outro lugar.

Um detalhe importante é que a lista a seguir é baseada em insetos conhecidos e catalogados.

É praticamente impossível, no momento, fazer uma seleção que corresponda a 100% da realidade, porque só de espécies catalogadas chega a quase 1 milhão, mas há cientistas que afirmam que exista mais de 10 milhões de espécies de insetos, cada uma com características próprias.

Maria fedida

  • Vespa-mandarina

As vespas, ao lado das abelhas, figuram entre os insetos que mais matam humanos.

Conhece-se 500 espécies de vespas e tem-se a confirmação que 300 são venenosas.

Esse inseto chega a medir 5 cm e voar a 36 km/h. Felizmente é improvável que você se depare com essa vespa no Brasil, pois ela é mais comum no Japão.

  • Taturana oblíqua

Lonomia obliqua é seu nome científico. Trata-se de uma taturana, mas não uma taturana qualquer. Ela tem pelos espinhosos que cobrem o corpo e que soltam um veneno fortíssimo.

Ter contato com o seu veneno resulta em inibição da coagulação do sangue nas vítimas e em hemorragias que podem levar a óbito.

E esse inseto é mais comum no Japão? Não, é comum no Brasil, principalmente nas regiões Sul e Sudeste. Portanto, muito cuidado por onde anda nessas regiões.

  • Abelhas

Achou estranho? Já foi picado por uma abelha e, apesar de ter sido horrível, não acha que seja um dos insetos mais perigosos do mundo. Afinal, você está vivo e nem sequer foi para o hospital?

Experimente ser atacado por um enxame. Aliás, esse é o tipo de ataque mais frequente delas. As abelhas têm veneno, ainda que em pequena quantidade.

Isoladamente, uma dose não é capaz de fazer muito estrago. Cenário bem diferente, entretanto, quando se recebe várias pequenas doses de seu veneno, ou seja, várias picadas.

O volume pode acabar sendo excessivo para o corpo e provocar anemia aguda e insuficiência renal. Jamais mexa com um enxame!

  • Mosquito da malária

Anopheles darlingi é um mosquito que transmite a malária, uma doença que causa graves problemas sociais e econômicos no mundo, isto segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Chega a ser mais grave, por exemplo, do que a dengue e a febre amarela. De acordo com dados da mesma instituição, 100 milhões de pessoas são infectadas por ano pela dengue. Isso dá uma dimensão do alcance da malária pelo mundo, principalmente em países subdesenvolvidos.

Esse é um inseto que, assim como a maria fedida, não é venenoso. No entanto, não deixa de ser perigoso. Transmite parasitas do gênero Plasmodium ao homem por meio de sua picada.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo