Barbado é um peixe de água doce que pode medir até 1,2 metro

Inicio » Pecuária » Barbado é um peixe de água doce que pode medir até 1,2 metro
30/04/2019 Por
Barbado é um peixe de água doce que pode medir até 1,2 metro

O barbado é um bagre de couro liso encontrado em rios brasileiros. Seus dentes pequenos funcionam como uma espécie de lixa, fazendo desse peixe uma espécie voraz.

Capturar um barbado não é tarefa fácil para os pescadores. Considerado um peixe “brigador”, consegue escapar facilmente quando é fisgado por equipamentos mais frágeis. É um peixe que se reúne em cardumes e pode ser encontrado o ano inteiro. Os melhores horários para pescá-lo são durante a noite e ao amanhecer.

  1. Características do peixe barbado
  2. Pescaria do barbado
  3. O que o peixe barbado come?
  4. Habitat do peixe barbado
  5. Reprodução do barbado
  6. Receitas com peixe barbado
  7. Benefícios do consumo de peixe
  8. Peixes de água doce na pesca esportiva

Barbado

Características do peixe barbado

O barbado tem esse nome por causa dos barbilhões longos e achatados, em forma de fita, que o peixe tem no canto da boca. Por ser encontrado em quase todo o Brasil, ganha vários apelidos graças à diversidade dos nossos sotaques. Conheça alguns deles:

  • Barba chata
  • Barbado branco
  • Barbudo
  • Gororoba
  • Grudado
  • Peixe Moela
  • Pinarambu

Sua forma é alongada e achatada, e a cabeça é pequena. Além disso, tem como característica marcante a nadadeira, que é adiposa e muito longa. O peixe barbado tem tonalidade castanha, com o dorso cinza. Por outro lado, quando é retirado da água, seu couro adquire um tom esverdeado.

É um peixe grande e saboroso, por isso, a pescaria do barbado é amplamente praticada. Pode pesar até 12 quilos e atingir o tamanho de 1,2 metro. Por ser resistente, a espécie também é alvo da pesca esportiva.

Um detalhe que deve ser considerado por quem pesca o barbado: o peixe é altamente perecível. Portanto, é indispensável colocá-lo no gelo logo depois de tirá-lo da água.

Pescaria de barbado

A pescaria de barbado é amplamente praticada e muito valorizada. O equipamento para a captura dessa espécie “brigadora” deve ser do tipo médio/pesado, montado com chumbo para manter a isca no fundo. As linhas mais apropriadas são de 17, 20 e 25 lb. e os anzóis de n° 4/0 a 8/0.

É um peixe capturado com iscas naturais, como peixes inteiros ou em pedaços e minhocuçu. Deve ser colocado no gelo, logo após capturado porque estraga facilmente.

O que o peixe barbado come?

Quando o assunto é sua alimentação, saiba que o peixe barbado é uma espécie piscívora. Em outras palavras, ele se alimenta de outros peixes. Geralmente, para garantir seu alimento, ele ataca peixes que são pescados com redes.

A dieta do barbado inclui pequenos peixes, camarões e até pequenos anfíbios. Apesar de brigador quando fisgado, tem comportamento pacífico e sedentário na natureza. Entre os peixes comuns em sua dieta estão os sarapós (Adontosternarchus e Eigenmannia), bagres menores como Mandis, Piranhas (Serrasalmus) e pacus.

Além disso, não é raro ver o barbado atacando outros peixes capturados em redes, para o desespero dos pescadores.

Habitat do peixe barbado

O barbado é encontrado em diversos rios brasileiros. A espécie habita as bacias Amazônica (Amazonas, Pará, Amapá, Acre, Roraima, Rondônia e Mato Grosso), Araguaia-Tocantis (Pará, Tocantins e Goiás) e do Prata (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul). Além disso, pode ser encontrado na Bolívia e em outros países da América do Sul.

Assim como outros peixes de água doce, gosta do fundo dos leitos de rios e prefere as águas mais escuras e barrentas.

Pode ser criado em cativeiro, mas os aquários devem ter dimensões mínimas de 300 cm de comprimento e 100 cm de largura. É recomendável colocar uma iluminação moderada e esconderijos formados por troncos e plantas para abrigar a espécie, já que ela vive nos fundos dos rios.

Barbado

Reprodução do barbado

Se reproduz nos períodos de cheias dos rios. Por causa disso, a pesca do animal fica proibida em algumas regiões neste período. É um peixe que atinge maturidade com cerca de 40 cm.

Por serem migratórios, se reúnem em grupos nas estações secas para nadar rio acima. Ao chegarem nas cabeceiras, enfim, se reproduzem. Ao fim da desova, os adultos procuram áreas inundadas ou reservatórios para se proteger dos predadores.

Em condições favoráveis, o barbado pode viver mais de 10 anos.

Receitas com peixe barbado

Sem dúvida, os peixes são ótimos e, ao contrário de outros alimentos saudáveis que costumam não ser agradáveis ao paladar, o animal marinho SE destaca por ser muito saboroso e gerar efeito de saciedade.

Claro que seu consumo mais comum é no seu estado puro, isto é, sem estar junto de outros ingredientes, quando constitui a refeição por si só, no entanto, quando é misturado a outros ingredientes, gera um mix de sabores para deixar qualquer um com água na boca.

Naturalmente é necessário saber escolher os elementos a se combinar com o tipo de peixe escolhido. Por isso, as receitas são úteis e de grande ajuda.

A seguir, vamos apresentar duas receitas com peixe barbado. A primeira tem algo diferente em relação à maioria, pois pode ser feita com barbado, mas também com outros tipos de peixes, como cação e pintado.

Barbado cozido com leite de coco e creme de leite

Veja a lista de ingredientes necessários:

  • Uma (01) lata de creme de leite sem soro;
  • Uma (01) cebola grande em rodelas (ou duas [02] cebolas médias);
  • Duas (02) colheres de extrato de tomate;
  • Dois (02) tomates;
  • Cento e cinquenta (150) ml de azeite extra virgem;
  • Um (01) vidro e meio (1/2) de leite de coco;
  • Duas (02) xícaras de suco de limão;
  • Um (01) kg de barbado (cação ou pintado);
  • Salsinha;
  • Orégano;
  • Sal;
  • Pimenta calabresa.

Modo de preparo:

  1. Corte em medalhões grossos o peixe barbado;
  2. Deixe os pedaços marinando no suco de limão acrescido do sal;
  3. No azeite, refogue as cebolas em rodelas;
  4. Adicione os tomates quando as cebolas começarem a dourar;
  5. Adicione o extrato de tomate e o leite de coco;
  6. Caso seja necessário um pouco mais de volume, acrescente água;
  7. Cozinhe por 20 minutos após colocar os medalhões;
  8. Por fim, acrescente os demais temperos e o creme de leite.

Barbado

Cozido de peixe barbado

Veja a lista de ingredientes necessários:

  • Um (01) quilo de barbado;
  • Alho;
  • Sal;
  • Pimenta;
  • Suco de limão (duas [02] xícaras);
  • Azeite;
  • Cebola;
  • Colorau;
  • Açafrão;
  • Tomates;
  • Cheiro-verde.

Modo de preparo:

  1. Corte o barbado em rodelas, coloque em uma tigela e adicione os temperos (sal, alho e pimenta);
  2. Antes de misturar, acrescente um pouco de limão;
  3. Misture e deixe reservado;
  4. Em uma panela, coloque azeite e deixe aquecer;
  5. Coloque alho durante o aquecimento;
  6. Acrescente também tempero caseiro (alho, sal e pimenta) e misture;
  7. Durante a mistura, coloque cebola;
  8. Depois, adicione colorau e açafrão. No caso desse último, cuide em não colocar demais para não deixar muito amargo. A dose de colorau influencia apenas na cor, porém o mesmo não se aplica ao açafrão, que pode alterar o gosto;
  9. Coloque, depois, os tomates;
  10. Acrescente água caso seu fogo esteja muito alto e se a água da cebola não der conta de proteger os tomates;
  11. Agora coloque os peixes sobre os tomates e, depois de ajeitá-los na panela, acrescente o cheiro-verde;
  12. Use mais água quente apenas para cobrir;
  13. Tampe a panela com a mistura e deixe cozinhando o peixe barbado por 15 minutos. A receita estará finalizada, pronta para ser servida. Para acompanhar, pode ser arroz branco ou a gosto.

Benefícios do consumo de peixe

Não é segredo para ninguém que o consumo de peixes faz bem para a saúde por ser um alimento muito nutritivo e não muito calórico. E isso inclui todo tipo de peixe, inclusive o barbado.

A seguir vamos apresentar uma lista descrevendo brevemente os benefícios que os consumidores desse peixe e de tantos outros podem obter ao inclui-los diariamente na dieta.

Barbado

  • Fornecimento de proteínas para o corpo

Todo peixe, seja barbado, tilápia, salmão ou qualquer outro, é conhecido por ser excelente fonte de proteínas. Claro, alguns são fontes mais ricas que outras, até porque existem tipos mais e menos calóricos.

Contudo, é consenso que se a necessidade é de mais proteínas na alimentação, peixe é a escolha ideal para reforçar a dieta. Tanto que a carne de peixe pode substituir perfeitamente carne de frango.

As proteínas são importantíssimas para a manutenção e promoção da saúde do corpo humano, pois ajudam na formação muscular dos cabelos e da pele.

Além disso, reforçam o sistema imunológico, próprio para o combate da ação de vírus e bactérias no organismo.

  • Saudável para a cabeça

Quem está acostumado a comer peixe desde muito cedo ou por muitos anos tem mais chances que pessoas que não comem peixe de evitar o Mal de Alzheimer.

Isto porque o consumo de peixes como o barbado reduz a perda de massa cinzenta. Essa massa está diretamente ligada com o surgimento de doenças degenerativas como a citada.

Esse benefício se deve muito à presença de ômega-3 nos peixes, além de nutrientes como fósforo e cálcio.

  • Saudável para o coração

Peixes são fontes de gorduras boas, principalmente os de água salgada, o que não é o caso, portanto, do peixe barbado, mas todos apresentam essas características.

E qual é a vantagem da “gordura boa” para o consumidor?

A vantagem é que esse tipo de gordura ajuda a reduzir o chamado colesterol ruim e aumentar o colesterol bom. Tal redução colabora para diminuir inflamações no sistema cardiovascular e fortalecer o sistema imunológico.

Essa redução é possível graças ao ômega-3.

A vitamina D presente nos peixes também colabora para reduzir problemas cardíacos, pois ela funciona como um hormônio esteroide no organismo, ajudando, dessa forma, a prevenir quadros de diabetes, câncer, infertilidade e os já mencionados problemas no coração.

Os peixes que se destacam no fornecimento de vitamina D são os peixes classificados como gordos, isto é, os mais calóricos, por conterem mais gordura.

Esse tipo de peixe se destaca quanto a esse nutriente pelo fato da vitamina D ficar alojada na gordura dos alimentos.

  • Alivia artrite

Ômega-3 é um verdadeiro coringa, pois além de todos os benefícios já listados, ele ainda é capaz de causar alívio das dores provocadas pela artrite.

As suas propriedades anti-inflamatórias são a causa para esse alívio, já que são capazes de reduzir as inflamações nas articulações.

Peixes de água doce na pesca esportiva

O peixe barbado é uma das melhores espécies de água doce para pesca esportiva pelo fato de ser bem brigador e, assim, propiciar uma disputa interessante.

Contudo, não é a única espécie de peixe que goza de boa popularidade entre os praticantes da atividade. Há outros tipos bem conhecidos e procurados para tal prática.

Conheça os peixes de pesca esportiva mais populares do país junto com o peixe barbado.

  • Pintado

O pintado é um peixe que chama atenção dos pescadores que buscam contendas mais desafiadoras.

Esse peixe causa impacto pelo seu porte, chegando a medir 1 metro de comprimento, mas o que o torna um desafio mais arriscado são as suas nadadeiras, pois contêm espinhos. Isso exige cuidados extras com o seu manuseio.

É encontrado nas bacias do rio Prata, São Francisco e Paraná. Seu habitat natural inclui, além de rios, lagos.

Costuma ficar escondido debaixo das malhas camalotes e aguapés.

Sem dúvida, junho e agosto é a melhor época de pesca, pois é no inverno que os peixes maiores se apresentam mais robustos.

  • Tucunaré

O tucunaré é bem parecido com o barbado em ao menos um aspecto: é um peixe predador, se alimenta de insetos aquáticos e outros peixes e costuma não desistir fácil de sua presa. Dessa forma, ele também se mostra ardoroso na defesa de seu território.

Existe mais de uma espécie de tucunaré: tucunaré-açu e tucunaré-amarelo. No entanto, as espécies apresentam as mesmas características morfológicas: cabeça avantajada, mancha na cauda e mandíbula protuberante.

Barbado

  • Pirarucu

O destaque do pirarucu, conhecido também como bodego ou pirosca, sem dúvida, é o seu peso que pode chegar a 200 kg. O bodega é encontrado com mais frequência no Norte do país.

O curioso do pirarucu é que, apesar de seu peso extraordinário, pode chegar a medir até 2,5 metros.

Ele exige muito braço e emprego de material adequado para ter sucesso na disputa. E quanto a isso, falamos de vara de pesca em tamanho e espessura que consiga suportar o tranco e anzol.

É ainda necessário observar prévia e detalhadamente o local de pesca. Isso porque a espécie tem o hábito de nadar em círculos próximos às plantas.

A análise visual se torna eficaz porque o pirarucu sobe de tempos em tempos para pegar ar, momento em que pode ser flagrado.

Ele consegue retirar oxigênio do ar graças à sua bexiga natatória. Isto garante que sobreviva por mais tempo quando preso em pequenas poças.

  • Dourado

O peixe dourado é outra espécie agressiva. É canibal e, quando jovem, consome crustáceos e moluscos. Quando adulto, se alimenta de peixes inteiros.

Uma vantagem que o peixe dourado tem em relação às demais é que pode ser pescado em qualquer época do ano.

Na verdade, qualquer espécie pode ser pescada em qualquer época do ano, mas ocorre que, para muitos peixes, há épocas que são mais favoráveis que outras. No caso do dourado, o grau de dificuldade se mantém em qualquer período do ano, seja no inverno, verão, outono, etc.

Pode ser encontrado durante todo ano, apesar de estar sofrendo nas últimas temporadas uma redução de seu estoque populacional em razão de construções de barragens nos rios brasileiros.

Asim, os locais em que é mais fácil encontrar o peixe dourado são no Rio Paraná e São Francisco.

  • Pirarara

Esse peixe é encontrado na região Norte do país e é conhecido por outro nome talvez mais agradável de pronunciar e memorável: peixe-aranha. A pirarara pode chegar a pesar mais de 50 quilos e medir mais de 1 metro.

A sua alimentação certamente é variada. Pode se alimentar tanto de outros peixes como de frutas e sementes.

O peixe-aranha pode ser encontrado em poços ou canais de rios. É um dos peixes mais procurados por pescadores esportivos ocidentais, tanto de dia como à noite.

É também procurado por pessoas que não têm interesse em pesca, mas na beleza de suas cores, pois se trata de um peixe ornamental. As cores que compõem a pirarara:

  • Preto-esverdeado (costas);
  • Branco (barriga);
  • Vermelho (cauda).
  • Saicanga

Um fato curioso sobre o peixe saicanga é que ele se apresenta mais agressivo nas primeiras horas da manhã e no entardecer. Além disso, costuma ser encontrado em represas d’água, próximos a pedras, pedreiras e em lagoas.

Sua agressividade não se restringe ao comportamento. Seu visual também é intimidador, especialmente em razão de seus dentes afiados por fora da mandíbula, dentes usados para arrancar pedaço de outros peixes, sua alimentação preferencial.

Seu porte não é dos maiores, pois é médio. Mede cerca de 20 cm de comprimento e pesa não mais que 500 gramas. O corpo é coberto por escamas brilhantes e prateadas. É alongado e comprimido.

A boca, muito provavelmente em razão da dentição particular, é grande e o focinho é longo.

  • Cachorra

Também chamada de “peixe-vampiro” por alguns pescadores, o que certamente dá uma dica sobre o motivo: seus dentes poderosos e afiados.

Mas, não se assuste. Apesar dos dentes intimidadores, a sua pesca não é tão complicada. Aliás, é até simples. Basta ter paciência. Esse peixe, depois de alguns saltos após morder a isca, costuma se cansar. O único cuidado é não perdê-lo da isca durante os saltos.

Uma dica para pesca da cachorra é sempre usar um líder de aço, pois com os seus dentes é capaz de se alimentar entre pedras e galhadas, um indicativo de que consegue romper linhas de material mais frágil que o aço facilmente.

Ela pode ser vista na bacia Araguaia-Tocantins e, como o barbado, também na bacia Amazônica.

Imagens: reprodução

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo