Cidra é uma fruta cítrica nativa do sudeste da Ásia e da Índia

Inicio » Agricultura » Cidra é uma fruta cítrica nativa do sudeste da Ásia e da Índia
13/09/2019 Por
Cidra é uma fruta cítrica nativa do sudeste da Ásia e da Índia

A cidra existe há muito tempo e tem o histórico para provar isso. A cidra está aparentemente em toda parte nos dias de hoje. Vai muito além da sua utilização antiquada, como ingrediente de bebida para brinde de fim de ano.

Um bom e velho suco de cidra fermentado pode ser tão complexo – e caro – quanto qualquer cerveja artesanal ou vinho fino. Mas a fruta tem diversas outras atribuições, mostrando seu sabor único e inconfundível.

  1. O que é cidra?
  2. Como é a cidreira?
  3. É cidra ou sidra?
  4. Fruta cidra
  5. A produção nacional da cidra
  6. A sidra bebida
  7. Benefícios da cidra
  8. A cidra tem benefícios medicinais?
  9. Como tomar cidra?
  10. Para que serve a laranja cidra?
  11. Dieta com fruta cidra
  12. Como plantar cidra?
  13. Descrição botânica da cidra
  14. Pomar de cidreira
  15. Drenagem atmosférica da cidreira
  16. Qual o melhor solo para plantar cidreira?
  17. Adubação NPK da cidreira
  18. Propriedades da cidra
  19. Micronutrientes da cidra

Cidra

O que é cidra?

Cidra é uma fruta bem cítrica, semelhante a um grande limão, chegando a pesar cerca de 5 kg. Sua casca é comumente espessa e contém pouca polpa.

Pode-se dizer que a fruta cidra é ancestral, tendo origem na Ásia ou na Índia, mas os pesquisadores nunca dão total certeza. Sua fragrância se mostra forte, entretanto, o gosto pode ser bastante duvidoso. Tanto por isso, algumas pessoas a chamam como “maçã que não é comestível”.

O filósofo Teofrasto, um grego sucessor do notável Aristóteles, por um exemplo, achava que o sabor dessa fruta era muito ruim. Assim, aconselhava os outros a beber o suco da fruta misturando com vinho em caso de ingestão de veneno. Isso porque dizia que o líquido “perturbava o estômago”, fazendo a pessoa vomitar.

Contrariando as outras frutas de espécie cítrica, sua polpa é um tanto seca, contendo pouco ou nenhum suco. Justamente por conta disso, a cidra nunca estrela muitas receitinhas culinárias.

Mesmo dessa forma, há aqueles que gostam de consumi-la. Suas polpas são vendidas em cubos pequenos, nas formas de frutos secos e açucarados, desses que são usados nos panetones.

Como é a cidreira?

A árvore cidreira é exótica e frutífera, encontrada em maior escala no nordeste da Índia, na base da cordilheira do Himalaia. Esta é a espécie citrus conhecida há mais tempo, tendo cerca de 300 anos a.C.

É ocasionalmente cultivada nos jardins residenciais e pomares domésticos na região sudeste e sul do Brasil.

Sua classificação se dá como um arbusto com ciclo perene, chegando a medir 4 m de altura.

Suas folhas são brancas, bastante perfumadas e, além disso, com aroma fresco de limão. Os botões arroxeados se formam entre os meses de agosto a setembro.

É cidra ou sidra?

A confusão entre como escrever cidra ou sidra é bem recorrente. Para nunca mais errar na hora de escrever a palavra é preciso entender alguns detalhes.

Quando se deseja mencionar a fruta advinda da cidreira, o certo é utilizar o termo escrevendo “cidra”. Mas se acaso a intenção for falar da bebida alcoólica – ou não – que se produz com o suco de maçã fermentado, a grafia correta é “sidra”.

Fruta cidra

Da família das Rutaceae, a fruta cidra tem o sabor azedo e ácido. Como dito anteriormente, sua casca é espessa, bem como rugosa e de formas irregulares.

Não é à toa que no Mediterrâneo a sua fama benéfica é disseminada. Em sua composição nutricional, encontramos:

  • Proteínas;
  • Sais minerais;
  • Ácido cítrico;
  • Vitaminas A, B1, B2, B5 e também C.

A fruta cidra é comestível, e serve para:

  • Fazer compotas;
  • Fruta cristalizada (devendo primeiro ser tirado o amargor da fruta, permitindo que a casca fique de molho por alguns dias, dispensando os gomos);
  • Doces variados;
  • Medicação natural;
  • Entre outras funcionalidades.

Cidra

A produção nacional da cidra

Citrus Medica L. é o nome científico da fruta cidra, que não é uma anomalia, e sim a espécie verdadeira cítrica. Não possui um cultivo comum, sendo uma planta de pequeno ou médio porte, atingindo 4 metros em altura.

A cidreira não se adapta muito bem aos climas extremos. O local do plantio não pode ser nem quente, nem frio. Sua característica principal são as produções de grandes frutos com formas variadas, que chegam a atingir 2,5 kg, tendo a superfície áspera ou lisa.

No nosso país, essa espécie tem um valor comercial baixo. É encontrada muito comumente nas propriedades mais isoladas ou mesmo nas feiras livres. O comércio se dá quase que exclusivamente pelos pequenos produtores.

O cultivo dificilmente ocorre por meio de suas sementes. As espécies se reproduzem facilmente através das estacas que são retiradas dos ramos das plantas que têm de 2 a 4 anos.

Podem ser reproduzidos com rapidez por enxertia, resultando em pequenos frutos, menores do que se a planta for propagada por estaquia. As propagações por estaquia podem ser feitas, entretanto, com um percentual relativamente pequeno de enraizamento.

A sidra bebida

A sidra é uma bebida fermentada produzida a partir de maçãs. Já existe há séculos em países de todo o mundo. É geralmente vista como uma alternativa à cerveja e ao vinho. Seu teor alcoólico varia de 2,5 a 8,5%, mas pode ser, ocasionalmente, mais alto ou mais baixo.

Para se produzir a sidra, é preciso colher, lavar, assim como triturar as maçãs até virarem uma polpa – o bagaço. Em seguida, pressiona-se para extrair o suco que é coado através da gaze em jarros. Este processo inclui mais uma etapa, que é a fermentação em barris de carvalho ou tanques de aço inoxidável por 4 a 6 meses.

Benefícios da cidra

Alguns dos benefícios principais da fruta para nossa saúde incluem:

  • Capacidade memorável na prevenção do câncer;
  • Apoio quanto aos esforços no emagrecimento;
  • Diminuição da acidez no intestino;
  • Alívio de dores;
  • Fortalecimento do sistema imunitário;
  • Entre diversos outros.

Existem vários antioxidantes que são encontrados na cidra e a tornam ideal para eliminar radicais livres dentro do organismo. Além disso, reduz a chance de ter doença oxidativa crônica que tem relação com estresse. Também reduz a pressão alta, bem como a pressão sanguínea, e diminui o risco de ter AVC e aterosclerose.

A propriedade do sumo é anti-inflamatória e analgésica. Já os óleos essenciais as tornam ótimas para dores agudas ou problemas de ordem crônica, como:

  • Enxaquecas;
  • Desconfortos relacionados à artrite.

Isso tudo sem contar o aumento do sistema imunitário por conta das altas taxas de vitamina C. O estímulo a esse sistema aumenta a produção dos glóbulos brancos, uma vez que são as primeiras linhas de defesa que temos em nosso organismo contra infeções.

O sumo e óleo da cidra são passíveis de equilibrar o nível de acidez no intestino, pois melhoram a eficiência digestiva geral.

Cidra

A cidra tem benefícios medicinais?

Sem dúvida, sim! Todos os benefícios que acabamos de citar são medicinais. Mas, ainda há outros.

A saber, desde uma perspectiva médica, os óleos essenciais são utilizados amplamente para o tratamento de problemas internos e tópicos. Ainda mais importante, trata-se de um antibiótico reconhecido por acalmar as condições de náuseas e obstipação, bem como o estômago, dentre muitas outras.

A cidra também serve para a prevenção do câncer. Há diversos antioxidantes presentes na cidra. Decerto, isso a torna indicada para eliminar os radicais livres do organismo, reduzindo a probabilidade de desenvolvimento de doenças crônicas oxidativas relacionadas ao estresse.

A cidra pode ser utilizada, ainda, para a redução da hipertensão. Além disso, a vitamina C, o potássio e outros eletrólitos da cidra contribuem para melhorar a pressão arterial, diminuindo os riscos de AVC, aterosclerose e ataques cardíacos.

Como tomar cidra?

É impossível descobrir como tomar cidra, afinal, como vimos, cidra com “c” se refere à fruta, enquanto sidra com “s” se refere à bebida feita com maçãs.

A sidra asturiana, ou seja, aquela produzida na região de Astúrias, na Espanha, é mais que uma simples bebida. Existe um verdadeiro ritual para tomá-la. Aliás, esse ritual, chamado de estanciar, serve apenas para a bebiba produzida naquela região. Veja como é feito:

  • O primeiro passo consiste em pegar a garrafa e, de uma altura considerável, deixar cair um gole da bebiba em um copo próprio para sidra, cuidando para que o líquido escorre pela lateral interior do copo e não vá diretamente para o fundo do mesmo (isso faz com que a bebiba oxigene com o impacto);
  • A quantidade deve ser de, aproximadamente, 2 dedos (para que se beba de uma só vez). Entretanto, não se deve beber tudo, deixando um pinguinho no copo.

Se está curioso sobre o segundo passo, agora vem a explicação. Para eles, beber sidra é um episódio social, portanto, todas as pessoas presentes geralmente dividem o mesmo copo. O pinguinho deixado no fundo serve como uma forma de limpar a borda onde outra pessoa colocou a boca.

Além disso, pelo fato da sidra natural não ser filtrada, as impurezas permanecem no fundo do copo.

O terceiro motivo tem a ver com a oxigenação da bebiba. O restinho do fundo do copo não possui as borbulhas características por proporcionarem um paladar agradável ao consumir a bebida.

Por fim, deixar o restinho no corpo é uma forma dos asturianos “devolverem à terra o que lhes foi dado”.

Para que serve a laranja cidra?

Muitas pessoas não sabem para que serve laranja cidra. Igualmente, há certas formas de utilizar a cidra, seja para uso medicinal ou aplicações culinárias.

Com o fim de garantir a segurança, é altamente recomendável a moderação. Portanto, é o mesmo princípio válido para a utilização de quaisquer substâncias poderosas que sejam embaladas com ingredientes ativos e antioxidantes.

Alguns dos benefícios principais para a saúde, conforme mencionado, incluem sua capacidade de fortalecer o sistema imunológico, aliviar as dores, reduzir a acidez intestinal e a pressão arterial, apoiar na perda de peso, prevenir o câncer, dentre outros.

Nesse meio tempo, os frutos podem ser consumidos in natura. Em virtude de suas características, cerca de 55% é beneficiado industrialmente para produzir bebidas. Em primeiro lugar, o caule dessa planta pode ser usado como lenha.

Do mesmo modo, a cidra é empregada na produção de ácidos cítricos e, ainda, como uma relevante matéria-prima nas indústrias farmacêuticas. Confira, a seguir, outras formas de aproveitamento.

Cidra

Dieta com fruta cidra

As cascas das cidras são, na realidade, o que será consumido após o seu cozimento em calda ou caramelização. Em contrapartida, as cascas exteriores são usadas como saborizadores em algumas bebidas e coquetéis. Por conseguinte, até mesmo pequenas quantidades do sumo podem ser extraídas e consumidas, apesar de se notabilizar por um sabor forte e marcante.

Nesse ínterim, a fruta é considerada ideal para fazer marmeladas e compotas, podendo ser, ainda, conservada em vinagre. Mesmo que essa opção não seja muito comum em nosso país, ela é bastante popular na Índia.

Como plantar cidra?

Como outras plantas cítricas, a cidra foi introduzida no Brasil a partir da Ásia, pelas expedições colonizadoras. No entanto, em nosso país, com condições melhores para produzir e vegetar em comparação às suas regiões de origem, todas as citrinas se disseminaram pelo território nacional.

Em resumo, a liderança mundial da citricultura brasileira tem promovido importantes crescimentos socioeconômicos. A fim de que a balança comercial se equilibre, o Estado, ao longo da história, tem considerado a planta como geradora indireta e direta de empregos nas zonas rurais.

Similarmente, um bom exemplo de produção de citros no Brasil pode ser encontrado em Minas Gerais. Por mais que sua variedade agroclimática e dimensões territoriais favoreçam uma diversificada citricultura, o estado produz excelentes frutas frescas.

Descrição botânica da cidra

Com o intuito de compreendermos melhor todos os aspectos da cidra, convém ressaltar que seu caule apresenta ramificação normal e tronco cilíndrico. Para que a descrição botânica seja o mais completa possível, tenha em mente que sua coloração é predominantemente verde, passando para o marrom quando a planta envelhece.

Em contraste com outras plantas, os ramos e galhos menores são capazes de suportar a copa. Como resultado, a madeira é compacta, dura e de tonalidade amarelo-claro.

Conquanto suas raízes são pivotantes, elas atingem até 2 metros na horizontal e 60 centímetros na vertical. Assim, são persistentes e passam do verde-claro para um verde mais escuro com o passar do tempo.

Logo após atingirem uma determinada idade, as raízes variam de compostas a simples, com limbos inteiros e unifoliadas. Inesperadamente, a sua forma é lanceolada, oval ou elíptica, de aspecto coriáceo.

As flores são inflorescências agrupadas ou solitárias, do tipo corimbo ou cacho. Como se sabe, elas contêm pedúnculos articulados, lisos e curtos. Igualmente, são hermafroditas e pequenas, sua coloração é branca.

Ao mesmo tempo, os frutos são hesperidium (ou seja, baga com muitas sementes), podendo ser subglobulosos ou globulosos. Com efeito, eles se dividem em sementes e pericarpo.

Pomar de cidreira

Logo que definir o que plantará, você deve levar em consideração dois aspectos centrais: o técnico e o econômico. Uma vez que se concentrar no econômico, lembre-se de realizar estudos preventivos quanto à evolução da demanda no mercado externo e interno, com suas respectivas rentabilidades.

A seleção das variedades e espécies cultivadas envolvem aspectos técnicos. As condições climáticas e quaisquer circunstâncias adversas são dignas da maior atenção possível. Portanto, não deixe de realizar esse tipo de análise e avalie todas as hipóteses possíveis.

Drenagem atmosférica da cidreira

De acordo com os especialistas, a drenagem atmosférica se refere aos prejuízos originados das baixas temperaturas. A análise do ar é recomendável. Sobretudo, nas noites de céu limpo e calmo.

Logo depois, estude sobre o resultado da substituição de camadas de ar que entram em contato, por outras camadas (como as geadas), com o solo. Com a finalidade de viabilizar tecnicamente o seu cultivo, o mais indicado é não perder de vista esses elementos.

Qual o melhor solo para plantar a cidreira?

De fato, para o cultivo da cidra, você deve selecionar solos arejados e com uma topografia que facilite a drenagem atmosférica. Sem dúvida, os solos com leve declividade e profundos são os melhores nesse aspecto.

Assim também, o perfil dos solos escolhidos atende melhor a essa cultura quando apresentam as características físicas, em termos de diâmetro, que descrevemos abaixo:

  • Areia grossa: de 0,2 mm a 2 mm;
  • Areia fina: entre 0,02 mm e 0,2 mm;
  • Limo: de 0,02 mm a 0,2 mm;
  • Argila: inferior a 0,002 mm.

Adubação NPK da cidreira

Com o propósito de realizar a calibração das análises do solo para K (potássio) e P (fósforo) em citros, estudos recentes permitiram, a partir da extração com resinas de troca iônica, demonstrar que esses estudos são ótimas ferramentas para diagnosticar a disponibilidade desses elementos.

Sob o mesmo ponto de vista, os limites interpretativos dos teores (médio, baixo, muito baixo, entre outros) para o potássio são similares aos utilizados para culturas anuais. Pelo contrário, para o fósforo, os valores de culturas perenes são consideravelmente menores.

Se bem que exista uma estreita correlação entre os níveis de fósforo nos solos e a produtividade relativa dos frutos provenientes de árvores adultas, a resposta à adubação com potássio é, também, significativa.

Valores baixos de potássio nos solos aumentam a produtividade. Essa definição é feita de acordo com os padrões de fertilidade. Esse tipo de análise é preditiva. Porque, na implantação do seu pomar, você deve aplicar somente fósforo nos sulcos. Em seguida, as dosagens podem variar entre 20 g a 80 g de P205/M, junto ao calcário.

Cidra

Propriedades da cidra

A composição química de uma planta ou fruta determina seus valores nutritivos. Ademais, no caso da cidra, ela apresenta, em média, as seguintes porcentagens:

  • 0,2% de óleos;
  • 0,8% em nitrogenados;
  • 0,9% de minerais;
  • 0,5% em lipídeos;
  • 2% de pectina;
  • 8% em açúcar;
  • 92% de água.

Micronutrientes da cidra

A nutrição da cidra denota aspectos de grande relevância que devem ser observados atentamente, visando propiciar o bom desenvolvimento das suas plantas. Por exemplo, é necessário que exista um equilíbrio adequado entre as quantidades de diferentes nutrientes, a fim de atender às exigências da planta.

Posteriormente, considere os principais macronutrientes (em termos de peso): C (o carbono), O (o oxigênio) e H (o hidrogênio) que a planta retira da água e do ar, constituindo 95% de seu próprio peso.

Se acaso tem dúvidas, gostará de saber que os 5% restantes são compostos de micronutrientes (0,5%) e macronutrientes mineras (4,5%), entrando, em menores quantidades, no processo de nutrição.

  • Zinco

O zinco é crucial para a vida da planta. Entretanto, sua carência provoca a redução nos níveis de clorofila, levando a inferir em sua produtividade.

O zinco integra a formação das auxinas de crescimento. Ele está presente na ativação das enzimas, estimulando a coloração verde, o tamanho das folhas e o crescimento vegetativo.

Com toda a certeza, a falta de Zn provoca a diminuição no tamanho das novas brotações e das folhas. Às vezes, pode haver, nas faixas entre nervuras, uma acentuada clorose do limbo. Ao passo que, nos casos mais agudos, manifesta-se um aspecto de “zebradas”.

Depois que isso ocorre, os internódios encurtam, com a presença de folhinhas e redução de botões. Acima de tudo, o fenômeno engendra uma redução marcante na produção, com frutos de dimensões reduzidas, cascas lisas, pouco suco e tonalidade pálida.

  • Boro

Encontramos boro no solo (de 2 a 100 partes por milhão). Quando encontramos essa ocorrência, não podemos obter muitas informações úteis. De tal forma, o B se encontra nos solos enquanto parte de certos silicatos.

A princípio, alguns fatores influenciam na disponibilidade do solo, tais como a alcalinidade ou a acidez, a matéria orgânica, quantidade colóides, o cálcio, dentre outros.

Nas plantas em solos naturalmente ácidos, a deficiência do boro é frequente. Isso vale também para solos lavados, alcalinos, arenos e pobres e matérias orgânicas, dentre outros.

Certamente, o limite de segurança entre o excesso e a deficiência de boro é pequena. Conforme a toxicidade não seja tão prejudicial quanto sua falta, ela surge nas folhas da cidra mediante o amarelecimento de suas pontas, estendendo-se para as margens.

Contudo, pode haver, mais tarde, a formação de resinas junto à face inferior. Enfim, segue-se a queda de uma grande quantidade delas com um grave perecimento e, até mesmo, a morta das plantas.

  • Manganês

Inegavelmente, o Mn ocupa posição similar à do zinco, em termos quantitativos, no que tange à nutrição das plantas. Mas, a ciência moderna não conhece totalmente as suas funcionalidades. No entanto, ela é imprescindível à síntese da clorofila.

O manganês aparenta exercer, ainda, funções catalíticas, auxiliando na translocação de ferro, nas atividades respiratórias das plantas, entre outras. Porquanto, nas folhas de tamanho normal, a carência de manganês provoca cloroses entre suas nervuras (menos acentuadas em comparação ao zinco).

Precipuamente, seria como uma deficiência leve de zinco, sem causar a redução no tamanho das folhas de cidra. Nos solos, a ocorrência se dá, costumeiramente, sob a forma de óxidos. Os compostos de manganês (por exemplo, dióxido de Mn) apresentam baixas disponibilidades e reduzem a acidez do solo.

One Reply to “Cidra é uma fruta cítrica nativa do sudeste da Ásia e da Índia”

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo