Mutuca pode oferecer risco ao gado por transmitir doenças

Inicio » Meio Ambiente » Mutuca pode oferecer risco ao gado por transmitir doenças
26/06/2019 Por
Mutuca pode oferecer risco ao gado por transmitir doenças

Mutuca é um inseto voraz, com aparência de mosca, que ataca animais e humanos. Chamado também de botuca em algumas regiões do Brasil, é uma espécie da família dos tabanídeos.

mutuca, assim como os mosquitos, é um inseto hematófago. Ou seja, a mutuca se alimenta do sangue de animais de sangue quente, como o homem. A picada da mutuca presente no Brasil não transmite doenças para o homem, mas é dolorosa, incômodo e pode causar hematomas.

  1. O que é mutuca?
  2. Características da mutuca
  3. Hábitos da mutuca
  4. Reprodução da mutuca
  5. Mutuca ou borrachudo
  6. Quais os sintomas da picada de mutuca?
  7. Ameaça ao gado
  8. Mutuca de cavalo
  9. Como previnir e eliminar a mutuca?
  10. Quais são aos reações provocadas pela picada de mutuca?
  11. A picada de mutuca causa dor?
  12. Como repelir a mutuca?
  13. Perdas na pecuária por doenças parasitárias
  14. Combate às verminoses do rebanho
  15. Como identificar um inseto pela picada?
  16. Curiosidades sobre a mutuca

Mutuca

O que é mutuca?

mutuca é um inseto com diversas subespécies, como a mutuca maringá e a mutuca carijó. Uma das mais conhecidas (e perigosas), entretanto, é a chamada mutuca de cavalo.

Semelhante à mosca sobretudo por causa das asas, esse inseto se diferencia, entretanto, por ser ligeiramente maior. Uma curiosidade sobre a mutuca é que apenas a fêmea da espécie é hematófaga. Essa característica, aliás, é comum a outros insetos. Os machos, por outro lado, se alimentam de pólen e do néctar das flores.

Embora seja um inseto voraz, a mutuca não costuma atacar humanos com frequência. Isso porque esse inseto prefere o sangue de outros animais, como bovinos, por exemplo.

Características da mutuca

mutuca é um tipo de mosca relativamente grande (pode medir cerca de 30 mm, dependendo da espécie). A cabeça e o abdome do inseto são mais largos que o tórax. Tem olhos grandes, como os da mosca varejeira, de cor metálica ou verde. O corpo pode ter coloração marrom, verde ou preta. Voam grandes distâncias quando adultas.

Os machos da espécie, como já foi dito, não são hematófagos. Eles se alimentam basicamente de substâncias açucaradas, como néctar de plantas. As fêmeas, por sua vez, se alimentam de sangue porque precisam da proteína presente nele para produzir seus ovos. Para que consigam perfurar a pele dos animais, têm boca pontiaguda.

Hábitos da mutuca

Esse inseto tem hábito diurno e prefere os climas mais quentes. No Brasil, é encontrado sobretudo nas épocas de calor mais intenso, como o verão.

As regiões de restinga, manguezais e praias são as que apresentam maiores concentrações de mutucas. Isso porque a espécie prefere habitar locais com água em abundância.

Reprodução da mutuca

Em relação a reprodução, a mutuca tem hábitos semelhantes a outros insetos. Os ovos são depositados pelas fêmeas em folhas, plantas e até em pedras, de preferência em ambientes alagados ou solos úmidos e lamacentos.

Os ovos têm coloração preta, formato achatado e são colocados em “cachos”. As larvas costumam eclodir rapidamente, cerca de dois ou três dias depois.

O período de desenvolvimento da larva, por outro lado, é lento. Para se ter uma ideia, pode durar de um a três anos. A espécie permanece em estágio larval no inverno e em estágio de pupa na primavera. Em seguida, no verão, emergem como adultas.

As larvas da mutuca são carnívoras e predadoras. Em suma, se alimentam de mosquitos e podem devorar inclusive outras larvas da mesma espécie. Por essa razão, as mutucas costumam viver sozinhas. Ou seja, raramente são vistas em grupo.

Mutuca ou borrachudo

Mutuca e borrachudo têm em comum o fato de pertencerem à família dos insetos. As semelhanças, no entanto, param por aí. Afinal, enquanto o borrachudo é um mosquito, a mutuca se aproxima mais das moscas.

As diferenças anatômicas também são evidentes. O borrachudo, embora também se pareça com uma mosca, é um inseto minúsculo. A mutuca, por sua vez, é grande e por isso mesmo facilmente identificável.

O borrachudo, cujo nome científico é Simulium sp., é chamado de pium na Amazônia. É um inseto que faz parte da família Simulidae e, diferentemente do pernilongo, não é encontrada no interior de residências. Essa espécie habita sobretudo áreas próximas a córregos e rios de água limpa e corrente.

Outra diferença importante entre borrachudo e mutuca é que o primeiro gosta mais de atacar humanos. A picada do borrachudo, por sinal, pode transmitir uma doença chamada oncocercose, que em alguns casos resulta em cegueira.

Mutuca

Quais os sintomas da picada de mutuca?

Apesar de incômoda (como, aliás, é toda picada de inseto), a picada de mutuca não requer tratamento, na maioria dos casos. No entanto, é importante desinfetar o local para evitar reações alérgicas, por exemplo.

É raro, mas a em alguns casos a picada pode inocular na pele humana parasitas causadores de infecções. Portanto, todo cuidado é pouco.

Vale esclarecer ainda que a mutuca, quando ataca humanos, prefere os alvos que encontra na sombra, principalmente nas horas mais quentes do dia e próximo e no fim da tarde. Raramente atacam em dias nublados e frios.

No homem, os alvos favoritos da mutuca são o pescoço e os braços. No entanto, qualquer área desprotegida do corpo é vulnerável aos ataques. O inseto é atraído pelo odor da pele, mas as cores fortes, como o vermelho, também podem chamar a atenção dele.

Ameaça ao gado

Quando próximas a criações de gado, as mutucas podem ser verdadeiras pragas. Isso porque o inseto é vetor de vírus, bactérias e outros microorganismos que não afetam o homem, mas causam doenças no animais.

No caso do gado, por exemplo, um ataque pode causar perda de peso e prejudicar a produção de leite. Para evitar a infestação nos criadouros, é recomendável, por exemplo, manter o ambiente seco e limpo.

Mutuca de cavalo

A mutuca de cavalo tem o nome científico de Tabanus bovinus. Ao contrário do que o nome sugere, não ataca somente os equinos. Inclusive, essa espécie também pode picar o homem.

Com suas mandíbulas afiadas, o inseto suga o sangue da vítima e usa uma substância anticoagulante para que o sangue não coagule depois do ataque. Além de dolorosa, a picada transmite moléstias graves. Entre elas, a doença do sono, que vitima seres humanos na África e cavalos na Índia.

Como prevenir e eliminar a mutuca?

Infelizmente, não é fácil controlar a proliferação desses insetos. Isso porque é quase impossível eliminar os criadouros sem prejudicar o meio ambiente. Além disso, os inseticidas encontrados no mercado são ineficazes contra as mutucas.

Uma sugestão é eliminar as fêmeas antes que elas se reproduzam. Além disso, assim como acontece na prevenção contra outros insetos, eliminar fontes de água parada também pode ajudar.

mutuca é bastante resistente, mas medidas simples podem ajudar a controlar a sua infestação.

Quais são as reações provocadas pela picada de mutuca?

Se no gado a picada de mutuca tem como consequência a perda de peso e a redução da produção de leite, quais seriam as reações que provoca nos humanos?

A picada de mutuca causa dor?

Sim, ela é dolorida (principalmente a de mutuca de cavalo) e também provoca vermelhidão, ao ponto de formar uma placa vermelha na região afetada, que costuma inchar e causar coceira.

Mutuca de cavalo

Como repelir a mutuca?

Como posto acima, a melhor tática de prevenção é tentar destruir os ovos das fêmeas antes que eles eclodam, pois se utilizar de inseticidas para um ataque direto pode levar a uma vitória de Pirro, ou seja, destruir a horda de insetos, mas arruinar boa parte de seu território.

Em outras palavras, o dano ambiental causado, principalmente para quem é produtor rural, simplesmente não faz valer a pena apelar para essa tática.

Mas caso não seeja possível destruir os ovos, seja por ter sido pego inteiramente de surpresa com a infestação de mutuca ou por apenas algumas estarem incomodando, não há nada que possa ser feito para ao menos repelir o inseto?

Sim, há formas de repeli-lo, embora nada será mais eficiente do que exterminá-lo antes mesmo do nascimento.

Uma boa medida é drenar o solo caso este esteja encharcado ou tenha alguma concentração de água nas proximidades.

Conforme exposto anteriormente, a umidade é um dos fatores que colaboram para atrair esse inseto que tanto mal provoca aos animais e desconforto nos humanos.

Caso não seja viável fazer a drenagem do solo, outro caminho é recorrer às loções repelentes, essas que geralmente são utilizadas para evitar ataques de pernilongos e outros insetos.

Não será uma solução definitiva, mas ao menos gerará alívio caso esteja passando por grandes dificuldades com mutuca.

Caso não tenha em mãos repelentes ou não estejam sendo tão eficazes quanto gostaria, uma alternativa é valer-se do uso de mantas e redes do tipo mosquiteiro. Elas podem oferecer proteção contra a mutuca principalmente quando estiver descansando.

Se elas estiverem presentes em seu local de plantio, o melhor horário para conseguir ser produtivo no campo é à noite, pois neste período elas não estão em atividade.

Perdas na pecuária por doenças parasitárias

O inseto conhecido como mutuca transporta diversas bactérias, vírus e helmintos que proporcionam consequências danosas à saúde de homens e animais.

Especialmente estes últimos são afetados por agentes externos nocivos que atuam como verdadeiros parasitas nos organismos do gado, levando os animais à perda gradual de peso e diminuição da produção leiteira.

Os parasitas são responsáveis por perdas potenciais de até 14 bilhões de dólares anuais para a pecuária brasileira. Perda que, sem dúvida, prejudica a produtividade da pecuária de corte e leite no país.

Apesar disso, os números são extremamente favoráveis nesse setor (apenas o corte e o leite em fazendas movimenta mais de 25 bilhões de dólares ano). Esses valores são praticamente triplicados quando associados à indústria e comercialização de carnes e lácteos.

Entretanto, é consenso entre os analistas do setor que a perda anual com tal problema representa um desafio que prejudica a produtividade. Isso impede que a pecuária cresça ainda mais e, consequentemente, impede que possa contribuir para a economia do país também crescer.

Segundo estudo divulgado em 2014 pelo professor Laerte Grisi, em conjunto à Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, somente as verminoses (nematódeos gastrintestinais) podem ser a causa para perdas econômicas da ordem de 7 bilhões de dólares anuais.

O estudo apresentado ainda listou os principais parasitas que acometem o gado e as possíveis perdas econômicas que acarretam:

  • Mosca-dos-chifres: 2,6 bilhões de dólares;
  • Carrapato bovino: 3,2 bilhões de dólares;
  • Berne: 383,5 milhões de dólares;
  • Mosca-dos-estábulos: 335,5 milhões de dólares;
  • Bicheira (miíases): 336,2 milhões de dólares.

O problema das verminoses é que elas se propagam de modo silencioso e isso dificulta consideravelmente o controle sanitário. Ao contrário dos parasitas externos, como a mutuca.

Mutuca

O combate às verminoses do rebanho

Sem dúvida, a melhor forma de reduzir essas perdas é investir no combate às verminoses, pois medidas eficientes de prevenção, mesmo que acarretem custos e mais trabalho, proporcionarão melhor custo benefício do que permitir a ação livre dos parasitas.

A forma mais eficaz de combate é com a utilização de endectocidas e vermífugos, pois eles são extremamente eficazes na eliminação e no controle de verminoses.

Mas os cuidados da ação contra os parasitas não devem ficar relacionadas apenas à escolha de produtos de qualidade. Traçar uma estratégia é crucial para alcançar sucesso no controle parasitário.

A melhor época para aplicação de produtos e outros meios de combate aos parasitas é na estação do inverno.

É nessa época do ano que a quantidade de vermes nos animais é maior que nas pastagens. O tratamento do gado nessa época, portanto, é mais eficiente e reduz a infestação nos pastos.

No entanto, essa é a estratégia para quando os animais já foram alvos dos parasitas. O ideal, a melhor estratégia para reduzir danos e custos, é investir na prevenção.

Para tanto, o mais adequado é seguir o controle estratégico orientado por instituições especializadas no combate de parasitas, como a Embrapa.

Normalmente os tratamentos ocorrem em períodos determinados, geralmente no início, no meio e no final da seca. Esses períodos, na maioria das regiões brasileiras, ocorrem nos meses de maio, julho e setembro.

A vermifugação também pode ocorrer entre o fim da seca e o despontar das águas, o que acontece em novembro. Desse modo, o tratamento se realizaria em conjunto à vacinação contra a febre aftosa.

Como identificar um inseto pela picada?

Em tópico passado, vimos quais são as reações que uma picada de mutuca pode provocar no nosso organismo, principalmente na pele, contudo, as picadas de insetos não seguem o mesmo padrão.

Elas apresentam variáveis que ajudam os especialistas a identificar, ou ao menos suspeitar, qual inseto foi o responsável pelo ferimento.

Ter a informação ou a noção de que tipo de inseto lhe picou, sem dúvidas, pode ser essencial para que possa adotar o tratamento correto e evitar complicações.

Veja a seguir uma lista dos artrópodes mais comuns e as características de suas picadas.

Mosquito ou pernilongo

Sem dúvida, é um dos insetos mais conhecidos e um dos mais “chatos”, pois costuma perturbar as noites de sono no verão. Felizmente, sua picada não transmite doenças, mas incomoda por causar coceira intensa.

Saber identificar a sua picada é importante principalmente em tempos de dengue, Zika Vírus e outros insetos muito parecidos que, estes sim, transmitem doenças perigosas.

A picada de um pernilongo causa um pequeno inchaço, popularmente conhecido como “bolha”. A coloração dessa bolha rapidamente fica avermelhada e provoca uma forte coceira, impossível de resistir.

Contudo, felizmente sua duração é curta, comparada a de outros insetos, como pulgas.

A picada do mosquito da dengue é muita parecida, por isso é difícil distinguir uma da outra.

Formiga

A mordida da formiga varia conforme a espécie e o grau de toxidade de cada uma. No entanto, geralmente a região que foi perfurada pelas presas desse inseto apresenta 2 furos que formam uma bolha esbranquiçada (ou amarelada) que expele pus.

Passado um período, a pele fica vermelha ao redor e começa a coçar bastante.

Percevejo

Esse é um inseto cuja picada despertará reações diversas, pois depende da sensibilidade de cada pessoa. Há tipos que não vão sequer perceber que foram alvos da ação do percevejo, pois sua resistência inibirá o surgimento de sintomas notáveis.

Porém, outros mais sensíveis sentirão incômodo de imediato. As picadas, para essas pessoas, se tornam pequenas lesões que doem e coçam muito, que só pioram conforme coça, pois o ato aprofunda o ferimento.

O local da mordida fica vermelho e inchado. Geralmente, as mordeduras de percevejo são próximas umas das outras.

Pulga

É parecida com percevejo, inclusive nas características da picada, mas há diferenças. As pulgas costumam atacar em grupos de 3 ou 4, sendo por isso que normalmente deixam várias marcas na pele.

Elas gostam de atacar as regiões mais quentes do corpo como as axilas, a barriga, a parte de trás dos joelhos ou regiões bem sensíveis (como entre as pernas).

Ao contrário do que pode ocorrer às vezes com os percevejos, suas picadas dificilmente passam despercebidas. São doloridas e formam erupções, pequenas e vermelhas.

Essas erupções ficam esbranquiçadas quando pressionadas pelos dedos ou por algum objeto. O local atingido coça barbaramente e não são pequenas as chances de causar incômodo e inchaço.

Abelha, vespa e maribondo

Incluímos esses três insetos porque as picadas deles são muito parecidas.

A dor é presente em todas e é imediata. Seguido da dor, vem o inchaço. Não muito depois, surge vermelhidão e coceira.

A região fica inflamada, inicialmente alcançando 1 cm de diâmetro. Com o decorrer de 2 a 3 dias, essa área pode se estender para 5 cm.

Essa é uma reação típica em pessoas que não são alérgicas a esses insetos. Contudo, para as que são, a picada pode provocar urticária em várias regiões da pele.

Não só isso. A depender da hipersensibilidade da pessoa, ainda pode ser acometida por vômitos, falta de ar, taquicardia e perda de consciência.

Sem dúvida, o indivíduo que apresentar essas fortes reações precisará de cuidados especiais, pois se trata de uma situação de emergência.

Esses sintomas são caracterizados como choque anafilático e, se não tratado devidamente, pode levar a vítima a óbito.

Mutuca

Aranha

A aranha também é um inseto cuja picada sofre variação devido às espécies serem bastante diferentes.

Listamos algumas das que são mais comuns e podem causar complicações.

  1. Aranha-armadeira: a picada dessa aranha dói bastante e de maneira instantânea. Ela é acompanhada por inchaço e vermelhidão. Além disso, é possível que cause taquicardia, sudorese, diarreia, vômitos, agitação e crise hipertensiva. Faz-se necessário um tratamento antissono;
  2. Aranha-marrom: nas primeiras 24 horas, a picada da aranha-marrom passa despercebida. No entanto, decorrido esse tempo, o local que sofreu a picada apresenta vermelhidão, bolhas e inchaço. Em até 5 dias, uma crosta negra surge, deixando uma ferida exposta quando cai. Para tratar dessa picada, é necessário acompanhamento médico;
  3. Viúva-negra: a dor da picada dessa aranha é aguda e localizada em um primeiro instante, contudo, após o intervalo de 15 minutos, essa dor passa a ser uma ardência muito forte. Ela costuma piorar nos 2 dias seguintes. É possível que a pessoa sinta náuseas, vômitos, dor muscular, além de febre. É inadiável a visita ao médico para tratar dessa picada.

Carrapato

Da mesma família das aranhas, isso quer dizer que os carrapatos não são insetos, mas aracnídeos, e por um motivo muito simples: apresentam 3 pares de patas.

A exemplo da aranha, sua picada não passa despercebida. Causa dor, inchaço e ardência, além de muita vermelhidão.

Contudo, sua mordida diferencia-se e de maneira nada agradável para a sua vítima: não é raro que ele fique grudado no local da mordida e com isso seja necessário retirá-lo, fazendo uso de uma pinça e com um movimento de torção.

O local da picada pode ficar parecido com um alvo, desses que se jogam dardos e flechas. Seu centro fica claro e, as bordas, avermelhadas.

Se essa reação ocorrer, é sinal de que a irritação de pele se espalhou. Nesse caso, é indispensável a ida a um médico o quanto antes, pois isso é sintoma da doença de Lyme, extremamente perigosa.

Curiosidades sobre a mutuca

Algumas curiosidades sobre o inseto, a palavra e seus diferentes significados no Brasil:

  • Uma mutuca vive cerca de 30 dias;
  • Diferentes odores podem atrair esse inseto e levá-lo a sobrevoar de 1.000 a 3.000 metros em 24 horas;
  • Mutuca tem diferentes significados a depender da região do país;
  • Além do significado que é tema deste artigo, mutuca também pode se referir ao olho (mais usado no plural). Por exemplo: ”Apaixonou-se desde que lhe colocou as mutucas em cima”. Ou seja, apaixonou-se desde que lhe colocou os olhos em cima. Mutuca é usada desse jeito na Bahia;
  • Nesse mesmo estado, o termo também é aplicado para se referir ao individuo que rema baleeira;
  • Mutuca é conhecida também como uma variação de Moreia ou Moreia-pintada (relativo à ictiologia, peixes);
  • A palavra ainda é usada como gíria para se referir a uma pequena quantidade enrolada de maconha;
  • Os termos “mutuca”, “butuca” e “motuca” têm o mesmo significado: “cutucar”, “picar”, “furar”.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo