Gramíneas servem para o consumo de humanos e animais

Home » Agricultura » Gramíneas servem para o consumo de humanos e animais
27/05/2019 by
Gramíneas servem para o consumo de humanos e animais

As gramíneas fazem parte de uma enorme família de plantas, calcula-se que mais de mil espécies compõem este tipo de vegetação

Há muitos anos as gramíneas fazem parte da rotina de alimentação de pessoas e animais. Inclusive, a produção de algumas espécies têm muita relevância dentro do agronegócio.

Devido à sua diversidade, portanto, as gramíneas podem sobreviver a climas e temperaturas bastante variados.

Gramíneas

O que são gramíneas?

Gramíneas são uma família de plantas de porte pequeno e possuem folhas em formato de lâminas. Geralmente esta vegetação possui muitas raízes e o caule oco. Além disso, elas auxiliam na preservação dos solos e são excelentes fontes de carbono.

As gramíneas podem ser encontradas em uma variedade enorme e, assim, sobrevivem em diferentes tipos de clima e relevo.

Em regiões mais próximas aos trópicos, elas possuem folhas mais largas. Já em ambientes desérticos, então, este tipo de vegetação desenvolve folhas pontiagudas que ajudam a absorver a água e reter a umidade.

Exemplos de gramíneas

Estes tipos de vegetais fazem parte da vida do homem há muito tempo. Inclusive, seres humanos e animais utilizam a gramínea, por partes dela, para a alimentação. As sementes e grãos, por exemplo, são bastante consumidos pelas pessoas ao redor do mundo. Confira alguns exemplos de gramíneas:

  • Milho
  • Cevada
  • Aveia
  • Arroz
  • Centeio
  • Trigo
  • Sorgo
  • Painço
  • Bambu
  • Capim do campo
  • Cana-de-açúcar
  • Alfafa

Curiosidades sobre a vegetação

As gramíneas fazem parte de uma enorme família, com aproximadamente mil espécies. Com tanta variedade assim, as plantas são capazes de se reproduzir em diversos habitats. Elas podem sobreviver entre pedras de uma calçada, assim como na água e até ambientes salgados. Também formam florestas e nascem na fendas de rochas, nas areias do deserto.

Existem, ainda, plantas gramíneas selvagens, que nascem de forma espontânea em locais não habitados ou afastados. São os casos de campos e pastagens, também chamados de pradarias, savanas e pampas.

Diferenças entre as gramíneas e as leguminosas

Algumas características principais diferem estes tipos de vegetação, especialmente em relação à morfologia. As diferenças entre as gramíneas e leguminosas, portanto, são percebidas nas folhas, caule, raízes e frutos.

Nas plantas leguminosas, por exemplo, o fruto é seco e com diversas sementes. Ele, então, se abre após a fertilização e permite com que as sementes se espalhem. Alguns exemplos de vegetais que fazem isso são as vagens e o amendoim.

Gramíneas

Além disso, as leguminosas possuem raízes mais profundas – ao contrário das gramíneas. Isso facilita em épocas de seca, pois as plantas podem buscar águas nas camadas mais profundas do solo.

Curiosidades sobre a família de plantas

Relatos históricos contam que grande parte das espécies destas plantas não teve origem no continente Americano. Contudo, o contrário disso as plantas foram trazidas para o Ocidente há muitos anos, com os navios negreiros.

As gramíneas, portanto, vieram da África quando as embarcações chegavam ao continente. O capim era depositado nos porões do navio e servia de cama para as pessoas dormirem na viagem. Quando as embarcações atracavam, então, o capim era jogado fora. Assim, foi se proliferando e se espalhando, através de suas sementes.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo