Gramíneas servem para o consumo de humanos e animais

Inicio » Agricultura » Gramíneas servem para o consumo de humanos e animais
27/05/2019 Por
Gramíneas servem para o consumo de humanos e animais

As gramíneas fazem parte de uma enorme família de plantas. Calcula-se que mais de mil espécies compõem este tipo de vegetação. Há muitos anos as gramíneas fazem parte da rotina de alimentação de pessoas e animais. Inclusive, a produção de algumas espécies têm muita relevância dentro do agronegócio.

Devido à sua diversidade, portanto, as gramíneas podem sobreviver a climas e temperaturas bastante variados.

  1. O que são gramíneas?
  2. Exemplos de gramíneas
  3. Curiosidades sobre gramíneas
  4. Diferenças entre gramíneas e leguminosas
  5. Tipos de gremíneas
  6. Onde encontrar gramíneas?
  7. Para que servem as gramíneas?
  8. Importância das gramíneas
  9. Desvantagem das gramíneas
  10. Benefícios das gramíneas para a saúde
  11. Como plantar gramíneas?
  12. Alergia a gramíneas
  13. Sementes de gramíneas

Gramíneas

O que são gramíneas?

Gramíneas são uma família de plantas de porte pequeno e possuem folhas em formato de lâminas. Geralmente esta vegetação possui muitas raízes e o caule oco. Além disso, elas auxiliam na preservação dos solos e são excelentes fontes de carbono.

As gramíneas podem ser encontradas em uma variedade enorme e, assim, sobrevivem em diferentes tipos de clima e relevo.

Em regiões mais próximas aos trópicos, elas possuem folhas mais largas. Já em ambientes desérticos, então, este tipo de vegetação desenvolve folhas pontiagudas que ajudam a absorver a água e reter a umidade.

Exemplos de gramíneas

Estes tipos de vegetais fazem parte da vida do homem há muito tempo. Inclusive, seres humanos e animais utilizam a gramínea, por partes dela, para a alimentação. As sementes e grãos, por exemplo, são bastante consumidos pelas pessoas ao redor do mundo. Confira alguns exemplos de gramíneas:

  • Milho
  • Cevada
  • Aveia
  • Arroz
  • Centeio
  • Trigo
  • Sorgo
  • Painço
  • Bambu
  • Capim do campo
  • Cana-de-açúcar
  • Alfafa

Curiosidades sobre as gramíneas

As gramíneas fazem parte de uma enorme família, com aproximadamente mil espécies. Com tanta variedade assim, as plantas são capazes de se reproduzir em diversos habitats. Elas podem sobreviver entre pedras de uma calçada, assim como na água e até ambientes salgados. Também formam florestas e nascem na fendas de rochas, nas areias do deserto.

Existem, ainda, plantas gramíneas selvagens, que nascem de forma espontânea em locais não habitados ou afastados. São os casos de campos e pastagens, também chamados de pradarias, savanas e pampas.

Além disso, relatos históricos contam que grande parte das espécies destas plantas não teve origem no continente Americano. Contudo, o contrário disso as plantas foram trazidas para o Ocidente há muitos anos, com os navios negreiros.

Elas, portanto, vieram da África quando as embarcações chegavam ao continente. O capim era depositado nos porões do navio e servia de cama para as pessoas dormirem na viagem. Quando as embarcações atracavam, então, o capim era jogado fora. Assim, foi se proliferando e se espalhando, através de suas sementes.

Gramíneas

Diferenças entre gramíneas e leguminosas

Algumas características principais diferem estes tipos de vegetação, especialmente em relação à morfologia. As diferenças entre as gramíneas e leguminosas, portanto, são percebidas nas folhas, caule, raízes e frutos.

Nas plantas leguminosas, por exemplo, o fruto é seco e com diversas sementes. Ele, então, se abre após a fertilização e permite com que as sementes se espalhem. Alguns exemplos de vegetais que fazem isso são as vagens e o amendoim.

Além disso, as leguminosas possuem raízes mais profundas – ao contrário das gramíneas. Isso facilita em épocas de seca, pois as plantas podem buscar águas nas camadas mais profundas do solo.

Tipos de gramíneas

Agora que conhecemos o conceito de o que são gramíneas, vamos às suas características físicas, que chamam muito a atenção de diversas pessoas.

Além da diferença existente entre as gramíneas e leguminosas, também é possível encontrar uma diferença notável no que diz respeito às suas aparências.

Isso porque é comum encontrar diversas delas espalhadas em campos e não saber que são, de fato, tipos de gramíneas. Logicamente, cada uma delas possui características bem diferentes e isso pode impactar o consumo ou não.

  • Festuca azul

Dentre os tipos de gramíneas, uma das espécies que mais se destacam é a festuca azul. De forma geral, elas englobam uma enorme quantidade de tipos e características, fazendo com que o número de espécies seja muito grande.

Em suma, a festuca azul é conhecida por ter diferentes ciclos de vida. Além disso, outra característica muito comum é sobre sua aparência, que dificilmente encontra-se lenhosa ou rizomatosa, além de possuir diferentes ciclos de vida.

Dentro da festuca azul, por exemplo, é possível encontrar mais 12 mil tipos de outras gramíneas.

Em relação ao seu clico de vida, esse é uma dos fatores mais diversos, já que é difícil dizer exatamente qual é.

De qualquer maneira, sabe-se que os tipos presentes na espécie festuca azul podem apresentar ciclos anuais ou perenes. Dentre os tipos que apresentam ciclos anuais, um dos mais conhecidos é o trigo. Já em relação aos perenes, a festuca alta é a mais conhecida.

Entre demais características, estão os seus caules que são conhecidos como canas. De acordo com essa espécie específica, estão os caules que podem ser:

  • Aéreos – ascendentes, rasteiros ou flutuantes;
  • Subterrâneos – rizomas ou pseudobolbos.

É importante ressaltar que as folhas se desenvolvem em formas alternadas e costumam possuir revestimentos, lígulas e também limbos.

Gramíneas

  • Festuca glauca

Conhecida por ser entouceirada, a festuca glauca é muito comum quando falamos sobre as gramíneas. Em relação às suas características físicas, possui aproximadamente 15 a 25 cm de altura. Uma de suas maiores vantagens é que é muito decorativa, já que possui uma bela aparência.

É muito importante ressaltar que a festuca glauca é ótima para ser utilizada como forração, já que apresenta uma ótima aparência. Importante ressaltar que, dentre os tipos de gramíneas, ela pode ser cultivada através do sol pleno ou meia sombra.

É muito importante que o solo seja fértil e drenável. Ademais, também deve ser enriquecido com matéria orgânica.

  • Festuca alta

Originada na Europa, essa gramínea faz parte dos tipos de gramíneas indígenas de Portugal. Esse tipo é um dos mais complexos de entender, já que possui características que realmente confundem quem está procurando por elas.

De qualquer maneira, pode ser considerada também uma planta herbácea e perene. Além do mais, possui folhas sésseis e dispostas no mesmo plano.

Na festuca alta, por exemplo, é possível encontrar as lígulas. Tais lígulas são caracterizadas por serem pequenas excrescências translúcidas situadas no encontro do limbo.

Contudo, essa espécie também possui o contraste de caules que não engrossam na base, o que pode ser algo bem diferente quando comparado a outras herbáceas e gramíneas.

Onde encontrar as gramíneas?

Saber exatamente onde as gramíneas ou a planta gramínea se encontram é algo muito complicado. Um exemplo são as gramíneas do Cerrado, que estão amplamente distribuídas em diversos locais e não somente no cerrado. Entre os exemplos de gramíneas, por exemplo, é um dos tipos mais comuns.

É importante citar que as gramíneas, em suma, aparecem em quase todas as partes da Terra. Ademais, uma das enormes vantagens que possuem, principalmente quando são devidamente plantadas, é justamente a sua resistência em relação às temperaturas climáticas.

Logo, isso significa que podem ser encontradas nos mais variados locais, já que onde há uma determinada quantidade de natureza, pode haver também as gramíneas. Contudo, existem alguns locais onde suas presenças se destacam, como:

  • Estepes;
  • Savanas;
  • Pampas.

Os pampas, por exemplo, estão localizados na região Sul do país, especialmente no Rio Grande do Sul. No estado, é comum encontrar uma grande e diferente variedade de gramíneas, fazendo com que também seja muito difícil identificá-las.

Para que servem as gramíneas?

Em suma, as gramíneas são extremamente versáteis e podem ser utilizadas das mais variadas formas. Como já dito, podem ser até mesmo comestíveis, dependendo do tipo. No entanto, é muito importante ressaltar que nem todas possuem essa capacidade.

De qualquer maneira, podem ser usadas para muitas outras coisas, por exemplo:

  • Ornamentos;
  • Buquê de flores;
  • Forrageiras.

Gramíneas para decoração

Quando falamos em ornamentos, estamos nos referindo ao momento em que as gramíneas são utilizadas especialmente junto a outras plantas ou flores de ornamentos. Logo, elas apresentam características bem interessantes e nem sempre precisam possuir uma estética ornamental.

Afinal, muitas vezes, quanto mais rústicas se apresentam, mais combinam com o ambiente em que se encontram. São ótimas para marcar presença em vasos dentro de casa, principalmente na sala de estar, ou então no pátio externo da casa juntamente às outras plantas e flores.

Já nos buquês de flores, as gramíneas podem ser utilizadas como uma forma retrô de fazer um buquê. Nesses momentos, elas agregam uma visão diferenciada, quebrando um pouco a modernidade e agregando algo mais singelo e intimista ao visual da noiva e do casamento como um todo.

Forrageiras

As forrageiras são muito utilizadas para criar uma espécie de chão forrado de gramíneas, que também pode ser decorado com espécies coloridas. Nesse tipo de decoração e utilização de gramíneas, nota-se claramente o quanto ela mantém o local protegido, dando a impressão de ser impossível passar pelo mesmo.

Contudo, é importante ressaltar que essa forma de depositar e deixar com que cresçam pode apresentar alguns riscos, dependendo do local. Isto porque é uma forma muito efetiva de juntar cobras, aranhas e demais animais peçonhentos.

Outros usos de gramíneas

Algumas gramíneas, depois que possuem o seu grão retirado, acabam sendo separadas para secar. A intenção é que sejam utilizadas como telhados e vassouras, permitindo que se tenha uma utilização mais ecológica e acessível para muitas famílias.

Gramíneas

Importância das gramíneas

É indispensável citar o fato de que as gramíneas desempenham um importante papal ecológico. Atualmente, é possível notar o quanto o meio ambiente sofre com a ação do ser humano.

Isso tudo faz com que diversos problemas reflitam no mundo como sociedade e também na saúde de muitas pessoas. Afinal, abre margem para a poluição e irresponsabilidade de consumo, como ocorre em muitos casos.

No entanto, as gramíneas oferecem grandes vantagens e benefícios ecológicos quando presentes no ambiente. Um exemplo disso é o poder que possuem em evitar processos erosivos.

Ou seja, a partir do momento em que se encontram em um local, elas evitam o desgaste do solo pelas intempéries climáticas. Assim, mostram-se como uma das mais comuns e principais constituintes de formações campestres.

Além disso, essas plantas também são consideradas um universo à parte quando estão localizadas em um determinado ambiente, já que conseguem proteger também pequenos animais.

Desvantagens das gramíneas

Infelizmente, nem sempre as gramíneas oferecem apenas benefícios. Mesmo que até agregue alguns fatores e benefícios ecológicos, é muito importante ressaltar que elas podem ser uma grande ameaça à economia de muitas pessoas.

No Brasil, por exemplo, após algumas espécies serem introduzias, foram notados grandes impactos às plantas nativas, cultivos e demais ambientes. Dessa forma, as plantas antes cultivadas para comercialização acabaram sofrendo com isso.

Até mesmo porque as gramíneas não possuem predadores naturais e também não chamam atenção de muitos animais para que se alimentem delas. Com isso, seu crescimento dificilmente é interrompido, fazendo com que alguns problemas surjam no caminho.

Assim, é possível notar o seu aparecimento no local com o tempo. Mas isso depende, também, da planta, flor ou vegetal plantado e pouco cuidado. É importante que, caso não deseje a sua presença, retire-as a partir do momento que inicia o crescimento.

Benefícios das gramíneas para a saúde

Existem algumas gramíneas que são consumidas por possuírem fibras e uma série de benefícios para a saúde. Uma delas, por exemplo, é o arroz. Poucas pessoas sabem que esse alimento é, na verdade, uma gramínea.

A partir disso, nota-se também a aveia, o milho, o trigo e o sorgo. Todas elas possuem características extremamente positivas. Além disso, podem ser utilizadas de para garantir energia, vitalidade e fortalecimento, entre outros benefícios.

Existem, até mesmo, algumas gramíneas que servem como uma proteção para a pele humana. Um exemplo disso é a citronela, extremamente utilizada como chá e que é um dos exemplos de gramíneas que mais se usa contra os mosquitos.

Dessa forma, pode ser considerada um repelente natural. Além disso, não fará mal a animais domésticos ou seres humanos. Esse tipo de gramínea, inclusive, pode ser uma ótima ideia para se ter em casa, já que o seu chá oferece benefícios ótimos à saúde.

Como plantar gramíneas?

Uma curiosidade que muitas pessoas não fazem ideia é que alguns tipos das gramíneas podem ser colocados no local. Logicamente, como dito, depende muito do tipo. A grande maioria cresce de maneira fácil, tornando desnecessário o cuidado excessivo.

Além disso, são ótimas alternativas para quem deseja ter uma gramínea ornamental. Mas é indicado que, dependendo do tipo, não sejam plantadas junto a outras flores. Isso porque podem se tornar um empecilho para que cresçam de maneira correta e forte.

Gramíneas

Alergia a gramíneas

Algo que ocorre de forma muito comum, mas nem mesmo os próprios indivíduos sabem, é em relação à alergia a gramíneas. Essas alergias não se dão, de fato, pela gramínea em si, mas pelo pólen que liberam.

Dependendo da pessoa, pode apresentar um nível muito mais alto de alergia a gramínea, fazendo com que seja necessário apelar às medicações necessárias para rinite e demais alergias. Ademais, é importante ressaltar que essa alergia, dependendo da pessoa, pode exigir a ida ao hospital.

Isso porque, além da alergia a gramíneas, existem pessoas que também possuem problemas como a asma. Logo, a coceira na garganta, espirros frequentes e olhos marejados podem resultar na falta de ar, já que as vias respiratórias encontram-se sensíveis.

De qualquer forma, existem alguns sintomas que podem identificar quando se trata ou não de uma alergia a gramíneas:

  • Contato recente com a gramínea e o seu pólen;
  • Espirros;
  • Congestão nasal;
  • Irritação ocular de diversos níveis;
  • Tosse;
  • Sibilo;
  • Sensação de garganta arranhando ou fechando;
  • Coriza transparente ou com sujeira de pólen.

Em alguns casos, quando algumas pessoas apresentam uma alergia bem mais severa à gramínea, pode também ocorrer o inchaço da língua, boca e face. Independente do caso, indica-se aguardar alguns minutos ou algumas horas. Assim, se o quadro se complicar, o mais indicado é correr para um médico mais próximo.

Dependo da situação do indivíduo alérgico, será necessário ingerir alguns medicamentos para que os efeitos da alergia sejam amenizados da melhor forma possível, garantindo assim maior conforto e tranquilidade para ele e demais envolvidos.

Sementes de gramíneas

Atualmente, muitas pessoas estão mostrando grande interesse em relação aos negócios que envolvem cultivo e comercialização de sementes, mudas, etc. Seja por se tratar de um negócio lucrativo ou simplesmente por ser algo que dê prazer, as gramíneas se encontram entre as preferidas.

Em suma, as sementes são vendidas por pessoas que as conseguem com um fornecedor ou que dão um jeito de desenvolver as suas próprias. Independente da forma, vale ressaltar que as gramíneas podem ser lucrativas.

No entanto, é preciso saber onde e como vender, bem como qual tipo escolher. Algumas como o sorgo, arroz, aveia, entre outros, podem se mostrar negócios extremamente bem-sucedidos, já que estão ligados a um dos negócios mais necessários, que é a alimentação.

De qualquer forma, o mais indicado é sempre estudar sobre as gramíneas e garantir o conhecimento necessário para que sejam comercializadas da maneira certa.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo