Peixe cachorra se destaca pelas presas grandes e afiadas

Inicio » Pecuária » Peixe cachorra se destaca pelas presas grandes e afiadas
03/02/2021 Por
Peixe cachorra se destaca pelas presas grandes e afiadas

Grande e bravo, o peixe cachorra é facilmente reconhecido pelos seus impressionantes dentes. Estando distribuído na bacia Amazônica e Araguaia-Tocantins, o peixe cachorra é um peixe de água doce que não possui grande valor comercial, mas é muito valorizado na pesca esportiva. Isso porque é um peixe bravo e, quando fisgado, costuma saltar.

Além disso, outro fator atrativo para os pescadores é o impressionante peso e tamanho do peixe cachorra. Os maiores exemplares atingem 1,5 metro de comprimento e podem pesar 20 quilos. Descubra mais sobre esse peixe ao longo do artigo.

  1. Como é o peixe cachorra?
  2. Habitat e alimentação do peixe cachorra
  3. Pescaria de peixe cachorra
  4. Particularidades do peixe cachorra
  5. Significado de ginete
  6. Peixes de água doce
  7. Peixes de água salgada
  8. Características do peixe cachorra
  9. Reprodução do peixe cachorra
  10. Curiosidades sobre o peixe cachorra
  11. Peixe cachorra e a pesca esportiva

Peixe cachorra

Como é o peixe cachorra?

O peixe cachorra é um peixe de nome científico Hydrolycus armatus, que pertence a família Cynodontidae e ordem  Characiformes. Ele é de cor prateada/prata azulado e possui uma grande força na mandíbula. Além disso, seus dentes são chamativos e grandes, sendo facilmente reconhecido por isso.

Em seu maxilar inferior, possui dois caninos extremamente aparentes e grandes que, por ter dois buracos no maxilar superior, são escondidos quando fecha a boca. Sua cabeça é relativamente pequena, a boca é grande e oblíqua e, além do par de presas impressionantes, o peixe possui uma fileira de dentes.

Além da cor prateada, há uma mancha preta atrás do seu opérculo. Possui diminutas escamas, corpo alto, comprido e olhos grandes. Suas nadadeiras são de um tamanho grande e possuem as extremidades mais escuras. A nadadeira caudal é truncada, porém dificilmente permanece inteira, por conta das piranhas que costumam mordê-la.

Habitat e alimentação do peixe cachorra

O peixe cachorra não se enquadra no grupo de peixes de água doce e salgada, muito menos no de peixes de água salgada.

Esse peixe se enquadra no grupo de peixes de água doce, vivendo nas bacias Amazônica e do Tocantins Araguaia. Pode ser facilmente encontrado em afluentes do rio Amazonas, além do próprio rio. Por ser um peixe pelágico, pode permanecer em águas mais rápidas e esconder-se em pedras, troncos, entre outros.

Raramente encontra-se o peixe cachorra em regiões de água parada. Dentre os locais em que você pode achar esse peixe, temos:

  • boca de lagoas;
  • mata inundada;
  • lagos;
  • união de massa de águas com velocidades diferentes;
  • dentro de um rio e
  • poços.

Por ser piscívoro, sua alimentação é consistida em comer outros peixes. Como também vive em regiões com galhos e  outros obstáculos, costuma se esconder para emboscar sua presa, podendo se alimentar de peixes que atingem até 50% do seu tamanho.

Pescaria de peixe cachorra

Dificilmente há pescaria de cachorra voltada para comercialização. Isso porque possui muitas espinhas, além do sabor da sua carne ser levemente adocicado.  Apenas alguns cozinheiros experientes conseguem preparar um bom prato com esse peixe.

Portanto, a sua maior procura é para a pesca esportiva. Como isca, utilize peixes em pedaços ou inteiros, como curimbatás e lambaris. Também é possível pescá-lo com iscas artificiais, como hélices e plugs de meia água. O equipamento deve ser médio/pesado, os azóis de número 4/0 a 6/0 e linhas de 14, 17 e 25 libras.

Após ser fisgado, o peixe dá incríveis pulos. Por isso, cuidado: não afrouxe a linha e mantenha a ponta de vara alta, ou o peixe poderá escapar. Além disso, fique atento para não se machucar com os afiados dentes, e molhe as mãos ao manuseá-lo, pois esse peixe produz bastante muco.

Um alerta importante é que o peixe cachorra não sobrevive por muito tempo fora d’água, se cansando rapidamente e não tolerando manuseio excessivo. Portanto, solte-o pouco tempo depois de ter o capturado. Além disso, espere o peixe se recuperar antes de soltá-lo definitivamente, para que não se torne presa fácil para outros peixes, como piranhas.

Dicas para pescar o peixe cachorra

O peixe cachorra se divide em quatro espécies diferentes, de forma que para pescar cada uma delas é preciso ir em locais diferentes.

A espécie H. scomberoides vive no Rio Amazonas e tributários, em uma altura acima da boca do Tapajós. Além disso, a espécie H. wallacei vive no Rio Negro, acima da Bacia do Rio Orenoco.

Já as espécies H. Armatus e a Tatauaia podem ser pescadas na bacia do Rio Amazonas, Tocantins, Capim e no Rio Essequibo. Na Bacia do Rio Orenoco também pode haver sucesso na pescaria.

Para conseguir pescar, além das linhas já mencionadas, você pode utilizar uma linha de 20 lb que também pode funcionar.

Ademais, o uso de empates de aço é muito recomendado. Nesse caso, escolha empate de 20cm, no mínimo. Menor do que isso pode ser insuficiente, pois os dentes do peixe cachorra são bem afiados.

Seguindo essas dicas e as anteriores, a pescaria de cachorra vai ser mais fácil. Porém, não é um dos peixes de água doce e salgada mais simples de pescar. Por isso, tenha paciência e persistência.

Além disso, apesar de o peixe cachorra pular bastante, ele não tem o costume de buscar enrosco. Por isso, a prática da pesca pode ser um pouco mais facilitada.

Particularidades do peixe cachorra

Outra dica importante para ser utilizada durante a pescaria é manter o peixe dentro da água enquanto tira a isca. Isso evita que fique muito tempo fora da água e acabe morrendo.

O que pode acontecer também, caso passe tempo fora da água, é que quando você for devolver, ele não conseguirá nadar normalmente nos primeiros minutos, pois estará em recuperação. Com isso, o peixe cachorra se torna uma presa fácil de outros peixes, como as piranhas.

Assim, lembre sempre que na pesca esportiva desse tipo de peixe é preciso ter cuidado redobrado para que o animal fique o menor tempo possível fora da água.

Peixes de água doce

Assim como o peixe cachorra, existem muitos outros tipos de peixe que vivem em água doce. Muitos deles são peixes de grande saída comercial pelo sabor da carne e textura.

Entre eles, podemos mencionar os seguintes:

  • Dourado;
  • Corvina;
  • Bicuda;
  • Pirarara;
  • Tucunaré;
  • Pintado.

Todos esses podem ser pescados no Brasil, tanto para pesca esportiva quanto comercial.

Há uma curiosidade sobre um deles que é interessante mencionar. O peixe pintado pode chegar a 1 metro de comprimento, o que faz com que seja um dos peixes preferidos para pesca.

Ademais, para pesca esportiva, é um dos peixes que mais servem como desafio para os pescadores, o que é mais um ponto positivo. Isso porque o peixe possui espinhas na nadadeira e dificulta a forma como é manuseado.

Além disso, pode ser encontrado em rios e lagos, como o peixe cachorra. Um dos locais mais propícios é nas bacias do Rio São Francisco. Em geral, o peixe fica próximo à margem, o que torna mais fácil o acesso para os pescadores.
Peixe cachorra

Peixes de água salgada

Assim como existe grande variedade de peixes de água doce, também existem vários tipos de peixes de água salgada.

Alguns são muito comuns para pesca esportiva, outros para pesca comercial. Alguns exemplos são:

  • Bagre;
  • Anchova;
  • Corvina;
  • Dourado-do-mar;
  • Linguado.

Entre os peixes mencionados acima, o dourado-do-mar e a anchova são dois bons exemplos de pesca esportiva. O dourado pode chegar a ter 2 metros de comprimento e pesar até 40kg. Isso faz com que seja uma comemoração a cada pesca.

Além disso, a anchova também é excelente para pescar em água salgada. Esse peixe tem o hábito de pegar a isca de forma rápida e frequente, o que torna a pescaria mais fácil. Para encontrar esse peixe, o ideal é ir no litoral no Brasil em que tenha arrebentação da maré.

O ideal é o uso de iscas artificiais e que tenham boa capacidade de movimentação. Além disso, quanto maior é o peso do peixe, maior deve ser o equipamento. Assim, é preciso ter equipamento robusto para conseguir sustentar o peso de muitos peixes de água salgada.

Características do peixe cachorra

Uma das características mais chamativas que o peixe cachorra possui é o tamanho dos dentes. Inclusive, é por isso que o peixe tem o nome cachorra, pois parece que tem dentes de um cão.

Além disso, é um peixe de poucas escamas e o corpo muito comprido. Em geral, a identificação desse tipo de peixe acontece de forma fácil, pois é bem diferente de outras espécies.

Ademais, os dentes são dispostos em uma só fileira e os dois principais da frente, tanto superiores quanto inferiores, são os maiores. Os demais também são grandes, mas o tamanho é bem reduzido em comparação aos do centro.

Isso auxilia para que o peixe possa capturar seus alimentos e mastigar o que capturar sem que a comida fique presa nos dentes.

Para que esses dentes maiores possam ficar acomodados no interior da boca do peixe cachorra, existe dois buracos na maxila superior. Assim, quando o peixe está com a boca fechada, os dentes ficam alocados nesse espaço e não machucam o animal.

Esse peixe também conta com nadadeiras dorsais que são localizadas na parte posterior do corpo e na mesma direção que a nadadeira traseira.

Tudo isso, mais as características que foram abordadas anteriormente, fazem com que o peixe seja único e muito interessante. Assim, cada vez mais pescadores esportivos querem localizar essa espécie.

Reprodução do peixe cachorra

Assim como outros peixes de água doce, o peixe cachorra sobe o rio na época em que ocorre a reprodução. Para isso, se for preciso percorrer grandes distâncias na migração, não há problema. Isto porque é um animal forte e rápido, conseguindo vencer o rio de forma eficiente.

Além disso, o período de reprodução ocorre entre os meses de novembro e abril. Ou seja, a reprodução não ocorre no inverno, sendo realizada nas temperaturas mais quentes e tropicais.

Esse período de reprodução acontece quando o peixe cachorra alcança sua primeira maturação, que é quando possui cerca de 27cm de comprimento.

O ritual de reprodução acontece quando o peixe macho inicia a perseguição da fêmea. Nesse processo, o peixe dá pequenas mordidas na fêmea enquanto a persegue. Após, o peixe macho aperta a papila genital da fêmea, o que faz com que os ovos sejam liberados.

Isso acontece porque eles são espécies ovíparas e possuem dispersores livres. Dessa forma, logo após a fêmea dispersas os ovos, o macho realiza a fecundação.

Depois disso, não há nenhum tipo de cuidado parental. O que quer dizer que os ovos são gerados de forma autônoma e seguem o fluxo de desenvolvimento sem intervenção dos peixes adultos reprodutores.

Para diferencial o peixe macho da fêmea, é preciso observar algumas características. As fêmeas possuem o abdômen com mais volume, quando na fase adulta. Além disso, no corpo do macho, a nadadeira anal é mais espessa em comparação com essa nadadeira da fêmea.

Além disso, os ovos permanecem na parte superior do rio enquanto não estão prontos para concluir o desenvolvimento e se tornarem peixes filhotes.

Mercado de peixes de água doce no Brasil

O Brasil é um dos países que mais possui potencial para o mercado de peixes de todo o mundo. Isso porque, no país, está cerca de 12% do reservatório de água doce de todo o planeta terra.

Com isso, o Brasil possui cerca de 5,5 milhões de hectares de água doce, o que comporta enorme quantidade de peixes.

Porém, mesmo com todo esse potencial, não é incomum que o Brasil tenha que importar peixe por não conseguir suprir a necessidade interna.

No início da década passada, havia um déficit de cerca de 307 mil toneladas de peixe no mercado interno, o que levou à importação de quase 350 mil toneladas.

No entanto, atualmente esse numero é mais favorável ao país, com mais produção. Isto porque o mercado de piscicultura, que é a criação de peixes, produziu cerca de 692 mil toneladas. O que ainda é bem inferior à capacidade de produção, que seria de 20 milhões de toneladas por ano.

Ademais, um dos peixes de água doce mais são produzidos no Brasil e que possui excelente mercado é a tilápia. O mercado brasileiro é o quarto produtor de tilápia em escada global, ficando atrás somente do Egito, China e Indonésia.

Assim, como é possível notar, o mercado de peixes de água doce é enorme no país e pode até ser maior, pois há muito potencial de produção e consumo.

Nos últimos anos, o consumo de peixes aumentou consideravelmente, em razão da tendência da população em adotar uma alimentação mais saudável.

Peixe cachorra

Peixes de água doce liberados para consumo

Além do que já foi falado sobre o mercado de peixes de água doce no Brasil, é importante mencionar que nem todos os peixes são indicados para consumo.

Dentro disso, algumas das espécies que são próprias para consumir são o dourado, filhote, tambaqui, salmão, piau e pintado.

Muitos outros também fazem parte do mercado de consumo. Porém, escolhemos alguns como exemplo.

Ademais, essas espécies são liberadas para comercialização por inúmeras razões, entre elas, a quantidade de nutrientes e vitaminas que possuem.

Além disso, os peixes de água doce possuem menos colesterol do que os peixes de água salgada, o que é uma ótima escolha para o consumo humano.

Curiosidades sobre o peixe cachorra

Uma das curiosidades sobre o peixe cachorra é que, em alguns lugares, ele é conhecido pelo nome de payara. Assim, se você ouvir esse nome, pode associar às características que trouxemos aqui sobre o peixe cachorra.

Ademais, outra curiosidade interessante é o tamanho dos olhos. Essa espécie de peixe possui olhos bem maiores do que várias outras espécies.

Além disso, outro nome que também pode ser encontrado para denominar essa espécie é peixe-vampiro. E o motivo é bem fácil de entender, pois com o tamanho das presas que o peixe possui, a comparação com um vampiro faz todo o sentido.

Esse peixe é muito comum em águas doces, como nos rios já mencionados. No entanto, também é possível que seja criado em aquários. Porém, para que isso seja possível, é necessário um aquário bem grande para que o animal possa ficar confortável e saudável lá dentro.

Em relação à alimentação, uma curiosidade tem ligação com os dentes enormes que a espécie possui. Para conseguir atacar as presas e se alimentar, o peixe cachorra costuma perfurar os órgãos no ataque às presas. Depois disso, o animal engole por inteiro a presa e aí entra em processo de digestão.

Ademais, esse procedimento de ataque ocorre em pouco tempo, pois o peixe cachorra é muito ágil e rápido. Isso favorece sua alimentação, pois dificilmente os animais que estão em sua cadeia alimentar conseguem escapar do ataque.

Além disso, quanto ao sabor, você já sabe que o peixe cachorra não é uma boa opção para consumo. Por isso, é um peixe mais indicado para pesca esportiva. E isso acontece porque a carne tem muitas espinhas e um sabor um pouco doce.

Com isso, até mesmo para assar na beira do rio, não é uma opção viável. No entanto, isso não quer dizer que é um peixe impróprio para o consumo humano.

É possível comer o peixe cachorra, desde que você ache atrativo e apetitoso. Isso pode acontecer dependendo do tipo de preparo.

Peixe cachorra e a pesca esportiva

Assim como muitos outros peixes de água doce, o peixe cachorra tem grande espaço no país. Pode ser que não seja o peixe com maior mercado, mas é uma excelente opção para pesca esportiva.

Sendo assim, é um peixe de grande importância, pois o potencial da pesca esportiva é cada vez maior no Brasil. Mesmo sendo um setor novo no país, movimenta cerca de 1 bilhão de reais anualmente.

Esse número, em comparação com países como EUA, Alemanha e Inglaterra, é inferior. Porém, continua sendo expressivo, principalmente para um setor novo. Com isso, a preservação do peixe cachorra é importante e a estimulação de sua pesca esportiva precisa acontecer sempre.

Compartilhe sua opinião

Agro20 | Portal Vida No Campo